terça-feira, 31 de outubro de 2023

AOS QUE FARÃO ENEM

Todas as dicas são importantes, até para os que não estudaram muito.

Cada ponto vale muito. É suado, sofrido. Vale muito, se considerarmos que não haja muitos concorrentes pra valer.

Se não for dessa vez, que bote a mão na massa no próximo ano!

MARQUE

Marque a alternativa correta em que não aparece uma metáfora:

- A vida é um combate
- Mas vejo aquele cujo olhar são pirilampos
- O pranto é silencioso como uma bruma
- Um coração sem amor é um corpo sem alma
- O meu amor é um barco
- Aquele menino é uma estrela 

PROVÉRBIO

Velho só vinho, ouro e conselho; e novo só moça, hortaliça e ovo.

segunda-feira, 30 de outubro de 2023

QUESTÃO GRAMATICAL

(UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA) Assinale o item que só contenha preposições:

a) durante, entre, sobre
b) com, sob, depois
c) para, atrás, por 
d) em, caso, após
e) após, sobre, acima

ESCOLA

O que mudou

Antigamente ia para a escola quem queria ou podia. O comprometimento era maior e tinha o apoio firme da família como educadora quase exclusiva dos filhos. A voz do professor era a voz dos pais na sala de aula.

A culpa era exclusiva dos alunos quando havia fracasso.

Hoje há uma peneira que peneira os melhores, ou seja, os que estudam mais.

No fim das contas, tudo continua na mesma. No passado, a seleção era feita quase na matrícula. Eram poucos o que iam para a escola contra a vontade.

E olhem que a reprovação era mais fácil de ocorrer, visto que o fracasso em uma matéria, anulava todas as que tinham tido sucesso.

Mudou a facilidade do acesso, mas não o conjunto da obra.

Eita, mundo véio complicado!

LÍNGUA DA AMAZÔNIA

Abagulho - S.m. Bagulho. Junte os seus abagulhos e vá embora. (Dicionário da Língua Popular da Amazônia, de Paulo Jacob)

Bagulho, segundo Silveira Bueno, é diminutivo de bago, supondo-se em latim bacuclum, de 'baca,' baga, bago. Semente de romã. A semente que está no bago da uva. Coisa sem valor, triste.

O sentido de abagulho ou bagulho é o terceiro definido pelo lexicógrafo Silveira Bueno: coisa sem valor.

Aqui no Nordeste também dizemos "trastes", "cafiotes", "muafos", "cacarecos".

Que língua rica essa a portuguesa! Faz bem estudá-la.

PROVÉRBIO

Velho é o que já está de si desencaminhado.

domingo, 29 de outubro de 2023

DOMINGO

As formigas fogem com medo do alagamento que se apresentou rapidamente. Raivosas que são, tratam logo de atacar ferozmente ou couros de quem se aproximar.

A fugida foi rápida e estratégica para salvarem as vidas, que são tão efêmeras. As que puderam subir em folhas ou até na árvore - local onde sua casa estava edificada - trataram logo de agir, pois não havia tempo para pensar em outra coisa.

VOLTE SEMPRE!

Todo mundo diz que o bom atendimento num comércio é o que mais conta de positivo para os clientes. Ganha para o preço baixo e para a qualidade do produto.

Há um "volte sempre" na porta de saída de alguns estabelecimentos comerciais e às vezes é dito pelo balconista. Há também o "obrigado" básico.

Obrigado também faz parte do "pacote" do bom atendimento, mas um simples obrigado não dito de forma adequada, não serve muito, mas é melhor do que nada.

O "volte sempre" é mais interessante quando fica ecoando na mente do comprador, mesmo sem ser dito ou escrito. É um "volte sempre" como resultado do bom atendimento naquele lugar.

PONTUAÇÃO

Uso da vírgula - Usa-se a vírgula para separar os termos de uma série quando não estejam ligados pela  conjunção e:

O mestre, o magistrado, o professor. Todos devem falar bem.

FOCO PEDAGÓGICO

Ensino. Escola é local de cultura. Falas e jeito de falar diferente. Em casa não precisa de professor. Aprende-se ouvindo.

Os pontos acima são pedaços de ideias para podermos refletir melhor sobre o atual cenário da escola pública.

O Ensino-aprendizagem se for o eixo por onde gira o sistema escolar, teremos resultados positivos no futuro. 

São os conteúdos que caem em exames - seja em vestibulares, Enem ou concursos públicos. 

Escola é lugar, para não dizermos templo do ensino e cultura. Melhor que seja a alta cultura.

Quanto à linguagem, deve a escola focar na formal e muito formal. A informal aprende-se em casa com o pai, mãe, irmãos mais velhos, vizinhos e amigos da família.

Cabe à escola ensinar a formalidade. 

Não esqueçamos de uma coisa: grande parte das ocupações exigem o falar formal. Não tem para onde correr.



sábado, 28 de outubro de 2023

QUE PALAVRA!

Cabrito

Animal de pelo, geralmente branco, com cornos, cascos duros. Tem muita habilidade para subir morros e para saltar. Come ervas. Titio tem um cabrito no sítio. (Dicionário Didático de Português)

O filhote da cabra; chibato. (Cândido Jucá Filho)

Filhote de cabra; bodinho; criança irrequieta. gritadeira, importuna. (Silveira Bueno).





sexta-feira, 27 de outubro de 2023

DE GRAÇA

A aragem do final das tardes contrasta com o calorama quotidiana, repisada  há meses durante as tardes.

Vejo isso durante as minhas quase seis dezenas de existência. Não é pra tanto - quase uma hipérbole - porque ainda rebento não tinha o tino para compreender acerca de esquenturas e esfriagens.

Feito o volteio à guisa de parênteses, volto à aragem  vespertina.

Ela é sempre bem-vinda e até nos faz esquecer do que ocorre na tarde. Além de agradável, é de graça.

PROVÉRBIO

Velho abandonado não foi moço ajuizado.

quarta-feira, 25 de outubro de 2023

CELESTE

É o azul do céu que nos apresenta agora. Limpo, limpíssimo semelhante a um coração puro.

A ausência de nuvens não deixa de ser belo, mas pode trazer desesperança para quem sempre olha para o céu com esperança de que de lá venha chuvas para molhar o chão e trazer fartura e menos calor.

Quando está celeste, o azul, junto com a quietude do virar da manhã, fornece instantes de apreensões no espírito de quem se apreende com com pouca coisa.

É o azul que azula as mentes, colorindo-as, muitas vezes sem que percebamos.

PROVÉRBIO

Quando Deus quer, o remédio é água fria.

terça-feira, 24 de outubro de 2023

UMA VELA ACESA

Um vela acesa lá fora onde o vento bate a todo instante.

Um alguém vulnerável (uma criança, idosíssimo, etc) que anda num trânsito numa cidade grande.

Uma formiga diante de pé calçado com uma grande bota.

A vida da gente é isso. A qualquer segundo deixa de existir.

PROVÉRBIO

Uns nascem com estrela (sorte); outros estrelados.

domingo, 22 de outubro de 2023

DOMINGO

Em todo finalzinho de dezembro, muitas pessoas têm o hábito de fazerem promessas a si mesmo e até fazem listinhas daquilo que querem deixar ou começar a fazer.

Quando se trata de saúde e ligado a alimentos e maus hábitos, não deveriam as pessoas esperarem que chegue dezembro. 

QUAL O VALOR DE CONHECERMOS O ORIGINAL DAS PALAVRAS?

Enriqueceremos nosso vocabulário. Isso basta.

GRAMÁTICA

A "gramática" popular ou linguagem informal é possível, cabível e até adequada e até certo em certos momentos.

Se alguém diz que esteve em Natal na semana que passou, bem que poderá dizer que "tive em Natal na semana que passou", porque o sentido é do verbo estar, mesmo que tenha usado o verbo ter. Já em ambientes ou em momentos mais formais, não é adequado tal uso. Se assim fosse, estaríamos desprezando de vez a formalidade e a escola, que deve priorizar a linguagem formal, deixaria de ter sentido.

sábado, 21 de outubro de 2023

UPANEMÊS

Palavras e termos usados em outras partes do Nordeste que não são nossas. Algumas são usadas diferente daqui. Então, ponho uma breve explicação no final de cada definição.

Palavras e expressões nordestinas pesquisadas e dicionarizadas pelo paraibano de Campina Grande e radicado em Maceió: Gilberto Albuquerque, a partir de textos colhidos da internet a aprofundada pela vivência pessoal.

DICIONÁRIO DE TERMOS NORDESTINOS

A MIGUÉ- À toa, relaxado, largado, sem interesse

ABUFELAR - Agarrar pela gola, agredir. Aqui tem o significado de perder no jogo.

ABULETADO - Pessoa que ocupou um espaço tomou conta do" pedaço" (fulano aboletou-se na casa de sicrana e não sai mais);

ACUNHAR - Chegar junto.

ADULAR - Agradar, bajular. Fazer a vontade de alguém

AFEIÇOADO - Pessoa bem aparentada (bonita, arrumada);

ALFININ - Espécie de rapadura.

AMOLEGAR - Apalpar ou apertar um corpo mole ou uma parte dele.

AMOSTRADO - Quem mostra que tem dinheiro ou poder. Aqui também diz-se de pessoa que gosta de aparecer, ser visto. Gosta sempre de estar nos lugares públicos para ser apreciado. Chega num lugar e fica dizendo palavras e contando histórias.

ANDE TONHA! - Expressão popular que indica o ato sexual. Dizemos "Ai, Tonha!" também num sentido sexual.

APETRECHADA - Dotada de beleza física.

APRUMADO - Arrumado, bem vestido, bonito, de bons modos. Também significa alguém  que se deu bem na vida.

ARIAR A FIVELA - Dançar apertado, ralabucho.

ARRETADO – Bom, legal, perfeito. Também é alguém que está irritado.

ASSUSTADO - Baile caseiro programado pelos jovens na casa de um deles; tertúlia. Tertúlia era uma festa noturna que ocorria aos sábados ou domingos no extinto Clube Municipal.

AZULAR – Dar o fora.

BALAÇAR A TANAJURA - Dançar.

BALEADEIRA - Baladeira, atiradeira, bodoque, estilingue.

BAMBA - Cambaleante. Sem equilíbrio. Não tem esse significado por aqui. "Bamba" ou "bambo" é quando acerta-se em algo sem querer. Se alguém joga uma pedra e acerta sem querer, foi no "bambo" ou "bamba".

BANANA - Parte do boi conhecida no Sudeste do Brasil como lagarto.

BANCA - Aula particular fora do curso regular. Reforço escolar

BANGÜÊ - Caixa retangular com 4 cabos de madeira para transporte de materiais de construção.

BANHO SAPECADO - Banho rápido e incompleto.

BARNABÉ – Funcionário de prefeitura.

BARNEI - (bá) Pessoa nova no lugar.

BARRÃO - Porco novo usado como reprodutor.

BARREADO - Confuso, sem saber o que fazer ou o que dizer.

BASCULANTE - Vitrô.

BATATA-DO-REINO - Batata.

BATER SETE FREGUESIAS - Andar por vários lugares.

BEBER COM FARINHA - Ingerir bebida alcoólica demais.

BEBEU - (bébéu) Boneca de pano. "Bebéu" é usado como interjeição: "Bebéu"!, ou seja, passou-se.

BEREU - Zona; baixo meretrício; cabaré. Aqui no lugar do e, usa-se o o: Borel.

BEZERRO - Contração voluntária ou involuntária na vagina, semelhante a um bezerro mamando.

BIGU - Carona, condução gratuita.

BILA - Bola de gude. Chamamos "biloca" também.

BILOTO - Botão.

BIQUEIRO - Que come pouco.

BISNAGA - Pão comprido de forma cilíndrica e com as pontas finas.

BOCA-BANCA - Atitude boçal.

BOCA-DE-SUBACO - Pessoa muito calada, bicho do mato.

BOÇAL-BANQUISTA - Pessoa pedante. Só "boçal". Não usamos o "banquista".

BOCAPIO - 1. Sacola grande feita com palha. 2. Atraso na vida. Pedir esmola.

BODOSO - Bacana, arrumado.

BOGAR - Surgimento de uma bolha na pele.

BOLA DE ASSOPRO - Balão, bexiga. Bola de gás usada em decorações de festas.

BOLA DE MARRAIA - Bola de marraio. Bola de gude. Bolinha de vidro usada pelas crianças para brincar.

BOLA DE MARRAIO - Bola de gude. Bola de vidro usada pelas crianças para brincar.

BOLACHA DE GOMA - Saquarema. Biscoito, achatado e seco, feito com polvilho.

BOLACHÃO FOFO - Biscoito feito com farinha de trigo, açúcar, sal e margarina.

BOLACHÃO SECO - Biscoito feito com farinha de trigo, açúcar, sal, margarina, leite de coco, canela em pó e cravo moído.

BOMBA DE BREU - Artefato pirotécnico usado nas festas juninas.

BRANCHUR - "Filosofo" muito citado no Ceará.

BREFAIA - Bagulho, porcaria.

BREGUESSO (BREGUÉSSO) - Objeto sem valor.

BRIDE -  Brida, rédea. Ferro colocado na boca do animal.

BROCA DO ZUVIDO (bró) Pé do ouvido.

BRÔCO - Amalucado, abobalhado, desorientado, esclerosado.

BRONQUEIRO – Pessoa que gosta de confusão

BUCHA - Comida que alimenta pouco, mas pesa na barriga.

BUCHO - Barriga. 2. Pessoa muito feia. Como pessoa muito feia não usamos por aqui.

BUCHO CHEIO - Barriga com bebê 2. Barriga cheia de comida ou bebida. Não usamos no primeiro sentido.

BUJÃO – Niple (Plug). Peça de metal ou plástico usada bloquear a boca do cano.

BULIR - Aborrecer, brincar, caçoar, incomodar. 2. Agitar, mexer, tocar em algo. Aqui acrescentamos o sentido de "tirar a virgindade de alguém.

BUNDA CANASTRA – Maria escombona. Virar de ponta cabeça. Dizemos "Bunda canaça".

BURACAJU - Apelido dado à cidade de Aracaju quando está com muitas ruas esburacadas.

BUSCA-PÉ - Artefato pirotécnico, preso a uma pequena haste de madeira que sai em ziguezague rente ao chão até estourar.

CABEÇA-DE-FRADE - Obstáculo de cimento em forma de meia bola para impedir o trânsito.

CABEÇA-DE-PREGO - Furúnculo.

CABELUDO - Pão-doce feito com coco.

CABRUNCO - Carbúnculo. Coisa ruim.

CABRUNQUENTO - Coisa ou pessoa ruim.

CACETE-ARMADO - Bar ou restaurante pequeno com pouco asseio e de baixíssima qualidade.

CACETINHO Biscoito de forma cilíndrica como um dedo.

CACHADO Cacheado. Cabelo ondulado.

CACHETE (ché) Carretel com linha de costura. Retrós. Aqui os mais antigos dava sentido à palavra como uma palma de comprimidos.

CACHIMBEIRA – Parteira.

CACUMBI -  Grupo folclórico formado só por homens que dançam em homenagem aos santos padroeiros dos negros, São Benedito e Nossa Senhora do Rosário.

CAIR CACAU - Chover.

CAIXÃO - Caixão 1. Batente. Peça de madeira onde a porta ou janela se encaixa ao fechar. 2. Algo perigoso que pode causar algum problema ou a morte. O segundo significado é usado entre nós.

CAJURANA - Homem vestido de mulher em festa pré-carnavalesca.

CALIBRADO – Meio tonto.

CALIFOM - Sutiã.

CALUNGA - Camundongo. Rato muito pequeno.

CAMBAIO - Que tem as pernas arqueadas para dentro.

CAMBALAFOICE - Amante, namorado.

CAMBAPÉ - Rasteira.

CAMBOTA – Pés separados (10 para 3).

CANELAU - gente pobre, plebe rude.

CANGUINHAS - Avaro, mão-de-vaca, somítico.

CÃO CHUPANDO MANGA - Corajoso, competente. Aqui dizemos que é gente feia.

CAPA-DE-SELA -  Amante.

CAPOTE - Casaco. "Capote" é uma vitória esmagadora, seja no baralho, no futebol ou na política.

CAPUCHO (CO) - Sabugo. Espiga de milho sem os grãos.

CARNE MOQUEADA - Carne defumada e salgada.

CARRAPICHO - Pão doce coberto com pequenos pedaços de coco.

CARREGADO - Pessoa complicada ou comida de difícil digestão. Aqui usamos com o sentido de um alimento que faz mal.

CASA-DA-PESTE - Lugar afastado, distante, de acesso difícil.

CASADINHO -  Biscoito pequeno recheado com goiabada.

CASA-DO-CHAPÉU - Lugar muito distante ou desconhecido.

CATENGA - Lagartixa escura.

CATOTA – Meleca.

CHABU - Falha na explosão de fogo de artifício.

CHÁ-DE-BURRO - Canjica. Mungunzá. Mingau de milho branco. Cozido com leite de coco ou de vaca, temperado com sal e açúcar.

CHÃ-DE-DENTRO - Coxão mole. Carne da parte interior da coxa do boi.

CHAPARIA - Funilaria, lanternagem.

CHAPÉU DE TOURO - Chifre.

CHAPULETA – Cabeça do pau, Anel

CHEI DOS PAU - Bêbado.

CHEIRADA - Quando o jogador não acerta a bola; furada.

CHINFRIM - Vagabundo, sem valor.

CHOPARIA - Choperia. Local onde se serve chope.

CHUCHAR - Cutucar, pulsar.

CHULIPA - Tapa na orelha com um dedo no sentido vertical.

CHUPETA - Menino chorão.

CHUVINHA Chuva de prata. Chuva pirotécnica. Um tipo de artefato pirotécnico.

COCADA-DE-AMENDOIM - Pé de moleque. Doce duro, feito com açúcar e amendoim torrado.

COCÓ - Tocaia.

COCOREU - Confusão, rolo.

COMBROGÓ - Cobogó. Elemento vazado de cerâmica, cimento ou vidro, usado na construção de paredes com entrada para luz e ventilação.

COMER ÁGUA - Tomar cachaça (Expressão muito usada na Bahia).

COMO O QUÊ? -  Demais. Ex Você fala como o quê!

CONCHO Confiante em si, vaidoso.

CORDÃO CHEIROSO - Fio de barbante impregnado com um produto que exala um cheiro desagradável ao ser queimado.

CORRALINDA - Coisa linda, pessoa bonita.

CORTINADO – Mosquiteiro. Cortina ou rede fina colocada em volta da cama para proteger dos mosquitos.

CORUJA - Pipa, papagaio.

CRANCO - Cancro. Coisa ou pessoa ruim.

CRICRI – Chato, Insistente, Pentelho.

CRUZETA - Cabide para camisas e calças. Também pode ser pessoa enrolada, complicada.

CUNHÃ – Neguinha

CURUBAU - Ver Canelau.

CUSTOSO - 1. Algo demorado. 2.Criança manhosa. Usamos no primeiro sentido.

DAR CHABU - 1. Dar errado, falhar. 2. Defeito em fogo de artifício.

DAR GASTO - Consumir, usar.

DAR O MAIOR 10 - Gostar muito.

DAR TRANCO - Dar bronca. Dar carão. Repreender.

DE BELEZA - (gíria) De graça.

DE MATAR O GUARDA Bom, Gostoso.

DEFORETE – Escapada. (Vou tomar um deforete, mudar de vida, escapada)

DESCABRIADO - Desconfiado, que não confia em algo ou alguém.

DESGRACEIRA NO CAMINHO DA FEIRA - Confusão, lasqueira, quiprocó.

DESGRAMA - Desgraça.

DESPAMPARAR - Desgovernar. Perder o controle.

DEU A BOBÔNICA - Encrencou; a coisa pegou.

DEU MANDÚ - Deu problema, pegou, agora fodeu

DEU O BUTE - Agora encrencou, nem para frente nem para atrás.

DIABINHO MALUCO - Um tipo de busca-pé (artefato pirotécnico) pequeno, sem bomba, usado nas festas juninas, principalmente pelas crianças.

DOR-DE-FACÃO - Dor-de-veado. Dor pontiaguda e forte que se manifesta do lado direito do abdome, na altura do baço, resultante de algum esforço físico intenso.

DOR-DE-MULHER - Cólica menstrual.

DOR-D'OLHOS - Dor nos olhos causada por afecções (conjuntivite).

E FOI, FOI? - É mesmo?

É O BRINCO - Expressão idiomática que quer dizer que uma coisa é muito estimada. "Está um brinco" por aqui quer dizer algo que está bem limpinho.

É O MENOR PREÇO? Frase usada pelo freguês para pechinchar.

É PINTO – É moleza, fácil.

ENCAPOTAR - Colocar capa ou casaco

ENGODO - Isca para pescar camarão. "Engodo" aqui é engano.

ENGROSSANTE - Gogó. Creme ralo feito com leite, farinha de mandioca, amido de milho ou creme de arroz servido em mamadeira.

ENJEITAR - Abandonar, desprezar, recusar, rejeitar. Ha´por aqui o bezerro enjeitado que é o animal que foi criado aos minos.

ENTERTELA - Entretela. Pano enfiado entre o forro e o tecido de uma roupa. Geralmente é usado no pescoço ou na cintura.

ENTERTELADO - Entretelado. 1. Bem arrumado, com gravata, com a gola da roupa apertada no pescoço. 2. Com pano enfiado entre o forro e o tecido de uma roupa. Geralmente, o pano é usado no pescoço ou na cintura.

ENTRONCHADO - Torto.

ENTRONCHAR - Desalinhar, entortar.

ENTROUXADO - Amontoado, bagunçado. Como uma trouxa de roupas.

ESGARÇAR - Abrir, desfiar o tecido.

ESPADA - Artefato pirotécnico preso a uma haste de madeira, que é usado como arma na guerra de espadas realizada durante as festas juninas.

ESPIRITADO - Escandaloso. Extrovertido.

ESQUENTE – Moletom, malha de ginástica; Jogging.

ESTROVENGA - Um tipo de foice pequena de dois gumes.

ESTRUPÍCIO - Pessoa enrolada, mulher feia.

ESTUPOR BALAIO - 1. Infarto. Morte. Paralisia repentina. 2. Pessoa feia. 3. Expressão usada quando a pessoa se irrita com algum objeto ou alguma situação.

ESTUPORADO - Estragado, gasto, em mal estado.

ESTUPORAR - 1. Consumir ou gastar muito. Desperdiçar dinheiro. 2. Sair com pressa.

ETA-PEGA - (Êta-pêga) Expressão usada quando a pessoa se espanta ou tem uma surpresa.

FALAR MAIS QUE A PRETA DO LEITE - Falar muito.

FARINHA-DO-REINO - Farinha de trigo.

FAZER ESPÍRITO - Fazer escândalo.

FAZER HORA COM A CARA - Fazer gozação.

FAZER MERCADINHO - Fazer compras no supermercado.

FECHICLER - Ziper. Aqui dizemos "fleche".

FEIRA DE SULANCA - Feira de artigos baratos. Feira onde se vendia roupa de helanca.

FI, FIO OU FILHO DO CABRUNCO - Coisa ou pessoa ruim.

FI, FIO OU FILHO DO CRANCO - Coisa ou pessoa ruim.

FICHINHA - Chapinha, tampinha. Tampa metálica usada para lacrar a boca da garrafa.

FILHO DO CABRUNCO - Desgraçado, maldito

FITEIRO - Quiosque, banca de revista

FONICE - Avareza.

FONO - (fô) Avaro, pão-duro.

FÔRMA – Recipiente feito de barro para armazenar água; Pote.

FORROBODÓ - Confusão, algazarra, bagunça. Aqui é uma grande festa.

FREGE-MOSCAS - Bar ou restaurante pequeno com pouco asseio e de baixíssima qualidade.

FUMBAMBENTO - Desbotado. Sem cor.

FUVIAR - Fervilhar, zumbir. Zumbido produzido pelo ouvido ou por inseto.

GAITOSO - Aquele que faz os outros rirem.

GALALAU - Homem alto.

GALINHA DE CAPOEIRA - Galinha caipira. Galinha criada em casa.

GALINHA MATRIZ - Galinha reprodutora. Só é abatida quando deixa de botar ovo.

GALINHOTA - Carrinho de mão.

GATO DE HOTEL - Diz-se das pessoas que comem todo o que aparecer-.

GELADINHO - Sorvete caseiro embalado em saco plástico transparente de forma cilíndrica. Em São Paulo, é chup-chup. No Rio de Janeiro, é sacolé. Aqui é dindim.

GEROZ - (ó) Algeroz. Junção entre o telhado e uma parede mais alta.

GIGOLETE - Passadeira, diadema, arco.

GOELAR - Furtar.

GOGA - Deboche.

GOGAR - Debochar de alguém.

GOGO - (Gôgo) Escarro. Gosma. Aqui é gripe de galinha ou diz-se quando uma pessoa está gripada.

GOGÓ - Engrossante. Mingau servido em mamadeira.

GOIA - Fim do cigarro (o mesmo que Guimba, Piola, Segunda). Aqui é piúba.

GORÉ - Um tipo de caranguejo miúdo.

GOSTOSÃO - Ônibus. (denominação antiga).

GRAXEIRA Denominação pejorativa de empregada doméstica.

GRETEIRO - Indivíduo que observa pelo buraco da brecha, da greta ou da fechadura.

GRIZMELA - Magra.

GUAIAMUM - Espécie de caranguejo de cor azul.

GUARIBADA - Dar uma caprichada.

GUÊ - Letra G.

GUERREIRO - Manifestação folclórica que conta uma história de amor entre uma rainha e um índio.

HI-FI - (rai-fai) Música mecânica, proveniente de disco ou fita.

IAPÔE – É mesmo? Aqui é: E apois?

INGEMBRADO - Torto. Alguém doente é o que dizemos por aqui.

INTEIRAR - Completar. Dizemos "interar".

INVOCADO – Tá com raiva, (Também pode ser uma pessoa estranha). Conhecemos por alguém encabulado.

ISPILICUTE - Do inglês "She's pretty cute". Engraçadinha.

JABIRACA - Lenço usado no pescoço.

JACÓ - Pão francês

JANTE - Roda metálica que fica no centro dos pneus dos veículos.

JERERÉ - Puçá. Rede em forma de cone com círculo de madeira ou metal na boca. A isca, geralmente tripa de galinha, fica pendurada no centro. É usado para capturar siris.

JI - Letra J.

JUNIR - Arremessar, jogar com a mão.

LÁ NO CALCANHAR DO JUDA – Bem longe. Dizemos que é "onde Judas perdeu as botas".

LABROCHEIRA – Sem requinte. Aqui é labrojeira.

LACHADO – Partido, trincado.

LACHAR - Lascar, rachar.

LAMBRETA – Crachá de identificação.

LÂNDRIA - Caroço no corpo. Íngua. Dizemos aqui "landra". É um linfonodo, nome mais aproxiamdo do científico.

LANHAR - Arranhar. Cortar superficialmente o corpo em acidente ou briga.

LARANJA-DE-UMBIGO Laranja-da-baia.

LASQUEIRA Confusão, encrenca, estrago.

LAURÇA - Pessoa feia e vestida de forma enfeitada. (Fulana parece uma laurça);

LAVANDEIRA - Um tipo de pomba que o povo diz que lava as roupas de Deus.

LERIADO - Conversa fiada.

LETRECA - Cafona.

LEVAR UM CUSCUZ - Levar um "fora". Ouvir um "não" como resposta. Ter um pedido de dança recusado.

LEVAR UMA TABOCA - Levar um "fora". Ouvir um "não" como resposta. Ter um pedido de dança recusado.

LIGEIRINHO - Microônibus um pouco mais confortável, mais rápido e com a tarifa mais alta que o ônibus comum.

LIMALHA - Um tipo de busca-pé. Artefato pirotécnico conhecido como espada, usado em duelos durante as festas juninas.

MACACÃO - Macaco, amarelinha. Um tipo de brincadeira infantil.

MACHO REI - cara, amigo, o meu...

MALCASADO - Um tipo de biju (beiju) mais consistente. É vendido embalado em folhas de bananeira.

MALETROSO - Maletroso Indivíduo que não se veste bem, usa roupa velha, torta, não alinhada.

MALINAR - Fazer travessuras, traquinagens.

MALUVIDO – Irresponsável. Aqui é aquele que não ouve conselhos; teimoso.

MANDIBA - Caule da planta mandioca.

MANE BOFÃO - Conhecido "restauranteur" de Fortaleza, especialista em pratos finos tais como: panelada, buchada, sarrabulho, tripa de porco, rabada, sarapatel e mão de vaca.

MANGANGÃO – Chefe; Manda chuva.

MANGOTE - (ó) Engate, mangueira curta.

MANGUÁ - Mangual. Correia para açoitar animais.

MANGUAÇA - Cachaça.

MANIÇOBA - Folha da planta mandioca.

MANJA - Brincadeira também conhecida como esconde-esconde ou pega-pega.

MANJELÃO - Jambolão, jamelão. Fruta comestível que expele um corante.

MANTEIGA DO ESTADO Manteiga feita de forma artesanal.

MANUÊ - Bolo feito com milho verde e coco.

MAREADO - Esquecido.

MARINETE - Denominação antiga para ônibus.

MARIOLA - Bananada industrializada vendida em embalagem transparente no formato retangular.

MARISCOMBONA - Cambalhota, imitação de salto de ginastica olímpica.

MAROMBA - Conjunto de vagens de feijão amarradas sobre caibros.

MARRAIA - Bola de marraio. Bola de gude. Bola de vidro usada pelas crianças pra brincar.

MARUEIRO - Pessoa esperta, cheio de enrolada;

MARUIM - Mosquito-pólvora.

MASTIGADINHO - Um forró mais acelerado. Pronto.

MATA-FOME - Árvore que produz um tipo de noz pequena.

MATRACA - Cabra que fala sem parar, o tempo todo. É o ato de falar muito. É o sentido de "matraca" por aqui.

MEDECÊ - Máximo Divisor Comum.

MELOTO - (melôto) Sujeira.

MEMECÊ - Mínimo Múltiplo Comum.

MEROL - Bebida.

MIJÃO - Artefato pirotécnico usado durante as festas juninas.

MILONGA - Conversa inútil, fiada.

MININO REI AMARELO - Criança chata.

MISSE - Grampo para prender o cabelo.

MONDONGO - Tornozelo.

MONDRONGO – Galo na cabeça,

MORAR DE RANCHO - Morar de favor. Morar na residência de alguém sem pagar aluguel.

MOSQUITO - Um tipo de busca-pé (artefato pirotécnico) que não explode.

MUNDICA - Gente pobre, plebe rude.

NA TORA - À força, na valentia.

NÃO SEI O QUE E O QUE MAIS! - E outras coisas mais.

NAS BIMBOCAS - Bem longe.

NEGOÇA - Palavra usada para referir-se a algo que você não lembra ou desconhece o nome.

NEM XITE! - Nem te ligo! Nem te dou atenção!

Ô PÊGA - Expressão de espanto, admiração.

O ROTO FALANDO DO ESFARRAPADO - Um indivíduo que fala mal de outro, estando nas mesmas condições.

OLHAR O CAROÇO DOS OLHOS - Olhar dentro dos olhos. Conhecer bem a pessoa.

PACAIO - 1. Cigarro de palha. 2. Maconha.

PAGAR AOS PEDAÇOS - Pagar em parcelas.

PAGAR NA VALSA - Pagar aos poucos, em parcelas.

PAJEAR - Vigiar, tomar conta de alguém.

PÃO CILINDRO - Pão sovado (de massa fina, muito batida).

PÃO CUIUDO - (cuiúdo) - Pão adormecido, do dia anterior, murcho.

PÃO JACÓ - Pão francês.

PÃO SOVADO - Pão de massa fina.

PAPA - Mingau para criança.

PAPANGÚ - Bicho parente do lobisomem que ninguém nunca viu e se usava para assustar as crianças. Vá dormir por que se não o papangu pega".

PAPA-VENTO - Lagarto pequeno que vive na madeira.

PAPEL DE ENROLAR PREGO - Pessoa grosseira.

PASSADO - Estragado, fora da validade, vencido.

PASSAR UMA SALIVA - Mentir.

PASSA-RAIVA - Mamão.

PASTINHA - Franja.

PATETÊ - Melação ocorrida depois de uma festa, enxurrada.

PECA (Ê) - 1. Mulher estéril. 2. Fruta que nasce com defeito. cuca.

PEDRA 90 – Coisa excepcional, muito boa, cara legal.

PÉ-DURO - 1. Pessoa sem habilidade para dançar. 2. Cão sem raça definida, vira-lata.

PÊGA (ê) - Palavra usada quando a pessoa se espanta, tem uma surpresa ou uma dificuldade. Ex. Oh pega!

PEGAR NO TOMBO - Empurrar o carro para ele funcionar.

PEGAR UM VENTO - Sofrer uma hemorragia cerebral. Derrame.

PEGAR UMA APOSTA - Fazer uma aposta.

PEGAR UMAS CARNES - Engordar.

PEITICA - Amolação

PETROLHEIRO - Petroleiro

PICADO - Sarapatel, comida feita com miúdos de boi ou carneiro.

PIEGUENTO - Pessoa ou criança que aborrece, de tanto pedir ou reclamar.

PILOMBETA - Palombeta. Manjuba. Um tipo de peixe pequeno.

PINAR - Rotar, tirar sarro.

PINDAÍBA – Liso, sem dinheiro.

PINGONGO - Beirada, final.

PINTA-BRAVA - Pessoa de conduta reprovável.

PIOLA - Ponta de cigarro, guimba, goia, segunda. Ou "piúba".

PIRATINHA – Garrafa pequena de Rum Montila.

PISA - MANSO - Pessoa que pisa ou age com cuidado.

PISTOLÃO - Um tipo de artefato pirotécnico.

PITEU - Mulher jovem e bonita.

PITU - Um tipo de busca-pé (artefato pirotécnico).

POCAR - Estourar, pipocar.

POR VIDA - Constantemente, sempre.

PRA PESTE - Muito, grande quantidade. Ex.: Ele gosta de pinga pra peste.

PRAIO - Grifa. Ferramenta usada para manusear canos com rosca.

PRESEPEIRA - Pessoa saliente.

PRESEPEIO - Espalhafatoso, escandaloso.

PUBA - Massa de mandioca fermentada. Polvilho azedo.

QUE NEM UM TRAQUE –Ligeiro. Dizemos por aqui que alguém está "que nem um traque" quando está muito bravo.

QUEBRA-QUEIXO - Puxa-puxa. Cocada que gruda nos dentes.

QUEBRAR A TRIPA GAITEIRA - Gargalhar sem controle.

QUEM COM PORCOS SE MISTURA FARELO COME! - Expressão usada para dizer que a pessoa adquire os hábitos daqueles com quem anda.

QUEM GABA O SAPO É A JIA! - Pessoa que se elogia ou elogia a um dos seus.

RATA - Gafe.

RATAR - Errar, falhar.

REBORREIA - Resto, coisa que não presta.

REIMOSO - Carregado. 

RELAR A FIVELA - (é) Dançar forró agarrado.

RENCA - Grupo de pessoas.

RIO CHEIO - Pessoa que ocupa muito espaço.

RISCA-FACA - Bar ou baile onde sempre acontecem brigas.

ROLETE - Pedaço de cana descascada.

ROUBADINHA Manobra irregular no trânsito.

SABACU - Surra.

SABUGO - Flor do sabugueiro usada para fazer remédio caseiro contra a febre. Entre nós é a parte que resta da espiga de milho depois de o caroço ser comido.

SALIENTE – Atrevido.

SALSEIRO - Confusão.

SALTO SOLTO – Salto mortal.

SAMANGO - Soldado raso.

SAPO ARROCHADO – Pessoa com tórax avantajado (gordo) e as pernas finas.

SAROLHO Um tipo de beiju (biju) salgado, seco e solto.

SARUÊ - Gambá.

SE AMARRAR - Demorar, dificultar. Entre nós significa "casar".

SE LENHAR - Lanhar-se, machucar-se, dar-se mal.

SEBITE - Criança ativa, esperta, inquieta. Aqui é criança franzina.

SENTINELA - Velório.

SIBITE BALEADO - Pessoa miúda ("sibite" e um pequeno pássaro).

SOPA - Ônibus.

SUMIE - Sumilher (ê). Sofá.

TÁ CÁ PESTE – Eita porra, Tá danado

TÁ DE MATAR O GUARDA – Tá legal, gostoso (“Essa comida tá de matar o guarda”)

TABARÉU - Homem tímido ou de hábitos rústicos.

TABAROA - Mulher tímida ou de hábitos rústicos.

TABICA – Pão tipo bengala

TABOCA - 1.Bambu. 2. Decepção, negativa, recusa.

TAIEIRA - Manifestação folclórica que mescla catolicismo com crenças afro-brasileiras.

TALAGADA - Porção de bebida que se toma de uma vez.

TAMPO - Pedaço de pele cortada ou quase solta do corpo.

TARECO - Mentirinha. Biscoito redondo (3 cm) feito com farinha detrigo, açúcar, ovos e baunilha.

TARIMBA - Cama desconfortável, rude, simples, feita com varas.

TEIÚ - Pequeno lagarto verde, com manchas negras.

TEM É ZÉ - E muito difícil. "Tu ganhar de mim na sinuca? Tem É ZÉ.

TER CABEÇA-DE-ANJO Ter problema sem solução devido à de um fantasma de criança.

TERMO - Área, cidade, distrito, região.

TESAR - Teimar.

TIBUNGAR – Dar mergulho.

TOCAR A BOMBA - Falar mal de alguém.

TOCO DE AMARRAR JEGUE - Pessoa de baixa estatura.

TOMAR PRUMO - Se corrigir, se corrigir.

TOMAR TENÊNCIA - Tomar jeito.

TOTOTÓ - Barco pequeno, catraia. Tem este nome devido ao barulho do motor.

TOUREJAR - Tourear. Namorar. Paquerar.

TRANCILIM – Corrente com pingente, Volta.

TRAQUE DE BEBÉ (BÉBÉ) - Palito com um pouco de pólvora na ponta, usado nas festas juninas.

TRAQUE DE MASSA - Estalo. Papel enrolado com areia e pólvora que dá um leve estouro quando jogado ao chão.

TRATANTE – Diz-se daquele que não cumpre compromisso.

TRECHO - Quarteirão.

TUIA - Tulha. Monte de fezes.

ÚLTIMO TIRO NA MACACA - Diz-se de uma mulher que completou 30 anos e não casou.

HIFEM ARRIADO – Tecla Undescore (“_”) no teclado do computador.

VARÃO - Estrado, lastro. Grade de madeira onde se assenta o colchão.

VARIANTE - Estrada alternativa, secundária.

VERDOSO - Fruto que não está bem maduro.

VERMINOSO - Fominha (futebol).

XEPEIRO - 1. Indivíduo que vive pedindo as coisas. 2. Que vive de recursos alheios. 3. Que vai aos locais sem ser convidado.

XIMÃO - Indivíduo que olha demais para a comida de outra pessoa ou para a que está comendo.

XIMAR - Olhar demais para a comida de outra pessoa ou para quem está comendo.

XIMONA - Mulher que olha demais para a comida de outra pessoa ou para quem está comendo.

XOTAR - enxotar, expulsar, mandar embora.


quinta-feira, 19 de outubro de 2023

PROVÉRBIO

Saúde é riqueza que não se esconde, a cara não mente, aponta onde está.

ORTOGRAFIA

Os sons do x

Exame - equivale ao som de zê

Máximo - equivale ao som de cê

Enxame - equivale ao som de chê

Fixo - equivale ao som de Ks

Exceção - não é pronunciado.

Não há regra para a pronúncia do x. O jeito é estudar as palavras e pronto.






quarta-feira, 18 de outubro de 2023

DE ONDE VEM O SOCORRO

Dez entre dez pessoas não conseguem acostumar-se com essa situação, apesar de termos nascidos aqui, vivermos e aqui deixarmos de existir aqui.

Esperamos pacientemente a volta das chuvas para que aplaquem  o calor inexorável que atormenta nossas vidas.

De cima, é que o socorro virá no tempo certo, com as chuvas que não tardam.

PROVÉRBIO

Vaqueiro novo faz o gado desconfiar.

terça-feira, 17 de outubro de 2023

GRANDES VOLUMES

A leitura de grandes volumes ou médios deve ser  uma prática na vida estudantil desde cedo, logo ali no início do Fundamental II.

Um livro de cem páginas para um aluno de oitavo ano não é exagero. É o ideal.

Robustas leituras desde cedo evitam dores de cabeça no futuro. Literalmente, quando depararem com textos volumosos em concursos e Enem.

O que temos - O que vemos, em grande número, é estudante com pouca leitura ou leitura nenhuma.

PROVÉRBIO

Quem gaba o sapo é a jia.

segunda-feira, 16 de outubro de 2023

DE OLHO NO CÉU

O eclipse de natureza anular ou parcial ocorrido no sábado (14) fez muita gente olhar para cima depois das quatro da tarde. 

Os que olharam estavam munidos de óculos especiais, pois o sol não permite que ninguém olhe para ele sem protetor. Nem permite, nem permitiu nem nunca permitirá, pois seus raios são penetrantes.

Se alguém olhou por um segundo, não viu nada diferente. Somente os óculos davam o formato do sol: amarelo cor de laranja. Era uma laranja enorme. Já lá para as tantas, já se via um pedaço de lua atravessando. Aos poucos, ela foi tomando conta do sol. Um espetáculo!

O sol amarelou mais do que o normal. Era o que todo mundo viu sem que olhasse para ele. Não estava carrancudo. Alegre estava por naquele dias muitas pessoas de alguns países estarem prestando atenção nele.

Segundo a EBC, além do Brasil, o eclipse foi visto nos Estados Unidos, México, Belize, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia. 

Em outras partes das Américas - do Alasca à Argentina - um eclipse parcial foi visível.

PROVÉRBIO

Quem com porcos se mistura, farelo come.

VOO

O voo começa muito cedo, não logo após sair da casula. 

São voos minúsculos, curtos e tímidos. Não voa longe porque não pode. Sua estrutura física não o deixa. 

Aos poucos, com o crescimento e fortalecimento dos órgãos, começa a dar outros voos mais longos. Uns permitidos e outros não.

Seus protetores e consequentemente cuidadores ficam de olho, reagindo às vezes, omitindo noutras vezes. Bem que poderiam estar atentos e acompanhá-los cuidadosamente sua evolução.

O voo torna-se mais esticado, longo, demorado. 

Um dia, fora da vista de quem deveria estar atento, ele cai. Esborracha-se. Cai de todo corpo. Arrebenta-se. O caimento pode ser para ele uma lição, se for o caso do esborrachamento não ser irreversível. Irreversível, eufemismo para fatalidade. 

Depois da levantada do voo mal sucedido, o jeito é voar de modo equilibrado para não ser apanhado numa nova queda.


domingo, 15 de outubro de 2023

DOMINGO

ORIGEM DE ALGUMAS PALAVRAS

Babel - Palavra síria cujo significado é confusão.

Segundo a Bíblia, os homens após o dilúvio, tentaram a construção de uma torre que alcançasse o céu, a fim de nela se refugiarem, caso o dilúvio se repetisse. Deus, que prometera não mais mandar novo dilúvio, ofendeu-se diante dessa falta de confiança, e castigou-os, confundindo-lhes as línguas. Ninguém mais se entendia. Os construtores debandaram e a torre ficou inacabada.

Bacanal - Do latim bacchanalia, festa pagã em honra de Bacus. 

Diz-se bacanal, de uma festa em que o deboche e o barulho atingem o auge. 

Bacharel - Era termo militar na Idade Média - significava aspirante a cavaleiro, por falta de idade para seguir para a guerra. Por extensão mais tarde bacharel veio significar quase doutor. (Dicionário da origem e da evolução das palavras, de Luiz A. P. Vitória).

ECLIPSE ANULAR

Dizem os estudiosos que o eclipse solar de ontem foi anular, pois não escureceu.

GALINHAS DORMIRAM CEDO

Os mais velhos que eu testemunharam que houve um eclipse que as galinhas procuraram os poleiros cedo.

VERDADE

Não sei e isso é verdade, mas testemunhei um eclipse solar, pela manhã - pelo menos antes do meio-dia - o que ainda me lembro. 

FIM DO MUNDO

O dia ficou escuro parcialmente que parecia que estava anoitecendo. Isso eu vi e muitas pessoas diziam que já era o fim do mundo. Não fiquei preocupado porque estava ao lado de meu pai, minha mãe e meus irmãos mais velhos. 

EDUCADORES

Aliás, temos na terra nossos pais que nos corrigem e, no entanto, os olhamos com respeito. Com quanto mais razão nos havemos de submeter ao Pai de nossas almas, o qual nos dará a vida?

Os primeiros nos educaram para pouco tempo, segundo a sua própria conveniência, ao passo que este o faz para nosso bem, para nos comunicar sua santidade. (Livro de Hebreus, 12, 9-10)

sábado, 14 de outubro de 2023

EU VOU PEDIR AO SOL

O que as pessoas vão pedir ao sol hoje?

Lembram que o eu lírico de Borba de Paula pediu à lua uma porção de coisas?

O que as pessoas românticas irão pedir hoje ao sol?

EU VOU PEDIR À LUA

Eu vou pedir à Lua 

Eu vou pedir à lua
Pra iluminar a rua
Pra ver se eu encontro
O meu amor, ô, ô, ô

Você se escondeu
E eu nem sei pra onde ir
Por que você se esconde
Eu vou te procurar

Oh lua!
Oh lua cor de prata
Me diga por favor
Por onde anda aquela ingrata

Oh lua!
Me diga por favor
Se ela anda sozinha
Ou se tem um novo amor.

Na música acima, interpretada por Borba de Paula, há pelo menos dois aspectos gramaticais interessantes:

O primeiro é o uso da crase. A crase no a se dá porque quem pede, pede algo a alguém e a palavra lua admite o artigo a. Então, podemos fazer uma continha: a+a=à.

E nunca nos esqueçamos que crase não é acento. O acento é o grave.

O outro aspecto é um caso de figura de linguagem. Ocorre uma prosopopeia ou personificação. O fato  de o eu lírico pedir à lua para que ilumine a rua, que  diga onde aquela ingrata está e e se ela está sozinha ou se tem um novo amor, dá a entender que ele trata a lua como se fosse uma pessoa. Só gente tem esses atributos e nunca uma lua.

Todo mundo canta a música, mas são poucos os que sabem que aqui ocorreu uma prosopopeia.


HOJE TEM ECLIPSE

Ao passar entre a Terra e o Sol, a Lua pode esconder este astro, no todo ou em parte; há então eclipse do Sol. O eclipse será total se o Sol estiver inteiramente escondido pela Lua; será parcial se o estiver apenas em parte. 

Entre os eclipses parciais são particularmente interessantes as anulares, nos quais o disco do Sol circunda o da Lua, em forma de anel luminoso. Tanto a Lua como a Terra projeta no espaço um cone de sombra, cujo comprimento é de cerca de 58 raios terrestres. 

Como a distância da Terra à Lua oscila, em virtude da excentricidade de sua órbita, entre 56 e 64 raios terrestres, pode acontecer que não chegue à superfície do planeta, no instante da conjunção, o cone de sombra pura e sim seu prolongamento, dando-se, então, o eclipse anular. (Enciclopédia Brasileira Globo, volume 4).

O eclipse solar de hoje será entre as 16 e 17 horas. Um espetáculo raro.


QUE PALAVRA!

Carraspana

A palavra "Carraspana" aparece em "A Moreninha", de Joaquim Manuel de Macedo. Os estudantes de medicina travam um diálogo e pronunciam a palavra mais de umas vez:

Bocage, quando tomava carraspana, descompunha os médicos.  
- C’est trop fort! bocejou Augusto, espreguiçando-se no canapé em que se achava deitado.
- Como quiserem, continuou Filipe, pondo-se em hábitos menores; mas, por minha vida, que a carraspana de hoje ainda me concede apreciar devidamente aqui o meu amigo Fabrício, que talvez acaba de chegar de alguma visita diplomática, vestido com esmero e alinho, porém, tendo a cabeça encapuzada com a vermelha e velha carapuça do Leopoldo; este, ali escondido dentro do seu robe-de-chambre cor de burro quando foge, e sentado em uma cadeira tão desconjuntada que, para não cair com ela, põe em ação todas as leis de equilíbrio, que estudou em Pouillet; acolá, enfim, o meu romântico Augusto, em ceroulas, com as fraldas à mostra, estirado em um canapé em tão bom uso, que ainda agora mesmo fez com que Leopoldo se lembrasse de Bocage. Oh! VV. SS. tomam café!... Ali o senhor descansa a xícara azul em um pires de porcelana... aquele tem uma chávena com belos lavores dourados, mas o pires é cor-de-rosa... aquele outro nem porcelana, nem lavores, nem cor azul ou de rosa, nem xícara... nem pires... aquilo é uma tigela num prato...
- Carraspana!... carraspana!...
- O’ moleque! prosseguiu Filipe, voltando-se para o corredor, traze-me café, ainda que seja no púcaro em que o coas; pois creio que a não ser a falta de louças, já teu senhor mo teria oferecido.
- Carraspana!... carraspana!...   
- Sim, continuou ele, eu vejo que vocês...
- Carraspana!... carraspana!...
- Não sei de nós quem mostra...
- Carraspana!... carraspana!...
Seguiram-se alguns momentos de silêncio; ficaram os quatro estudantes assim a modo de moças quando jogam o siso. Filipe não falava, por conhecer o propósito em que estavam os três de lhe não deixar concluir uma só proposição, e estes, porque esperavam vê-lo abrir a boca para gritar-lhe: carraspana!...
Enfim, foi ainda Filipe o primeiro que falou, exclamando de repente:
- Paz! paz!...
- Ah! já?... disse Leopoldo, que era o mais influído.
- Filipe é como o galego, disse um outro; perderia tudo para não guardar silêncio uma hora.
- Está bem, o passado, o passado; protesto não falar mais nunca na carapuça, nem nas cadeiras, nem no canapé, nem na louça do Leopoldo... Estão no caso... sim...
- Hein?... olha a carraspana.

O que é carraspana?

Silveira Bueno diz em seu dicionário: bebedeira; repreensão. O segundo significado, obviamente, é em sentido figurado.

Bebedeira, o pileque, embriaguez, reprimenda, descompostura. Do mesmo modo, Cândido Jucá Filho dá quatro significados, sendo os dois últimos de forma figurada.

Palavra fora de linha

A palavra "carraspana" não é mais usado, quiçá, em canto nenhum do país. Era usada com frequência na época da publicação do livro - 1844.

sexta-feira, 13 de outubro de 2023

quinta-feira, 12 de outubro de 2023

CONGLOMERADO VERBAL

São expressões conglomeradas que formam uma única estrutura significativa. 

Beber lágrimas e gemidos: sofrer sem queixumes.

FERIADO TAMBÉM É DIA BOM PARA LEITURA

Dizer que boa leitura instrui é um grande lugar-comum.

E num feriado, às vezes até imprensado para escolas, universidades e outros departamentos, também deve sobrar um tempinho para leituras, de preferências boas e daquelas que levantam as nossas cabeças.

PROVÉRBIO

Vai pelos proveitos e preceitos...

terça-feira, 10 de outubro de 2023

segunda-feira, 9 de outubro de 2023

QUESTÃO GRAMATICAL

Assinale o par de frases em que as palavras sublinhadas são substantivo e pronome, respectivamente: (IBGE)

A imigração tornou-se necessária/É  dever cristão praticar o bem.

A Inglaterra é responsável por sua economia/Havia muito movimento na praça.

Fale sobre tudo o que for preciso/O consumo de drogas é condenável.

Pessoas inconformadas lutaram pela abolição/Pesca-se muito em Angra dos Reis.

Os prejudicados não tinham o direito de reclamar. / Não entendi o que você disse.



CHUVINHA

Uma tarde tão linda e com chuvinha, e com nublagem, e com preguiça, enfim. Um pequeno, um simples exemplo de polissíndeto.