domingo, 5 de abril de 2020

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

Nesses dias sombrios e com mais dificuldades que as já existentes até há um mês, virou pandemia um costume nosso de cada dia: o compartilhamento de notícias tristes - muitas vezes verdadeiras - mas outras vezes evitáveis.
Não basta a TV amiudar diariamente o assunto atual? Para quê tanta divulgação individual ou coletiva de algo que vai sair ou já saiu na imprensa?
O que se pode fazer  diante disso? Que tal compartilharmos amenidades ou algo bom que ocorre nas nossas vidas?
Não há nenhuma mensagem de esperança para compartilhamento?
LITERATURA - De livro antigo
O sapo
                Renato Sêneca Fleury
Não se discute que o sapo
É feio, feio a valer.
Barrigudo, olhos saltados,
Mais feio não pode ser...
Até já se disse em versos,
Que ao mundo o sapo não veio
Para servir de modelo,
Por ser bicho muito feio.

Entanto, essa fealdade
Não lhe impede que se torne
- Eis uma grande verdade -
De uma serventia enorme.
Dando caça a certos bichos
Para as suas refeições,
Presta-nos muitos serviços
Defendendo as plantações.
Por que apedrejar os sapos?
É ruindade! É malvadez!
Queria você, acaso,
Pagar o mal que não fez?
(Do livro Infância Brasileira - Companhia Editora Nacional)
SAÚDE - Higiene mental - O grande causador da maioria das moléstias chama-se stress. O estado de espírito tem muita influência sobre o corpo. A tristeza, a mágoa, a fadiga mental, a ansiedade, o medo, a raiva, os aborrecimentos, as preocupações, etc, afetam a saúde desfavoravelmente. Por outro lado, a alegria e a despreocupação têm efeito benéfico sobre a saúde. (A cura pelas plantas, de Minami Keizi).
A higiene muito antes do corona já tínhamos o dever de lavarmos as mãos depois de chegarmos da rua e antes das refeições. Curiosamente, muita gente vive paranoicamente nesse momento difícil. Faz-se necessário o equilíbrio mental para que ninguém endoide.
JOGO DE PALAVRAS - O Conselho reiterado das autoridades da saúde é: não convidem o covid.
RELIGIÃO - Por causa do decreto governamental, as igrejas não estão fazendo celebrações presenciais, mas somente à distância. 
EDUCAÇÃO - Meton. Este é seu nome. Meton é o nome  de um professor que faleceu ontem aos noventa e oito anos de idade. Era do Sítio Atoleiro. Esta é a informação que disponho. Não o conheci, mas apenas de nome. Residia há alguns anos nos Palheiros. Foi sepultado hoje.
Ensino e educação: duas palavras com sentidos diferentes. Palavras que denunciam se alguém é educador ou professor. O professor diz que ensina. O educador diz que educa. O professor ensina conteúdos. O educador não se preocupar com conteúdos, mas com a cidadania do educando. Educando é o nosso aluno. E assim, o dilema segue.
POLÍTICA - Os pré-candidatos estão em marcha lenta. A doença do ano esfriou os ânimos.
Fala-se em adiamento do pleito. Talvez para dezembro, caso a doença do ano não se vá logo.

DO JORNAL DE UPANEMA - Edição de abril de 2006.
Quinze estudantes upanemenses são aprovados no vestibular 2006.
No dia 20 de março, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte divulgou a lista dos aprovados no vestibular 2006. A FM 104,9 transmitiu ao vivo o resultado. Foram quinze aprovados: Emerson Rallison Castro da Silva - Ciências Econômicas. Valcida Medeiros de Oliveira - Serviço Social. Rita wigna de S. Silva - Serviço Social. Antônio Amadeu da Costa Júnior - Letras - Língua Portuguesa. Liziane Maria dos Santos - Letras - Língua Inglesa. Jocivan Xavier Fernandes - Pedagogia. Ellen Gonçalves B. Freire - Pedagogia. Ecanice Costa A. Freire - Pedagogia. Luiz Antônio G. Bezerra - Pedagogia. Pedro Mizael O. de Souza - História. Kelson Luiz da S. Gonçalves - História. Henrique Minervino C. de Melo - História. Ademar José de M. Filho - Física. Lázaro Carlos Gondim - Filosofia. Antônia Emmily de O. B. e Silva - Letras - Língua Espanhola.
Nota: Abolido o vestibular na Uern, a emoção da divulgação também foi abolida. Os resultados do Enem a gente nem consegue saber. São os próprios candidatos aprovados que detêm as informações.
POESIA
Conjugação
                       Júlia Costa
Eu sou inércia
Nós somos ação
Tu és sozinho
Vós sois multidão
Ele é indiferença
Eles são atenção
Ela é  vêntulo
Elas são furacão.









Nenhum comentário:

A PRIMA

Peço que brotes E exales seu cheiro Mundo afora Que perfumes Onde estiveres Fincados no chão Seja em lugar plano Ou elevação. Nesses dias Em...