terça-feira, 25 de agosto de 2015

50 ANOS - TEXTO 29

Ainda é tempo de aprender

Diz-se que o anedótico Camonge estava no finzinho do segundo tempo de sua vida, próximo dos acréscimos, quando o único amigo que o assistia pegou um pouco de areia e colocou um brasinha em cima, assoprando de leve e deixando a chama acesa.

O moribundo não perdeu tempo nem a pose e disse:

"É morrendo e aprendendo!"


Nenhum comentário:

LÁ PARA AS DEZESSEIS

Pingaram pingos leves, para depois engrossar e voltar a ser leves e, aos poucos, desaparecer. Eis o singelo quadro que posso pintar na tar...