quarta-feira, 25 de março de 2020

FESTA

As muriçocas querem fazer festa com nossos couros. Ainda bem que os sapos amenizam o problema. Amenizam e equilibram a coisa com umas boas comidas.

Nada a ver com cadeia alimentar, mas com crítica à poesia parnasiana, escreveu Manuel Bandeira:

Enfunando os papos,
Saem da penumbra,
Aos pulos, os sapos.
A luz os deslumbra.


Nenhum comentário:

POESIA

Ausência Madrugada sem fim Com você longe de mim. Dia triste e incerto Sem você por perto. Noite longa e gritante Com você distant...