sexta-feira, 31 de julho de 2020

PROVÉRBIO

De ruim mata nunca boa caça.

QUARENTENA

Quarentena é um período de quarenta dias.

Tempo (originariamente de quarenta dias) que os viajantes procedentes de lugares infestados por doenças contagiosas devem conservar-se incomunicáveis em local apropriado (hospital, lazareto, navio), antes de desembarcarem. A primeira quarentena foi provavelmente a imposta por Veneza em 1374 contra os viajantes suspeitos de contágio pela peste bubônica. Hoje, com o uso da vacinação, raramente se recorre à quarentena, que, por outro lado, teve sua duração reduzida de acordo com o período de incubação da moléstia, indo de 5 dias para a cólera até 14 dias para o tudo exantemático e a varíola. (Enciclopédia Brasileira Globo, 1977, vol. 9)

Na época em que foi escrito o texto acima, provavelmente não se usava a expressão "isolamento social" no sentido que temos hoje. Os meios de comunicação mais rápidos eram o rádio e o jornal. Os meios de contaminação de país para país também eram mais lentos que hoje. Um outro mundo, enfim.

Quarentena hoje toma um sentido mais amplo. Pode ser um período muito além de quarenta dias. Já estamos agora há mais de cento e trinta dias e ainda chamamos de quarentena. 

Que linda língua rica a nossa!
Outros preferem chamá-la de difícil.

LINGUAGEM: ABREVIAÇÃO DE APARTAMENTO

A abreviação da palavra apartamento não é apto., mas ap. 

Um cantor nacional cantou e fez sucesso com uma música que usava apê de uma outra maneira. "Hoje é festa lá no meu apê".

O mesmo problema de abreviação com a palavra apartamento ocorre com horas. Muita gente boa e bonita costuma errar. 

Noutra postagem relembrarei aos meus seis leitores.

PROVÉRBIO

De raminho em raminho, o passarinho faz o ninho.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

PROVÉRBIO

De pendão a grão, trinta dias vão. 

CHARADA: COMEÇOU COM 15

O que começou com 15 e vai findar com mais de 150?

AMBIENTE SEGURO

Se o ambiente não estiver seguro, as aulas presenciais não vão recomeçar no dia previsto, dia 17 de agosto. Assim se expressou a governadora hoje em entrevista coletiva.

As escolas não estão preparadas para o retorno. Portanto, há riscos de vida. Ninguém está mesmo preparado para o retorno. Esta que é a verdade totalmente nua. E cruíssima também.

UM VÍCIO DE LINGUAGEM

Cacofonia: É um som desagradável que produzimos na fala, através da junção de fonemas. 

Fé demais não cheira bem, era um filme comédia.

A boca dela é bonita.

Ela tinha vinte e cinco anos quando se casou.

São exemplos de frases que não são bons exemplos de se usar na fala ou escrita.

PROVÉRBIO

De onde menos se espera é que vem a ingratidão.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

PANCADA

Pancada de chuva leve e rápida agora.

O período invernoso neste ano estendeu-se de forma bem diferente. É uma característica de ano de muitas chuvas. Assim presenciamos em invernos passados.

PROVÉRBIO

De médico e louco, todo mundo tem um pouco.

QUASE UMA PIADA

O freguês pergunta:

- Tem carne de sol?

Responde o balconista:

- Não, mas se quiser, eu boto no sol.

E quase dá pra rir.

LINGUAGEM: COISAS QUE BOTAM NA CABEÇA DA GENTE

Gênia?

Não existe gênia. Isso é pura invenção de alguns revolucionários da linguagem. "Um gênio, o gênio".

O mesmo é o famoso recorde. Só deve ser pronunciado com a sílaba tônica na penúltima e não na antepenúltima.

Hoje há muita gente pronunciando errado porque estão indo na onda da tv.


PROVÉRBIO

De mau caminho, não sai passarinho.

terça-feira, 28 de julho de 2020

AGRICULTOR

É ele quem produz de verdade e leva o país nas costas. É ele que deveria ser reconhecido e ganhar bem para viver viver bem.

Ao contrário, recebe o desprezo dos administradores. Estes elegem outras pautas como a folia. Gastos exagerados onde não deveria. Um horror! Ainda há pequenas compensações como o aposento na velhice. Pelo menos isso.

Hoje é seu dia e poucos sabem.

DÚVIDA NA LINGUAGEM

Aonde ou onde?

Onde você mora?
Aonde você vai?

Onde é empregado com verbos que não indicam movimento.

Aonde é empregado com verbos de movimento: ir, chegar, levar.

É uma questão elementar da linguagem e ao mesmo tempo complexa. É o tipo da coisa: faz-se necessário estudar. Ninguém consegue negar que a diferença entre onde e aonde é regrinha chata. 

Mas que regra não é chata? Hein?

PROVÉRBIO

De madrasta, o nome basta.

PROVÉRBIO

De graça, só trabalha relógio, e assim mesmo quer corda.

A MELHOR PROPAGANDA

A melhor propaganda é o serviço bem feito, pois, de boca em boca, diz-se:

Aquela sopa de fulano é deliciosa.
Já a de sicrano, não tem quem coma.
O frango, a carne lá de coisinha é boa. Lá no outro coisinha, ninguém consegue comer.

E assim, os bons serviços superam os maus pela boa propaganda oral e gratuita.

ENSINO E EDUCAÇÃO

Pensem numa tarefa difícil é a gente entender essa coisa de educação e ensino - ensino e educação!

Pelo que deu pra captar até agora, os ex-ministros da educação caíram mais por estarem tentando levar a escola a ensinar, ao invés de educar. 

Educar, pelo que se sabe, é tarefa da família. A escola, por sua vez, ajuda no processo.

Só que, há alguns anos, conseguiram fazer com que a  escola tomasse pra si o papel de educar. A família ficou com o papel de mandar os filhos pra escola. Esta desprezou o ensino e cerrou na educação. Assim, o Pisa não aguenta!

segunda-feira, 27 de julho de 2020

STOP DA COISANIA

Ainda longe, provavelmente uns meses de distância para um stop dessa coisania, já avistamos uma luz que clareia nosso futuro e nos diz que isso vai passar.

Os templos vão poder funcionar brevemente com mais fiéis. Etc coisa e tal.

PROVÉRBIO

De graça só trabalha relógio.

CHUVINHA DE ONTEM

A chuvinha de ontem marcou 3mm.

domingo, 26 de julho de 2020

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

Nesses meses de exceção, o comércio local está mais aquecido do que nunca. Há um que se destaca dos demais: os de frutas e verduras. Todos os dias há bancas nas imediações do mercado público. Outros comércios não ficam atrás, como o das farmácias e carnes.
E assim, mais uma semana se inicia.

DIA DOS AVÓS - Hoje é o dia daqueles que são pais duas vezes. Que adulam mais os netos que os filhos. Que criam, mas não educam. Que fazem os gostos dos netos mais que os pais. Que tomam o lugar dos pais. Et cetera.

AS AULAS VOLTAM QUANDO?

A volta às aulas presenciais ainda constituem-se num grande ponto de interrogação. Consoante o último decreto, seria em 17 de agosto. Por causa do ainda reinado do covid, poderá haver outros decretos de adiação.

SAÚDE

•Evite o mais possível a carne de qualquer espécie, principalmente as carnes vermelhas e gordurosas por causa do colesterol. Os animais estão muito doentes, cheios de vacinas, hormônios e antibióticos.
•Frituras devem ser evitadas, pois são de difícil digestão e destroem o valor nutritivo dos alimentos, prejudicam o fígado e fritando por muito tempo, formam-se produtos cancerígenos.
•Evite discussões e brigas na hora da refeição, pois são prejudiciais. Coma, no máximo, três vezes ao dia. Se o alimento for nutritivo e seu corpo estiver em ordem, não terá fome além disso.
(Conselhos de Jaime Bruning)

REDES SOCIAIS

Nem todas as risadas presenciais são agradáveis. Já as das redes sociais são bastante desagradáveis. Pelo menos aos meus ouvidos. Há umas que são campeãs de falta de graça. A pessoa ri de si mesma.

TEXTOS ANTIGOS

Psicologia Industrial

Um grande empresário conversava, em seu escritório, com um amigo. Este, demonstrando admiração pela organização da empresa e pela eficiência que notava nos funcionários, perguntou:
- Como é que você escolhe os funcionários? Tem algum departamento especializado para a escolha do pessoal?
- A sua curiosidade será logo respondida. Vou examinar agora alguns candidatos a emprego. Quer ficar para assistir aos exames?
- Ah, sim! Gostaria muito!
O primeiro candidato foi introduzido na sala. O empresário fitou-o por alguns instantes e perguntou depois, à queima-roupa:
- Quanto são dois mais dois?
- Quatro, - replicou o examinado, sem um momento de hesitação.
- Muito bem... muito bem, - murmurou o empresário. - A sua resposta revela que você possui um espírito extraordinariamente preciso e pensa de forma clara e ordenada. Faça-me o favor de esperar na sala A.
Chegou a vez do segundo candidato.
- Dois mais dois quanto são?
O rapaz vacilou:
- Seis, - redarguiu.
- Magnífico... magnífico, - tornou o examinador. - Sua resposta mostra que você não se atém às convenções. Procura elevar-se acima do nível comum dos homens e revela grande originalidade. Espere na sala B, por favor.
Ao terceiro candidato foi feita a mesma pergunta:
- Dois mais dois quanto são?
- Trinta e seis, - foi a resposta imediata.
O empresário não conteve o espanto:
- Estupendo! Gigantesco! Fenomenal! Nunca ouvi nada parecido em toda a minha vida. Sua imaginação ultrapassa todos os limites imagináveis! Você é um verdadeiro gênio. Tenha a bondade de esperar na sala C.
Depois que o candidato se afastou, o empresário voltou-se para o amigo.
- Muito bem, quem supõe você que vou empregar?
O outro pensou um pouco e respondeu:
- Imagino que seja o que respondeu trinta e seis.
- Pois imagina mal. O felizardo é o que disse seis.
- Mas não compreendo! Por quê? - tornou o amigo.
- Porque - rematou o dono da empresa - é primo de minha mulher. (Siqueira & Bertolin, Português Dinâmico, sétima série)

PROVÉRBIOS DAQUI
Infeliz das costas ôca.
Liso, leso e louco, comprando fiado e pedindo o troco.

EXPRESSÕES UPANEMENSES
Banda de lata: muito
Barrer a quenga: ficar bravo, injuriado.

FIGURAS DA LITERATURA DO PASSADO

Pedro Cem - O sobrenome Cem advém daquilo que ele possuía. Tinha cem casas em cada rua, cem navios, cem fazendas, cem bancos. 
Tinha uma riqueza que aparentemente nunca iria perder. Uma vez, negou uma caridade para uma pessoa necessitada. No fim da vida, morreu na miséria.

HUMOR

Na feira, a mulher fazia compras:
- Qual é o preço dos ovos?
- Oito reais a dúzia. Se a senhora quiser levar estes quebrados, faço por 20 centavos cada um.
- Que maravilha! Então me quebra aí duas dúzias. (Folhinha do Sagrado Coração de Jesus).

POESIA

Queria versar com alegria
Palavras que alegrassem o viajante
Que ecoassem no ouvido bem distante
Daquele que por acaso passasse.

Queria sambar um verso bem sambado
Atingir no âmago daqueles
Que porventura se aventurassem
A ler aquilo que eu escrevesse.

No entanto hoje ele não quer sair
Do jeito que sempre desejei
Versos alegres como sonhei
Para fazer o insensível sentir.

Já forcei a mente para quê
Soltasse uma página de alegria
Que levasse um pouco da poesia
Que fizesse o vivo mais viver.

Deixo aí isso que escrevi
Espero ter agradado mais que menos
A todos leitores serenos
Que bebem na fonte que bebi.

sábado, 25 de julho de 2020

PROVÉRBIO

De estado e morada, não adianta mudar.

É IMPOSSÍVEL

O hipocondríaco não tira da cabeça a ideia de que está doente, e por extensão, morrerá.

Encaixa-se bem um trecho de uma canção do grupo musical Biquíni Cavadão:

Tudo que morre fica vivo na lembrança/Como é difícil viver carregando um cemitério na cabeça/Mas antes que eu me esqueça, antes que tudo se acabe/
Eu preciso, eu preciso, dizer a verdade.

VOLTA ÀS AULAS INCOMODA

A volta às aulas incomoda a todo mundo por causa das condições sanitárias e também os gastos para evitar as contaminações.

Quando falamos em voltar às aulas, lembramos de aglomerações. 

Outra palavra-chave é o descumprimento de normas. Cumprir normas é difícil, principalmente para aluno em ônibus escolar, sala de aula e corredor de escola.

QUE PALAVRAS!

Canivete: Pequena faca cuja lâmina, móvel, se encaixa no cabo. (Aurélio).

Chover canivetes significa chover muito. 
Mas o que tem a ver o canivete com uma grande chuva?
Respondam aí quem souber!

Canja: Caldo de galinha cozida com arroz. (Aurélio).

Na linguagem musical, uma canja é cantar ou tocar um trecho de 
uma música.

PROVÉRBIOS DAQUI

•Falou e disse!
•Feio só briga de foice.

PROVÉRBIO

De coco se faz cocada.

DICIONÁRIO DA POLÍTICA

Primeiro de tudo, vamos definir o que é política no sentido em que vamos dar no nosso dicionário. Aqui não utilizaremos a ordem alfabética e definiremos palavras isoladas e expressões usadas durante uma campanha.

Política: A campanha em si: os pedimentos de votos, os comícios, as passeatas, as visitas de casa em casa, os contatos nas redes sociais, as laives, etc.

sexta-feira, 24 de julho de 2020

LIVRO DE JOSAFÁ INÁCIO

O professor Josafá Inácio da Costa está pesquisando o segundo tempo da história de Upanema, ou seja, da Upanema depois da emancipação política - 1953 até os dias atuais.

PROVÉRBIO

De cobra não nasce passarinho.

TREINANDO A LINGUAGEM

Frase - O que é?

Todo enunciado que tem sentido completo e estabelece uma comunicação.

Aglomeração põe reabertura em xeque.

O Governo do Estado e a Prefeitura do Natal reagiram às aglomerações na Praia de Ponte Negra neste domingo.

Reabertura em xeque.

Reação do Governo do Estado.

Se pegarmos as frases acima e mudarmos a ordem das palavras e se não tiver nenhum sentido, não serão frases, pois não têm sentido. É como um saco de batatas misturadas com arroz e milho.

Uma frase não necessita de haver verbos.

AS BUZINADAS

Buzinadas não são coisas do outro mundo nesse período pré-eleitoral cara de eleitoral.

As buzinas é que sofrem com a política. Falando nisso, a palavra política tem entre nós um significado interessante. 

Voltarei a falar sobre o verbete acima.

Curiosidade
A buzina antigamente era um instrumento que de tocava com a boca. Entre os romanos, designava em particular os instrumentos militares (cornetas). Atualmente, o termo é mais usado para designar instrumentos não musicais, mecânicos, que produzem sons estridentes (nos automóveis, por exemplo). (Enciclopédia Brasileira Globo, volume 3).

PROVÉRBIO

De burros não se espera senão coices.

quinta-feira, 23 de julho de 2020

PROVÉRBIO

De bel-ver, bel-prazer e bel-amar.

TREINANDO A LINGUAGEM

Há e a

Fui a Natal há muitos anos. =faz

Estamos a cem metros do edifício.

O é empregado quando puder ser substituído por faz. Caso contrário, empregaremos a.

A lição de cima não é difícil, se comparada a outras lições aprendidas com a maior facilidade. 

O cerne da questão está no interesse e no estímulo que a escola dá ao assunto. Se a escola não incentiva a língua formal como é para ser, a criança não aprende. Se a língua formal só for ensinada quando todos estiverem de barriga cheia, casa pra morar, livres da violência, etc e coisa e tal, como muitos acreditam, nunca vai ser ensinada tais regras. 

PROVÉRBIO

Dar dói e chorar faz pena.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

UMA CARRADA DE PROBLEMAS

Todo mundo tem problemas para resolver. Uns menos outros mais. Uns uma carrada, outros uma pequena porção. Precisamos cada um de nós tentar resolver. Cada um no seu quadrado e função.

PROVÉRBIO

Da crítica ao fuxico, vai um passico.

UMA NUVEM DE GAFANHOTOS

Os olhos das pessoas estão voltados para o céu para saber se os gafanhotos vêm.

Se não bastassem os outros problemas, este é mais um.

Por outro lado, há informações otimistas que se eles vierem para o país, haverá combate. Eles serão abatidos antes de se espalharem para essas bandas.

PROVÉRBIO

Da casa de gato não sai rato forte.

segunda-feira, 20 de julho de 2020

AS CHUVAS CONTINUAM

Caiu hoje pela tarde uma chuva rápida no município de Upanema. 

PROVÉRBIO

Corrente marinha não prende lobo do mar.

CIDADE DENGOSA E CHICUNGUYADA

As fumaçadas do carro fumacê durante alguns dias aqui na cidade não surtiram efeito como todo mundo imaginava.

A cidade está dengosa e chicungunyada. Em cada canto da cidade ouvimos o clamor de pessoas que claudicam nas ruas ou nem sequer podem sair de casa.

PROVÉRBIO

Corcunda sabe como se deita.

domingo, 19 de julho de 2020

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

Mais uma semana atravessamos. E o Brasil não está melhor. O estado e cidade, idem. Mas estamos bem porque vivos estamos. Uns com boas saúdes e outros nem tanto. A chicungunya ataca pelas pontas, cruza para a dengue, que mata no peito e tem o coiso-19 na cara do gol. Muitos, a maioria, está se defendendo ou botando para o escanteio. Poucos gols por aqui em relação ao número de habitantes e outras cidades Brasil a fora. Ainda bem.

QUEM SE LEMBRA?

Quem é do tempo em que havia nas escolas os inspetores escolares?

Os inspetores faziam o papel do que chamamos hoje de coordenadores escolares. O papel do inspetor era vigiar, corrigir e levar alunos para a direção da escola quando estes estivessem fazendo um "mal feito".

Sobre isso, relembra Sérgio, personagem de "O Ateneu", de Raul Pompeia:

"João Numa, inspetor ou bedel, baixote, barrigudo, de óculos escuros, movendo-se com vivacidade de bácoro alegre, veio achar-me indeciso, à escada do pátio."

HISTÓRIAS ANTIGAS

A lenda da borracha

Paulo estava lendo a descrição do modo de extrair a borracha da seringueira, quando o avô lhe perguntou:
- Você conhece a lenda da borracha?
- Não, vovô. Conte-me esta história.
- Os índios não sabiam fazer fogo. Só o deus Tupã era capaz de fazê-lo.
Mas, um dia, Tataitá, um famoso guerreiro, imitando Tupã, tirou fogo de duas pedras.
O deus dos indígenas, muito zangado com a sua audácia, deu-lhe um castigo terrível.
No alto de uma montanha, Tupã tinha uma grande igaçaba feita de uma pedra amarela e brilhante, na qual guardava a água que fazia cair sobre as matas e os campos, em chuvas que davam vida à terra.
Tataitá foi condenado a encher a igaçaba com água de uma fonte que corria no fundo do vale, mas só poderia transportá-la num cesto de cipó.
O infeliz guerreiro enchia o cesto e mal começava a caminhar, ele se esvaziava. E Tataitá não podia parar, recomeçando seu trabalho inútil.
A Iara, a deusa das águas, que morava naquela fonte, teve pena do guerreiro e prometeu ajudá-lo a cumprir o castigo com que Tupã o punira.  
Mergulhando, a mãe-d'água trouxe na mão uma concha. Mostrando a Tataitá uma árvore alta, de tronco liso e direito, disse-lhe:
- Dê um corte no tronco daquela árvore com esta concha, e recolha o suco leitoso que escorrer do talho. Com esse líquido, forre o interior do cesto. Continue depois o seu trabalho e não se arrependerá de seguir o meu conselho.
Tataitá tomou a concha, correu para a árvore, ferindo-a com extenso golpe, do qual começou a escorrer um líquido branco e grosso.
Revestindo o cesto com esse líquido, ele o tornou impermeável. Tataitá pode, então, encher o grande vaso no qual Tupã guardava a água para fazer chover.
Foi assim que Tataitá se livrou do castigo e que se descobriu a borracha. (Infância Brasileira, terceira série primária)

SAÚDE

•Tome o máximo cuidado com os venenos agrícolas, pois estão matando muita gente. As frutas e verduras muito bonitas estão cheias disso.
•Faça todos os dias de manhã algum exercício de respiração profunda.
•Evite engolir qualquer comida muto quente ou gelada.
(Conselhos de Jaime Bruning)

EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Balaio-de-gato: Confusão. Ex: Na minha rua aconteceu o maior balaio-de-gato entre duas vizinhas.
Banda de cuia: Em grande quantidade.

PROVÉRBIOS DAQUI

É melhor dormir no chão que cair da rede.
Espere deitado porque em pé cansa.
Eu sou eu e jacaré é bicho.
Fala mais do que o homem da cobra.

PODER

Da remuneração dos agentes políticos

A remuneração do prefeito, vice-prefeito e dos vereadores será fixada pela Câmara Municipal, no último ano de legislatura, até trinta dias antes das eleições municipais, vigorando para a legislatura seguinte, observado o disposto da Constituição Federal. (Artigo 26 da Lei Orgânica Municipal de Upanema)

POEMA

A travessia

Não são travessos
Os que atravessam
As mais difíceis travessias.

Atravessam porque o atravessar
Requer energia
Às vezes boa companhia.

Noutras horas
Atravessar pode ser arriscoso
Necessita de boa ideia
Bom equilíbrio
Bom planejamento
Boa pontaria.

Arriscar pode ser loucura
Pode ser juízo sobrando
Pode ser boa pedida
Pode ser uma aventura
Pode ser juízo faltando.

HUMOR

- A herança da minha família já foi dividida.
- Que beleza! O que deu?
- Eu fiquei com as dívidas do papai, meu irmão com as dívidas da mamãe. (Folhinha do Sagrado Coração de Jesus).










sábado, 18 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Coração mole não ajuda.

ANALFABETISMO

"É a incapacidade total de ler e de escrever. Os critérios de definição, porém, para fins de recenseamento, não são os mesmos em todos os países do mundo. Assim, por exemplo, o analfabetismo pode ser definido como capacidade de leitura e escrita insuficiente para o atendimento das exigências da vida adulta. 

No Brasil, para pessoas acima de 10 anos de idade, o censo de 1950 acusou 51,65% de analfabetos, figurando o Estado da Guanabara com o melhor índice de alfabetização, 84,48%; os índices mais baixos estiveram representados pelos Estados da Paraíba, 29,18%, Piauí, 25,59%; Maranhão, 25,22%; e Alagoas, 23,65%. (Dados da Enciclopédia Brasileira Globo, 1977, volume 1)

Dados desta semana do IBGE apontam o um pouco mais de 11 milhões de analfabetos, cerca de 8,7%.

A lista acima não contempla o nosso Rio Grande do Norte, porém, podemos arriscar que na época, os números fossem parecidos com os vizinhos Estados do nordeste.

O número alto de analfabeto daquela época se dava pelo fato de haver pouca oferta de vagas. O pai, já analfabeto, também não estimulava o filho para o estudo, ainda que tivesse vaga. Preferia deixá-lo no trabalho pesado com ele. Havia pais que desafiava o filho para ir frequentar a escola. Se ele não rendesse nada ou começasse a dar trabalho lá, o pai dizia: 

"Se não quiser usar a caneta, eu tenho uma aqui mais grossa." Ele se referia à enxada.

História sobre analfabetos

Papai contava que uma família recebeu uma carta de um filho que morava em São Paulo. Primeiro o pai abriu, olhou, olhou, e começou a chorar. A mulher e os dois filhos perguntaram: o que houve? Ele está mal? O pai respondeu: é porque eu não sei ler o que ele está dizendo. 

E assim, a missiva passou de mão em mão, e cada um chorava porque não sabia decifrar os códigos.

Passava um viajante, jovem, e viu a família toda chorando, com a carta na mão. O rapaz resolveu se aproximar para ver o que se sucedida. 

"O que está acontecendo?"

"É que recebemos esta carta do nosso filho que mora em São Paulo, mas ninguém aqui sabe ler. Leia para nós, moço!"

O jovem pegou a carta e começou a olhar, virar a página, voltar a ler. De repente, começou a verter lágrimas em seu rosto. A família voltou a chorar, pois agora tinha certeza de que algo de ruim teria acontecido com o filho que morava muito distante e não mandava notícias há muito tempo.

"O que diz aí, moço? Alguma coisa ruim aconteceu ao nosso filho?"

"Não sei" - respondeu o rapaz, ainda derramando lágrimas e com voz trêmula:

"É porque eu também não sei ler."


 
 


 

QUE PALAVRAS!

Canície: Aparecimento de cãs. (Aurélio)

Canície parece ser parente de calvície pela sua terminação e mora bem pertinho.

E ainda é uma palavra muito desconhecida dos falantes da língua. Cãs também é desconhecida, mas pronunciada ou escrita algumas vezes.

Canicultor: Criador de cães. (Aurélio)




RÉVEILLON AMEAÇADO

Todas as festas estão sendo ameaçadas pelo coiso. 

A bola da vez é a da virada de ano.

O "neste ano, quero paz no meu coração" poderá ser cantado, mas não como as outras inúmeras viradas que participamos.

Ora, se o forte da virada do ano é o abraço, o beijo, o pega-pega, terá tudo para não haver esse clima. 

Pelo menos as autoridades já preveem isso. Pode ser até que cantemos "marcas do que de foi, sonhos que vamos ter", lembrando do pesadelo que tivemos, mas por enquanto já podemos nos preparar para o réveillon tradicional não ser realizado. 

PROVÉRBIO

Coração da gente - o escuro, escuro.

sexta-feira, 17 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Conversa puxa conversa.

ANALFABETOS NO RN

O IBGE divulgou dados do analfabetismo no RN. 

Analfabetismo é assunto antigo e complexo. O analfabeto pode ser aquele que não sabe decifrar os códigos das letras e também os que leem "faltam dois minutos para cinco horas e quarenta. Diga a hora certa" e não entendem.

Os dados, obviamente, referem-se ao primeiro caso. E deste, há aos montes não somente na escola primária, mas também no ensino secundário.
 

SÓ COM VACINA

Quem diria que as grandes folias patrocinadas e apoiadas pelo poder público poderiam ser esbarradas algum dia?

Agora já há quem pense sensatamente em não promovê-las caso não haja vacina daqui para fevereiro.

Aí a música será cantada assim:

Em fevereiro
Não tem carnaval.

VOZES DISSONANTES

Tenho ouvido vários debates de pessoas estudiosas no assunto central do semestre, quiçá durante o ano todo e mais alguns meses do próximo.

Assim como em religião, política, futebol, filosofia, não há uma única voz que fala. As pessoas debatem, debatem e debatem até perderem a voz e quem sabe, caírem duras no chão, e ainda não conseguem ter a unanimidade dos ouvintes.

E é exatamente isso que está ocorrendo com os devotos da deusa ciência: querem que todos acreditem nela, sem que esteja bem perto da unanimidade das opiniões acerca dos usos de remédios, máscaras e estratégias de combate à doença.

A música está muito desafinada entre os estudiosos. Imagina entre nós que não o somos.

DESISTÊNCIA

A possibilidade de uma reprovação dos alunos neste ano, em grandes proporções é uma realidade. 

A reprovação será disfarçada em desistência. Sempre houve grandes desistências do meio para o final do ano, mas só era visto aquele aluno que não passava. Se havia 40 numa sala, 5 não passavam e outros 15 desistiam. 

No final do ano a metade era retida.

Os verbos no passado referem- se aos tempos normais, sem corona.

PROVÉRBIO

Conversa não é valentia.

quinta-feira, 16 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Conversa comprida faz quem quer.

EFEITOS DO FUMACÊ

Já se pode notar os efeitos do fumacê na cidade. Há, com certeza, ainda pessoas que se queixam de dores nas articulações por causa do chicungunya e dengue. 

Mas isso também passa, passará. E nada fica, nada ficará.

quarta-feira, 15 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Conselho não se oferece.

CARRO DA FUMAÇA CONTINUA

Continua na cidade o carro da fumaça no combate aos mosquitos.

Avante!

A ONDA DO NÃO-CARNAVAL

O bichinho invisível a olho nu veio para acabar com as aglomerações. Primeiro foram as escolas, praias e templos. Depois chegou a vez das folias: cidade-junina e outras similares. A bola da vez é o carnaval. O fora de época já era. Agora é o de época. Altos contratos, altas bandas e altos gastos.

Aí o bichinho invisível mais uma vez está perturbando e dizendo: agora não! Salvador, Rio de Janeiro, Olinda e todas as cidades que têm o carnaval como política pública e até uma prioridade de governo têm que recuar. O bichinho não brinca!

PROVÉRBIO NA PRÁTICA

Confiança não se dá nem se toma emprestado: conquista-se.

Na vida prática, principalmente neste momento em que muitas pessoas batem as portas das casas presenciais ou virtuais pedindo ao povo que confie em suas palavras e depois pedem o apoio para mais na frente poderem assumir um cargo eletivo.

Traduzindo: o político deve conquistar a confiança das pessoas.

PROVÉRBIO

Conselho e rapé só se dá a quem quer.

terça-feira, 14 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Conheço bem a quem já vi, mas quero bem a mim mesmo.

SOBRE ESCOLA

Durante muitos anos, nos esquecemos da função da escola. Mudou- se o foco do que a escola deve ensinar. 

Perguntem a qualquer pessoa lá no meio da rua que nunca foi à escola:

"O que a escola deve ensinar?"

Ler e escrever primeiramente. Depois as matérias: ciências, matemática, português, espanhol, inglês, química, física, geografia, história, etc.

Qualquer desvio daquilo que qualquer pessoa entende, dá no que está dando: analfabetismo funcional e até do deciframento do código verbal (fonemas).

E O CARNAVAL?

O carnaval não vai ter patrocínio com o dinheiro de todos?

SÓ SABEMOS QUE SABEMOS POUCO

Não é que não saibamos de nada, mas pouco sabemos em matéria de doença nova. 

Sempre foi assim para a ciência. Com a covid não poderia ser diferente. Quando apareceu, a deusa ciência começou a atirar no escuro. A população também atirou junto. Todos, naturalmente, erraram o alvo. E continuam errando. Basta abrir a boca ou teclar.

Sobre o uso da máscara foi um deus nos acuda. O distanciamento, isolamento e outras recomendações foram campeões de "cabeçadas". O lock down foi e ainda é alvo de muitas dúvidas de sua eficácia. 

E assim caminha a humanidade.

PAROU NAS DEZESSEIS

Não se pode mais contar que as feiras de segunda estão diferentes das tradicionais de dezenas de anos.

Hoje o ciclo se encerrou. Segunda-feira passada já havia algumas bancas, mas poucas. Hoje quase cem por cento estava presente. A da agricultura familiar não compareceu e também a da esquina, próximo ao Calazans, que vende artigos antigos.

No mais, as coisas estão partindo para a normalidade.

PROVÉRBIO

Confiança não se dá nem se toma emprestado: conquista-se.

segunda-feira, 13 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Comida de angu só quiabo é que entende.

TAREFA DO NOVO MINISTRO

Os ministros de educação deste governo não têm conseguido esquentar o banco e logo é demitido pelo presidente e pelas circunstâncias.

Vejo que tem-se tirado o foco da questão. Uma hora é uma fala do próprio. Outra vez é um diploma que não existiu. 

E o mais importante não se fala: melhorar o ensino-aprendizagem. Este anda capenga. O país está em situação humilhante, segundo dados fornecidos pelo Pisa. Enquanto Paulo Freire é louvado pelos seus méritos na educação. Só se for na educação, porque no ensino o Brasil está ruim. Um ministro que ajudar a mudar esse quadro sairá bem na fita.

Em resumo: se voltarmos a ter a escola em que o ensino-aprendizagem era o principal eixo da educação, então podemos elogiar o ministro.
 

PROVÉRBIO

Comeu, pagou.

domingo, 12 de julho de 2020

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

Os dias se arrastam no curso normal, mesmo dentro dos dias de exceção. Vivemos um tempo de guerra mundial. Quem teve a experiência de uma guerra deve estar revivendo aqueles momentos que só sabemos pelos filmes. O que podemos fazer é empunharmos as armas e lutarmos na retaguarda.

QUEM SE LEMBRA?

Caçar preá: O preá é bichinho muito desconhecido dessa geração dos vinte anos para baixo.  O numeral vinte foi somente uma estimativa, mas não tenho certeza se até muita gente de trinta não conhece tal animalzinho que era íntimo de todos.

Preá: Nome comum de diversas espécies de pequenos mamíferos roedores da família dos caviídeos, distribuídas por toda a América do Sul. Asemelham-se à cobaia, de que são congêneres. Têm corpo alongado, baixo, com 20 a 30 cm de comprimento; cabeça grande e orelhas curtas. Pêlo curto, de cor pardo-escura no dorso e mais clara na parte ventral. Patas anteriores com quatro dedos e as posteriores com três dedos. Alimentam-se de folhas, frutos e raízes. As fêmeas dão cria duas vezes ao ano e têm até três filhotes de cada vez, raramente mais. A sua carne é saborosa. Seu nome científico é Cavia aperea. (Enciclopédia Brasileira Globo, volume 9)

Quem já comeu preá? Achou bom ou era a fome?

HISTÓRIAS ANTIGAS

A lenda da vitória-régia

Os velhos pajés das tribos da Amazônia contavam que a lua, todas as vezes que desaparecia por detrás das serras, escolhia uma jovem índia, transformando-a em estrela, que passava a brilhar no céu.

Um valente cacique tinha uma filha muito bonita, chamada Naiá. A jovem era clara como o leite e tinha os cabelos louros como as espigas de milho.

A moça desejava ser escondida pela deusa Jaci, a lua, para ser transformada numa estrela cintilante. 

Mas a lua não ouvia seus pedidos e a jovem, muito triste, ficou doente e começou a emagrecer.

Os pajés tudo fizeram para curá-la, sem resultado. Todas as noites, Naiá saía de casa e caminhava até amanhecer o dia, na esperança de ser vista e escolhida por Jaci.

Certa noite, quando estava cansada de andar, Naiá, sentando-se à beira de um lago sereno, viu a imagem de Jaci refletida no espelho das águas.

Atraída pela luz da lua, a índia atirou-se ao lago, desaparecendo. Semanas inteiras, a jovem foi procurada pela gente da tribo. Mas Naiá não reapareceu.

Os peixes e as plantas do lago pediram a Jaci que a moça fosse transformada numa estrela; não para brilhar no céu, mas na estrela das águas, a bela flor que abre suas pétalas à luz da lua: a vitória-régia. (Infância Brasileira, terceira série primária) 

POESIA

Resposta a um possível amor

Amor sem árdego desejo
Querer sem perspectiva
Apreciação cuidadosa
A uma distância impositiva.

Sentimentos afetuosos
Que são raros de se ver
Que fogem à racionalidade
Do mais sapiente ser.

De uma ternura imensurável
Por vezes chega a ser cômico
Será uma intensa amizade 
Ou é o tal amor platônico?

(Júlia Costa)

SAÚDE

•Tenha um contato com a terra ou grama ou pedra diariamente para descarregar eletricidade do corpo. É o melhor calmante que existe.
•Procure estar em paz consigo, com os outros e com o Criador, senão não poderá ter verdadeira saúde, pois o rancor, ódio, inveja, angústia, são causas de muitas doenças. (Conselhos de Jaime Bruning em seu livro "Cuide de sua saúde").

Carro fumacê: O carro fumacê passou ontem em algumas ruas da cidade no combate ao mosquito da dengue e similares.
Ter contato com a terra é bom para a saúde. Parece lógico. As pessoas mais antigas e também da minha meninice constavam andar descalças, não por opção, mas por falta de calçado. Nem sabíamos que fazia tanto bem.

TODA GRAMÁTICA

Fonemas são os elementos sonoros mais simples da palavra. São os sons elementares que entram na constituição das sílabas e dos vocábulos. Numa sílaba pode haver um ou mais fonemas. Quando proferimos a palavra cinema, por exemplo, emitimos seis fonemas. (Novíssima Gramática da Língua Portuguesa, de Domingos Paschoal Cegalla, 1977)

Na época em que a gramática de Cegalla foi escrita, o professor era chamado de mestre e o que hoje é chamado de educando, chamávamos aluno.

EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Baião-de-dois: Feijão e arroz cozinhados juntos, misturados com ingredientes tais como queijo, nata e temperos.

Baixa da égua: Xingamento que quer dizer "um lugar bem longe", um local bem longe pra se livrar do outro. Home, vá pra baixa da égua com essa conversa!

HUMOR

O médico pergunta para a nova paciente:

- Dona Esmeralda, eu pedi à senhora para retornar ao meu consultório no começo do mês, e hoje é dia 30. Por que a senhora não veio antes?

E ela responde:

Não vim porque eu estava doente, doutor. (Da Folhinha do Sagrado Coração de Jesus)

REMINISCÊNCIAS DA ESCOLA

Dona Carminha: Faleceu no dia 30 de junho a senhora Maria do Carmo Freire Costa de Medeiros. Tinha 87 anos. Era conhecida por Carminha. Não se sabe se era professora, mas exerceu o cargo de diretora do Alfredo Simonetti durante muitos anos. Sucedida cargo a professora Fátima Tavares. Não fomos informados o tempo que passou como diretora, mas foi antes do ano de 1974.

Privilégio: Teria sido um privilégio ter sido aluno na época em que Dona Carminha era diretora, tendo em vista o seu zelo e rigidez no seu trabalho.

CHUVAS DA SEMANA

Depois de uma paradinha nas chuvas, a semana que findou nos surpreendeu com 67mm.

NOVO MINISTRO

Mesmo distante daqui, um ministro da educação fará alguma diferença para a educação daqui ou o ensino, como costumo dizer e repetir até "não querer mais".

Escolhido: Foi escolhido o novo ministro da educação. O quarto neste governo. O ministro da educação que der um pontapé inicial na volta do ensino-aprendizagem nas escolas públicas terá o meu aplauso e de todas as pessoas do país que priorizam o ensino e não a educação.

PODER

Do exame público das contas municipais

As contas do município ficarão à disposição dos cidadãos, durante sessenta dias, a partir de quinze de abril de cada exercício, no horário de funcionamento da Câmara Municipal em local de fácil acesso ao público. (Art. 24 da Lei Orgânica do Município de Upanema)










sábado, 11 de julho de 2020

QUE PALAVRAS!

Canhenho: Caderneta. Registro de lembranças. (Aurélio)

Livro, caderno de notas. Lus. (lusitano) Canhoto. (Minidicionário Escolar Silveira Bueno).

Se pedirmos a alguém por aqui um canhenho, certamente não seremos atendidos.

Canhonaço: Grande canhão, tiro de canhão. (Minidicionário Escolar Silveira Bueno).

Tiro de canhão. (Aurélio).


PROVÉRBIO

Come-se para viver, não se vive para comer.

POESIA

LUA E SOL

Sou lua
Enquanto és sol
Assim
Brilhas em mim.

Estou debaixo de teu clarão
Sem tua luz
Só produzo escuridão
Teu calor
Valoriza a terra
E a mim
Que sem ele
Não sobrevivo
E engelecido morro.

sexta-feira, 10 de julho de 2020

CHUVA

Uma chuva leve caiu em Upanema ontem entre a tarde e a noite. Foram três milímetros.

PROVÉRBIO

Come que teu mal é fome.

PROVÉRBIO

Com sabido, sabido e meio.

ECONOMIA E SAÚDE

Muito se tem discutido quem é mais importante se é a saúde ou a economia.

Querer arrancar uma resposta nesse sentido é como querer que o menino diga de quem gosta mais se do pai ou da mãe. Ele prontamente dirá:

"Dos dois".

O cuidado com a saúde é indispensável, mas ninguém vive sem economia. O país não sobrevive sem a compra e venda. As arrecadações já despencaram. Os governos se aperreiam. E com razão. E já sabem o que fazer: fazer pequenas aberturas, mas com muito cuidado.

ENSINO À DISTÂNCIA: UMA REALIDADE

O ensino à distância vai ser mais realidade a partir de agora. Não se tem certeza como será daqui pra frente nesses tempos difíceis.

quinta-feira, 9 de julho de 2020

VAMOS FALAR DE RIQUEZA

Em alguns livros didáticos antigos havia uma seção chamada "vamos enriquecer o vocabulário".

Ali o aluno enriquecia o vocabulário contido no texto lido. A aprendizagem era feita através do estudo dirigido. Havia a provocação para o enriquecimento.

Num texto em que houvesse, por exemplo, a palavra "graça", ela seria vista em vários contextos. Além do seu sentido muito usado, como algo de graça: gratuito. Dom sobrenatural, gracejo, há um que é pouco usado: nome de batismo ou de registro civil.

- Qual é a sua graça?

Hoje - Hoje a pedagogia moderna teima em igualar a linguagem informal com a formal, em nome duma igualdade e tentando se esquivar dum suposto preconceito linguístico.

O resultado está aí: uma geração tomada pela guria e sem saber se expressar no uso formal da linguagem, enquanto os exames exigem a formalidade.

O Enem vem aí!



ENEM:17 E 24

Apesar da enquete entre os alunos propor as datas das provas do Enem (impressas) para o mês de maio, o ministério da educação decidiu os dias 17 e 24 de janeiro, baseado não somente na enquete, mas no que pensam os secretários de educação do país.

Prejudicados

Alguns pensam que deveriam ser somente em maio para que desse tempo para que os alunos que não se prepararam, pudessem estudar. Não creio nisso. Quem iria estudar, já estudou. E pronto!

A FORÇA DOS PARABÉNS

Apesar de ter a convicção de que a palavra, seja escrita ou falada, tem lá alguma força, não gosto de parabenizar as pessoas, presencial ou remotamente. É somente uma opção. 

PROVÉRBIO

Com quem pode não se brinca.

COMO PAULO FREIRE APRENDEU A LER

O educador Paulo Freire aprendeu a palavra escrevendo com gravetos na areia do quintal da casa, à sombra de uma mangueira e próximo da realidade da fome, da pobreza e do analfabetismo do povo nordestino. (Folha do Campus - Farn, setembro, 2006).

Considerando que aprender "a palavra" significa aprender a ler e escrever, não conseguimos entender porque tantos alunos chegam hoje no Ensino Médio sem saber ler e escrever com desenvoltura os códigos da língua. Aí excluo os analfabetos funcionais. 

Considerando ainda as condições como aprendeu a palavra, podemos outra vez fazer a mesma reflexão do parágrafo anterior. Ele, que foi um competente escritor - ainda que não concordemos com o que ele diz - ele escrevia bem e articulava muito bem as palavras em público. O que está acontecendo com esta geração?

FECHADOS

Os templos continuarão fechados, apesar da flexibilização permitir a abertura. Dada a limitação do número de pessoas em cada celebração, melhor é não se arriscar. 

PROVÉRBIO

Com paciência tudo se arranja.

quarta-feira, 8 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Com minha justiça, brigo, brigo, brigo.

PANIFICADOR

Não costumamos chamar o padeiro de panificador. Mas é a mesma coisa. Dizemos panificadora, mas não panificador.

Hoje é o seu dia. Rezam os fabricadores de dias comemorativos. Há dias para todas as ocupações e gostos.

NOVOS MINISTROS

O governo está com dois ministérios descobertos: o da saúde, que mais parece o da covid - e o da educação - que bem poderia ser mudado para o da escola ou ensino.

O Ministério do Ensino teria muitos desafios pela frente. Direi hoje um deles. Em outras postagens declinarei outros.

Um dos desafios seria fazer com que houvesse menos cursinhos preparatórios para vestibular e Enem. E não era por decreto. Seria oferecer uma escola tão boa que os cursinhos presenciais ou online perderiam o sentido.

PROVÉRBIO

Com Deus me deito, com Deus me levanto.

BOTANDO PRA CORRER

O friozinho das manhãs está botando muitos caminhantes pra correr.

Na certa, ficam engrujados em casa, sem a mínima coragem de sair e esticar os músculos. 

terça-feira, 7 de julho de 2020

FEIRA COM CARA DE FEIRA

A feira-livre de ontem tinha cara de feira de "mermo mermo". Havia muita gente circulando no comércio. Havia mais bancas de fora. A coisa está andando devagar, mas juntos chegaremos lá.

FREIO

A segunda fase da abertura da economia no RN sofreu um freio hoje com o pronunciamento da governadora hoje. 

Governar dá trabalho!

PROVÉRBIO

Com chefe bom a gente chega longe.

CHUVA DE ONTEM

19mm a chuva de ontem pela tarde.

CHUVAS

Mais uma tarde e noite chuvosa, em pleno julho.

FUMAÇA

Ontem pela tarde o carro da fumaça passou nas ruas arrasando contra os invertebrados.

Já tinha passado nos dias 1° e 5 deste mês.

PROVÉRBIO

Com bananas e bolos é que se enganam os tolos. 

segunda-feira, 6 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Com banana, macaco se arranja.

QUARENTA E CINCO

As pancadas leves de ontem à noite até o começo da tarde de hoje renderam quarenta e cinco milímetros.

AULAS PRORROGADAS

O que já estava previsto, agora é confirmado pelo decreto do governo do Estado:

Fica prorrogado até 14 de agosto de 2020 o prazo de suspensão das atividades escolares presenciais nas unidades da rede pública e privada de ensino do Rio Grande do Norte, no âmbito do ensino infantil, fundamental, médio, superior, técnico e profissionalizante, para fins de enfrentamento ao novo coronavírus (COVID-19).

O decreto não está sendo bem digerido por muitas pessoas, principalmente pelas que estão no chamado grupo de risco.

Apesar de faltar mais de um mês, elas estão apavoradas desde já. São funcionários, pais de alunos e alunos.

Pelo decreto antigo, as aulas iriam até hoje. No novo, as aulas serão retomadas no dia 17 de agosto, numa segunda-feira.


JULHO VIRA MAIO

Em mês de julho, chove o dia todo e se parece com o mês de maio.

MANHÃ CHUVOSA

Desde ontem pela noite que chove leve. Estendeu-se pela manhã e continua.

FLEXIBILIZAÇÃO

Houve uma leve flexiblizacão na feira-livre de hoje.

Podemos observar algumas bancas de fora que desde 23 de março não vinha participar da nossa feira. A de ferragens e relojoeiro, por exemplo.

Assim, a flexiblização já é uma realidade também na feira-livre.

NÃO PERCAMOS A CONTA DAS SEGUNDAS

São dezesseis segundas-feiras consecutivas sem feiras como nos acostumamos durante muitos anos.

CARRO DA FUMAÇA

O carro da fumaça passou de novo ontem pelo começo da noite nas ruas da cidade.

Era disso que precisávamos e a população clamava há tempos.

Assim, os invertebrados não vão resistir.

PANCADAS

Caíram pancadas de neblinas ontem pela noite cedo.
Parece que ainda não é o fim do período invernoso.

PROVÉRBIO

Com amor e com açúcar, devagar senão machuca.

domingo, 5 de julho de 2020

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

QUEM SE LEMBRA?

Alguém se lembra das mangas de lampião?

Lampião havia em poucas casas. Lamparina era certo. Lampião, não!

POESIA

(in)correspondido

Deveria ser proibido
Amar sem corresponder
 Ou oferecer todo afeto
Sem o mínimo receber.

Pouparia-me da dor
Da saudade e ilusão
E tornaria exultante  
O meu triste coração.

Mas meus olhos insensatos
Que da alma são porões
Prendem-me às armadilhas 
Das efêmeras paixões. (Júlia Costa)

SAÚDE

•Movimente-se bastante, pois movimento é vida. Não fique parado.

•Durma um sono tranquilo de 7 a 8 horas por noite. Não tome soníferos.

•Não use botas de borracha nos pés no sol quente, pois prejudica os rins, os nervos, porque é impermeável.
(Conselhos de Jaime Bruning)

PROVÉRBIO

Coisa ruim não acaba logo de vez.

EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Avalie uma coisa dessa! Expressão que pode denotar indignação, espanto ou tristeza.

Ave Maria! Interjeição usada para muitas situações: espanto, tristeza, alegria, apreensão.

TEXTO ANTIGO

Solução econômica

(Do livro Português Dinâmico, sétima série)

Um editor estrangeiro conta o caso de um romancista de folhetim, que escrevia romances e artigos a tanto por coluna, e que, sendo uma vez incumbido de escrever um romance nessas condições, para uma revista semanal, compôs uma obra muito interessante, mas cuja publicação levou muitas semanas, pois tinha passagens como a seguinte:

- E tu o ouviste?
- Com certeza.
- Como?
- Através da parede.
- Quando?
- Hoje.
- Portanto, ele está vivo.
- Está.
- Ah!

O editor mandou chamá-lo e disse-lhe:

- Daqui em diante, pagar-lhe- ei o romance por letras e não mais por linhas. O senhor receberá tanto por mil letras.

O romancista, com cara de quem comeu e não gostou, retirou-se; mas, já no capítulo imediato da história introduziu um novo personagem gago e, assim, pôde encher o capítulo de passagens como esta:

- C-c-c-creia n-n-no q-q-que lhe d-d-digo: eu não sou o c-c-criminoso. F-f-foi m-m-minha m-m-mãe q-q-quem c-c-cometeu o C-c-c-crime.

JACINTO CARLOS

Jacinto Carlos, falecido ontem pela manhã, foi entrevistado pelo Jornal de Upanema em agosto de 2004. Ele nasceu em 3 de julho de 1921. Tinha, portanto, a 99 anos.

O assunto da entrevista foi sobre sua convocação para defender o Brasil na Segunda Guerra Mundial que terminou em 1945.

Algumas partes da entrevista

JU: Como ficou sabendo da convocação?
Jacinto: Eu fui sorteado por Mossoró, porque tenho registro em Mossoró. E depois eu fui por Campo Grande também. Mas eu tava lá. Então eu soube da convocação pelo rádio em 1942.
JU: Quantos anos o senhor tinha?
Jacinto: Eu acho que eu não tinha nem vinte.
JU: A família do senhor quando soube da convocação teve alguma preocupação?
Jacinto: Teve. Muitos queriam que a gente não fosse. Muitos se escondiam. Eu disse: Quem, eu? Eu vou.
JU: Como foi a viagem a Mossoró para se apresentar?
Jacinto: Eu fui a cavalo. Então eu fui, me apresentei, voltei para Upanema e aqui peguei um transporte para ir para Angicos, pegar o trem. Dormimos lá, e no outro dia cheguei em Natal de noite. Chegando lá, o povo do exército já estava esperando a boiada pro quartel.
JU: O senhor foi para o quartel.
Jacinto: Eu me apresentei no 16° RI. Lá eu passei um ano e sete meses. De lá fui para Recife, Caruaru, oito meses, e fui até o Rio de Janeiro. Depois voltei para Caruaru, Natal. Aí fui guarnecer as praias Ponta Negra, Pirangi. Foi o tempo que a guerra terminou.
JU: Então o senhor quase chegou a ir para a Itália.
Jacinto: Sim. Eu fiz todos os exames. Fiz tudo. A qualquer momento podia ir. Agora eu acho que eu não fui porque tinha gente demais na minha frente. Tinha gente que queria ir sem estar na vez.

HUMOR

Cambaleando, o bêbado pergunta a um homem:
- Por favor, quantos galos tem na minha cabeça?
O homem olha bem e diz:
- Vejo três galos, mas  porquê?
- É que estão faltando apenas dois postes para chegar em casa. (Da Folhinha do Sagrado Coração de Jesus)













sábado, 4 de julho de 2020

FALECIMENTO DE EX-DIRETORA

Fui informado por uma conterrânea de Maria do Carmo Costa de Medeiros que a mesma faleceu nesta semana que finda.

Não sei muitos detalhes do fato, como o dia e o lugar do falecimento. Sei que Maria do Carmo era conhecida em Upanema por Dona Carminha e foi diretora da Escola Estadual Professor Alfredo Simonetti até o ano de 1973.

Naquele ano, eu ainda não estudava lá. Somente no ano seguinte que comecei meus estudos em escola oficial.

Mais detalhes em outra postagem.

JACINTO CARLOS

Faleceu hoje Jacinto Carlos de Moura.

Jacinto foi vereador. Era o último vereador vivo da primeira legislatura.

Foi também ex-combatente da II Grande Guerra que terminou em 1945. 

QUE PALAVRAS!

Cangambá: Jaritataca. (Aurélio)

Nem cangambá nem Jaritataca esclarece sobre os verbetes em questão. Pelo menos para nós aqui da região. Jaritataca parece ser parente do gambá, visto que na descrição do mesmo, parece com o tal animal.

Cangapé: Pontapé súbito e pérfido na panturrilha de outrem. (Aurélio)

Silveira Bueno traduz o que seja um cangapé: rasteira, trança-pé.

Dermival Ribeiro Rios fala em barriga da perna.

Que palavras estranhas!


PROVÉRBIO

Coco velho é que dá azeite.

Ou

Panela velha é que faz comida boa.

FELICIDADE

Felicidade
Feliz idade
Aos que mudam hoje
No campo e na cidade.

PROVÉRBIO

Cobra que não anda, não apanha sapo.

Ou

Cobra que não anda anda não engole caçote.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Cobra não gera passarinho. 

RETORNO DAS AULAS

Governo do Estado publica notícia sobre volta às aulas presenciais no Rio Grande do Norte. A previsão é para o dia 17 de agosto, uma segunda-feira.

Não está nada decidido ainda. As entidades educacionais vão dar o parecer sobre o assunto daqui pra lá.

Acredito que ainda não será na data  que o governo está prevendo. Penso nisso baseado no que escutei de professores, pais de alunos e até mesmo de alunos. O assombro ainda é muito grande com relação aos riscos da doença.

DATA DAS PROVAS DO ENEM

O Inep realizou uma consulta com os candidatos que farão o Enem. O resultado foi o seguinte:

Responderam à enquete realizada pelo Inep sobre a melhor data para o Enem 2020 1.113.350 participantes, cerca de 20% do total de inscritos. Quase metade (49,7%) optou por realizar o Enem em maio de 2021, enquanto 35,3% dos participantes escolheram janeiro e outros 15% optaram por dezembro.(Página do inep de hoje)

Apesar de a maioria optar pelo mês de maio do próximo ano, o Inep está ouvindo entidades educacionais para depois bater o martelo.

Acho que não fará muita ou nenhuma diferença de data no tocante a dar chance aos mais, digamos, desvalidos. A diferença faz para quem estuda ou não estuda. Num momento como o que estamos passando, quem estudou, estudou com a força de vontade e não por ter as ferramentas. Nem só de internet vive o estudante.


COMBATE

O combate aos inimigos que trazem doenças como dengue e similares não passa somente pelo carro fumacê, mas pela ação de todas as pessoas. 

A destruição dos focos caseiros e públicos e o carro fumacê fumaçando constitui-se numa equação quase perfeita dessa matemática.
 

PROVÉRBIO

Círculo na lia, lama na rua. (São Paulo)

quarta-feira, 1 de julho de 2020

PROVÉRBIO

Chinelo me prende, sapato me solta.

SEGUNDO SEMESTRE

Inicia hoje o segundo semestre do calendário civil. Já o escolar, já encerrou há alguns dias, mas não pudemos levar em conta. 

Está tudo revirado pelo acesso. O calendário escolar teve de ser modificado. Breve virará história.

ABERTURA, VOLTA ÀS AULAS E NOVO MINISTRO

As três notícias afetam direta ou indiretamente as pessoas de Upanema.


PROVÉRBIO

Céu pedrento - chuva ou vento ou bom tempo - tudo vai de esperar.

VACINA PARA PROFESSORES

Do blog de Thaisa Galvão de hoje Fátima volta a pedir inclusão dos professores nos grupos de prioridades da vacina e ministro da Saúde acena...