quarta-feira, 30 de novembro de 2022

HOJE TEM ELEIÇÃO

As escolas da rede estadual em Upanema escolhem seus candidatos a diretor e vice. Ambas com chapa única.

Na Escola Estadual Professor Alfredo Simonetti concorrem Dorivan Targino e Ceição Bezerra.

No Calazans Freire, Hallysson Gama e klênia Cibelly.

PROVÉRBIO

Quem perde a vergonha, fica dono do mundo.

terça-feira, 29 de novembro de 2022

FORÇA JOVEM

Se há um lugar onde o jovem mostra sua força e eficiência é no campo de futebol.

Um time de futebol precisa, é claro, da mescla com veteranos, passados na casca do alho. Entretanto, todavia, a força jovem incendeia e anima o time. 

A juventude necessita também do talento, dentro e fora do campo para ter a eficiência desejada. Há vigorosos são talentos também.

PROVÉRBIO

Quem passou o vau, conhece o perigo.

segunda-feira, 28 de novembro de 2022

FATOS

Os fatos do dia resume-se num só, se considerarmos o plano nacional ou universal: Copa do Mundo de futebol.

Se voltarmos para o local, é a falta d'água que não sai da cabeça das pessoas, principalmente das que estão sem o precioso.

PROVÉRBIO

Quem passou o inverno nu, passa o verão que é mais quente (Barão de Itararé).

domingo, 27 de novembro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

LEMBRANÇAS DAS COPAS - A primeira copa de futebol que a minha memória alcança é a de 1974. Tenho reminiscências de alguns nomes de jogadores, mas não vi pela TV, pois naquela época era muito difícil. Cheguei a ouvir pelo rádio o burburinho das narrações, mas nada me empolgava.

Já em 1978, já grandinho, podia ouvir pelo rádio, ao mesmo tempo que moía num novo moinho uns belos caroços de milho verde para pamonha e canjica. Aquela narração ligeira empolgava. Roberto Dinamite mete um chute forte indefensável. Zico também jogava naquele time, que deixou de ir para a final por causa de uma vitória elástica da Argentina contra o Peru. Num Brasil e Argentina, um jogador brasileiro dá um chute tão forte que eu e mais outros meninos pensávamos que a bola tinha entrado. "Gol!" Engano. Fillol defendeue botou para o escanteio.

Em 1982, já bem maior, já podia ver pela TV, porque havia muito mais na cidade. Foram muitos lances e mais lances importantes que ainda estão pregados na memória.

FALTA - Falta água nas torneiras de novo. O problema teima em não desaparecer entre nós. A solução todo mundo tem na cabeça, inclusive os que detém o poder.

UMA CÂMARA NA MÃO -  "Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça", é uma frase atribuída ao cineasta Glauber Rocha. Ele defendia que fazer cinema era fácil, desde que se tivesse uma maquina e uma ideia.

Hoje vivemos num tempo em que quase todo mundo tem na mão uma câmera, mas não são muitos os que a usam em benefício de si e dos outros. É que as ideias que carregam na cabeça nem sempre são a favor de si  e dos outros.

MÚSICA - Tem sido raro a gente - da velha guarda - encontrar uma música que bata com o nosso gosto.

LITERATURA - Que livro poderíamos indicar aos jovens de hoje que leem pouco ou apenas literatura moderna e muitas vezes, estrangeira? O que fazer para indicar um clássico da nossa boa literatura? Poderemos indicar um livro, a começar pelos menos volumosos, como "Iracema", de José de Alencar. A história da virgem dos lábios de mel poderá empolgar o novo leitor dessas literaturas.

PSICOLOGIA - Quando nossa inteligência é questionada, não nos sentimos confortáveis. Pode ser um "Você é doido!"? "Você está doido!" "Você é burro!" ou "Você é um desonesto intelectual!".

ESCOLA - Mais ensino, menos educação na escola.

VOLTA DO LATIM - Magistra et discipulae - A professora e os discípulos. Traduzindo para o nosso mundo, seria: A professora e os alunos.

Como já aprendemos, no latim não se usa os artigos.

PIADA - Piada boa é a bem contada.

BESTEIRA - Até uma besteira precisa ser bem besteirada.

DIFERENÇA ENTRE HOMOR E PIADA - O que pode diferenciar o humor de uma piada é que o humor não exige necessariamente do interlocutor uma risada.

sábado, 26 de novembro de 2022

QUE PALAVRA!

Cicerone - Guia de visitantes ou turistas (Aurélio).

Tem a mesma grafia no espanhol. Quanto à pronúncia, a letra e da última sílaba é pronunciada com um leve som fechado.



sexta-feira, 25 de novembro de 2022

CULTIVO

De tanto cultivar, nasceu um pé de alegria em minha sexta-feira.

Ela teimava em não nascer, apesar das aguações diárias e depois de hora em hora, e depois de minuto em minuto.

Já estava sufocada com tanta água, quando apareceu uma pontinha verde, lá, discretamente. E já percebi ao longo do dia uma modificaçãozinha daquelas que quase não se vê.

Um pé, e depois mais pés e depois um grande partido de plantas. 

É o que desejo a todos!

PROVÉRBIO

Quem pariu Mateus, que o crie.

quinta-feira, 24 de novembro de 2022

MUITOS ESSES DESNECESSÁRIOS

A  abreviação das palavras em nossa língua tem uma curiosidade que muitos não sabem ou são descuidados quando vão fazer cartazes ou mesmo um pequeno post na grande rede.

É a palavra hora. 

Quando abreviá-la não faz-se necessário colocar um s. 

Nos anúncios dos horários dos jogos do Brasil assistimos diariamente os posts com esses (s) acrescentados ao nome hora: 16h, 13h, 20h, e não daquele jeito como muitos fazem.

AVALIAÇÃO

A Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC)  realizou nesta quarta-feira, 23, em todas as escolas da rede estadual, a 5º edição das avaliações do Sistema Integrado de Monitoramento e Avaliação Institucional (SIMAIS). 

O objetivo da prova é identificar as aprendizagens e competências alcançadas pelos estudantes ao final de cada etapa de ensino, além de coletar dados capazes de direcionar as políticas públicas de educação no Rio Grande do Norte. A avaliação é formada por questões de Língua Portuguesa e Matemática.

No Calazans Freire somente as turmas das terceiras séries participaram do exame.

A prova avalia habilidades em leitura, principalmente. 

Quem tem o hábito de ler, principalmente textos que oferecem um bom vocabulário, certamente teve um bom desempenho.

O resultado poderá  não ser favorável, tendo em vista os quase dois anos de pandemia.


PROVÉRBIO

Quem nunca comeu melado, quando come se lambuza.

quarta-feira, 23 de novembro de 2022

Ã!?

Não fiz nada!

É uma das famosas interjeições usadas por quem faz algo, é punido e na mesma hora exclama.

Isso não acontece somente no futebol. Na vida fora do campo é muito comum um "ã!?"


PROVÉRBIO

Quem no mundo não arrisca, não ganha nem perde nada.

terça-feira, 22 de novembro de 2022

ATRASO, ATRASAR, PARA TRÁS

A maravilhosa e rica língua portuguesa nos brinda com muitas expressões a priori estranhas aos ouvidos. 

Palavras negativas dão ideia de positivas. Exemplos temos aos montes, mas a lembrança nos trai agora. Trarei apenas uma. 

Quando comemos uma comida deliciosa, costumamos dizer:

"Pois não é bom?"

O não não está negativando a frase, mas positivando.

As palavras atraso, atrasar e a expressão para trás carregam um significado negativo, mas podem ser algo positivo para aquele momento. Um atraso de pagamento não é bom, mas um atraso de bola de um jogador para um goleiro às vezes pode ser inevitável e uma ação positiva para o jogo. Ir para trás também pode ser uma estratégia boa para um momento em um determinado contexto.

São exemplos que temos aos montes que enriquecem a língua e nos permitem expressarmos de várias formas para não tornarmos a língua enfadonha.

PROVÉRBIO

Quem nasce penso, morre torto.

segunda-feira, 21 de novembro de 2022

FOGUETE QUE SOBE

O foguete não para de subir.

Foi uma subida no começo um pouco sofrível. Era o que todo mundo previa:

"Isso não pode dar certo!"

Mas com jeito e muitos artifícios, a coisa foi aos poucos se ajeitando, se ajeitando e quando todos perceberam, já estavam nas alturas.

A subida foi possível com a ajuda condescendente e generosa do povo. Este deu empurrõezinhos e depois empurraozãos cm grandes empurradas. 

Generosidade do povo para que ele subisse nas alturas e galgasse um espaço que ninguém imaginaria se fosse vaticinado há algum tempo:

"Aquele foguete vai subir a grandes alturas".

Depois da leveza no subir, ele embalou e depois acelerou. Depois moderou a carreira e já está quase estacionado. 

A tendência agora é baixar, baixar. Se não aparecer quem o levante de novo, ele não tem condições de retomar a subida. 

PROVÉRBIO

Quem não tem padrinho, morre pagão.

domingo, 20 de novembro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

Não é somente nas provas de língua portuguesa que a leitura é exigida. A leitura perpassa todas as matérias. Todas as questões têm enunciados extensos. Ai de quem não for afeito á leitura! Cansará facilmente e não conseguirá assimilar o enunciado. Quem não é acostumado a ler e precisa ler longos textos é semelhante a quem não é acostumado a correr e necessita de fazer longa viagem. Poderá chegar ao destino, mas ficará bastante cansado.

É o que poderá ocorrer com muitos estudantes que farão a prova do ENEM hoje.

PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Na terça última, foi o dia da Proclamação da República.

De um livro antigo, grande relíquia que adquiri recentemente, livro que era um dos guias de aprendizagem quando estudava a escola primária, extraí o seguinte:

Brasil - Nação Republicana

Com a Proclamação da República, o Brasil passou a ter um novo regime de governo.

Um Governo Provisório, sob a presidência do Marechal Deodoro da Fonseca, passou a dirigir a Nação. Um dos primeiros atos desse Governo foi criar uma nova bandeira nacional, como símbolo da Pátria. Foram feitas grandes mudanças pelo novo Governo. As leis da Constituição do Império, feitas em 1824, já não serviam para a Nação. Era preciso fazer uma constituição republicana.

Em 1891, reuniu-se a Assembleia Constituinte e o Brasil ganhou nova Constituição. O Brasil passou a ser uma República Federativa, com três poderes: executivo, legislativo e judiciário.

De acordo com a nova Constituição, as províncias passaram a chamar-se estados. Os brasileiros passaram a eleger seus representantes junto ao Governo Republicano: o presidente da República, os senadores e os deputados. (Brasil nossa terra nossa gente, página 45).

DICA DE LEITURA - Qualquer obra clássica da literatura brasileira, desde Machado de Assis a José de Alencar, Érico Veríssimo e etc. São livros substanciais que levantam a cabeça do estudante e o enriquece em palavras novas.

SAÚDE - O coronavírus vai voltar?

PIADA VERÍDICA - O inferno é aqui

Diz-se que um homem, em pleno domingo, saiu em seu carrinho opala, talvez, para botar gasolina.

Naquela época, a cidade só tinha uma bomba de gasolina. O senhor chega para o atendente do posto e diz que quer botar gasolina e apresenta o pagamento somente em prata. Ao ver aquilo, o frentista reagiu:

"Não boto gasolina com pagamento em prata."

"E agora"?

"Vá botar gasolina no inferno!"

O diálogo encerra. E o dono do carrinho foi embora dali, mas não foi para casa. Saiu sem rumo, para esfriar a cabeça, deu meia volta na rua e certificou-se que não tinha outro lugar para botar gasolina em seu carro. Então, resolveu voltar:

"Voltei. Bote gasolina no meu carro. O inferno é aqui mesmo!"

EDUCAÇÃO - Hoje é o segundo dia do ENEM. Os candidatos responderão 45 questões de Matemática 45 de Ciências da natureza, que são Química, Física e Biologia.

COPA DO MUNDO DE FUTEBOL - O clima não é o mesmo de alguns anos atrás, mas há clima ameno e tende a aumentar, desde que o Brasil vença e passe para a segunda fase.

VOLTA DO LATIM - O sujeito e o predicado. Puella: sujeito. Cantat: predicado. É uma oração simples. Sem artigo, como aprendemos na postagem de domingo passado.

O latim é uma língua fácil e deveria ser estudada nas escolas para que a mãe estivesse junta com uma de suas filhas, a língua portuguesa. Quem sabe mais pessoas compreendessem melhor nossa língua?

CONGLOMERADO VERBAL - Cair na esparrela: ser logrado.









sábado, 19 de novembro de 2022

AI, QUE CALOR!

Chegou a temporada do calor. 

E ele está atuando de com força.

Sua volta tem sido objeto de uma onda de reclamação. Ninguém consegue acostumar-se com a situação, apesar de ter nascido aqui, viver aqui e, na maioria das vezes, passar desta para o outro lado morando aqui.

NO SIMAIS É MAIS LEITURA

O Sistema Integrado de Monitoramento e Avaliação Institucional (SIMAIS) foi implementado, em 2016, pela Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC) do Rio Grande do Norte.

A partir de 2017, o SIMAIS passou a ser realizado por meio de convênio firmado com o CAEd/UFJF, com a aplicação de avaliações de Língua Portuguesa e Matemática aos estudantes da rede pública de ensino do estado.

A intenção é monitorar o progresso dos alunos, o que favorece a elaboração de políticas educacionais e intervenções mais efetivas na prática escolar. (Do site do CAED)

A prova do SIMAIS deste ano será no próximo dia 23, quarta-feira. 

Na área de linguagem, segundo ouvi, terá foco na leitura e não na gramática propriamente dita. O aluno que for bom em leitura e interpretação de texto, se sairá bem. 

Obtiverá sucesso aquele aluno que gosta de ler livros grossos e clássicos, principalmente. São estes que têm bom vocabulário e sustentam o aluno na hora do vamos ver.

Já os que torcem o nariz quando veem um livro, terão, com certeza pura, um insucesso.


QUE PALAVRA!

Ciática - Neuralgia que ocorre ao longo do trajeto de nervo ciático e de seus ramos. 

Ciático - De quadril, ou relativo a ele (Aurélio).


sexta-feira, 18 de novembro de 2022

MISSÃO

Aplainar caminhos tortos, nossos e quando puder, tentar, através de uma palavra forte, os dos outros. Eis uma da missões que temos, quotidianamente. 

Cotidianamente, há tortezas de todas as naturezas cercadas e entranhadas em nosso existir. 

De todos os lados aparecem marmotas que marmoteiam para o nosso lado. Em alguns momentos, caradepaumente. Os espectros tortos vêm para o nosso lado com gosto de gás e outros fluídos, fortemente armados de pedras, paus e outras armas disfarçadas de objetos não letais.

Enfrentá-las é a única e derradeira alternativa. Encará-la com os olhares defensivos e carregados de palavras duras e sábias, eis a fórmula e a forma ideal. 

Retrair-se, jamais!




PROVÉRBIO

Quem não tem padrinho, morre pagão.

quinta-feira, 17 de novembro de 2022

PARTIDA

Parto de mim e me transformo em mil mins espatifados em células de formas e formas diversas que versam de muitas formas.

É assim que o jogo é jogado para cima e para baixo num andar e desandar, nos perfis que se perfilam nas avenidas da vida, a guisa de desfile, mas verazmente  é um andar mesmo, desengonçado umas, aprumado, outras.

Há um caminhar que vai adiante, ziguezagueando entre ventos, tempestades e sopros leves. Se um mim discorda do outro, paciência, é um heterônimo que quer bater de frente com outro, num estranhar sem graça, que atituda somente para atitudar mesmo. Aquilo não é nem mais discordância. São atitudes de gênios diferentes que chocam-se e não querem mais serem juntados.

PROVÉRBIO

Quem não tem leitoa, não pode vender leitão (Gaúcho).

quarta-feira, 16 de novembro de 2022

PANORAMA

Nuvens brancas salpicadas de cinza e rodeadas de azul. Muito azul. 

São nuvens esparsas, espaçadas, separadas em pedaços longos, médios e pequenos. Umas querendo alcançar as outras, num esticar de braços e pernas, num fugir dos olhos dos olhadores. Noutra olhada, já era seu formato. 

O azul parece azular-se mais diante de nossa vista.

Umas aves rodeiam o céu à cata de companheiras de viagem ou de companheira mesmo para verem-se, tocarem-se e cumprimentarem-se, quiçá para atualizarem-se nas novidades do dia.

- O que tem de novo por aqui?

Reina o silêncio por lá, como aqui o reinado também o é, de forma diferente e  suportável aos nossos ouvidos. Já mais tarde, ninguém sabe: as zuadas sempre aparecem.

A quentura leva o mudo a falar, o tímido a reclamar e o reclamante de plantão aumentar o volume da reclamação.

Quanto às nuvens, elas já mudaram de lugar não sei quantas vezes e mudarão ainda mais, muito mais que os nossos políticos.


PROVÉRBIO

Quem não tem farinha, escusa peneira.

terça-feira, 15 de novembro de 2022

NA ESCURIDÃO

Para onde olho, escuridão.

Um ponto luminoso, lá nos longes do infinito, uma estrela brilha e se comunica com outra que faz sua parte de suas bandas.

A escuridão embaceia os lugares e deixa down a todos os olhantes, que olham e não enxergam o caminho por onde querem trilhar.

Rumor nenhum há. Nem um. É aquela silenciada profunda, misturada com esse escurecer de pouca estrela, que por sua vez, não dão conta de encobrir uma pouca parte, nem que se seja uma nesga de território.

Permanece escuro entre os homens. Um escuro daqueles que não promete voltar a enclarecer tão cedo, dada a força poderosa que não permite que o escuro chegue ao fim.

HOJE É DIA DE PROCLAMAÇÃO

Dúvida - Há 133 anos, a república do Brasil era proclamada. Há dúvidas sobre o quê foi proclamada. 

Há ainda outras pessoas que não têm a menor ideia do feriado por que hoje é feriado. Não é porque já faz muito tempo do fato, mas é desinformação mesmo. 

A televisão às vezes tenta ajudar e ajuda aos que atentam ao que está sendo dito lá. Se instados, muitos respondem e tornam a esquecer-se.

A mudança de monarquia para república não mudou a minha vida, dirão alguns.


PROVÉRBIO

Quem não tem dinheiro, não beija santo (Ceará).

segunda-feira, 14 de novembro de 2022

ENEM - PRIMEIRO DIA

Tido por muitos como um bicho papão e meio, a redação do ENEM de ontem teve, mais uma vez, um tema que deixou alunos surpresos.

Como sempre, divide as opiniões. Boa parte acha o tema bom de ser "debulhado". Outros acham o fim do mundo.

"Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil".

Que comunidades?

Lembraríamos de quem, como povos tradicionais? Os índios?

Com a caneta, os alunos.


PROVÉRBIO

Quem não tem de usar chapéu, é inútil por carapuça. 

domingo, 13 de novembro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

ENEM

Alunos do período pandêmico - Grande parte dos alunos que farão provas hoje e  no próximo domingo são vítimas da pandemia. Em 2020, eles estavam cursando a primeira série, período áureo do estudo pra valer voltado ao ENEM.

Aqueles que tinham as ferramentas de estudo completa: livros e aparelhos como celulares e notebooks e conseguiram vencer a parte emocional do período, estudaram em casa online com os alunos e professores e ainda sobrava tempo para fazer os estudos complementares. Estes não foram tão afetados.

A maioria foram as verdadeiras vítimas do período pandêmico, pois por várias razões, como a falta de um aparelho de celular ou notebook, deixaram de aproveitar as aulas online. Outros tinham tudo isso aí, mas não aproveitaram o período ruim para superar o problema.

Mesmo quem não tinha o celular, tinha os livros, que não são poucos.

O certo é que o período de 2020 a 2022 foi muito ruim para todo mundo. Para os alunos, muito pior.

Hoje os alunos que farão o ENEM precisam de juntar forças para conseguirem superar mais este problema.

VOLTA DO LATIM - Enquanto no latim não há artigo, no português moderno há uma tendência forte de seu uso, mesmo que a gramática clame em voz alta: O artigo definido pode ser usado também diante de nomes próprios como de pessoas íntimas: A Jeni, o Luís. Na minha modesta opinião, é um uso desnecessário.

Puella cantat - A menina canta

Magistra educat - A professora educa

Aquila volat - A águia voa.

Assim, a frase latina é mais breve do que a portuguesa. E: em latim a palavra puella pode igualmente signnificar "menina", ou "a menina", ou ainda "uma menina".

Alguns apontamentos foram extraídos do Curso de latim básico, de Paulo Rónai.

BURRO, NÃO! - Não sou adepto dos que chamam outros de burro. Em nenhuma circunstância e nem na brincadeira chamo alguém de burro. Mas se olharmos nas redes que balançam o dia inteiro, assistiremos a essa prática constantemente. 

O que leva uma pessoa a chamar a outra de burro? Olhando bem, a razão principal, senão a única, é por que o outro não comunga com sua opinião. Às vezes é doido aquele que não concorda com você. Ou burro. Agora inventaram o desonesto intelectual para chamar o outro de ignorante ou burro.

Mas, quem é burro mesmo? 

- O burro.

TCHITCHI - Quem é Tchichi?

Alguns pronunciam assim o nome do técnico da seleção brasileira de futebol.

VOLTA DAS CHUVAS - Ontem choveu por aqui 26mm.

O LIVRO DOS MIL PROVÉRBIOS - Sê cortês com teu vizinho.


sábado, 12 de novembro de 2022

CASO DE PONTUAÇÃO NA CAMISA DOS JOGADORES DO FLAMENGO

Na despedida do goleiro Diego Alves e Diego Ribas, hoje, pela tarde, no jogo contra o Avaí, os jogadores traziam na camisa a seguinte frase:

Obrigado, Diegos!

Se não tivesse a vírgula, seria um erro de pontuação, pois é um caso clássico de vocativo.

Nos vocativos, a vírgula é o sinal mais usado.

O vocativo é um termo que serve para chama o interlocutor.





TEMA PARA A REDAÇÃO DO ENEM

Prisão fora das celas

As pessoas acham-se presas dentro das próprias casas, pois têm medo de sair por causa da violência.

Textos motivadores:

- Dados em forma de notícias

- Opiniões de articulistas de jornais

Solução: Qual a reação mais ideal do cidadão diante dessa situação?


QUESTÃO PARA O ENEM

(PUC- MG) Texto para questões  (Casimiro de Abreu)

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!

Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

QUESTÃO 1

Todas as alternativas apresentam características românticas do texto, exceto:

a) o eu lírico foge da realidade presente para um passado idealizado.
b) o eu lírico expressa sua emoções.
c) o autor dissocia os aspectos formais dos emocionais.
d) a voz poética revela-se saudosista.
e) o autor apresenta elementos de brasilidade.

QUESTÃO 2

Assinale o dado linguístico que liga o trecho ao estilo romântico.

a) pontuação expressiva.
b) predominância de adjetivos.
c) elementos sofisticados para cenário.
d) verbos para exaltação do tempo presente.
e) pronomes possessivos garantem o egocentrismo.





QUE PALAVRA!

Chusma - Grande quantidade (de pessoas ou coisas); magote (Aurélio).

sexta-feira, 11 de novembro de 2022

FANTASIA

As fantasias são abstratadas e carregadas de sonhos que parecem estar vivas, bem ali ou bem aqui dentro.

Puxam pela imaginação dos que desejam desvendar o não concreto que ora se depara em nossa frente. Ela estimula o pensamento e dá margens largas a múltiplas e múltiplas interpretações.

Leva a devaneios que os mais sonhantes não chegam a sonhar.

Leva aos interlocutores visões extremas do indizível e do impossível sob a ótica terrena.

É um rapapé, um patim para quem não consegue captar o seu significado integral. Não é desvendável nem aos sábios nem aos que não se esforçam para o uso da cognição em média ou baixa frequência.

PROVÉRBIO

Quem não tem competência, não se estabeleça. 

quinta-feira, 10 de novembro de 2022

O ENEM ESTÁ CHEGANDO

Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem o objetivo de avaliar o desempenho do estudante ao fim da escolaridade básica. Podem participar do exame alunos que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores.

O Enem é utilizado como critério de seleção para os estudantes que pretendem concorrer a uma bolsa no Programa Universidade para Todos (ProUni). Além disso, cerca de 500 universidades já usam o resultado do exame como critério de seleção para o ingresso no ensino superior, seja complementando ou substituindo o vestibular. (Do portal do Mec).

Num primeiro momento o ENEM não tinha como foco principal a entrada na universidade, mas para avaliar o desempenho do estudante na escolaridade básica.

Em outro momento passou a substituir o vestibular.

Antes, de 2017 ocorria em dois dias: sábado e domingo. Depois passou a dois dias, mas em dois domingos consecutivos.

O ENEM é hoje, para grande parte dos estudantes, principalmente para as classes mais baixas, a melhor chance de entrar na universidade. Não parece tão fácil, dependendo do curso, mas não tão difícil se a carreira do estudante nos níveis de primeiro e segundo graus forem feitos com dedicação. Esse sublime atributo - dedicação - não tem cor nem nível de pobreza. O que há de verdade é atitude mesmo.


ESCALAÇÃO

Os escalados nem sempre são os melhores, mas alguéns da cota do chefe, que acha neles, se não o supra-sumo da competência, mas quem pode atuar bem e não fazer feio.

Em campo, lá vem as dificuldades, os contras e atrapalhadores de plantão, dia e noite, que vivem numa louca esperança de um louco e sublime tropeço, para que num belíssimo dia chegue sua vez de atuar, mesmo que não seja lá essa coisa toda, essa coisa melhor ou até parecida em eficiência.

Os escalados vivem momentos de desafios e confrontos com os outros e com suas próprias incompetências. Atuam tentando mostrar serviço para dar satisfação ao chefe e aos que ficam olhando próximos, mais longe ou mais longe ainda, de olhos atravessados, com a torcida negativa, desejos sebosos, disfarçados e cheio de vontade de desmontar o que está montado.

Um dia outros poderão vir a ser escalados. E será a vez de passarem para o outro lado. E tudo começará de novo, só que em lugares opostos.

PROVÉRBIO

Quem não tem cachorro, caça com gato; quem não tem gato, bota o pé no mato (Minas).

quarta-feira, 9 de novembro de 2022

MAS E MAIS: UMA QUESTÃO GRAMATICAL

Uma questão gramatical simples, das mais singelas, mesmo para aqueles que não militam na área, é o uso de duas palavras bem parecidas na pronúncia e bem diferente no sentido:

Mais e mas 

Basta que atentemos para duas palavras chave:

Mais dá ideia de número.

Mas dá ideia de oposição.

O resto aprende-se com exemplos.

Curioso é notar que as pessoas que não dominam este minúsculo problema da gramática costumam trocar um pelo outro sempre: quando querem dizer mais, dizem mas; quando querem dizer mas, dizem mais.

Na fala estes enfiamentos de pés pelas mãos fazem pouca diferença, mas numa redação pode haver problema.

TESOURO ESCONDIDO

Há muito tesouro escondido dentro das pessoas que não são explorados pelas próprias.

Quais?

São tesouros que cada um tem a tarefa não muito difícil de descobrir dentro de si ao longo de sua existência.

Há quem perceba seu talento para fazer tal e tal coisa. Há talentos de todos jeitos. Uns são artísticos, que viram profissão ou fica mesmo na diversão; há outros que são profissionais: jeitos para atuar nisto ou naquilo.

O resto - O resto é só bater com a cara na porta. Há coisas que tentamos fazer, mas não conseguimos, apesar de esforços cavalares.

PROVÉRBIO

Quem não te conhece, que te compre.

terça-feira, 8 de novembro de 2022

segunda-feira, 7 de novembro de 2022

RADIALISTA

O rádio parece não perder status entre os ouvintes. 

Por mais que haja evolução até no formato, ele não deixa de ser importante entre os meios de comunicação de massa.

Como a TV e a grande rede, o rádio ecoa nos mais longínquos lugares e tem uma vantagem em relação aos outros meios, pois só pelo ouvir o interlocutor é satisfeito no ato comunicativo. 

O radialista - O radialista continua com seu importante papel de comunicador, mas tendo que reiventar-se e até na postura, considerando que hoje há rádios com imagem.

SOBRE CHEIROS E BAFOS

É sobre isso que vamos voltar a conviver: Cheiros e bafos de chuva.

Ontem um forte cheiro chegou por aqui. Um aroma arretado que prenuncia uma chuva. Chuva - nada fora do normal - mas é algo natural, que mexe e espalha e divide boa parte da população sobre sua função na nossa vida. Há quem deteste e ame ao mesmo tempo. 

Quando a chuva vem, apaga a poeira, molha a roupa no corpo ou no varal. São ações múltiplas que deixam a população e a própria pessoa dividida.

E os bafos?

Para uns, é uma gripe ou dor de garganta na certa. No asfalto é muito, mas muito pior.

Há ainda os trovões ao longe ou daqueles bem pertinhos que podem fazer estremecer o mais desassombrado na face da Terra.

No fim da noite, ainda pingou poucos pingos na cidade. 

Um bom início de um período invernoso?

PROVÉRBIO

Quem não sabe nadar, vai ao fundo.

domingo, 6 de novembro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

A LITERATURA NA VIDA DE UM POVO

Um povo instruído e lido é povo forte. O quê se lê também é muito importante. Um bom vocabulário construído na base escolar é feito através de leituras substanciais como os contos, crônicas e romances de autores consagrados pelos críticos ao longo dos tempos.

Quando falo em vocabulário, refiro-me àqueles que é adquirido principalmente através da prosa literária produzida pelos machados e éricos.

Eles escreviam bem porque liam muito e tinham sempre ao lado ou debaixo da cabeceira grandes escritores, boas enciclopédias e bons dicionários.

Registre-se o fato de que as enciclopédias de antigamente não chegavam aos pés da que temos hoje. Hoje ela está no bolso, na mão e quase no nunca no cérebro. Declaro isso com muita dor e tristeza.

ANTROPOFAGIA - O termo foi usado pela primeira vez, em relação à Literatura, por Oswald de Andrade, um dos nomes mais significativos do Modernismo brasileiro.

A ideia da antropofagia surgiu de um jantar em que foram saboreadas algumas rãs; presentes Oswald de Andrade, a pintora Tarsila e alguns amigos. Ao fim do jantar, Tarsila sugeriu que eles estavam se tornando uns antropófagos. (Vocabulário Técnico de Literatura, de Assis Brasil).

Assim, a antropofagia passou a simbolizar o comimento da literatura estrangeira e o digerimento em literatura nacional, subvertida, enfim.

ARTE E POLÍTICA -  Duas posturas se objetivam: a arte como "instrumento" para alcançar  um determinado fim político e arte como simples manifestação do fervor patriótico de um poeta, por exemplo, como foi o caso de alguns poemas de Castro Alves e de Olavo Bilac. A tal ponto foi o "alinhamento" deste último, que ficou como patrono do Exército brasileiro. Mas nestes dois aspectos, o que deve perdurar é o resultado artístico: um dia, passados a impregnação ideológica e política, o que vai ser julgado é a obra de arte, o que já tem acontecido em todos os tempos (Dicionário do Conhecimento Estético, de Assis Brasil).

Ontem e hoje, além da literatura, as músicas são fortes instrumentos à serviço da política. Os artistas e intérpretes, muitos deles, engajam-se na arte de misturar política e carreira artística.

Castro Alves produziu alguns poemas que tratavam da escravidão:

'Stamos em pleno mar... Doudo no espaço
Brinca o luar — dourada borboleta;
E as vagas após ele correm... cansam
Como turba de infantes inquieta. 

(Primeira estrofe de "Navio Negreiro")

Passou a escravidão, ficou a obra literária.

GRAMÁTICA - Ruído: Tudo o que prejudica a transmissão de uma mensagem é considerado ruído. São geralmente causas de ruído: a má transmissão do emissor, a falta de atenção do receptor, o conhecimento insatisfatório do código. Uma buzina alta durante um diálogo é um ruído, assim como uma gíria desconhecida do receptor é também um ruído (Nossa gramática, de Luiz Antonio Sacconi).

Sacconi nos ilumina sobre os ruídos que podem ocorrer no pesado quotidiano. E acrescento outros: 

Numa sala de aula, o ruído é presente em quase todas as aulas. Muitas vezes os alunos não prestam atenção à aula e "arrocham" na tão costumeira conversa fora de tempo. Outras vezes é o professor que não atenta que seu linguajar não está adequado ao dos alunos. 

Em palestras, o ruído é constante. Não deixa de faltar na plateia pessoas que não estão captando uma ideia do palestrante. Muitas vezes o assunto está sendo transmitido com um nível técnico acima da compreensão de alguns receptores. Então, é ruído na certa.








sábado, 5 de novembro de 2022

QUE PALAVRA!

Chupim 

Ave icterídea que costuma causar prejuízo à lavoura; corrixo (Aurélio). 

Pássaro da família dos emberizídeos, de plumagem escura, famoso por colocar ovos em ninhos alheios. Pop. Pessoa que vive às custas dos outros, aproveitador (Minidicionário Escolar da Língua Portuguesa Silveira Bueno).

sexta-feira, 4 de novembro de 2022

PANDEMIA

Pandemia de ideias

As ideias não têm pressa de andar rápido. Elas podem varar séculos e séculos em ritmo lento e alcançar a outra ponta do mundo sem que os primeiros disseminadores tenham a capacidade de sequer imaginar de quão longe poderia ir.

Há ideias de todas as cores e natureza. Desde as conquistas ou supostas conquistas espaciais até as descobertas ou supostas descobertas da idade de metais e restos humanos e animais, a ciência conseguiu espalhar pelo mundo inteiro como verdades incontestáveis, já que o que é dito por ela, está dizido, e pronto. 


PROVÉRBIO

Quem não sabe a barra, pede prático (Alagoas).

quinta-feira, 3 de novembro de 2022

ELAS FALARAM

Primeiro elas escutaram a população brasileira, silente, enquanto o povão fazia barulho e até brigava nas ruas, disputando para quem iriam os sufrágios.

Desde cedo e até a entrada da noite, elas suportaram as fricções de milhões de brasileiros e até agressões.

Escutaram muitos segredos. Presenciaram as habilidades de alguns e as inabilidades de outros tantos.

Elas falaram alto, lá para ao final da tarde. Bem alto mesmo, a ponto de serem escutadas em qualquer parte do país, seja através da rede televisiva, radiada ou internetada. 

Depois de falar não necessariamente o que todos queriam - pois somente os vencedores querem ouvir sua voz - elas recolheram-se para que fossem esvaziadas imediatamente.

É assim. Tem sido sempre assim. Até sua idoneidade questionada. E ela, silente, nada diz nesses momentos. Só fala no momento oportuno.

PROVÉRBIO

Quem não quer "buia", não ajunta cuia.

quarta-feira, 2 de novembro de 2022

SUJEITO E PREDICADO

Os sujeitos são ativos ou passivos

Aqueles da gramática tem tudo a ver com os da vida real.

Fala-se às vezes, num discurso político, que precisamos ser sujeitos da história, mas nunca deixa-se claro que o sujeito também é passivo.

Já o predicado é aquele que diz algo do sujeito.

Se transpormos para a vida real, o predicado será aquele que fica apenas como espectador, numa espécie de sujeito passivo. O predicado não faz nada porque o sujeito ativo é quem puxa a corda para que a frase se desenvolva.


PROVÉRBIO

Quem não quer barulho de cabaça, não carrega duas (Minas).

terça-feira, 1 de novembro de 2022

OFUSCAMENTO

Primeiro, um ofuscamento na parada, bem na parada de onde as pessoas se reúnem para as viagens. Apagou-se uma das luzes que até então bem iluminava a rua.

O apagamento foi aos poucos sendo notado, mas já era tarde, irremediavelmente. Já não se podia nada fazer naquele momento.

As coisas, termo genérico para definir algo que não se consegue nomear precisamente, começaram a acontecer estranhamente. Nada dava mais certo. Nada se encaixava direito. Nenhuma coisa se adaptava com outras coisas. 

Isso é o que acontece, bons observadores observaram, com atos errados: nunca vai dar certo quando caminha-se para o errado.

PROVÉRBIO

Quem não pode o menos, não pode o mais.

CHEIRO

Um agradabilíssimo cheiro de chuva impregnou nossas narinas há pouco. Somente isso e nada de chuva. Agradabilíssimo?  Nem para todos - vejam...