segunda-feira, 31 de janeiro de 2022

AULAS ADIADAS

As aulas na rede estadual foram mesmo adiadas, como em off foi dito. Chegou-se até a anunciar, mas logo foi descartado. 

Agora é oficial: As aulas na rede estadual de ensino iniciarão no dia 14/02 - uma semana para a frente.

ORTOGRAFIA - MAS E MAIS

Daria uma novela se fôssemos contar acerca do uso de mas e mais de muitos falantes e escreventes da nossa língua. 

É tarefa difícil pôr na cabeça de muita gente a forma correta. 

Novela lembra história grande e cheia de novelos, enredos complicados.

Se quisermos ver todos os dias um capítulo, basta prestarmos atenção nas redes sociais e especialmente nos chats. Veremos como é chato ver tanto mais no lugar de mas, e tanto mas no lugar de mais.

VOLUME DA BARRAGEM DE UMARI

Cap. máxima(h3): 292.81

Vol. atual(h3): 168.16

% Vol. atual: 57.43

Data últ. medição: 28/01/2022

Dados da Emparn

ALTARES

Altares incontáveis há, de toda espécie, de muita cores, de muitos gostos, de muitos lados, esquemas, setores, erigidos nas alturas, a fim de que os cultuadores esbanjem seus cultos e se ocupem dia e noite e não produzam algo de valor, progresso.

Dos inúmeros, o altar da ciência volta, após séculos, a ser edificado, até mais do que outrora. Genuflexos, de mãos para o alto, seus adoradores não pensam mais em nada. Ela diz, está dizido!

O outro damos o nome de rede, mas na verdade, são várias juntas. Seu poder atrai a todos de forma espetacular. Seu culto faz mal aos seus devotos. 

Entretanto, fará o bem aos que dela utilizam adequadamente, serenamente e naturalmente. 




PROVÉRBIO

Pessoa bonita desassossega.

POESIA

Sua voz e seu poder
Serão presentes por muito tempo
Imperarão mais alguns meses
Ou somente mais alguns momentos?

Sua fúria não respeita
Nem os grandes ou pequenos
Não mede nenhuma distância
Para atirar nos terrenos.

Somente os terrenos sofrem
Desta triste agonia
Os celestes são isentos
E não têm sua companhia.

Cada um em seu canto
Luta de todas formas
E para dele se livrar
Usa de muitas manobras.

Perecem os que não se cuidam
E os que se cuidam também
Ele não avisa de que forma
E de que jeito vem.



domingo, 30 de janeiro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

Meu cajueiro - Humberto de Campos 

Aos treze anos da minha idade, e três da sua, separamo-nos, o meu cajueiro e eu. Embarco para o Maranhão e ele fica. Na hora, porém, de deixar a casa, vou levar-lhe o meu adeus. Abraçando-me ao seu tronco, aperto-o de encontro ao meu peito. A resina transparente e cheirosa corre-lhe do caule ferido. Na ponta do ramo mais alto abotoam os primeiros cachos de flores miúdas e arroxeadas, como pequeninas unhas de criança com frio.

 - Adeus, meu cajueiro! Até à volta!

Ele não diz nada, e eu me vou embora.

Da esquina da rua, olho ainda, por cima da cerca, a sua folha mais alta, pequenino lenço verde agitado em despedida. E estou em S. Luís, homem-menino, lutando pela vida, enrijando o corpo no trabalho bruto e fortalecendo a alma no sofrimento, quando recebo uma comprida lata de folha acompanhando uma carta de minha mãe: "Receberás com esta uma pequena lata de doce de caju, em calda. São os primeiros cajus do teu cajueiro. São deliciosos, e ele te manda lembranças." (Memórias)

SEMELHANÇA - Quem fez mudança de casa quando era criança tem uma história para contar muito parecida com a do escritor acima. Os pés de árvores também nos deixam saudades.

CARTILHA

Mãe, a vida, foi você quem me deu
E a cartilha me fez entender
Tudo o que eu sou, o que eu tenho, o que eu sei
Mãe, eu devo a você (The Fevers)

AS CARTILHAS E A VIDA - Provavelmente o poeta tenha aludido àquela cartilha que ensinava a ler, escrever e contar. Inevitavelmente um manual não trazer pitadas de educação para a vida.

É bom registrarmos também que a escola sempre teve o objetivo primeiro o ensinar. O educar vem por consequência.

VOLTA DO LATIM  - As consoantes

As consoantes dividem-se em mudas: b, c (k q), d, f, g, p, t,  e líquidas: l, r, m, n. Há ainda a sibilante s. X é letra dúplice que se pronuncia cs; Z é letra grega, também dúplice, que vale por d acompanhado por s brando. (Grammatica latina, de José Ladislau Peter)

Por hoje é só. Domingo tem mais latim.

sábado, 29 de janeiro de 2022

LÍNGUA: FORMAS VARIANTES

Há palavras que admitem mais de uma forma de grafia

Apostila e apostilha
Catorze e quatorze
cociente e quociente
assoviar e assobiar
bêbado e bêbedo
aspecto e aspeto
xeretar e xeretear
redemoinho e remoinho
chipanzé e chimpanzé
coradouro e quaradouro
derrubar e derribar
taverna e taberna
transpassar, traspassar e trespassar
seção e secção
xérox e xerox
matracar e matraquear
mobiliar e mobilhar
entretenimento e entretimento
rubi e rubim
coisa e cousa
malvadeza e malvadez
espécime e espécimen
fleuma e fleugma
embaralhar e baralhar
diabete e diabetes
chapanhe e champanha
verruga e berruga
(Com informações do livro Português, de Leila Sarmento e Douglas Tufano)

PERTO DOS TREZENTOS

Já se aproxima de trezentos milímetros de chuva neste mês, segundo minha contagem no pluviômetro caseiro.

Provavelmente ultrapassaremos esse número, se considerarmos as previsões feitas a olho nu nesta manhã frienta e chuvosa de sábado.

CHUVA DE ONTEM À NOITE

Foi de 51mm a chuva de ontem pela noite.

QUE PALAVRA!

Cuteleiro - fabricante e/ou vendedor de instrumentos de corte (Aurélio)

Cuteleiro era a profissão do pai de Diderot: um dos inventores da enciclopédia. Século XVIII. 

Uma profissão parecida é a do ferreiro. O ferreiro molda ferros, como enxada, foices, chibancas. É possível também moldar um desses instrumentos cortantes. Aqui ainda temos. Não em quantidade como no passado, mas ainda existem alguns.




ATENTOS

O período invernoso é bom, mas requer muita atenção e cuidado com o resultado das chuvas por longos minutos e até por horas.

Um dos cuidados é com as árvores que caem. Os raios, as doenças, os alagamentos. A água parada em alguns lugares da casa é outra coisa que devemos estar de olho. 

PROVÉRBIO

Perto de quem come e longe de quem trabalha.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

CHUVA LONGA

Uma chuva banha Upanema agora de noite. Muito demorada, por sinal. Renderão muitos milímetros, com certeza.

CHUVA

Segundo dados da Emparn, Upanema choveu ontem 52,9.

PALAVRA CERTA

Uso de mas e mais. Para quem ainda não aprendeu a usá-los no lugar certo.

Vamos aos exemplos tirados de manuais de Língua Portuguesa ou livros didáticos:

MAS

Ela era bondosa, mas não demonstrava isso.
Mas, minha filha, por que você não fez o trabalho.
A mãe e o filho discutiram, mas não chegaram a um acordo.
Eu limpo, mas depois vou brincar.

Mas dá uma ideia de oposição.

MAIS

Por hoje é só; o mais fica para amanhã.
Ele mora aqui mais Pedro.
Meu tio mais sua filha estão vindo para cá.
É mais fácil criticar do que fazer.

Mais pode indicar aumento, o restante ou em companhia de.








CHUVA DA NOITE

E a chuva da noite foi de apenas 7mm. Quase dá de rombo!

A BOA CHUVA ONTEM

 A boa chuva de ontem pela tarde na cidade foi de 62mm.

PROVÉRBIO

Perguntar se macaco quer banana!

A LAGARTA NA PLANTAÇÃO

A sabedoria do homem do campo no item plantação é simplesmente fantástica.

Suas experiências de longos anos de semeios dão razão para não plantarem logo nas primeiras chuvas.

Não plantarei agora, pois as lagartas não nos deixam sossegados. Ela estão feito a mulesta comendo tudo o que é verde. Se plantarmos agora, elas irão devorar as plantinhas assim que saírem fora. Vou esperar para o mês de fevereiro. Até lá elas desaparecerão. 

Acima, o depoimento de um agricultor de longos anos na estrada.

LAGARTA-DO-MILHARAL - Lagarta de mariposa. Mocis repanda, da família dos noctuídeos, de 40 mm de comprimento e corpo alongado, de forma cilíndrica, listrado longitudinalmente de linhas pardas ou pretas,  sendo a faixa central mais larga. Surge esporadicamente em grande quantidade, atacando certas gramíneas, como a cana e principalmente o milho. Para se metamorfosear, tece um casulo, meio escondido por entre as dobras das folhas.(Enciclopédia Brasileira Globo, volume 7)

A lagarta-do-milharal é a dita cuja sobre a qual o agricultor falou.


quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

COISA DA LÍNGUA

Prossiga para a frente!

Devemos evitar esse tipo de frase. Prosseguir já significa ir para frente. É redundância. É pleonasmo vicioso. Portanto, basta dizer: Prossiga!

E todo mundo entenderá.

CHUVA FORTE

Chuva forte aqui na cidade. 

PANCADAS

Pancadas de chuva hoje pela tarde. O período invernoso segue regular. 

Uns até semearam a semente.

São apressados, dirão alguns. Pode não ser. A semeadura e a colheita também tem seus segredos.

AULAS PRESENCIAIS

As aulas presenciais foram adiadas na rede estadual. É o que escutamos hoje.

Agora faltam somente os detalhes. 

As direções das escolas aguardam o documento oficial.

PROVÉRBIO

Perfume é cheiro bom sobre cheiro ruim.

PROPAROXÍTONA

Nas sua corridas chegou a ser uma vez proparoxítona e quase sempre oxítona.

Nas suas mais recentes, nem classificada foi. Recentemente alcançou a paroxítona com muito esforço e esticamento de corda.

Sempre em seus embates o lema era livrar-se das nomenclaturas, para que pudesse caminhar em busca dos prémios que só aparecem longe daquelas três classificações. Fora delas estão os melhores lugares. São exatamente elas, as anônimas que dão os galardões aos vencedores.

O ser em foco continua na luta em direção dos prêmios e livre das classificações inversas.



quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

PINGUEIAM

Pingueiam agora, antes das nove. Um registro aparentemente banal, sem sentido ,sem graça, sem ser nada interessante. Mas o cronista não vai deixar de graça as possíveis e prováveis acusações que podem vir do outro lado da interlocução. 

Ele dirá que tomar nota de pingações que ocorrem em começo de ano não será relevante para todo mundo, mas importante para quem planta e colhe. Para eles, cada vez que os pingos caem e mesmo muito antes deles chegarem ao chão, há um carregamento de significado para sua plantação.

Os pingos leves, somados a outros que já caíram mais grossos e inundaram a terra, fazem o papel de cada grão comido pelas galinhas: elas enchem o papo.

Pingueim  e, aumentado o volume, resultarão em grandes goteiras e formarão riachos rua a fora e rua a dentro.

RELÂMPAGOS

Relâmpagos brilham esfuziantes e cortantes no horizonte anunciando o óbvio aos nossos olhos.

Linguetas rápidas surgem e desaparecem, para depois dizerem que barulhos longe ou perto chegarão em breve.

É o tempo. Chegou o tempo de  brilhar e de zoar.

PROVÉRBIO

Tanto faz dá na cabeça como debaixo do chapéu.

NADA NOVO

O que parece  ser novo debaixo do sol, é reedição do que ocorreu em outros tempos. Os costumes saudáveis ou não são novas versões do que tivemos no passado. Até mesmo a tecnologia apenas ficou sofisticada. Se retroagirmos ao passado, veremos que os povos tinham lá suas formas tecnológicas como técnica de sobrevivência e progresso da época.

terça-feira, 25 de janeiro de 2022

PALAVRA CERTA

Privilégio

Continuo achando um privilégio dos que escrevem ou dizem assim e não das outras maneiras que são escritas ou ditas por aí.

CABELO DE MILHO

Tanta água no coco e o riacho tão seco e só. É um trecho da música "cabelo de milho", interpretada por Sivuca.

Tanta água no poço e nossas torneiras tão secas. É o quadro que pinta nesses dias por aqui.

DÚVIDA SOBRE INÍCIO DO ANO LETIVO PRESENCIAL

A cada dia que se aproxima o dia marcado para o início do ano letivo mais a dúvida aumenta sobre o formato das aulas: Presencial ou remota?

A Secretaria de Educação discute com os núcleos regionais de ensino sobre a volta das aulas deste ano letivo que se aproxima.

O que definirá será o aumento ou diminuição dos surtos gripais que estamos presenciando no Estado.

PROVÉRBIO

Tanto faz dá na cabeça como na cabeça dá.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

PROVÉRBIO

Então reconheça, que do gogó pra cima é a cabeça!

ENFRENTAMENTO

As forças existentes na terra, na água, no ar, aqui, alhures, algures e no além do além constantemente enfrentam-se. Essa postura é inevitável e até necessária. 

Quem não se impõe não põe os pés no lugar direito e poderá ficar suspenso no ar, sem chão, sem objetivo, sem rumo, sem perspectiva, sem razão, sem vontade de prosseguir, sem nada.

Forças negativas dentro de cada um podem ser grandes, bem grandes adversárias de nós mesmos. As de fora já sabemos quem são. Elas também maquinam contra o sumo bem e as virtudes. Cultivar as virtudes e enfrentar as desvirtudes. Eis a fórmula exata.

NOVO ENSINO

O Ensino Médio a partir deste ano será novo. Vamos tentar entender em que sentido será novidade.

domingo, 23 de janeiro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

PANDORGAS (Augusto Meyer) 

De outras vezes, íamos ao morro especialmente para soltar pandorga. Meu pai participava do brinquedo. Ninguém punha mais paciência, carinho e arte em armar uma pandorga, uma pandorga-mãe, com roncador e rabo grosso. A festa começava cedo, na manhã de domingo, com a rebordosa dos preparativos. Rápido e firme, cortava as rijas folhas de papel, recortava a capricho a estrela central de cinco pontas e as quatro estrelinhas que iam coladas aos quatro cantos, encarnadas sobre o fundo amarelo ou verde. Feita a armação de varetas leves de taquara, cuidadosamente amarradas de modo a embarrigar-se  um pouco, vinha o revestimento de papel cobrir aquele esqueleto -  e de repente, surgia a pandorga ainda rabona como uma coisa viva, querendo empinar-se logo aos ventos do morro, furar o teto da casa, virar cambotas malucas por cima das nossas cabeças.

Pronta, enfim, tomávamos o caminho aberto no barranco fronteiro com degraus de barro endurecido e, chegando ao alto, começávamos a soltar o pandorgão ao vento, dando linha como um pescador, até vê-lo diminuir na altura azul; do centro da sua pequenina estrela vermelha partia um fino fio quase invisível, que vinha parar nas minhas mãos, transformado em grosso barbante. 

A arraia voadora dava puxões bruscos à linha, sem mais nem menos desandava a rabear, cabeceava e estremecia toda, ao empinar-se. Tinha a nítida impressão de sair aos trambolhões, arrastado pelos ares, se não me firmasse bem sobre as pernas. Era preciso dar mais linha ou recolhê-la com muito cuidado. Mas aquietava-se logo depois , como se compreendesse  que tudo aquilo não passava de um brinquedo. 

Pandorgas de todas as cores e tamanhos mexiam-se para um lado e outro, presas a um fio, bichos fantásticos de papel que os donos traziam a uma cura de ar livre. Subiam para o azul os gritos da criançada. O vento da tarde embebedava de tão vivo, e ao fim de algum tempo, meu irmão e eu, que nos revezávamos na manobra, tontos da emoção violenta e da vertigem que nos dava a atenção voltada para o alto sem descanso, passávamos a linha ao nosso pai, tão empenhado no brinquedo como nós mesmos. (Do livro Segredos da Infância)

OUTROS SINÔNIMOS DE PANDORGA:  Papagaio, pipa, tapioca, arraia, estrela. Os dois primeiros são conhecidos entre nós. Pandorga é conhecido no Sul do Brasil. Estrela é em Portugal.

BRINQUEDO DA NOSSA INFÂNCIA - Apesar de muitos meninos brincarem de pipa - chamávamos papagaio - foi uma brincadeira que eu preferia ficar olhando os outros. Havia papagaios grandes e agressivos. Ou eram os donos que eram agressivos? Sei que muitos papagaios eram temidos, pois eles derrubavam os outros. Muitas vezes eles enganchavam nos fios de energia. Algumas vezes provocavam a quebra dos fios, pois uns batiam no outro e chegava a faltar energia no bairro.

A PIPA NA MÚSICA - O grupo "Boca livre" em "Quem tem a viola" poetiza a pipa nos seguintes termos: quem tem a viola faz o coração vazio voar vadio como uma pipa no ar: 

Quem tem a viola
Pra se acompanhar
Não vive sozinho
Nem pode penar
Tem tom de roupa
Quando seca no varal
Luz do Sol
Quando cai no cristal
Faz o luar brilhar
E um coração vazio
Voa vadio
Feito uma pipa no ar

O EXAME DE ADMISSÃO - O Exame de Admissão era uma espécie de vestibular para o aluno entrar na quinta série. Português, Matemática ou Aritmética, Geografia e História eram as matérias do exame.

O livro tinha mais de 500 páginas e abrangia as matérias exigidas no exame: Português (Prof. Domingos Paschoal Cegalla); Geografia (Prof. Aroldo de Azevedo); História (Prof. Joaquim Silva) e Matemática (Prof. Osvaldo Sangiorgi).

O exame era uma seleção dos melhores alunos. Não podemos condenar a prática, já que temos os vestibulares, os enems e concursos. Afinal, não há vagas para todo mundo. 

Durou mais de trinta anos.

Quem quiser ver ou rever a capa do livro, poderá acessar o site www.anosdourados.blog.br/2019/03/imagens-escola-livro-para-curso-de.html.

VARIANTE -  De nome de automóvel a algo relacionado a uma doença. Foi o que comentou um senhor bem antigo: "Ora, antigamente havia um carro chamado variante e agora apareceu uma tal de variante..."

A Variant, grafada sem a letra e, é um carro da linha Volkvagen, sucesso nos anos 70.

PREVISÃO DE UM PROFETA DA CHUVA - Hoje vai chover. Sinal: Pela manhã apareceu torriame no Norte.

HUMOR - O camarada vai trabalhar em uma obra como ajudante de pedreiro. Logo no primeiro dia, o mestre de obras chama a sua atenção; 
 - Ô Vicente, os outros levam dez tijolos de cada vez! Por que você leva só cinco?
-  Ah, como tem gente folgada neste mundo, chefe! Acho que eles têm é preguiça de fazer duas viagens. (Seleção de Seleções)



sábado, 22 de janeiro de 2022

PANDORGA

O que é mesmo uma pandorga?

Eu não sabia até ler um texto de Augusto Meyer. Lá onde ele nasceu, pandorga é uma coisa. Aqui conhecemos por outro nome.

RISCO

Com o crescente número de pessoas doentes, seja de covid ou nova onda gripal, a UERN  adiou a data das aulas cem por cento presencial. 

Estava previsto o início para o dia 2 de fevereiro.

As aulas na rede estadual estão previstas para o dia 7. Até agora podemos dizer que será no formato normal, que rima com presencial. Ou o inverso.

Outrossim, não podemos descartar de todo que um novo decreto semelhante ao de 2020 possa ser editado.

O risco existe, mas aguardemos pelas notícias e torçamos pelo melhor.





QUE PALAVRA!

Cega-rega

Há muitas pessoas que são cega-regas e não sabem. Não sabem por razões óbvias: nosso léxico é enorme, muito vasto. Ninguém, mas ninguém mesmo, tem a capacidade de saber todo o vocabulário de uma língua e muito pior utilizá-lo. O denominado rei do rock brasileiro tinha consciência disso quando cantou em sua música "ao meu lado um dicionário cheio de palavras que eu sei que nunca vou usar".

Os significados que temos buscamos dos dicionaristas:

Pessoa muito tagarela, de voz desagradável e pertinente. (Aurélio)

Silveira Bueno acrescenta: Cigarra; instrumento que imita o zunir da cigarra. Pessoa tagarela é usado em sentido figurado.


FUTEBOL NO RIO

Prática de esportes

O futebol de várzea ainda é praticado no leito do rio. Em tempos em  que o rio não era perene, era comum brincarmos na areia do rio. 

Quando era gol mirim, as traves eram feitas com tijolo ou até chinelo. Às vezes eram pneus. Geralmente os jogos eram no formato minicampo. Havia traves de madeira, tudo organizadinho. 

Bons e sofridos tempos!

Imagens da postagem em https://imagensdeupanema.blogspot.com/2022/01/esporte-no-leito-do-rio.html

DIZERES

Pelos olhos se conhece quem tem lombrigas.

O provérbio acima é pronunciado por um dos personagens do filme A moreninha, homônimo do escritor Joaquim Manuel de Macedo.

PROVÉRBIO

Perdoar sem esquecer é a misericórdia de satanás.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

PARADO, QUENTE E ABAFADO

Não move uma folha. Parado. Quente de doer. Um abafado atroz. 

Palavras que resumem o meio-dia de hoje. São palavras que não configuram em reclamação. Se assim fosse,  nada poderíamos fazer. Mas, mesmo assim, sem reclamações, ponhamo-nos debaixo de porções de água e alimentemos por dentro de líquidos benéficos ao organismo. Ele agradece e dará recompensa brevemente.

SOLTOS POR AÍ

É o que parece. Os vírus soltam-se percorrem todos os lugares até acertarem nosso organismo. Então começam um trabalho de perturbação. Incomodam muita gente. Daquele tamainho incomodam muito.

E não adianta esquivar-se que eles pegam e maltratam. Passam algum tempo longe, mas voltam com período marcado. Não marcam o dia ou mês, mas um certo período do  ano. E o período chegou.

PROVÉRBIO

Pensar mal é fácil porque esta vida é embrejada.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

QUESTÃO DA LÍNGUA

Estada e estadia

Estada -  Ação de estar. Demora, permanência (de pessoa).

Estadia - Prazo que o navio fretado é obrigado a observar no porto de chegada. Demora, permanência (de veículo). Preço que se paga por essa permanência.

São definições de Soares Amora sobre estada e estadia. 

As duas palavras acima são objetos de dúvidas de muitos falantes da língua. Imagina aí os estrangeiros.

PROVÉRBIO

Pelos olhos se conhece quem tem lombrigas.

VIDA

Ela está em todas as partes habitáveis. 

Está naqueles que se sentem sem saída, nos que tentam esconder-se de si mesmos, que não esperam um novo dia e para quem não sentem as luzes brilharem dentro de si.

É ela que dá sentido a tudo neste mundo. Depois da perda de um ser vivo, seus mais chegados ficam sem chão e sem onde pegar. Há um desaprumo dos sentimentos que não mais há alento para seguir em frente de maneira normal, natural.

Ela move todo o curso da existência humana, vegetal e animal. Ela resiste até quando pode a todos os movimentos deletérios e negativos. Quando ela vai, vão-se a alegria e o viver total dos que ficam. Cuidemos dela!




terça-feira, 18 de janeiro de 2022

CHUVA CEDO

O tempo que se apresenta agora nos leva a dizer que hoje teremos chuva cedo.

MATRÍCULAS PROSSEGUEM

As matrículas no Calazans Freire prosseguem até o dia 31 para quem já é estudante daquele colégio.
No Alfredo, as matrículas dos novatos serão feitas através da internet e a partir do dia 31. O período de renovação foi de 5 a 7 deste mês.

CHUVA DE ONTEM

O meu medidor marcou 20mm.

PROVÉRBIO

Pelo rastro no chão a gente sabe de muita coisa que com a boiada vai acontecendo. 

CAMINHO

Mesmo que seja às apalpadelas é possível achar-se o caminho.

Nem sempre se apresenta em linha reta. Mais fácil é encontrarmos em linhas tortas, curvas, pois assim sendo, os buscantes precisam de mais esforços para chegarem ao lugar desejado. 

Outras vezes, mesmo que retos, ele se apresenta tão apertadinho que custa muito ao entrante chegar lá no final. O aperto é tão grande que necessário se faz encolher os membros e ainda assim sofrer pequenos arranhões. 

A viagem às vezes é longa. É tão longa que deixa os pés doloridos e feridos, além da coluna sofrida de tanto passar tempo em movimento.

Para chegar no fim da linha requer muita luta. Os empecilhos são grandes. Eles têm muitas caras e muitas bocas. No final valerá a pena o esforço de andar na linha. Todos os passos serão recompensados.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

domingo, 16 de janeiro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

CHUVA DE ONTEM NA CIDADE - 35mm. Em outras localidades houve uma variação. Na Fazenda Nova, 83mm.

LINGUAGEM DA AMAZÔNIA PARECIDA COM A NOSSA 

Já postei neste espaço a relação entre a linguagem da Amazônia e a da nossa região. Referia-me ao verbete abancar-se. Agora apresento outro verbete.

Açulerar - Alvoroçar. Agitar. Apressar. Acelerar. (Dicionário da língua popular da Amazônia, de Paulo Jacob)

Alguns dizem açulerar no sentido de acelerar um motor. Açulera o carro! 

Os outros sentidos referem-se aos órgãos do corpo, como o coração: O coração açulerou ao avistar sua namorada.

HUMOR -  O ronco na primeira fila do teatro interrompeu o meu recital de piano de estreia:
- Senhora - eu disse à mulher sentada ao lado do "culpado" - , por favor, acorde esse homem e lhe diga para parar de roncar!
- Você é que deve acordá-lo -, ela respondeu. - Afinal, foi você que o pôs para dormir. (Seleção de Seleções)

sábado, 15 de janeiro de 2022

CHUVA DE HOJE À TARDE

Vinte e um milímetros, a chuva de hoje à tarde em solo upanemense urbano.

CINCO

Foram 5mm a chuva de ontem pela tarde.

QUE PALAVRA!

Empestear - V. Empestar: Infetar-se com peste. Infeccionar-se, contaminar-se. Tornar-se desagradável pela contaminação do ambiente com elementos nocivos (Aurélio)

De empestar, nasce a palavra empestado - Que está dominado pela peste. Termo empregado na área do criatório para designar um boi ou outra rês muito violenta. Danada. (Do Calepino Potiguar)

Empesteado é empregado de maneira figurada. Significa um número elevado de coisas ou pessoas. 

"Os trens empesteado de gente". Fala de um personagem do filme Cinema, aspirinas e urubus.


PROVÉRBIO

Pelo cheiro do tição se sabe o da madeira.

SE

Se eu dissesse que és bela
Estaria verazmente mentindo.
Belíssima és
Entre todas as belas
De todas as tardes
Mais que a de Jour
Mais do que 
Possamos imaginar.

Sua beleza transcende
O intransendível
Sua belezura
Não muda de nível
Nem espessura
Estável é
Vive de sua lindeza
Alimenta-se disso
E ainda espalha
Como sobremesa.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

VOLUME ATUAL DA BARRAGEM DE UMARI

Cap.Máxima (h3): 292.81

Vol.Atual(h3): 161.82

% Vol.Atual: 55.26

Data Ult. Medição: 13/01/2022

Dados da Emparn

CHUVA DE ONTEM

A boa chuva de ontem rendeu trinta e seis milímetros.

GRANIZO

Chuva que congela em grânulos e que se precipita violentamente; saraiva; chuva de pedras; pedrisco. 

São pedras de gelo mais ou menos arredondadas, de estrutura complexa, podendo atingir o tamanho de um ovo de galinha e o peso de meio quilograma. Formam-se durante as trovoadas, em dias quentes, e são anunciadas por um rolar contínuo e característico, que se explica  como sendo produzido pelo entrechoque das pedras movendo-se rapidamente, em turbilhão. Quanto ao processo de formação do granizo, é ponto ainda obscuro, sendo provável que a eletricidade tenha nele um papel predominante. O granizo é nefasto às plantações. Pode impedir-se que ele se forme disparando um tiro de canhão ou um foguete contra a nuvem; o abalo produzido  faz com que o granizo se resolva em chuva. 

(Enciclopédia Brasileira Globo, volume 5).

PROVÉRBIO

Pelo canto do galo a raposa acha o poleiro.

CHUVA DE PEDRA

Choveu pedrinhas outem na região do Seridó. Uma senhora dizia que nunca tinha visto aquilo na vida dela.

Pois já vi. Muita gente também já viu em anos e localidades diferentes. Em 2009 e 2019, pelo menos, registrei aqui mesmo neste modesto veículo comunicativo depoimentos de pessoas que apararam na mão pedrinhas de gelo.

Os mais sabidos do que eu - e tem aos montes - explicam bem direitinho as causas das chuvas de pedras. São explicações convincentes.

E do jeito que as previsões apontam, haverá mais chuvas acompanhadas de pedras ao longo do ano.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

CHUVA

A chuva de hoje à tarde vai render muitos milímetros.

CHUVA ONTEM

Upanema foi banhada ontem com uma neblina que ouso chamar de chuva. Tivemos um pequeno registro de quatro milímetros. 

TARDE DE SOL

Cenário bom de se ver o da tarde de hoje. Sol forte, nuvens bem distribuídas e pouco vento.

AS MANHÃS NÃO SÃO BELAS

As manhãs não são belas. Perde quem não as aprecia em todas as manhãs.
Duas frases aparentemente contraditórias, mas não são.

Elas não são belas, mas belíssimas. O apreciador precisa ter à mão um instrumento para registrá-la com rapidez, pois as nuvens - é esse o meu foco - mudam a cada segundo. Suas nesgas se estão bonitas agora, em pouco tempo, num mudar de vista, se transformam em cores e formas bem diferentes daquelas. E quem viu, viu. Se quiser vê-las novamente, só amanhã ou outro dia.


MALASSOMBRO

Malassombros acontecem diariamente. Nem todos conseguem vê-los. Outros nem sequer acreditam. Mas eles existem e atuam bem nas nossa barbas. Dos que não as tem também. Atuam em desfavor dos que acreditam e dos que não querem nem ouvir falar nisso. Fazem presepadas. Presepadas não tem nada a ver com presépio. Ou tem? Acho que não. Sei que são coisas esquisitas, fora da lei natural e legalmente constituída.

Malassombro: Um espírito. Um ser que faz reboliço. Um ser que perturba. Faz barulho e travessuras em altas horas. Às vezes preferem ao meio-dia ou ao cair da tarde.

As malassomgragens ocorrem ao arrepio dos desejos da maioria. Os malassombreiros não foram constituídos para isso, mas malassombram em todos todos os momentos que acham conveniente malassombrar. Os malassombrantes - que fique registrado - utilizam seus malassombros em benefício próprio. Em faixa própria. Em benefício dos que vivem no seu quadrado. 

Curioso é saber que, mesmo os que promovem as malassombragens, ficam temerosos que descubram seus truques, como os mágicos se esquivam em todos os momentos para que ninguém consiga desvendar seus segredos. Descobrindo, tudo fica sem graça. 

Com os malassombros descobertos, tudo mudará e as malassombragem não poderão mais continuar.

PROVÉRBIO

 Pelo andar dos bois se conhece o peso da carroça (Gaúcho).


quarta-feira, 12 de janeiro de 2022

terça-feira, 11 de janeiro de 2022

VOLTA

Depois de alguns dias do ano novo, a chuva volta serena, leve e carregada de vento brando, sem trovões. É do jeito que todo mundo almeja.

A INFLUENZA INFLUENCIA E GRASSA

A influenza grassa sem nenhuma graça mesmo. Influencia de forma contundente as nossas vidas.

Ela não tem dia marcado para atuar, mas mês preferido para começar a atuar: janeiro. Mês do início do período chuvoso. É como se as águas trouxessem, em suas enxurradas, uma porção de coisinhas miúdas para atormentarem nossos pulmões e as vias aéreas em geral.

PROVÉRBIO

Pelas abelhas de São Pedro, pagam as de São Paulo.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

RENOVAÇÃO

Iniciou hoje o período de renovação de matrículas no Calazans Freire. O número do CPF e fotos são documentos básicos.

ATAQUES

Os ataques dos vírus já começaram. Mas para cada ataque, as armas da defesa.

Isso. Devemos agir em legítima defesa com as armas de que dispomos: remédios, repouso, chás, líquidos saudáveis, orações, etc.

PROVÉRBIO

Pela fumaça se conhece o pau do tição.

NÃO FIQUEMOS

Não fiquemos somente olhando a banda passar. É preciso que entremos na banda para tocarmos juntos.

A banda passa todos os dias tocando. Às vezes desafina, é certo. Mas é preciso que os afinados entrem na banda para que os ritmos, os afinos e as vozes melhorem.

domingo, 9 de janeiro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

HISTÓRIA DE UPANEMA - Primeiro prefeito eleito constitucionalmente

Silvestre Veras Barbosa. Era do Partido Social Democrata - PSD. Foi o primeiro prefeito eleito constitucionalmente. Sua eleição foi em 3 de outubro de 1954, tendo como seu companheiro de chapa João Francisco Freire Filho. Assumiu o cargo em 31 de janeiro de 1955. Cumpriu um mandato de 5 anos.

A primeira corrida eleitoral do município para prefeito teve a participação de três candidaturas. A vitoriosa, formada por Silvestre Veras e João Francisco. A formada por Vicente Rocha e Luiz Vitorino, que obteve a segunda maior votação, e Tito Jácome com Antônio Bezerra, que completaram o pleito. Todos os candidatos a prefeito  já figuravam na política local. Tito Jácome já tinha sido prefeito de Augusto Severo, município ao qual pertencia Upanema. Silvestre Veras tinha grande influência na política da região, e Vicente Rocha, que encerrava seu mandato de vereador, também naquele município, representando o então povoado de Upanema. Apenas Vicente Rocha tinha moradia fixa no novo território upanemense. Este figurava como favorito, porém, com a falta de entendimento político com o grupo que apoiou a candidatura de Tito Jácome, Vicente Rocha assistiu a vitória do seu maior concorrente, Silvestre Veras, acontecer.

A administração de Silvestre Veras e João Francisco, por ser a primeira administração democrática, marcou uma nova etapa político-organizacional do município. Os upanemenses puderam acompanhar mais próximo o funcionamento administrativo de um município. Nessa época, a verba municipal proveniente da União, era repassada anualmente e de um valor sem maiores proporções. O outro único recurso à disposição do executivo era as taxas arrecadadas dos feirantes por ocasião das feiras-livres e dos pontos comerciais fixos. As obras de maior destaque desta administração foram o calçamento do centro da cidade, formado por duas ruas principais e a primeira quadra de esportes. A prefeitura não possuía quadro de funcionários legalmente estabelecido, muito embora a educação e a arrecadação municipal eram de responsabilidade da prefeitura e, portanto, os professores e fiscais eram compensados pelo poder público. 

(Do livreto "Upanema: A história dos três poderes - de Distrito a cidade", de Inez Tavares de Mendonça e José Wilson Tavares Bezerra)

Silvestre Veras é também nome de escola na cidade de Paraú.

Foto de Silvestre Veras em www.imagensdeupanema.blogspot.com

COSTUMES ANTIGOS

O café da manhã - O café da manhã não era café. É o título de um dos capítulos do livro "Só é velho quem quer", de Thomas Morgan, escritor estadunidense.

O depoimento que o escritor americano dá sobre sua avó é parecido com o de muitas pessoas daquele tempo entre nós e outras décadas depois, ressalvadas algumas poucas diferenças:
...Quando viviam no campo, desde crianças, alimentavam-se pela manhã cedo com um copo de coalhada, broa de milho e duas bananas maduras, indo em seguida para o campo, plantar, colher, enfim, desenvolver as atividades da época. Convém lembrar que esta primeira refeição era feita lá pelas 4 e meia da manhã, invariavelmente todos os dias. "O sol ainda não havia saído e tido era escuro quando a gente saía para o trabalho na roça", conta minha avó. "Lá pelas 9 horas, parávamos para o primeiro descanso, bebíamos muita água, comíamos algumas frutas, às vezes bebíamos café forte e voltávamos ao trabalho até às três da tarde. Quando o sol estava muito quente, nos abrigávamos com chapéus de palha, ou embaixo de árvores. Quem ficava em casa, preparava o almoço e quando chegávamos da roça, tínhamos muito apetite. O trabalho era duro e a gente comia o suficiente."
Quer saber o que a família de minha avó fazia logo após limparem a louça do almoço? Dormiam por uma hora ou mais, embalados pelo gostoso vaivém das redes aramadas na varanda. Bebês no colo dos pais, e os mais velhos deitados em esteiras no assoalho da casa. todos tiravam a famosa madorna, que nada mais era que uma gostosa sonolência, quase infantil.
Quando despertavam, o sol já estava se pondo. Era a hora de molhar as plantas na horta, jogar o último milho para as galinhas e prepararem o café da noite. (Só é velho quem quer, página 70, 71 e 73)

A MULHER COM DUPLA JORNADA - Observamos que a mulher naquele tempo já tinha dupla jornada ou mais de trabalho. Se precisasse trabalhar fora, ela ia. Testemunhei no meu tempo as mulheres ajudando os maridos na roça ou em outro trabalho, como cuidar dos animais.

VOLTA DO LATIM 
Ditongos - Os ditongos que usam em latim são; ae, oe, au; poucas vezes se encontram heus, heu, eheu, ceu, seu, neu; ei dó aparece na interjeição hei. Ae provém de ai (arcaico) e oe de oi. Gramática latina para os ginásios do Brasil - José Ladislau Peter)
O ditongo é um encontro de uma vogal e semivogal ou uma semivogal e uma vogal numa mesma sílaba. Alguns ditongos em português: ai, au, ie. Caixa, degrau e série.
O latim deixou para nós falantes da língua uma herança cultural muito grande. Está viva no português histórico, dizia meu professor de latim.

HUMOR
Muito irritado após a reunião de pais e professores no colégio, o pai reclama com o filho:
- Eu faço um sacrifício enorme para pagar a sua escola e a professora me diz que dos 20 alunos da sal você é o pior!
- Pô! a situação podia ser pior, né, pai?
- Pior?!
- A sala podia ter 40 alunos!
(Seleção de Seleções)



sábado, 8 de janeiro de 2022

QUE PALAVRA!

Carrancismo - Comportamento de quem é ignorante ou de muita opinião. Opinioso. 

O Calepino Potiguar traz carrança: passadista, retrógrado.

Carranca - rosto sombrio, cara feia, cenho carregado. (Dificuldades da língua portuguesa, de Cândido Jucá Filho).

Para definirmos a palavra carrancismo precisamos dar contorcionismos nas palavras. Quem faz a cara feia constantemente é fechado para novas opiniões, é retrógrado e ignorante.


PROVÉRBIO

Peixe grande papa peixe pequeno.

NORMAU

O normal é algo de acordo com as normas estabelecidas previamente pela sociedade. Algo universalmente aceito. Entrar à esquerda, quando está estabelecido e indicado que é preciso entrar à direita, sai do normal e entra no normau.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

INFLUENZA

Do italiano influenza - Gripe contagiosa, epidêmica (Minidicionário Silveira Bueno).

Gripe - Afecção infectocontagiosa causada pelo virus ARN  da família orthomyxoviridae (vírus influenza). Os sintomas mais comuns são calafrios, febre, dor de garganta, dores musculares, cefaleia, tosse, fadiga e mal-estar. Pode causar pneumonia, particularmente em crianças pequenas e em idosos. (Dicionário de termos médicos, enfermagem e radiologia)

A gripe está de volta, como em todos os anos neste período. O jeito é cada um cuidar de si. Tem a vacina, o repouso, a bebeção de líquidos, et cetera coisa e tal. Não se faz necessário alarde. No próximo ano tem de novo, e de novo no outro ano e de novo...

PROVÉRBIO

Peixe cascudo tanto anda como nada.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

MATRÍCULAS

Seguem as matrículas no colégio Alfredo Simonetti para quem vai renovar. Começaram ontem e vão até amanhã.

Para os alunos novatos  - dia 31 de janeiro.

PROVÉRBIO

Peixe arisco não morre pela boca (Amazonas).

quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

MOTIVAÇÃO

Não há motivação que motive um alguém que não se dispõe a mudar.

Os hábitos são arraigados com profundas raízes que não podem ser quebradas facilmente.

Os maiores motivos não motivam quem não se dispõe a mudar.

PROVÉRBIO

Pedra que muito rola não cria limo.

terça-feira, 4 de janeiro de 2022

PROVÉRBIO

Pedra que muito rola não cria bolor.

POESIA

Alegria

A alegria do verde
Tem nome e causa
Ele recebeu porções
De alimento natural
Vindo de cima
Leve ou pesado
Tão benéfico ao clima
Que mudou o visual.

O NORTE FALA

O Norte fala em muitos aspectos. Quero um norte. Quando há barras no norte pela manhã, chuva na certa naquele dia. Assim observa os experientes observadores do tempo.


segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

MAIS UMA

Foi de 13mm a segunda chuva de ontem.

PROMESSA

O início do ano promete. Promete um ano de muita chuva. Já contabilizamos trinta e nove milímetros em duas tardes.

PROVÉRBIO

Pau seco não dá embira nem corda velha dá nó.

QUINZE

Foi de 15mm a precipitação pluviométrica de ontem pela tarde.

RETROSPECTIVA

O corona foi mais uma vez o centro das atenções no ano que findou.

No ano que inicia tomara que ele perca para outros assuntos. Provavelmente as eleições e a Copa de Futebol abafem sua existência.

ÁGUA

ÁGUA - É essencial para a vida. Está presente na maior parte dos alimentos e serve para o transporte de elementos nutritivos até as células. Composto químico de hidrogênio e oxigênio (H2O), representa dois terços do corpo humano e cerca de 75%  do protoplasma, que envolve o núcleo da célula. Eliminada como resíduo  por sistema urinário, glândulas sudoríparas, pulmões e intestinos. No ambiente, pode servir como veículo de bactérias patogênicas: febre tifoide, cólera e diarreia. (Dicionário de termos médicos, enfermagem e radiologia).

No período chuvoso, estejamos com o sinal de alerta para não descuidarmos do uso regular da água, assim como agimos no período quente. 

No tempo frio, não temos vontade de tomarmos água. Daí o alerta para que bebamos, mesmo que não estejamos com sede.

domingo, 2 de janeiro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

PRIMEIRA CHUVA DO ANO - Vinte e quatro milímetros a boa chuva de ontem pela tarde. Em Santa Quitéria, seis.

VOLTA DO LATIM - A nossa língua, bem como a francesa, espanhola, italiana e mais algumas são filhas do latim e por isso chamadas neolatinas.
Precisamos conhecer o latim para bem saber a nossa língua.
Letras - a língua latina possui 23 letras: a, b, c, d, e, f, g ,h, i (j), k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u (v), x, y, z.
Os romanos davam às consoantes j(i) e v(u) os mesmos caracteres que às vogais i e u. Hoje essas vogais e consoantes bem se distinguem na escrita.
Y e z não pertenciam ao primeiro alfabeto romano e apenas aparecem em palavras de origem grega introduzidas no latim. 
É de notar que entre os romanos não se fazia distinção de caracteres maiúsculos e minúsculos. (Gramática Latina - José Ladislau Peter) 
O latim já foi disciplina no ginásio - hoje Ensino Fundamental II. Sem dúvida, o latim bem ensinado e bem estudado ajudaria os alunos a compreenderem melhor o português. Sua volta é coisa muito difícil, mas que seria salutar e interessante, não tenho nem um pouquinho de dúvida.

INTERNET DE ANTIGAMENTE - Vamos imaginar que um estudante, professor ou qualquer pessoa quisesse naquele tempo - anos oitenta pra trás - saber mais sobre o abacaxi, ele só teria informação segura através de algum livro, de uma pessoa sábia ou num dicionário ou enciclopédia. Esta era a "internet" de antigamente, pois numa enciclopédia encontramos informações valiosas sobre um assunto. Procuraria uma numa biblioteca e faria a pesquisa. 
Abacaxi - (Do tupi iba-cati) Ananas sativus. Planta originária da América tropical, cultivada em muitas regiões quentes. Produz frutas de polpa açucarada e saborosa. Atinge a altura de 50cm. (Família das bromeliáceas.) Fruto grande desta planta, de forma oblonga, com um buquê de folhas espinhosas em sua parte superior. Gíria - complicação, dificuldade. Jornalismo - Matéria desinteressante mas de publicação inevitável. (Grande Enciclopédia Larousse cultural, volume 1)

IDEIAS DE PIERLUIGI - Estudar em cima da hora é um erro grave. Poderá até tirar uma boa nota, mas não aprende. Os dados obtidos próximos à prova logo se dissolverão na mente. No outro dia n]ao sabe de mais nada. O certo é estudar todos os dias, longe dos exames. 

BELISÁRIO - Desde criança, Belisário demonstrava curiosidade pelo funcionamento de tudo. Para satisfazer essa curiosidade, desmontava os brinquedos para ver como eram por dentro. Desmontou, certa veza, o relógio-despertador. Depois, um rádio. Depois, um toca-discos e um toca-fitas. Tudo ficou imprestável pela falta de ferramentas e de habilidade. 
Já na adolescência, Belisário dirigiu suas atenções para o televisor e para o motor do carro, ambos salvos pela interferência providencial dos pais.
Não admira, portanto, o alvoroço da família quando Belisário, encarregado de ficar cuidando do sobrinho pequeno na casa da irmã, disse a ela pelo telefone:
- Você sabe por que o Zenóbio ainda não fala? (Reinaldo Mathias Ferreira)

HUMOR - Nas vésperas do fim do ano o delegado queria ser tolerante. Aí lhe trazem um sujeito preso em flagrante:
- O que você andou aprontando? - Pergunta o delegado.
- Olha, seu delegado, coisa de nada. Eles me prenderam por conseguir os presentes de Natal com antecedência. 
- Mas isto não é crime. com que antecedência você conseguiu os presentes?
- Olha, seu delegado, esse é o problema: foi antes de abrirem a loja! (Seleção de "Seleções")


sábado, 1 de janeiro de 2022

APRECIAÇÃO

Apreciação de uma obra de arte, de uma ventania, de uma chuva. 

Tudo da natureza é bom para apreciação.

CAI CHUVA

Cai chuva agora na cidade. Referenda, digamos assim, aquilo que observa o homem do campo nas visões de suas experiências.

IDEIAS DE PIERLUIGI

Pierluigi Piazzi era um professor italiano e naturalizado brasileiro. 

Ensinou muitos alunos brasileiros a tornarem-se estudantes. Num português mais fácil, Pierluigi ensinou como o aluno deve usar corretamente a inteligência como ferramenta de estudo. A esmagadora maioria dos alunos estuda de maneira errada.

Pierluigi dá algumas dicas. 

Primeira dica - Aula dada hoje, aula estudada ainda hoje. Aula dada pelo professor na sala. Aula estudada em casa pelo aluno. Na escola o aluno entende. Em casa o aluno aprende.


AGRIPINO E OS CALUNGAS

Com a manchete sugestiva "HOMEM VOLTA A BOTAR BONECO", O Jornal de Upanema publicava uma matéria sobre Agripino. O foco era sua arte de bonecos ou calunga.

Em Upanema o primeiro teatro de bonecos foi exibido nos anos 70, e era feito por um senhor vindo de outra cidade. O "bonequeiro" Antônio Agripino da Costa é responsável hoje pela divulgação e perpetuação dessa arte milenar. Tendo abandonado há aproximadamente quatorze anos por achar que os desenhos animados da TV iriam competir com os seus bonecos, Agripino volta ao ofício de representar por trás das cortinas, depois de ter tomado uma injeção de ânimo da equipe do Jornal de Upanema.

Um evento em abril de 2004 fez relembrar os tempos em que os calungas era diversão na cidade. Agripino foi a principal atração naquele dia. Faleceu no dia 25 de dezembro próximo passado.

Veja a matéria completa e com imagens no blog www.imagensdeupanema.blogspot.com.

DIA DE EXPERIÊNCIA

Primeiro de janeiro é dia em que os observadores da chuva ficam de olho, logo cedo, na barra do horizonte.

Vamos ver o resultado do olhar deles. Será que vai chover muito ou pouco? A olhada de hoje dirá.

QUE PALAVRA!

Cefaleia - Dor de cabeça (Aurélio)

O mesmo que cefalalgia. É o que diz o Dicionário de termos médicos, enfermagem e radiologia.

A palavra cefaleia foi uma das que perdeu o acento agudo em cima do segundo e, por causa do novo acordo ortográfico celebrado entre os países que têm a língua portuguesa como oficial.

A regra diz que os ditongos ei e oi das palavras paroxítonas não serão mais acentuados. Ideia, assembleia, estreia, estão dentro da mesma regra.

É uma palavra de origem grega.

PROVÉRBIO

Passarinho que não sabe voar depois de grande a queda é feia se jogar seu corpo no ar.

VEM DEZEMBRO

Como diz a canção "Vai , meu irmão", interpretada por Antônio Marcos, vem dezembro e eu cansado. Pois é. Já chegamos em dezembro d...