sábado, 30 de setembro de 2023

QUE PALAVRA!

Nascituro

Do latim nasciturus (Dicionário Etimológico Nova Fronteira)

Aquele que há de nascer; gerado, mas ainda não nascido. (Silveira Bueno)

Aquele que vai nascer. As estatísticas mostram que muitos nascituros nascerão já condenados à morte prematura. (Dicionário didático de Português).

Há, também, alguns que, apesar de gerados, não nascerão, pois, leis humanas os impedem de nascer. 


quinta-feira, 28 de setembro de 2023

QUOTIDIANAMENTE

É deve ser cotidianamente a luta pela vida. Renhida, às vezes.

Cotidianamente. Quotidianamente deve ser a batalha pela manutenção da vida. Às vezes anda-se devagar, outras vezes mais ligeiro. Mas anda-se pra frente. Para a frente é que se anda. Para a frente é que se deve andar.

PROVÉRBIO

Urubu caipora se atola em lajedo.

quarta-feira, 27 de setembro de 2023

NO PAPEL É BEM MELHOR

Na modernidade, quando queremos fazer registros escritos, optamos pelos aparelhos celulares, notebooks, tablets.

Confesso que acho meio insosso ler em cima de plataformas. Acho melhor folhear, sentir o cheiro das folhas. Essa sensibilidade é sentida por muita gente.

E essa muita gente engrossa a cada dia o número. São pessoas que experimentaram ler em plataformas, mas resolveram voltar para o que é há não sei quantas dezenas, centenas de anos.


PROVÉRBIO

Uns plantam, outros colhem.

terça-feira, 26 de setembro de 2023

LEITORES E NÃO-LEITORES

Há uma crise medonha na arte de manejar a leitura, seja silenciosa ou oral.

Há também a qualidade de leitura. Se, no caso, os estudantes, só leem o que os colegas escrevem em suas redes, a leitura não é tão proveitosa quanto um texto produzido pelas feras da literatura brasileira ou estrangeira.

Oralidade - Na oralidade, aparecem os leitores e não-leitores. 

Os leitores que leem em voz alta são bem diferentes. Há os que leem tão baixo que precisamos encostar bem perto para ouvi-los. Uns devagar, enquanto outros muito rápido. Uns bem, outros mal.

Os não-leitores alegam desde ter vergonha, não saber ou não querer. Aos que não querem, aplica-se o ditado ao inverso: 

Não querer é não poder.




PROVÉRBIO

Uma desgraça nunca vem só.

segunda-feira, 25 de setembro de 2023

QUESTÃO DE ORTOGRAFIA - ÚMIDO E HÚMIDO

Úmido e Húmido

Segundo o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, a palavra certa é úmido e não húmido.

Informa o site Soportugues que no Brasil, as palavras corretas são "umidade" e "úmido", ambas sem o h. Já em Portugal, são usadas as palavras "humidade" e "húmido".

Logo, as duas grafias (com e sem h) existem na língua portuguesa e estão corretas, porém uma é usada no português brasileiro e outra no português europeu.

O site Portal da língua portuguesa nos informa o seguinte:

húmido - adjetivo

hú·mi·do

Portugal

Masculino/feminno: húmido - húmida

Singular/plural: húmidos/húmidas

Flexiona como : lindo

forma nominal : humidade

advérbio : humidamente

variante AO de : úmido ( Brasil)


PROVÉRBIO

Um só pau não faz mato.

domingo, 24 de setembro de 2023

DOMINGO

ESSE SUBSTANTIVO ABSTRATO

Sintoma agudo ou crônico caracterizado por sensação sensorial e emocional incômoda, em que pode haver lesão tecidual real ou virtual.

Localizada ou difusa na região do abdome, podendo variar de intensidade e qualidade (pontada, cólica, queimação etc).

Também denominada cefaleia, pode ocorrer isoladamente como manifestações de um complexo sintomático agudo, como a enxaqueca (cefaleias primárias), ou pode fazer parte de uma doença em desenvolvimento, como infecções, neoplasia cerebral ou sangramentos intracranianos (cefaleias secundárias).

Também denominada odontalgia, é a dor originada no dente, ou ao redor dele.

Dor na região auricular (otalgia). Causada por doenças no próprio ouvido (causa otológica) ou por doenças e/ou distúrbios em outras estruturas orgânicas próximas ou mais distantes do ouvido (causa não otológica).

Decorrente de tensão/contração dos músculos ou ligamentos da região lombar (coluna lombar), caracterizada por dor ou rigidez na região baixa das costas, próxima à região sacral. (Dicionário de termos médicos, enfermagem e radiologia)

DOR É BOA

A arma explodiu, o diretor sentiu um calor escaldante quando a bala se alojou  em seu estômago. Caiu para a frente... lutando contra a dor. Vagarosamente rolou de barriga para cima e lançou um olhar vidrado ao seu atacante, do outro lado das barras. [...]

— A dor é boa, monsieur — disse o homem.

Depois se foi. (Trechos de "O código da Vinci", de Dan Brown. Quem disse que a "dor é boa" foi o personagem Silas, algoz de Jacques Saunière, curador do museu do Louvre)

UM ALGO ABSTRATO

A dor é um substantivo abstrato que incomoda. Não existe dor sem que exista alguém com dor. Eis o melhor conceito para o substantivo abstrato.

FICÇÃO

Hoje fala-se em prosa de ficção, para designar um romance, uma novela, um conto, mas num conceito antigo, ficção encerrava a própria ideia de Literatura: uma obra literária, fruto da imaginação, quer fosse um romance ou um poema ou uma peça de teatro.

Muitos autores modernos têm substituído, em seus livros, a palavra Romance pelo de Ficção, como é o caso de Clarice Lispector, que aboliu por completo a indicação do gênero. A ficção seria o ideal maior do romancista, não mais sujeito a regras de composição. (Vocabulário Técnico de Literatura, de Assis Brasil).

NA BOCA DO POVO

O calor é um dos assuntos em pauta não somente na imprensa, mas em todas as rodas de conversas.

VENTILADORES E AR CONDICIONADOS

Para proteger-se do calor, o jeito é comprar ventilador ou ar condicionado.

Somado a isso, a ingestão de líquidos, em especial água e suco, deve ser algo indispensável.

HIDRATAÇÃO

A hidratação do corpo sempre foi importante na vida das pessoas. Faz "milagres" até. 

MÚSICA NA MINHA VIDA

Eu sou nuvem passageira
Que com o vento se vai
Eu sou como um cristal bonito
Que se quebra quando cai.

Não adianta escrever meu nome numa pedra
Pois essa pedra em pó vai se transformar
Você não vê que a vida corre contra o tempo
Sou um castelo de areia na beira do mar.

A lua cheia convida para um longo beijo
Mas o relógio te cobra o dia de amanhã
Estou sozinho, perdido e louco no meu leito
E a namorada analisada por sobre o divã.

Por isso agora o que eu quero é dançar na chuva
Não quero nem saber de me fazer ou me matar
Eu vou deixar em dia a vida e a minha energia
Sou um castelo de areia na beira do mar.

Nuvem passageira, de Hermes Aquino, fez um grande sucesso em 1976 quando eu ainda era menino. Ouvíamos no rádio de pilha do vizinho. 

A música ainda é muito ouvida. Aproveito "nuvem passageira" para dar exemplos de metáfora, comparação e prosopopeia:

"Eu sou nuvem passageira/Sou um castelo de areia na beira do mar" são exemplos de metáfora. 

"Eu sou como um cristal bonito que se quebra quando cai" é exemplo de comparação.

"A lua cheia convida para um longo beijo/Mas o relógio te cobra o dia de amanhã" são exemplos de prosopopeia.

Segundo colhi, Hermes Aquino mora em Porto Alegre e tem 74 anos de idade. 

PARA QUE SERVE A DISCIPLINA HISTÓRIA?

Uma das utilidades da disciplina História ou mesmo a história do dia a dia, da nossa história é não cometermos os mesmos erros do passado.


sábado, 23 de setembro de 2023

DOR

O que é a dor?

Quais os tipos de dor?

Qual a classificação da palavra na gramática?

QUE PALAVRA!

Triaga

Variante de teriaga.

Do grego theriaké, atr. do latim theriaca. Medicamento de composição complicada, que os antigos empregavam contra a mordida de qualquer animal venenoso. Remédio caseiro. Coisa  de sabor amargo. (Dicionário Aurélio Revisado)

Medicamento que os antigos empregavam contra a mordida de qualquer animal venenoso. Do latim tardio theriaca derivado do grego theriake. (Dicionário etimológico nova fronteira, de Antônio Geraldo da Cunha)

Teriaga; remédio caseiro amargo. (Silveira Bueno)

O nome teriaga se deve a Nicandro de Colofônia, o qual o derivou de therion, animal feroz. Quiçá por causa das víboras secas que entravam na composição desse suposto antídoto. Ou talvez por ser este empregado, dentre outros, também no tratamento de mordidas por animais peçonhentos, hoje dito venenosos. (Oswaldo de Oliveira Riedel, em pesquisa sobre venenos e antídotos em Os Lusíadas).

Curam-no às vezes ásperas triagas. (Camões). Citado pelo Dicionário das dificuldades da língua portuguesa, de Cândido Jucá Filho.

A medicina era precária. O almirante Fernão de Magalhães, que deu a volta ao mundo em 1519, tinha 65 drogas na farmácia. Uma delas era a teriaga, planta usada tanto contra verminoses e flechadas. Antes da aplicação, a ferida era queimada e regada com urina. (super.abril.com.br)




quinta-feira, 21 de setembro de 2023

COMO PESSOAS

Como pessoas, elas nascem, nutrem, crescem e deixam de existir.

Umas são úteis, enquanto outras não prestam nem para sombra, já que frutos não dão. Por tudo isso, seus plantadores resolvem arrancá-las desde a raiz para que nunca mais nasça.

Pela noite, algumas assustam os mais medrosos quando passam por lugares desertos e elas balançam para e para cá, num balançar como quem caminha em direção dos transeuntes. E quem tem medo de tudo o que é estranho, não perde tempo e... pernas para que eu te quero?

Como não foram criadas para andar, permanecem no mesmo lugar e ririam das pessoas se acaso tivessem essa atribuição.

Assim são as árvores, assim são algumas pessoas.


ONDA

Ronda e oprime grande onda de calor.

Tudo quente. 

Sol - O sol aparece nas manhãs vermelho, vermelhusco. Num instante, já o vemos mudando de cor e, muitas vezes, escondendo-se entre nuvens. 

Daqui a pouquinho, já nem se pode olhar pra ele. 

Sol, rei sol!

PROVÉRBIO

Quem muito queijo come, tudo se esquece; coma cebola que o contrário acontece.

quarta-feira, 20 de setembro de 2023

ESTUDAR POR FORA

Sempre foi assim. Para obter êxito nas notas dentro e fora da escola, os estudantes que se deram bem tiveram que estudar por fora e muito.

Sempre foi assim e sempre será. A escola nunca dá conta por mais que o aluno seja esforçado. E se não for esforçado, a coisa piora.

Estudar por fora entra os estudos cotidianos e frequentes em casa. E se ainda quiser a coisa melhor, um estudozinho extra em cursinhos especializados.

Isso é o que eu penso.

PROVÉRBIO

Mocidade viciosa, velhice penosa.

terça-feira, 19 de setembro de 2023

DICA GRAMATICAL

Ortografia

É a parte da gramática que trata da escrita correta das palavras.

Escrever corretamente as palavras fará muita diferença num texto se considerarmos os critérios de correção.

O que fazer para melhorar a ortografia?

A leitura e a prática da escrita, literalmente. Escrever textos à mão ajuda a fixar as palavras na cabeça e nunca esquecê-las.

Imagine que você viu somente uma vez a palavra exceção e nunca mais a viu e ainda para piorar, nunca a escreveu. Qual a chance de escrevê-la corretamente num ditado de palavras?

ATRÁS DA CORTINA

Esperamos pelo momento em que a cortina ou as cortinas possam ser abertas.

As cortinas aqui, fiquemos cientes, não são as que enfeitam, mas as que encobrem. São aquelas que impedem que vejamos o outro lado, na maioria das vezes, muito escuro. Um escuro daquele de se meter o dedo no olho e que dói bastante.

Do outro lado, dizia, que é escuro. Entretanto, num aparente paradoxo, a cortina impede que venha à tona uma luz, num sentido figurado. Luz: verdade. 

É essa luz que desvenda o escuro, tão escuro, que escurece até as mentes dos responsáveis pela permanência da cortina.

É atrás das cortinas que são preparados os próximos atos. Depois de abertas, todos verão. Uns apreciam, enquanto outros nem tanto.

PROVÉRBIO

O que arde, cura, o que aperta, segura.

segunda-feira, 18 de setembro de 2023

DE BESTAS E BESTEIRAS

Entre nós circula um ditado, provavelmente não exclusivo de nossa gente emancipada, que diz o seguinte:

Fulano, sicrano ou beltrano é besta de cair duma esteira.

Aqui vai uma explicação do verbete esteira no contexto para aqueles que moram longe daqui, já que há mais de uma esteira.

Esteira: Qualquer tecido grosso - junco, p. ex. - ou outro material (fibra, palha) usado como tapete. (Dicionário de Maria Tereza Camargo Biderman).

A esteira aí no contexto é a tradicional feita de palha de carnaúba. Durante muitos anos serviu como mesa para café da manhã, almoço e jantar, já que naqueles tempos ter uma mesa em casa não era fácil. 

Ser besta de cair duma esteira era alguém que passava da conta na besteira. Mas que besteira?

Era uma conversa fiada, sem lógica nem sentido.

PROVÉRBIO

Azeite, vinagre e sal, remédios pra todo mal.

domingo, 17 de setembro de 2023

DOMINGO

DESCOBRIMENTO DE UPANEMA

Padre Adelino de Brito Dantas fez algo parecido com Pedro Álvares Cabral em relação ao Brasil: um descobridor. Foi ele que deu a este lugar um status de povoado. 

Foi por causa dele que a vila tornou-se cidade depois de alguns anos.

AS TIAS DE CÂMARA CASCUDO E UPANEMA

Num parágrafo do livro "O tempo e eu", Câmara Cascudo fala de suas tias e sua relação com as cidades:

Tudo para elas era o passado e móvel e presente. A geografia era outra. Os nomes de outrora continuavam contemporâneos. Caicó era Príncipe, Martins, Maioridade, Upanema, Rua da Palha, Açu era Princesa, Natal era Rio Grande. Somente os rios e as serras guardavam a legitimidade denominadora. Nenhum município tinha nome de gente. Todos os homens e mulheres, tornados poeira tumular, continuavam vivendo, amando, intrigando, namorando, dançando, fazendo ciúmes à vovó e risos a Tia Naninha, que era donzela.

As tias de Cascudo viveram entre o final do século XIX e entrando bem no século XX. Com certeza, bem informadas da geografia do Estado, sabia aqueles nomes pelos livros ou pela boca seus ancestrais.

Upanema como Rua da Palha não podia ser esquecida na região, se considerarmos que os parentes de Cascudo são de Campo Grande, cidade vizinha.


sábado, 16 de setembro de 2023

UM DIA HÁ SETENTA ANOS

O registro histórico diz que no dia 16 de setembro de 1953 o então distrito de Upanema passou a ser cidade, através do projeto de autoria do deputado estadual e conterrâneo Antônio Rodrigues de Carvalho.

A lei estadual de número 874 foi sancionada pelo governador do Estado Sylvio Pedrosa.

QUE PALAVRA!

Esculápio

De Esculápio, deus da medicina na mitologia greco-romana. Pouco usado Medico. (Aurélio)

Deus da medicina, na mitologia greco-romana. Médico. (Minidicionário Soares Amora)

Médico, facultativo, o cirurgião. (Esculápio grafado com letra minúscula).

Deus da medicina. (Grafado com letra maiúscula) e deus com letra minúscula. (Dicionário das dificuldades da língua portuguesa, de Cândido Jucá Filho).

A propósito da palavra, Millôr Fernandes produziu o seguinte texto:

O ESCULARÁPIO 

Um escularápio foi chamado para tratar de uma rica senhora que sofria de catarata.

Sendo, porém, desonesto, o nosso querido amigo, sempre que ia visitar a rica velha, furtava-lhe um objeto precioso. Quando acabaram os objetos preciosos, ele começou, despudoradamente, a levar-lhe também os móveis, um a um.

Afinal, certo dia, não tendo mais o que roubar, deixou de visitar a velha. Mas não contente com isso, sapecou-lhe em cima uma conta terrível, capaz de abalar mesmo a fortuna do mais rico catarático. A velha protestou, dizendo que não pagava, e a coisa foi parar no tribunal.

E foi no tribunal que a velha declarou o motivo de sua recusa em pagar. Disse: “Não posso pagar a conta do senhor esculápio, do doutor médico, porque eu estou com a vista muito pior do que quando ele começou a me tratar. No início do tratamento eu ainda via alguma coisa, mas, agora, não consigo enxergar nem os móveis lá de casa”.

Moral: A extrema desonestidade acaba visível mesmo para um cego.

quarta-feira, 13 de setembro de 2023

ARAGEM

A aragem agradável que ora passeia nas nossas peles ao cair da noite e vai de noite a dentro, mergulhada no infinito, escuro infinito, contrasta com o que sentimos ao longo do dia. 

Dia aqui, significando o tempo que vai do alvorecer ao anoitecer. 

PROVÉRBIO

Não é todo dia que se come pão quente.

terça-feira, 12 de setembro de 2023

MANHÃ CHUVISCADA

Um chuvisco cobriu a cidade agora pela manhã. Coisas naturais.

LIÇÃO DE PORTUGUÊS

Acento gráfico e acento tônico

Acento gráfico é um sinal diacrítico que se usa, em casos especiais, sobre a vogal da sílaba que é pronunciada com mais força ou relevo. 

Gratica. A sílaba leva um acento gráfico e torna a palavra proparoxítona.

Acento tônico é, precisamente, este maior relevo ou força com que se pronuncia uma sílaba a que se dá o nome de tônica, em oposição à sílaba mais fraca, chamada de átona. (Dicas do Português série Instrumental, de José Adriano e José Ricardo).

Cidade. A sílaba da não leva acento tônico, mas átono.



PROVÉRBIO

Para soluço o que presta, linha molhada de cuspo na testa.

segunda-feira, 11 de setembro de 2023

MANEIRAS DE APRENDER

A pesquisa na fonte é sempre melhor.

As enciclopédias, os dicionários, eram as fontes de pesquisa até os anos 90.

Já agora, tudo está na grande rede, mas há muita gente que ainda não conseguiu  ser mais estudioso do que os dos tempos passados. Seria por que não estão garimpando de maneira correta o tesouro que é a grande rede?


PROVÉRBIO

Galinha velha é que dá bom caldo.

domingo, 10 de setembro de 2023

DOMINGO

RAZÕES APRESENTADAS PARA NÃO LER

Acionados para ler, detectamos em grande dos alunos uma coisa que só pode ser preguiça ou falta de costume e disciplina.

Outras razões - O uso excessivo do celular engessou as mentes das pessoas a ponto de não dá lugar a outra coisa a não ser fazer aquilo.



sábado, 9 de setembro de 2023

QUE PALAVRA!

Debuxo

Esboço. (Aurélio)

Desenho, esboço, risco. (Minidicionário Escolar da Língua Portuguesa Silveira Bueno com etimologia)

O x tem som de ch.



sexta-feira, 8 de setembro de 2023

RECORDAÇÃO DO SETE

Quem ainda tem memória boa relembra dos Sete do passado: desfile pelas ruas da cidade.

Sentíamos o último copo d'água no deserto quando entrávamos na avenida, batendo forte com o pé direito e cantando "és tu Brasil, és tu Brasil ó pátria amada".

Antes, alguns dias antes, ensaio e mais ensaios com os alunos para o grande dia.

Alfredo - A Escola Estadual Professor Alfredo Simonetti mantém a tradição do desfile naquele dia.

PROVÉRBIO

Comer para viver, e não viver para comer.

quarta-feira, 6 de setembro de 2023

LIÇÃO DE PORTUGUÊS

LINGUAGEM VERBAL E NÃO VERBAL

Para se comunicar com os outros, o ser humano necessita de apenas duas formas de comunicação: 

A verbal ou não verbal.

Verbal: palavra falada ou escrita. O juiz de futebol costuma fazer uma advertência verbal a um jogador que comete uma falta que poderia levar um cartão. 

Todos os textos escritos e não escritos pertencem à linguagem verbal. Os sermões, as palestras, os comícios, as conferências, pertencem ao verbal. Uso da palavra.

Não verbal: mímicas, acenos, pinturas, desenhos, música apenas tocada, grito, cinema mudo. Exemplos de não verbal. Não uso do verbo, que é a palavra.

A linguagem não verbal no trânsito

No trânsito, a linguagem não verbal é eloquente e cheia de autoridade. Os sinais obrigam todos os que trafegam a tomarem uma decisão a todo momento. 

A obediência às regras do trânsito constituem numa questão de sobrevivência e nunca do querer. 

A não obediência à linguagem não verbal, em alguns casos, acarretará em fortes dores de cabeça, literalmente. 



PROVÉRBIO

A doença num minuto vem; para ir embora leva cem.

terça-feira, 5 de setembro de 2023

PROVÉRBIO

Para a doença há salvação; para a recaída, não.

SOL AMARELÍSSIMO


É lua azul, sol amarelo, beirando a vermelho.

Quadro da semana que passou.

Muitos veem como um sinal. Talvez de um final. Ou uma final.

Nada disso. É um mesmo do mesmo.

segunda-feira, 4 de setembro de 2023

VOLUME DA NOSSA BARRAGEM

Dados de 28 de agosto informam o volume atual da barragem de Umari, oficialmente "Barragem Jessé Pinto Freire", em Upanema:

Dos 292,81 de metros cúbicos, temos 263,25 e 89,90%.

Informações da Ana: www.ana.gov.br



QUEM É O HOMEM?

Quem é o homem aí?

Pergunta o cidadão apontando o dedo para o desconhecido.

É um homem feliz, na medida do possível e das oportunidades. Feliz no conceito que vislumbro de felicidade. 

Cada um é feliz, a depender do conceito que tem dessa palavra linda e muito gasta na boca dos humanos. 

Encerra as palavras o interlocutor. Ele, que não tira da boca seu velho charuto, acha-se feliz.

Vá entender de felicidade!


PROVÉRBIO

Mais depressa morre o comilão do que os soldados que à guerra vão.

domingo, 3 de setembro de 2023

DOMINGO

DEBAIXO DO SOL

É tarefa difícil encontrarmos uma coisa nova debaixo deste sol. Dizia Cohéllet mais ou menos nesses termos. Nada há neste mundo que seja inédito.

Pode ser uma ideia nova, um novo texto.

ANGÚSTIA

O calor nas tardes angustia mesmo os que pouca atenção dão aos dias quentes. 

À ESPERA

À espera das chuvas para apalacar a quentura, como diz o cidadão que não sabe dizer aplacar.

QUEM É O HOMEM AÍ?

É um homem feliz.

sábado, 2 de setembro de 2023

QUE PALAVRA!

Debicar

Comer pequena porção de; provar. Zombar de. (Aurélio)

Provar; comer pequena quantidade; escarnecer; zombar; caçoar; mofar. (Dicionário Escolar da Língua Portuguesa Silveira Bueno)

A palavra debicar é bastante desconhecida entre nós. O primeiro significado é substituído por beliscar: "Fulano fez só beliscar a comida".

Quanto aos outros significados, é também totalmente desconhecido. O que dizemos que "alguém está mangando ou tirando onda com outro".

DOMINGO

PERSPECTIVA  Com a chuva da tarde, é muito provável que a barragem de Umari sangre ainda hoje. AMANHÃ TAMBÉM É DATA IMPORTANTE  Amanhã é dat...