domingo, 4 de dezembro de 2022

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

QUESTÃO DA LINGUAGEM

Mim, mim, mim e mi, mi, mi

Conhecemos a expressão mi, mi, mi de longas eras. Mas o que poucos percebem é que também há o mim, mim, mim. 

É o uso no lugar errado, que é posto no lugar de me.

Mim e me são pronomes oblíquos da primeira pessoa do singular. Esses pronomes exercem na oração a função de complemento. O que os diferencia é o uso de preposição: 

Me pode ser objeto direto ou indireto, dependendo da transitividade do verbo. 

Mim sempre vem regido de preposição. 

Então, em frases como "Ela me ama" não pode ser, de jeito nenhum, "Ela mim ama', como muitos dizem.

Mais um exemplo:

Ele me fez e não "Ele mim fez".

TRÂNSITO - Há uma nova versão do "Ou bebe ou dirige", ou "É proibido dirigir e telefonar ou acessar o celular".

É "ou dirige ou fuma". Tem gente que não sabe fazer as duas coisas. O humorista e cantor cearense Falcão em uma de suas engraçadas canções conta que aprendeu ainda menino fazer duas coisas ao mesmo tempo:

Foi aí 
Que depois de muito esforço
Consegui andar
E ao mesmo tempo
Mascar chiclete.

ELA NÃO - Ela, aqui e acolá, aparece nas nossas vidas. 

O que devemos fazer quando ela vem e se mete na minha e na sua vida? Ficar esperando que ela consuma aos poucos, sem vexame, nossas vidas? Ficar inerte? Nunca!

Ela não! Ela muda o exterior. Faz um trabalho interior que reflete no exterior. Todo mundo nota que há alguma coisa errada. É o efeito dela. Por isso, sempre que puder, lute para ela ficar longe de sua vida.

Tristeza, não! Ela não!




Nenhum comentário:

PROVÉRBIO

 A fortuna quando afaga, então espreita, e a próspera é mais suspeita.