domingo, 30 de junho de 2024

DOMINGO

Fogueiras - Quase extintas por aqui.

Arraiás - Não perdem forças e resistem com novos formatos.

As pamonhas e canjicas - Ah! Estas iguarias não olham para o tempo. Nossos paladares não as deixam na mão. São vendidas de porta em porta e também nas padarias. Há dias em que faz-se filas para comprar.

MUDANDO DE ASSUNTO

Numa espécie de um "Quem se lembra", relembremos as obras de Monteiro Lobato. O "Almanaque do Jeca Tatuzinho" ensina lições de higiene. Tive o privilégio de ver um desses almanaques. Era a literatura que chegava muito fácil na mão de todas pessoas. Até os que não sabiam ler conseguiam conhecê-la e entendê-la, visto que havia muitas ilustrações.

sábado, 29 de junho de 2024

QUE PALAVRA!

Anemia

Diminuição da hemoglobina do sangue circulante. (Minidicionário Aurélio)

Ocorre quando a concentração da hemoglobina sanguínea diminui de forma aguda ou crônica. Pode ocorrer por doenças genéticas, traumas com extenso sangramento, deficiências nutricionais, entre outras condições. Pode ser classificada, geralmente, em microcíticas, normocíticas e macrocíticas. (Dicionário de Termos Médicos, Enfermagem e Radiologia).

É fenômeno não somente na nossa língua uma mudança de sentido de uma palavra quando muda-se a classe.

Exemplo claro é com a palavra anemia. Poderá ser substantivo ou verbo, a depender de sua colocação.

Monteiro Lobato empregou a palavra anemia como verbo em "Problema vital" quando falava sobre a falsificação bromatológica:

Citamos este fato de falsificação avassaladora que campeia em São Paulo não para concluir "pedindo providências a quem de direito" - pedido inútil e pilhérico; mas sim para frisar ilustrativamente o grau de quebreira que nos anemia o querer.

Outros exemplos: 

Segundo (numeral ordinal) segundo (substantivo)

É comum usarmos a palavra andar como verbo:

Chegaremos o dia em que poderemos andar nas ruas sem medo? (verbo)

Mas é legítimo usarmos como substantivo:

Aquele meu vizinho tem um andar muito esquisito. (substantivo)

Os verbos jantar e olhar também são empregados como substantivos.

 

quinta-feira, 27 de junho de 2024

IDÉIA E IDEIA

Sou da época em que acentuávamos a palavra ideia. Era acentuada com aquele risquinho, um acentinho pendido para a nossa direita, com nome não tão difícil como o circunflexo.

Ideia deixou de ser idéia lá para o ano de 2012 através do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa entre os países que têm a língua como oficial.

Curioso é registrar que muitos escreventes da língua não têm a menor ideia que ideia não é mais idéia. 

Ou seja: o acento agudo não fez a menor falta na palavra.

PROVÉRBIO

 A fama sempre dura.

quarta-feira, 26 de junho de 2024

REOCORRÊNCIA

O friozinho pela manhã em todos os dias de junho não é coisa do outro mundo por aqui.

Muito bom para uns e péssimo para outros.

A friagem tira muita gente da pista nas manhãs juninas. Outros preferem mudar o horário das caminhadas.

PROVÉRBIO

A fama das mulheres está mais no que dizem do que no que é.

terça-feira, 25 de junho de 2024

MUITOS NORDESTES

Quando se fala em Nordeste, vem imediatamente à lembrança a imagem de uma região de extrema miséria, sujeita a secas periódicas que dizimam os rebanhos e frustram as lavouras, provocando o êxodo e a morte por fome e sede. Existem vários Nordestes, de características climáticas, humanas e até culturais, diferenciadas entre si. (O que é Nordeste brasileiro, de Carlos Garcia).

A variação nas chuvas nas diversas regiões marca as diferenças gritantes. Chove durante o ano todo em certos lugares, enquanto em outros, seca braba.

Há vários Nordestes também na linguagem. Cearenses, paraibanos, potiguares e baianos falam diferente. A uns que sutacam, outros com língua pesada e outros que falam cantando.

PROVÉRBIO

A experiência ensina em um momento o que o conselho não pode persuadir em toda a vida.

segunda-feira, 24 de junho de 2024

APÓLOGO

Apólogo é um tipo de narrativa na qual os personagens inanimados possuem dotes humanos como a fala. Difere da fábula, pelo menos num aspecto: nas fábulas que conhecemos, os personagens são animais, que também falam e são inteligentes.

Machado de Assis produziu um belo conto chamado "Um apólogo". O texto é bem costurado, num sentido figurado, claro, mas trata de costura, literalmente. É uma peleja entre uma agulha e um novelo de linha. Os dois personagens disputam o valor de cada um, principalmente argumentando quem é o mais importante.

Vale a pena ler.

CHUVA

A chuva fina e longa de ontem foi de apenas dez milímetros.

PINGA-PINGA

Ontem passamos o dia num pinga-pinga bom. Bom para quase todo mundo. Menos para quem sofre com reumatismo e adjacências. Os ossos, dizem, doem que é uma beleza!

PROVÉRBIO

A experiência é mestra em todas as coisas.

domingo, 23 de junho de 2024

DOMINGO

CHUVA

Conforme as previsões meteorológicas, hoje choveria.

E é isso mesmo. Upanema está debaixo de chuva desde a manhã. Chuva fina, espaçadas. Daquelas que "molham besta", como bem diz o adágio popular.

A crença nas previsões - Hoje mesmo, bem cedinho, algumas pessoas discutiam sobre a eficácia das previsões. Algumas descreem totalmente. Já outros ponderam. Acreditam que as previsões são previsões. Não significa que vai ocorrer do tantinho que dizem os profetas. Afinal, não são deuses.

ESTÁ LÁ NO UPANEMÊS

Vai chover e não tem lenha!

É uma expressão usada, principalmente ou exclusivamente pelos cinquentões e acima dessa idade.

Mas o que significa isso?

Há algumas décadas, a lenha era o único combustível de que dispunha-se para cozinhar. E como é óbvio, a lenha molhada não serve para cozinhar, pois o fogo não pega em lenha verde.

Daí o ditado: Vai chover. Portanto, não tem lenha para se cozinhar.

E mais: as pessoas apanhavam a lenha o mato na hora em que ia cozinhar. Não era costume juntar em casa um monte de lenha em casa.

sábado, 22 de junho de 2024

QUE PALAVRA!

Copeque 

Copeque é uma das muitas palavras da língua portuguesa que poucos brasileiros já viu escrita ou pronunciada.

Moeda divisionária russa, de cobre, que vale a centésima parte do rublo.(Silveira Bueno).

Do turco kopek, "cão", através do russo "kopeika/', e do francês "kopeck". Moeda soviética que vale a centésima parte do rublo. (Aurélio).

A palavra copeque aparece no conto "Pobre Liza", de Nikolai Karamzin:

Dois anos se passaram desde a morte do pai de Liza. Os prados cobriram-se de flores e Liza foi a Moscou com os lírios do vale. Um moço bem vestido e de aparência agradável cruzou com ela na rua. Ela mostrou-lhe as flores e corou. "Estão à venda, menina?" - Perguntou ele com um sorriso. "Estão" - respondeu ela. "E quanto queres por elas?" - cinco copeques" - "É barato demais. Aqui está um rublo". 



sexta-feira, 21 de junho de 2024

COPEQUE

O que é um copeque?

Que palavra estranha dicionarizada e desconhecida dos falantes e escreventes da língua portuguesa!


SESSÃO

As sessões ordinárias da Câmara Municipal ocorrem às sextas-feiras pela manhã.

Geralmente há pouca gente na assembleia.

Muito bom seria se a sociedade estivesse presente para conhecer o que está sendo debatido lá.

PROVÉRBIO

A experiência é a mãe das coisas.

quinta-feira, 20 de junho de 2024

SUSTENTABILIDADE

Leituras sustentáveis

Imagino que há leituras que têm substâncias em seus conteúdos e outras que não têm substâncias ou poucas.

Difícil é definirmos o que é uma leitura com substância ou sem. Estaria no volume ou no conteúdo?

Uma leitura que tenha substância, considerando a idade do leitor, precisa ter volume e qualidade.

Não tem substância uma leitura de um livrinho infantil feita por alguém que já cursa o Ensino Médio ou universidade. Necessitam, sim, de leituras de livros volumosos, de machadianos pra frente.

São leituras sustentáveis as que põem de pé seus leitores.




PROVÉRBIO

A estima das coisas está no carecer delas.

quarta-feira, 19 de junho de 2024

COMPRE, COMPRE, COMPRE!

Passou recentemente um dos períodos em que mais é usada aquilo que os estudiosos da linguagem chamam de função conativa.

A função conativa é a que apela no sentido de convencer o interlocutor.

O período a que me referi é o dia dos namorados, 12 de junho. Teve também o das mães.

O próximo é o dos pais, um pouco mais distante: segundo domingo de agosto.

Até lá para mais conatividade.

PROVÉRBIO

A esperança sempre deu o melhor e o tempo tudo.

terça-feira, 18 de junho de 2024

NAS HOLIDAYS

Nas holidays, pouco precisamos fazer ou nada. Uma coisa, pelo menos, nos manuais de autoajuda são unânimes: devemos fazer alguma coisa diferente dos outros dias do ano.

Nos States chamam as holidays de vacation.


PROVÉRBIO

A esperança é refrigério do trabalho e duvidoso sucedimento.

segunda-feira, 17 de junho de 2024

DESERTIFICAÇÃO, AGRICULTURA, PRODUÇÃO

Um deserto é

Um lugar onde a falta de água impede a povoação e a vida normal, social, informa Silveira Bueno.

Temos solos férteis, água em abundância. O que falta é...

Política agrícola.

Não corremos por aqui o risco de uma desertificação, mas de não desenvolvermos como cidade, nação, sim.

A produção agrícola é um dos moinhos de uma civilização.

Hoje

É Dia Mundial do Combate à Seca e à Desertificação.

PROVÉRBIO

A esperança do descanso alivia o trabalho.

domingo, 16 de junho de 2024

DOMINGO

Um dia frio

Pouco vimos o sol hoje. O dia está frio, com o sol escondido entre nuvens e alguns pingos aqui e outro acolá.

Quatro

Quatro milímetros de chuva pela madrugada.

sábado, 15 de junho de 2024

QUE PALAVRA!

Depenicar

Tirar ou arrancar as penas ou os pelos de, aos poucos. (Aurélio).

De depenar + içar. Arrancar as penas. Provocar, arreliar. (Silveira Bueno, com etimologia).

terça-feira, 11 de junho de 2024

CHAPA ELEITA DO GRÊMIO

O grêmio estudantil "Aldo Felinto", da Escola Estadual "José Calazans Freire", renovou a diretoria, nesta sexta-feira, 7, depois de alguns anos inativo.

Eis a chapa eleita, em chapa única:

Vitória Cristina dos Santos Brito (Presidente)
Pedro Henrique da Silva Freire (Vice-presidente)
Alaine Silva de Medeiros (Secretário-geral)
Raisla Rafaela Silva Freitas (1º Secretário)
Vivian Camila Rodrigues Apolônio (Tesoureiro-geral)
Anna Theresa Batista Oliveira (1º Tesoureiro)
Melissa Mirtes Freire Simão (Diretor Social)
José Gilmar Ferreira da Silva Freire (Diretor de Imprensa)
Andrey Nery Aquino de Mendonça (Diretor Cultural)
Avilla Gabrielly Batista Bezerra (Diretor de Esporte)
Vitória Rebeca da Silva Aquino (Diretor de Saúde e Meio Ambiente)
Karen Mirela de Carvalho Albuquerque (Diretor de Articulação política).

PROVÉRBIO

A escritura é a vida das palavras.

segunda-feira, 10 de junho de 2024

CAMINHO ESTREITO

Uma vaga para a câmara de vereadores é sempre custosa.

A estrada é difícil de ser trilhada e o caminho é estreito. Nem todo mundo consegue chagar no final.

PROVÉRBIO

A dor própria não descansa no repouso alheio.

domingo, 9 de junho de 2024

DOMINGO

Cheiro de chuva - Céu nublado e com cheiro de chuva para breve.

Eufemismo de Dé

Encontrando um conhecido, disse: "Você é fraco de feição." (Para dizer que a pessoa é feia).

Arte 

Nem toda palavra é 
Aquilo que o dicionário diz
Nem todo pedaço de pedra
Se parece com tijolo ou com pedra de giz. (O Teatro mágico)

Uma palavra, por pertencer a uma linguagem, pode ser manipulada pelo autor de uma obra, como um poeta ou escritor.

O poeta brinca com as palavras, ao mudar as classes gramaticais:

Meus irmãos à minha volta
E meu pai sempre de volta.

Meu amor
Tudo em volta está deserto
Tudo certo
Tudo certo como
Dois e dois são cinco

Ficção - Palavra originária do verbo fingere, que em latim quer dizer fingir. É o que dizem alguns teóricos do ramo literário.

Ficção não ser confundida com mentira. É algo que é produzido de diversas formas: escrito, na tela do cinema ou na tela do pintor.

Pode ser dita daquela maneira para mostrar uma realidade presente ou futura. Muitas vezes são "profecias". 

Há também o fato de muitas pessoas tentarem imitar e ficção. Geralmente é o contrário.

Às vezes - Em algumas vezes, há uma espécie de purificação quando assistimos a uma representação teatral. Chamamos isso de catarse. A catarse é antigo e remonta desde a antiguidade dos gregos e romanos.

sábado, 8 de junho de 2024

QUE PALAVRA!

Lustro

Período de cinco anos completos. (Antenor Nascentes).

Do latim, lustrum. Mesmo que lustre. Cerimônia de purificação celebrada em Roma a cada cinco anos. Período de cinco anos. (Silveira Bueno, com etimologia).

Quinquênio. Polimento. Lustre. (Aurélio).

Período de cinco anos. Quinquênio. Polimento. (Soares Amora).

O espaço de cinco anos. Quinquênio. Polimento, lustre.(Dermival Ribeiro Rios).

O arvoredo sempre enfolhado num dos belos sítios da Tijuca esconde a deliciosa vivenda de Mr. Slang, rubicundo britanico que ha mais de oito lustros reside entre nós. Quem sobe de bonde não avista a sua casa, nem sequer a suspeita. (Mr. Slang e o Brasil e Problema Vital, obra de Monteiro Lobato).

O texto acima de Monteiro Lobato, com pelo menos duas palavras de ortografia vencida, foi escrito em 1969. Traz também a palavra lustro, pouco ou nunca usada no nosso meio, mas ainda nos dicionários.

quinta-feira, 6 de junho de 2024

INSCRIÇÃO NO ENEM

O prazo de inscrição para o Enem termina amanhã,7, sexta-feira.

Ainda dá tempo em arrochar nos estudos, pois as provas serão aplicadas em dois domingos seguidos: 3 e 10 de novembro.

Há pouco chão pela frente para quem estuda e quer passar, mas é um chão que valerá a pena percorrê-lo.

PROVÉRBIO

A dor de cabeça é minha e as vacas são nossas.

segunda-feira, 3 de junho de 2024

domingo, 2 de junho de 2024

DOMINGO

A Semana

É uma seleção de crônicas de Machado de Assis escritas no século XIX e publicadas nos principais jornais do Rio de Janeiro.

Trecho de "A Semana", em 24 de abril de 1892, da "Gazeta de Notícias", Rio de Janeiro:

Na segunda-feira da semana que findou, acordei cedo, pouco depois das galinhas, e dei-me ao gosto de propor a mim mesmo um problema. Verdadeiramente era uma charada; mas o nome de problema dá dignidade, e excita para logo a atenção dos leitores austeros. Sou como as atrizes, que já não fazem benefício, mas festa artística. A cousa é a mesma, os bilhetes crescem de igual modo, seja em número, seja em preço; o resto, comédia, drama, opereta, uma polca entre dous atos, uma poesia, vários ramalhetes, lampiões fora, e os colegas em grande gala, oferecendo em cena o retrato à beneficiada.

No trecho encontramos algumas palavras ou expressões interessantes. Destaco o acordar "pouco depois das galinhas". Dizemos "acordar com as galinhas", que dá no mesmo. Como veem, a expressão é antiga. 

Destaco também o numeral dois. Dizia-se "dous" com a maior naturalidade. Hoje a palavra perdeu a vida.

Cheiro de papel - O cheiro de papel das revistas, livros e jornais novos nada dizem sobre o seu teor. É o que sinto o olfato de textos como d'A Semana e dos contos fluminenses. Os primeiros, de 1970, apesar de publicados há quase um século antes; os contos, cheirosos, publicados próximos daqueles, mas, os que tenho, impressos no ano passado. Os dois, todos marcados com o estilo de Machado. Ferrados com a sapiência do "Bruxo", seja em papel cheiroso, seja em papel mofento.

O olhar para o céu 

Olha pro céu, meu amor
Vê como ele está lindo
Olha pra aquele balão multicor
Como no céu vai sumindo.

Foi numa noite igual a esta
Que tu me deste o coração
O céu estava assim em festa
Porque era noite de São João.

Havia balões no ar
Xote, baião no salão
E no terreiro o teu olhar
Que incendiou meu coração.

Olho pro céu e vejo
Uma nuvem branca que vai passando
Olho na terra e vejo
Uma multidão que vai caminhando
Como essa nuvem branca
Essa gente não sabe aonde vai
Quem poderá dizer o caminho certo
É você meu Pai.

Acima, excertos de uma antiga canção popular de Luiz Gonzaga e um outro de Roberto Carlos.

Um simples olhar para o céu pode não representar nada para alguns, mas muito para outros.

No sky, há muita coisa bonita. Não só nuvens, mas pássaros e mais pássaros. Até mesmo o céu azul é lindo.

sábado, 1 de junho de 2024

CARREGADAS

Carregadas elas estão agora nos meados das cinco.

Dispararão por aqui? Não sabemos.

As nuvens guardam certos segredos que nunca, creio, que desvendaremos.

QUE PALAVRA!

Dentar

Morder. Formar ou fazer dentes em; dentear. (Aurélio).

Do latim dentifi, formado de dente+ar. Fazer dentes em um instrumento qualquer. Começar a ter dentes.(Silveira Bueno, com etimologia).

Imagina alguém falar que um outro dentou outro. O que ele estaria querendo dizer?

AS AFECÇÕES

As afecções - nome estranho e elegante do ponto de vista da raiz gramatical - mas carregado de uma ruindade quase sem fim, são ligadas à g...