terça-feira, 6 de dezembro de 2022

NEM SEI SE QUERO

Nem sei se quero te entender.

Nada entendo de tuas investidas contra a sã razão, por serem secretas, escondidas no âmago do mais escondido dos lugares do existir. 

Não disfarças o que fazes, pois estás acostumado com esse fazer diário.

Escondes teus projetos, pois sabes que não saem bem na fita para os que te admiram, e de joelhos diante de ti, chegam a dormitar de leve. Se soubessem quem és, provavelmente te desprezariam e ajudariam a tirar a fama que tens.


Nenhum comentário:

PROVÉRBIO

A dita dos maus é tormento dos bons.