domingo, 4 de dezembro de 2011

QUEM SE LEMBRA?

Os dois calcanhares

Hoje abro uma exceção para falar no "quem se lembra" sobre uma pessoa que não é upanemense, mas também repercutiu aqui: o doutor Sócrates e seu calcanhar.

Lembro-me que os meninos da minha idade até transformaram o substantivo calcanhar em verbo. Havia momentos de passe da bola em que diziam: 

- Calcanha! 

Era a influência do famoso calcanhar do Sócrates, que desconcertava qualquer adversário.

Naquela época eu nem sabia que havia na história universal um outro calcanhar, que também ficara conhecido, mas de forma negativa: era o calcanhar de Aquiles: referência ao calcanhar do herói lendário Aquiles, da Guerra de Tróia, que teria sido mergulhado por sua mãe, Tétis, nas águas do rio Estige para protegê-lo. Ela, porém, deixou o calcanhar de fora, vulnerável e exposto aos atiradores. Na história, a lenda passou a significar a vulnerabilidade, o nosso ponto fraco.

 

Nenhum comentário:

TERREMOTO

Ainda muito longe do ocorrido, os futurologistas, terremotólogos do povo, previam que poderia haver mesmo aquele reboliço na cidade.  "...