sexta-feira, 24 de agosto de 2012

LEMBRANÇA DA VELHA UPANEMA

Estava relembrando hoje da Upanema dos anos 80. Foi então que me lembrei das duas cerãmicas que tivemos. Uma delas era na minha rua, a Rua Francisco Agostinho. Teve um tempo que era de Zé Reis. Noutro tempo foi de Seu Sebastião ou o Homem da Cerâmica, como ficou conhecido.


Nenhum comentário:

PROVÉRBIO

 Quem precisa é quem estira (Ceará).