segunda-feira, 5 de dezembro de 2022

POEMA DA TARDE

Efemeridade 

(Júlia Costa)

Quando te vi
Meu sol raiou
Meu dia amanheceu
Minha noite brilhou.

Quando te tive
Meus lábios cantaram
Meu corpo dançou
Meus olhos cintilaram.

Quando te perdi
Minha canção silenciou
Minha alegria entristeceu
Meu coração congelou.

Nenhum comentário:

POEMINHA

Canto num canto  Aquela canção fria Que longas horas Ao meio-dia  Num começo de tarde Achei você.  Estavas em pé  Meio risonha  Meio triston...