sexta-feira, 17 de agosto de 2018

PONTAPÉ

Já se deu o pontapé inicial da política 2018.

Esperem que vem um museu de novidades no item proposta.

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

SE TODOS FOSSEM IGUAIS

Se todos fossem iguais a você
O mundo não prestaria, pois
Uma dose de poesia
Não faz mal a ninguém.

Você não poeta
Nem um pouquinho.


O BRASIL LÊ OU NÃO LÊ MUITO?

A seguir, um texto muito interessante da super. Há algumas ideias sobre as quais concordo e outras não.

Por que o brasileiro lê pouco?

Além de a leitura não vir de casa, a escola mais atrapalha que ajuda.
Fiquemos com a resposta da maior autoridade no mundo, a Unesco. Para o setor da ONU que cuida de educação e cultura, só há leitura onde: 1) ler é uma tradição nacional, 2) o hábito de ler vem de casa e 3) são formados novos leitores.

O problema é antigo: muitos brasileiros foram do analfabetismo à TV sem passar na biblioteca. Para piorar, especialistas culpam a escola pela falta de leitores.

“Os professores costumam indicar livros clássicos do século 19, maravilhosos, mas que não são adequados a um jovem de 15 anos”, diz Zoara Failla, do Instituto Pró-Livro. “Apresentado só a obras que considera chatas, ele não busca mais o livro depois que sai do colégio.”

Muitos educadores defendem que o Brasil poderia adotar o esquema anglo-saxão, em que os clássicos são um pouco mais próximos, dos anos 50 e 60, e há menos livros, que são analisados a fundo.

Mas aí teria de mudar o vestibular e o Enem, é isso já é outra história.

Fontes: Instituto Pró-Livro; ANL; Centro Regional para el Fomento del Libro en América Latina, el Caribe, España y Portugal (Cerlalc)."

https://super.abril.com.br/cultura/por-que-o-brasileiro-le-pouco

Dos pontos acima, concordo com os numerados de 1 a 3. Ler é uma tradição nacional, o hábito de ler vem de casa e são formadores de novos leitores.

Muitos brasileiros foram do analfabetismo à TV sem passar na biblioteca.

O brasileiro lê hoje tanto quanto antigamente. O problema é o que é lido. Esse será assunto para outra blogagem.






NO DIA DA ÁRVORE

Está previsto para o dia da árvore a inauguração do novo espaço do "Mercadinho Popular", de propriedade de Francisco de Dalvirene.

Dia da árvore, para quem não se lembra, é dia 21 de setembro.

MOBILIDADE URBANA

Mobilidade urbana é a forma e os meios utilizados pela população para se deslocar dentro do espaço urbano.

Para avaliar a mobilidade urbana é preciso levar em conta fatores como:

a organização do território;
fluxo de transporte de pessoas e mercadorias;
os meios de transportes utilizados.

(www.todamateria.com.br/mobilidade-urbana)

A lei orgânica municipal de Upanema, no seu Artigo 11, parágrafo XII diz que "é de competência comum do Município, da União e do Estado, observar a Lei complementar Federal, o exercício das seguintes medidas:

XII - estabelecer e implantar políticas de educação para a segurança do trânsito.

Pelo menos em todas as segundas-feiras sofremos com o caos no trânsito no centro da cidade no horário da feira livre. É um problema que já foi minorado em tempos passados, não muito distante. Acredito que poderíamos  incluir essa solução nos itens daquilo que "Upanema já teve de bom".



COMPLEXO

O Complexo Cultural de Upanema é mesmo complexo. Faz jus ao nome. O início da obra é anterior a atual administração municipal. 

Há promessa para a inauguração no mês de setembro. 

No Complexo terá uma biblioteca, museu, etc. Ou seja, a cidade vai iniciar do zero no item museu e retomará também do zero no item biblioteca, haja vista que já faz quase trinta anos que não temos uma por aqui com o nome de municipal.

PARA ONDE FORAM NOSSAS MOSCAS?

Enfim, elas deram trégua a gente. Nesses dias elas desapareceram e nos deixaram em paz.

Tempo de aperrear e  tempo de sumir.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

SEGUNDA TORCIDA CURTE VITÓRIA

A maior torcida de futebol do Brasil dorme cabisbaixa.

A segunda, numa quarta, dorme leve. Vai disputar a semifinal da Copa do Brasil com a terceira maior torcida.

Certamente em Upanema há um bom número desses torcedores - maior torcida.

MUDE

Nem que seja uma planta do lugar.

terça-feira, 14 de agosto de 2018

POEMINHA PRA RELAXAR

QUEM SABE EU POSSA TE ESQUECER

Quero andar pelos campos
Contemplar o sol nascer
Radiante no horizonte
Quem sabe eu possa te esquecer.

Quero banhar-me nos rios
Sentir a brisa  me envolver
Nadar entre inúmeros peixes
Quem sabe eu posso te esquecer.

Quero subir as montanhas
E acampar ao anoitecer
Ver a beleza do pôr do sol
Quem sabe eu possa te esquecer.

Quero  ouvir os pássaros
Anunciar o amanhecer
Com o mais belo canto
Quem sabe eu possa te esquecer.

Quero sentir cheiro de terra
Da cidade me esconder
Deitar sobre os arbustos
Quem sabe eu possa te esquecer.

(Júlia Costa)











segunda-feira, 13 de agosto de 2018

HOMENS TRABALHANDO

Em todos os cantos da cidade há pessoas em geral trabalhando, mas somente em um ponto da cidade há homens trabalhando no tapa-buraco.

Desfeito o enigma?

SEGUNDA-FEIRA 13

A cidade amanhece com nuvens cheias de falhas, variadas, que escondem o sol e dão um ar triste, e justificam o número treze, para os supersticiosos, mesmo não sendo sexta-feira.

domingo, 12 de agosto de 2018

QUEM SE LEMBRA?

A baladeira

A baladeira é uma das armas de pequeno porte e coisa do passado que mais resiste ao tempo e tecnologia.

Incrível! Encontramos facilmente em feiras-livre mercearias esse objeto que é o terror dos passarinhos, gatos e cachorros. A melhor, dizem, é de câmera de avião. 

Um bom atirador de baladeira acerta com facilidade um passarinho a longa distância.

Para sossego dos bichinhos, eu acertava mais meu dedão da mão do que o alvo. Geralmente a pedra voltava. Que mancada!

Atirar nunca foi o meu forte. Preferia andar de cavalo de talo ou perna de pau.

Mas aí já é outro "quem se lembra" de outro domingo.

sábado, 11 de agosto de 2018

MEU DIA OUTRA VEZ

Hoje é o dia do estudante. Não deixa de ser também o meu dia, pois ainda não parei de estudar.

Há quem estabeleça a diferença entre estudante e aluno. Pouco importa se há ou não essa diferença. O que importa que neste dia deveria cada estudante refletir sobre sua importância na sociedade.

Será que estamos honrando a nossa camisa?

TEMPO FIRME

Tempo firme por aqui, afirmam os telejornais.

Para quem mora nos lugares que chovem muito, o tempo firme, com sol, é uma maravilha. Mas para nós daqui, não é não.

QUE PALAVRA!

Boleia

Assento do cocheiro.
A cabina do motorista, no caminhão. (Aurélio)

No bom upanemês, boleia é bulé.

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

PARADA

Dia nacional de paralisação e de manifestações. 
Dia nacional do basta. 

As duas frases acima  estão no site do cnte. Elas referem-se à paralisação do dia de hoje.

MAIS BURACOS

Além do problema da via asfáltica na direção de quem sai pra Mossoró, pouco antes do Posto Glenda, há outros  há outros dois, bem próximos, confrontados com a lagoa.

Haja buracos!

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

DEBATE HOJE

Mesmo sendo bastante rejeitado, o político tem a atenção do eleitor através do debate.

NO PONTO

Hora dos debates

Hoje tem debate com alguns candidatos a presidente da república.
Local: estúdio da Band.
Hora: 22.

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

NAVEGANDO

Novos tempos

Navegamos sem navio
Nos mares internéticos
Perigosamente
Em alta velocidade.

Atiramos a esmo
E nos expomos
A todo instante.

É o preço de estarmos navegando.


terça-feira, 7 de agosto de 2018

LÍDER PROVISÓRIO

Na vida aqui fora, fora das disputas esportivas é estranho a figura do líder provisório.

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

AQUILO E AQUELAS COISAS

A partir de agora, os dias, semanas e meses não serão tão normais quanto as outras do começo do ano. O processo eleitoral vai começar a mexer com a vida de todo mundo, mesmo os que se dizem enojados com os políticos. O tempo tratará disso de uma maneira extraordinária. 

Daqui a uns diazinhos aparecerão por aqui pessoas estranhas que nunca tínhamos visto. Eles querem aquilo. E terão. Vão dizer aquelas coisas, oferecer aquelas coisas para que possamos dar aquela coisa. Vão dizer muitas mentiras, jurando que são verdades. Dirão em volta alta que permitem todos escutar, mas muitos não escutarão. A verdade e a mentira serão parecidíssimas. 

Aguardemos para checarmos tudo isso e muito mais.

domingo, 5 de agosto de 2018

QUEM SE LEMBRA?

Emulsão Scott

O Emulsão Scott na minha criancice era muito popular entre nós. O emulsão era indicado para crianças fraquinhas que precisavam de ficar fortes. Diziam até que ajudava a ficar mais inteligente.

Tinha um porém com o emulsão: os descamisados não podiam comprar aquele fortificante muitas vezes, por causa do preço.

E o gosto? Muito ruim de descer goela abaixo. Os que tomavam utilizavam alguns artifícios como tampar o nariz, comer com uma fruta ou outro líquido com um gosto bom. 

Falei no passado, mas o emulsão ainda existe nas prateleiras das farmácias e com gosto melhor. Fabricaram com sabor de laranja. É tudo isso que sei. Sua marca é a figura de um peixe. 

Se algum dia tomei? Quando menino, uma vez ou duas. Depois de grande, comprei-o já no novo sabor, só por curiosidade. Não é bom de descer. 

Hoje recordei  com os poucos leitores que ainda leem blog. Acho que vocês se lembram disso. Não sei se com saudade. Eu, sim. É que o emulsão me faz lembrar outros lances da infância que me machucam. "Essas recordações me matam", diria o poeta.

JORNAL SEM CHEIRO

Há muito tempo que cantamos em prosa e verso a derrocada final da imprensa de papel.

O tempo não para, não para não, não para. E não vemos esse fim desse formato de publicação.

Caminha-se a passos largos, digamos, mas a resistência de alguns grupos, seja político ou não, faz com que tenhamos publicações em papel por muitos anos.

O jornal digital não tem cheiro. O folheamento das páginas são artificiais demais.

As frases soltas acima refletem o sentimento dos que por muito tempo folhearam os jornais impressos e estão saudosos desse formato. A substituição pelo internético não agradou a todos e não convenceu que seja melhor e mais eficiente. Foi o caminho que existia na modernidade. E não tinha jeito. Os que ainda resistem é por causa da condições financeiras que ainda permitem a resistência e/ou saudosismo mesmo.

Não tenho ilusões de sua volta, mas se isso ocorrer, para mim será bem-vindo.