domingo, 26 de fevereiro de 2012

DE BRAÇOS ABERTOS

Tornaram-se anedóticas as histórias referentes a credores e veiacos. Uma das que corre de boca em boca é da do dono do bar que cobra a cerveja de um devedor durante muitos dias, mas este se defende passando por outra rua.

Num dia desses, ele passa de longe, e sem querer, ele olha pra o bar e lá está o dono, com os braços abrindo e fechando, num gesto como dizendo:

- Cadê o meu dinheiro?

Noutra ocasião, ele passa próximo ao bar, acompanhado da namorada. O dono do bar pensa:

- É hoje que te pego. Ei, tem uma cerveja sua aqui! 

- Deixe ela gelar um pouquinho mais que passarei já!

Nenhum comentário:

LINGUAGEM

Funções da linguagem Emotiva ou de expressão do eu - É a exteriorização das emoções e atitudes interiores de quem fala, sem se preocupar  co...