sexta-feira, 26 de junho de 2020

POESIA

Queria uma canção

Queria uma canção
Que arrasasse cada coração
Fizesse as almas viajarem
Aos rincões
Sem que precisasse
Dar um passo sequer.

Queria uma canção
Que não tivesse
Gritos e apologias
A não ser ao amor
Que cantasse o amor
De quem tivesse dor
Uma canção que fosse
Refrigério para as almas
Que trouxesse calma
Aos desacalmados
Que gritasse bem alto
E acordasse
Os desacordados
Que trouxesse o sentir
Aos que não mais sentem
A presença dos bons sentimentos.


Nenhum comentário:

LÁ PARA AS DEZESSEIS

Pingaram pingos leves, para depois engrossar e voltar a ser leves e, aos poucos, desaparecer. Eis o singelo quadro que posso pintar na tar...