domingo, 18 de março de 2012

QUEM SE LEMBRA?

A extressão "Água de pote" para a geração de vinte anos pra trás é praticamente estranha. É como se estivéssemos falando grego. Depende do lugar onde se mora. Se for nos cafundós de uma cidade do interior, o pote pode ser o único depósito de se colocar água.

Nos anos 80, o pote ainda era o móvel que não faltava numa casa. Até as casas de pessoas mais abastadas, não podia faltar um pote com água, pois não havia outra alternativa.

A água era fria dependendo do pote, se este fosse bem trabalhando pela louceira.

Hoje ainda se diz: "Quer minha foto pra quê? Pra botar no pé do pote pra espantar sapo?"

É que os sapos se juntavam no pé do pote pra malhar, pois lá era bastante frio. Daí a expressão.

Um comentário:

Carlos Lopes disse...

E quem fazia pote aqui em Upanema era seu Antonio Benedito.

PROVÉRBIO

Nem tudo que se espeta, assa.