sábado, 14 de setembro de 2013

TEXTO SOBRE EMPREGO

Enviado por Dorivan Targino

O filho termina o segundo grau e não tem vontade de fazer uma faculdade. O pai, meio mão de ferro, dá um apertão:

- Ahh, não quer estudar? Bem, perfeito. Vadio dentro de casa eu não mantenho, então vai trabalhar. O velho, que tem muitos amigos, fala com um deles, que fala com outro, até que ele consegue uma audiência com um político que foi seu colega lá na época de escola.

- Rodriguez! Meu velho amigo! Tu te lembra do meu filho? Pois é, terminou o segundo grau e anda meio à toa, não quer estudar. Será que tu não consegue um emprego pro rapaz não ficar em casa vagabundando?
Depois de 3 dias, Rodriguez liga: - Zé, já tenho. Assessor na Comissão de Saúde do Congresso, R$ 13.700,00 por mês, pra começar.

- Tu tá loco? O guri recém terminou o colégio, assim não vai querer estudar mais, consegue algo mais abaixo. Dois dias depois:

- Zé, secretário de um deputado, salário modesto, R$ 9.800,00, tá bom assim?

- Nããão, Rodriguez, algo com um salário menor, eu quero que o guri tenha vontade de estudar depois. Consegue outra coisa.

- Zé, não sei se ele vai aceitar, mas tem um de assessor da câmara, que é só de R$.6.500,00. - Não, não, ainda é muito, aí que ele não estuda mais mesmo.

- Olha Zé, a única coisa que eu posso conseguir é um carguinho de *ajudante de arquivo*, alguma coisa de informática, mas aí o salário é uma merreca, *R$ 3.800,00 por mês* e nada mais.
- Rodriguez, por favor, alguma coisa de 600,00 a 1.200,00, no máximo. - Isso é impossível, Zé! - Mas, por quê?
- Porque com este salário aí eu só tenho vaga pra Professor. Aí precisa de curso superior, mestrado, doutorado... E precisa passar em concurso.

(Autor desconhecido)


Nenhum comentário:

QUE PALAVRA!

Cabide Móvel com pequenos braços, ou móvel, ou objeto apropriado, onde se penduram roupas, chapéus, toalhas, etc. (Aurélio) Silveira Bueno a...