quinta-feira, 30 de junho de 2022

TÃO DIFÍCIL QUANTO

A leitura de textos verbais parece ser tão difícil de se manejar quanto à leitura das coisas do mundo.

Aprendê-las e apreendê-las é tarefa dolorosa, dependendo da maneira como as encaramos.

A compreensão do que se lê num livro é indispensável para o leitor, assim como para os leitores do mundo.

PROVÉRBIO

Quando urubu anda caipora, se atola até em lajedo.

terça-feira, 28 de junho de 2022

CRÔNICA

Árvores

Normalmente elas produzem frutos. E que sejam bons. Muito melhor assim.

Se não os produzem, alguma coisa poderá acontecer, porque poderá ser sugerido por quem de direito, ou quem se acha no direito, fazer alguma coisa, como o mais comum, arrancar pelo tronco e depois queimar. 

Se houver paciência, ainda poderá esperar algum tempo para que porventura as coisas mudem. Se não, o serviço será feito, irremediavelmente. 

Com ele a coisa foi administrada em doses leves, na paciência, como aquele agricultor que lançou a semente e esperou que os frutos nascessem. Esperou muitos dias e chegou o tempo de ver os primeiros grãos despontarem do chão, e nada. Só então percebeu que semeara sementes não tão boas. O que esperar? Que nasceriam em tempo hábil muitos pés de milho, feijão?

Ele era o tipo como árvores imprestáveis, não produtivas, forjada em sementes chochas, mofinas, de aspecto feio.

Como essa árvore poderia nascer saudável, se seus plantadores depositaram no solo semente imprestável, da pior qualidade do lugar?

Será que a intenção valeria, já que muitos não perceberam que suas sementes não eram boas nem o solo era essa coisa toda?

E assim, ao nascer com dificuldade, a semente transformou em árvore, que por sua vez, produziu frutos, sim, mas não como era do desejo de todos.

Será, aos poucos, arrancada.



PROVÉRBIO

Quando um burro fala, os outros murcham as orelhas.

segunda-feira, 27 de junho de 2022

PALAVRAS DIZIDAS

Palavras ditas
Sem pensar
São reboladas
Qual pedras
Jogadas
Do cimo
Pra baixo
Sem que se perceba
Que há algo
Debaixo.

Se machuca
Muito importa
E o preço
Pode ser alto
Se calculado
No seu valor
Exato
Do mercado
Em voga
Bem avaliado.


PROVÉRBIO

Quando se vê muita farofa, é sinal de pouca carne.

domingo, 26 de junho de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

MÚSICA NA MINHA VIDA

E agora, José?

José, antes poema de Carlos Drummond, virou canção na boca de Paulo Diniz. 

Não sei qual dos dois textos conheci primeiro. Só sei que quando me dei conta, estava com José na cabeça. Em literatura, não pude escapar dele quando estudava e depois lecionava a matéria no antigo Segundo Grau.

A poesia drummoniana é uma das poucos de que gosto. A de Manuel Bandeira é muito massa também. Tem conteúdo e permite até que musiquemos. Vinícius de Moraes também produziu muitas poesias que permitiam perfeitamente serem musicadas.

É uma das canções que marcaram minha vida ainda na meninice, lá no comecinho dos anos 70.

O pernambucano Paulo Diniz morreu recentemente aos 82 anos de idade.

A FONTE

(Augusto José da silva)

A fonte gorgola, à sombra de árvores frondosas.

Veios subterrâneos, gerados pelas chuvas, foram se reunindo e formaram um arroio trevoso que surdiu entre pedras musgosas.

Que alegre e mumurejante o correr da fonte! Parece que vinha espavorida da escuridão, e, agora, se irisa e canta, afagada pelo sol.

Era uma fonte oculta, onde nenhum vivente fartava a sede e que não retratava as margens. Ei-la a convidar-nos, com seu trepidar sonoro, a espelhar quanto dela se abeira, a saciar a sede mais angustiosa.

- Homem, que te fechas no escuro egoísmo, és fonte subterrânea; surge para a Luz, abre-te em benefícios!

QUESTÃO GRAMATICAL

Quem assiste - no sentido de presenciar, estar presente - assiste a alguma coisa.

A importa da letra a aí depois de assiste pode valer uma vaga na universidade ou concurso.

Acreditam?

A regência verbal é um dos assuntos da nossa língua que muita gente não gosta de estudar, mas não está entre os mais difíceis. 

O problema é que os concursos continuam na mesma rigorosidade quando se trata das regras e ao mesmo tempo as recomendações que recebemos nos livros escolares é cada vez mais um afastamento da língua formal ou a igualdade desta com a não formal. 

Assim, não dá! O andar na contramão não é bom em lugar nenhum.


sábado, 25 de junho de 2022

CRÔNICA

Chegou em casa contando que tinha comprado uma esfriadeira e um moedor, para que pudesse tomar um ponche frio ou um suco de fruta.

Recordava que nos tempos antigos não tinha disso não. Tudo vinha do pote. Se queria alguma coisa fria, tibungo no pote! Numa enfiada, trazia a água bem friinha, saborosa. Não importava que viesse um bagacinho. Tudo saía pela urina.

Se queria tomar um ponche, ia no pé de limoeiro e dava de garra de uns limões, cortava na ponta da faca, espremia, açucava com açúcar preto e metia pra dentro do bucho.

Os tempos são outros, minha velha! Agora ninguém quer mais viver naquele sofrimento. As facilidades são tão grandes que a gente não consegue resistir. Os vendedores insistem tanto que ninguém consegue aguentar o encharco. 

Ainda agorinha, quando passava por ali a esquina, uma moça me chamou e perguntou se queria comprar uma coisa que esfriava tudo por dentro. Entrei, sentei, tomei um cafezinho. Tinha chá também e até biscoitos. Tudo por conta da casa, me dizia ela. Depois de me convencer a comprar o primeiro eletro, emendou com outro. Sempre é assim. Nunca fica no primeiro. 

Esse aqui mói tudo. Cuidado com os dedos, porque ele corta tão veloz que não espera por ninguém.

Ensinou bem direitinho como liga e desliga.

Bote tudo dentro. Depois aperte o botão. Depois de botar pra esfriar, boas bebidas e boas esfriadas.

QUE PALAVRA!

Esbregue

Descompostura; contravapor; ralho; sabão. (Silveira Bueno)

Repreensão. Reprimenda. Carão. Pito. (Calepino Potiguar, de Raimundo Nonato)

A palavra esbregue não consta no dicionário Aurélio pequeno.

Olhando assim de cima, diríamos que a palavra supra é muito regional, mas não é. Vemo-la em telenovela com personagens ambientados no Sudeste.

sexta-feira, 24 de junho de 2022

A LUZ É BOA

A luz é boa, mas é nas trevas que somos impelidos a caminhar a maior parte do tempo.

E quando somos convidados e induzidos a andarmos nas trevas, na maioria das vezes, seguimos a grande multidão.

Se a luz é boa e muito melhor de ser a companheira, por que não a queremos do nosso lado? Seria por que é no escuro que as realizações se dão mais fáceis e todos não podem ver e atrapalhar?

A luz é boa, mas seu brilho ofusca a cara de muita gente. Elas preferem realizar as grandes realizações - estupenda redundância - de maneira fácil, em direção ao abismo que está logo ali para os que não preferem a luz, que é boa, e mergulham nas trevas.

PROVÉRBIO

Quando se pisa o alho, o almofariz conserva o cheiro.

quinta-feira, 23 de junho de 2022

PEQUENO REGISTRO

Ontem pingou por aqui apenas 2mm.

PERÍODO FRIOSO

Vivemos um período frioso em que o frio incomoda muita gente.

O período é de poucas chuvas e muito frio.

Não nos aperreemos, porque em breve o tempo quente chegará.

MARTELO

Hoje, mais do que nunca, os produtores de textos necessitam da gramática como uma verdadeira parceira.

Gramática, apesar de chata, é indispensável para que o texto fique supimpa de bom.

Durante muitos anos a dispensa de regras foi vista como engessadora do texto. Com o passar do tempo passamos a ver que não foi uma boa ideia.

As consequências foram arrasadoras e ainda são. Percebemos isso quando lemos textos produzidos por essa geração educada dessa maneira. 

Os livros didáticos, em sua maioria, trazem sugestões de produção, como se os produtores conseguissem escrever bons textos sem que tivessem bases teóricas, entre as quais o suporte gramatical.

Não se trata aqui - antes que digam, - que o produtor textual tornar-se-á um gramatiqueiro. Não é isso. Toda norma serve para organizar os elementos em movimento. E com a redação não é diferente.

Como um martelo batido várias vezes rompe objetos duros, o assunto em questão deve ser tratado.

PROVÉRBIO

Quando os dois querem e as mães consentem, se passa por baixo da porta e ninguém sente.

ÉS ESPERANÇA

És a Esperança de que todas as tortezas de que temos notícia ou mesmo aquelas mais recônditas que fazem parte das não-notícias, sejam desentortadas pelo ferro mais consistente e invencível da praça.

És a Esperança, escrita com inicial maiúscula, substantivo abstrato com cara de concreto e próprio. Tens a força para demolir todas as ações e pretensões maldosas  travestidas de espertezas adultas e juvenis. 

És tudo o que temos. Seguras no ar e não deixas que o mundo velho desabe de vez  e que as pretensas verdades - cujo teor é mentira  - não sejam as donas do pedaço e que não acabem de vez com o pedaço de mundo que ainda resta são.

És Esperança, mas tens a Justiça como seu guia - aquela que não deixa o mal triunfar.

quarta-feira, 22 de junho de 2022

OLHA O TREM!

Olhem bem!

Escutem bem também que o trem já chegou e veio fazendo muito barulho e muito estrago por onde passou e ainda possa passar.

Centenas de milhares de atos e atitudes estragadoras. 

É um trem estragador.

De onde surgiu? Das velhas montanhas escarpadas, pedregosas, altas, subidas e descentes, estragadoras. Surgiu detrás de velhas montanhas feias, desengonçadas, pedradas com materiais duros e sem valia.

Seu estrondo deixou de estrondar, mas surtiu efeitos deletérios. Esse trem zoa em surdina um barulho que equivale ao executado livre, sem o surdo.

Seu estragamento não tem limites - aparentemente sem limites - que poderão serem limitados por limitadores eficazes.

PROVÉRBIO

Quando o ruim fica bom, está pior do que nunca.

terça-feira, 21 de junho de 2022

É HOJE O ARRAIÁ

Alunos da terceira série da Escola Estadual José Calazans Freire - Ensino Fundamental e Médio - promove o arraiá junino. Haverá a dança de quadrilhas e comidas típicas e doces.

CARTÃO VERMELHO

É um santo remédio e muito eficaz contra infrações graves nos jogos, especialmente no futebol. Serve para aplacar os ânimos dos que vivem animados além das normas e do bem jogar.

É de tamanha eficácia a  ponto de colocar no devido lugar os exaltados e proporcionar ordem nas partidas. 

REGISTRO DE CHUVA

Ontem choveu 4mm.

DEPOIS DE ONZE

Depois de onze dias, volta a chover por aqui.

PROVÉRBIO

Quando o dinheiro fala, tudo cala.

segunda-feira, 20 de junho de 2022

E HAJA ARRAIÁS!

Pipocam por todos os lados os arraiás juninos.

É aqui, acolá, alhures! Quem gosta da coisa não terá o que reclamar nesses dias.

CALOR

A vez do calor

O calor toma o lugar do frio por alguns meses. E parece que ele já chegou, ou o frio deu um tempo, para mais tarde voltar e encontrar seus adeptos e torná-los outra vez satisfeitos.

PROVÉRBIO

Quando o cara não tem cabeça, deixa que o corpo apanhe.

domingo, 19 de junho de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

DIA DE REPOR OU GASTAR ENERGIAS

O domingo é um dia que cada um faz o que quer dele. Enquanto uns descansam - reabastecem com energias para o dia seguinte - outros gastam mais. Uns começam logo na sexta-feira. 

Um dos sentidos do termo moderníssimo "sextou" é este mesmo: principiar os dias de estouro.

Mundo moderno! Mundo velho sem porteira, diria Liroca, personagem de "O tempo e o vento", de Érico Veríssimo.

IDEIAS DE PIERLUIGI

Vamos recordar por um instante o velho ditado:

Se eu ouço, esqueço

Se eu vejo, entendo

Se eu faço, aprendo.

Agora, pense um pouco no que você faz (ou deveria fazer) nas horas de aula e nas horas de estudo.

Note que, durante as aulas, normalmente você ouve e e pouco faz. Isso significa que, durante a aula, se muito, você entende.

Depois, no momento do estudo, é que você tem a chance de fazer

Fazer por ocasião da resolução de problemas, fazer enquanto estiver elaborando o resumo de um texto, fazer ao escrever e desenhar.

Por isso, é no momento do estudo que você aprende, ou seja, prepara as condições para que suas redes neurais, naquela mesma noite, se reconfigurem alterando fisicamente a estrutura de seu cérebro. (Do livro "Aprendendo inteligência", do professor Pierluigi Piazzi)

sexta-feira, 17 de junho de 2022

PROVÉRBIO

Quando não se tem canoa, faz-se pelota de couro (Gaúcho)

CRÔNICA

Mapas no ar. Vários traços são delineados a formar grandes e pequenos desenhos naturais que se movimentam e se desfazem a cada segundo para no mesmo ritmo serem formados novos mapas.

De mais de uma cor eles são constituídos. O branco é o mais frequente, tecido de forma perfeita que enleva os olhares dos olhantes matutinos.

O azul também não fica atrás de sua beleza. Não deixa ninguém insatisfeito nem permite que alguém diga que perdeu tempo a contemplar aquilo lá.

Eles parecem seres vivos num construir e desfazer objetos. Mas não são. São eles que dão outro visual ao céu para que não haja um mesmo todos os dias, azul e tecido de uma mesma peça de cima a baixo.

O olhante precisa aproveitar aquele visual e não perder um instante. Se quiser que aquele espetáculo seja eternizado, que vá logo buscar uma batedora de imagem e capte-a, pois tudo aquilo não demora muito.

São mapas, não de cidades, estados ou países, mas de formatos sem significados geográficos. Servem  apenas para embelezar mais e mais o universo.


quinta-feira, 16 de junho de 2022

PROVÉRBIO

Quando não chovia, de que água se bebia? (São Paulo)

ARRAIÁ DO CALAZANS

No dia 21 de junho, terça-feira, a escola Calazans Freire estará promovendo um arraiá em prol das turmas de 3⁰ anos. 

O evento acontecerá às 19h, na frente do colégio e contará com barracas juninas, nas quais os alunos das turmas responsáveis estarão vendendo comidas típicas, bilhetes para concorrer a brindes e mais uma rifa de 3 balaios juninos. 

O evento contará com a participação do Arraiá do milho que irá abrilhantar a noite com sua quadrilha estilizada.

Venha você e sua família fazerem parte dessa festa!

quarta-feira, 15 de junho de 2022

MÁSCARAS DE NOVO

As máscaras - acessório já quase esquecido por todos - volta  a ser obrigatório em escolas estaduais por causa do aumento dos casos de covid.

Os mesmos cuidados, as mesmas determinações, incluindo o uso do álcool, etc, etc e etc coisa e tal.

PROVÉRBIO

Quando menos se espera, salta a lebre.

terça-feira, 14 de junho de 2022

TEMPO DO FRIO

A chegada do frio agora não é nenhuma novidade, porque coincide com a chegada do mês do frio: junho.

Haja gente encolhida entre lençóis e quebrando rotinas matinais!

P.S. O frio prolongar-se-á por longos dias. Às vezes alcança o começo de agosto. 

Que venha o frio com muita saúde para nós!

PROVÉRBIO

É preciso perder aqui pra ganhar alhures.

segunda-feira, 13 de junho de 2022

PROVÉRBIO

Nenhum galo quer que se metam em seu galinheiro.

LEIA ANTES

Para muitos, o ato de ler é um sacrifício como se estivessem transportando uma grande pedra na cabeça para uma longa distância.

Mesmo uma leitura de pequenas porções requer disposição e até costume. 

Há invólucros tão parecidos que uma rápida leitura pode fazer a diferença. 

O que há dentro deles?


DENGUE

A dengue volta a atacar, como todos os anos. 

A gente se esquece dela, mas ela de nós, nunca!

domingo, 12 de junho de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

HISTÓRIAS SOBRE LAMPIÃO

"Por Deus que não é quente"!

As anedotas são contadas como histórias e o contrário também existe.

No caso, aí em cima, entre aspas, é um causo, mas não duvido que haja pelo menos um pé para que essa conversa tenha saído fora e se espalhado como algo que acontecera de verdade.

A comunidade de Umari, município de Upanema, recebeu a notícia bombástica de que Lampião estaria na região e em breve poderia alcançar nossas terras. 

Como é do conhecimento de todos, quando Virgulino chegava num lugar, não pedia nada, mas ordenava com muita autoridade, digo, autoritarismo, para ser mais exato.

Um senhor, ao saber da notícia arrasadora, tratou logo de sair de casa com toda a família e se esconder num lugar em que o cangaceiro não pudesse achar.

Pegou alguns cafiotes e o que tinha de comida para sobreviver alguns dias. Aproveitou uma panela que já estava fervendo com feijão dentro e saiu com ela de mato a dentro.

Naquela época existiam muitos passadiços e outros empecilhos para a travessia de longos percursos. Com a panela na cabeça e em alta velocidade, dizem que o caldo começou a derramar sobre o corpo. No desespero, ele soltou um grito e ainda disse:

- Por Deus que não é quente! Por Deus que não é quente!

Ainda na mesma viagem, uma mulher, que levava uma criança, soltou do outro lado da cerca. Próximo, havia uma melancia. Quando foi pegar a criança, deixou-a e apanhou a melancia. E muito depois alguns quilômetros é que foi notar a lambança.

LAMPIÃO EM MOSSORÓ

Há quem diga que Virgulino não chegou a pisar em solo mossoroense. Há historiadores que afirmam o contrário. O certo é que ele metia medo em todo mundo. Há 95 anos - 13 de junho de 1927 - o então prefeito de Mossoró, Rodolfo Fernandes, resolveu reescrever a história do cangaço e do bando de Lampião: comandou um mini-exército que entrincheirou-se e botou-o para correr para bem longe.

IDEIAS DE PIERLUIGI

Digitar não é escrever!

Não adianta nada fazer resuminhos no editor de texto! Eles ficarão gravados no HD do computador e não no seu HD!

Você já se perguntou qual a matéria  mais fácil de aprender?

Pense um pouco...

... isso mesmo: matemática!

Se você não concorda com isso, releia, por favor, a pergunta.

Não perguntei qual a matéria mais fácil de entender.

Aliás, em certos assuntos, matemática é até bem difícil de ser entendida.

Mas, uma vez entendida, se torna fácil de ser aprendida!

Estudar matemática é fazer, fazer e fazer!

Por outro lado, as pessoas acham que o estudo de história é simples porque, durante as aulas, entendem tudo. Depois se queixam de que não conseguem guardar o que aprenderam.

Na realidade, não aprenderam, só entenderam.

Para realmente aprender história, não basta assistir à aula e depois ler um capítulo do livro. é necessário ter lápis e papel e escrever as palavras-chave, os trechos mais significativos.

Não há necessidade de fazer um resumo completo, mas é importante escrever, de forma até esquemática, os pontos mais importantes. (Do livro Aprendendo inteligência, de Pierluigi Piazzi, páginas 59-0)

O registro das aulas em um caderno ajuda muito na aprendizagem. Isso é difícil e quase impossível de acontecer porque boa parte dos nossos alunos não largam o celular em nenhum instante.





sábado, 11 de junho de 2022

PROVÉRBIO REVERSO

Marimbondo tem casa porque constrói.

QUE PALAVRA!

Enxada

Instrumento de capinar ou revolver a terra (Aurélio)

Peixe marinho da família dos efipídeos. A única espécie brasileira é a Chaetodípteros faber, de forma oblonga e que atinge 1 metro de comprimento. De cor prateada, é ainda ornado com 5 faixas escuras. A nadadeira dorsal é dividida em duas porções. 

Enxadas - Ilha das Enxadas - do Estado da Guanabara, ao norte da Ilha das Cobras, ocupada por dependências do Ministério da Marinha. (Enciclopédia Brasileira Globo, volume 4)




quinta-feira, 9 de junho de 2022

SEQUÊNCIA

A invernada de junho segue numa sequência de chuvas que diária e chega até a botar assustamento em algumas pessoas mais vividas. 

O mês de junho não carrega uma tradição de chuvas, muito menos diárias.

CHUVA DE ONTEM

19mm.

PROVÉRBIO

Quando estiveres contrariado, conta até dez antes de proferir palavra; conta até cem, se estiveres encolerizado.

quarta-feira, 8 de junho de 2022

CHUVA DA NOITE

Noite chuvosa.

QUANDO ELE SE VAI

O maior tesouro de todas as gentes - antítese da indesejada das gentes, de Bandeira - de repente, num rápido de repente, de repentíssimo, deixa de estar. Nunca ele foi - do verbo ser. 

Quando este tesouro daqui vai, nunca mais voltará. Não avisa a seu ninguém, porque não somos nós, muitas vezes inocentes e ignorantes do papel que desempenhamos no torrão que pisamos, os que mandam no existir e muito menos no viver. 

E quando o desviver vem, não há vivente deste solo que consiga desviar o curso. Ele vem de várias formas e de várias cores. Nem avisa com um sai-do-meio porque nem precisa disso. Quando vem, tudo o que é vivo respeita silente.

Depois, fica para os demais o preparo solene da ida de quem se foi de um jeito como se fosse uma fugida, de um deixar pra trás muitas pessoas e coisas, e bens, e amizades, e afetos, e projetos, e desejos, e olhares, e sentimentos, e tudo.

Enfim, o abstrato daqui é o que é levado. Ele se transformará no porvir e no lá um concreto que tornar-se-á eterno para o que boa semente plantou regada com o balde da fé e cultivada com a enxada do amor.

PROVÉRBIO

Quando está para cair a árvore, fogem os macacos.

terça-feira, 7 de junho de 2022

segunda-feira, 6 de junho de 2022

NOITE

Cai chuva e ribombam trovões agora pela noite. O período invernoso continua firme.

MANHÃ

Uma manhã frienta, muito parecida com outros lugares do país. 

Uma maravilha de se sentir!

PROVÉRBIO

Quando Deus tarda, vem em caminho.

POESIA

Procuro sombras
Na periferia
Entre os lugares mais sombrios
Mais amenos e mais frios
Entre árvores e jardins
Dos mais perfumados
Aos mais alegres
Dos maiores
Aos mais reduzidos.

Procurarei
Me acostar em lugares
Que não sejam indesejosos
Que o difícil não seja o mote
Que ser feliz seja normal
Que a bondade esteja presente
E que a confiança não seja
Pautada em sorte.




domingo, 5 de junho de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

BALANÇO DAS CHUVAS EM UPANEMA ATÉ AQUI 

Janeiro - 298
Fevereiro - 67
Março - 281
Abril - 204
Maio - 187

De janeiro a maio: 1.037

O mês de junho choveu até ontem 48mm.

O cômputo geral até ontem é de 1.085mm.

CHUVA DE ONTEM - 5mm.

BONS TEMPOS OU TEMPOS DIFERENTES 

- O cuscuz que comíamos era moído caseiramente em um moinho manual. 
- A coalhada era o iogurte de hoje, só que natural e mais saudável.
- O açúcar preto era o único açúcar de que dispúnhamos. Se alguém consumia o branco, era rico.

ENSINO QUE DÁ CERTO - Professor de Língua Portuguesa, de Redação e de Literatura. Para cada disciplina, um professor, como no passado.

O três em um é um fracasso. O professor perde o foco para ensinar e os alunos não conseguem focar também nos conteúdos. A interdisciplinaridade em nada contribui para o ensino, mas para a confusão entre os conteúdos.

Desde a antiguidade o ensino foi dessa maneira e dava certo. Engraçado: os que são contra o ensino fragmentado, como dizem, aprenderam dessa maneira.

CRÔNICA - Maria

Por onde anda Maria?

Que é feito daquele sorriso, ou melhor dizendo, daqueles sorrisos estampados na face, branca face, linda face, a que já estávamos nos acostumando vê-los diariamente ou pelo menos uma vez na semana ou em pequenas e grandes aglomerações?

Nada podia impedi-la de estar aqui e distribuir sorrisos e outros benefícios, sejam abstratos ou concretos. E no entanto, num átimo, desaparece e não se vê mais Maria. Num átimo, talvez seja exagero dizer assim, mas, pensando bem, não foi num átimo, mas aos poucos que ela sumiu, pois nada mais a interessava distribuir aquilo e nada mais tinha sentido, depois de receber em troca muitos benefícios de seus, digamos, subordinados.

O certo é que Maria sumiu e não há vivalma nesta localidade que dê notícias dela. Não recebe mais telefona. Ninguém nem pode duvidar que seu número não seja mais o mesmo. Ela, que recebia telefonemas todos os dias e chegava a dizer que poderiam ligar a qualquer hora que estava ali para servir a todos. E agora, nem sabemos o que é feito dela.

Se voltará? Nada se sabe. Poderá, sim, voltar, dependendo das circunstâncias conjunturais.


sábado, 4 de junho de 2022

ELEIÇÃO DO GRÊMIO

A chapa vitoriosa da eleição do grêmio da Escola Estadual José Calazans foi a 01: Erian/Amós.

A chapa 02 tinha como candidatos a presidente e vice Maria Clara e Luelson.

Números da eleição: Chapa 01: 209; chapa 02: 59.

O mandato é de um ano.

Logo após o resultado, houve uma pequena motociata nas ruas da cidade.

QUE PALAVRA!

 Chã - Terreno plano (Aurélio)

PROVÉRBIO REVERSO

Nem fanhoso nem sem nariz.

sexta-feira, 3 de junho de 2022

quinta-feira, 2 de junho de 2022

PREVISÃO

Chove agora e tudo indica que o dia continuará assim.

BLOG MOLHADO

Nos últimos dias, chuva é o assunto principal do blog. Está debaixo d'água, molhadinho. Em breve, lá para o final do mês, secará e dará lugar ao frio de junho e julho.

PROVÉRBIO

Quando cai a cumeeira, vem a casa abaixo.

CHUVA DE ONTEM

Junho iniciou com 29 milímetros de chuva.

DIFERENTEMENTE

Diferentemente de maio, junho iniciou com uma chuva bem maior. 

Maio iniciou com pequena quantidade de chuva e terminou praticamente com o mesmo número: 8 e 4, respectivamente.

quarta-feira, 1 de junho de 2022

UM DIA FRIO

A cidade amanhece debaixo de neblina. Um neblinar que não deixa os mais reclamantes reclamar do dia, por ser isso ou aquilo.

PROVÉRBIO

Quando caem os dentes, enlarguece a garganta.

QUANTO CHOVEU EM MAIO

Em maio, segundo meus cálculos, Upanema choveu 187 milímetros. Uma média bem alinhada com as chuvadas de todos os tempos.

Maio, além de ser o mês das mães e das noivas, também é das boas chuvas.

VEM DEZEMBRO

Como diz a canção "Vai , meu irmão", interpretada por Antônio Marcos, vem dezembro e eu cansado. Pois é. Já chegamos em dezembro d...