domingo, 31 de outubro de 2010

NUMA VELOCIDADE!

Como estava previsto, a eleição de hoje está a toda velocidade. Pelo menos na sessão em que trabalho, a média de tempo por pessoa está a muito menos de um minuto, incluindo todo o tempo que gastamos com a assinatura dos eleitores e demora de uns poucos.

A eleição está noramalíssima. Só vai sair do normal a abstenção.

HOJE É 40

Hoje o Brasil vai eleger o 40º presidente. Já passaram por aquele poder muitas pessoas das mais variadas ocupações.

O que ocupa 0 número 39 foi inédito na história do país.

O que vai ocupar o número 40, poderá repetir o ineditismo: uma mulher na presidência. José Serra não será ineditismo coisa nenhuma. De economistas já estamos fartos!

Agora é 40!

POBRE SÓ SERVE PRA DUAS COISAS

Dizia o personagem Justo Veríssimo, o que encarnava um político corrupto, do comediante Chico Anízio, que pobre só serve pra duas coisas:

A primeira: pra pedir.

- E a segunda?

- Votar!

HOJE É DIA DE POLÍTICA

No entendimento popular, a palavra política toma outro significado diferente do que está no dicionário tradicional. Hoje é dia de política.

Política - 1. Tempo de eleição 2. Eleição. É o que diz o dicionário Upanemês.

O dia de hoje relembra os velhos tempos em que as pessoas iam às urnas, regidas por outras leis eleitorais, entre as quais, os candidatos podiam (será que podiam mesmo?) pagar comida franca para os (seus) eleitores. Os eleitores também eram transportados pelos candidatos ou cabos eleitorais. O voto também era cantado na mesa.

Velhos tempos da política que - tomara - não voltem mais!

AS DUAS ALEGRIAS DO POBRE

A primeira é quando compra um carro velho.

- E a segunda?

- A segunda alegria do pobre é maior do que a primeira.

- Por que?

- Porque? A pergunta não é por que, mas como?

A segunda alegria é quando ele vende o carro velho.


SEM NENHUMA PALMA

Nem foi preciso fazer um pouquinho de esforço para não bater palmas neste ano para os candidatos.

Há tempos que eu tinha concluído que eles não merecem palmas, mas só agora resolvi por em prática a teoria.

Percebi nesse ano que cada vez mais gente está aderindo à ideia de não mais bater palma pra seu ninguém. Se a moda pegar, acho que os comícios vão se tornar cada vez mais vazio.

UMA ELEIÇÃO

Hoje teremos uma eleição somente: a eleição do presidente do Brasil para governar quatro anos e com direito a uma candidatura à reeleição, segundo as regras do jogo hoje.

Constitui-se uma impropriedade a gente dizer que hoje teremos eleições, tendo vista que hoje só elegeremos um candidato. Singular, portanto.


sábado, 30 de outubro de 2010

O DEVER CUMPRIDO

Com a consciência de ter cumprido o dever como estudante, Jefferson Carvalho, que não obteve êxito na eleição do grêmio, assim se expressou ontem no programa do Grêmio:

"Tenho consciência do dever cumprido".




DEBATE LIGHT

Para quem estava com muito sono ontem à noite, não teve condições de assistir ao debate entre os dois candidatos a presidente da República. Ou ao candidato Serra e a candidata Dilma, como preferem dizer as feministas.

Foi um debate de alto nível. Será que foi de propósito ou não?

Não dá pra saber porque não eles não disseram, mas dá pra especular que faz gosto. Sabemos que eles tinham em mente uma coisa: o candidato Serra sabia, como hoje sabe, que não tem chances reais de ganhar a eleição. Pra que bater forte na adversária?

Dilma, por outro lado, já sabendo que os números são a seu favor, para que bater no adversário? Para quê?

FUNDO DO BAÚ POLÍTICO

Em 30 de outubro de 1999, houve a convenção do PSB local. O evento foi presidido por Rosvaldo Bezerra. Sem mandato, ele retornou à política no ano seguinte, como vereador. Apoiou a candidatura de Jorge Luiz para prefeito no ano seguinte.

Naquela época, eu escrevia no caderninho que ele teria pretensões de ser candidato a prefeito, porque em sua fala, ele disse que "não iria com a boiada."

Não sei a que tipo de boiada ele se referia.

Escrevia eu no caderninho que acreditava que ele pudesse disputar uma vaga no legislativo no ano seguinte.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

PROFISSÃO DO PRIMEIRO ENTREVISTADO DO JORNAL DE UPANEMA

Qual a sua profissão?

"Qual a sua profissão", foi a primeira pergunta da série de entrevistas que o Jornal de Upanema fez durante os sete anos.

O entrevistado responde, com uma pergunta: Qual delas?

E depois responde: Sou médico, sou advogado, sou professor de Latim, professor de Português, professor de Matemática, professor de Química.

O senhor fala alguma outra língua além do Português?

"Eu não falo línguas, muitas, mas entendo um pouco do alemão, um pouco de francês, um pouco inglês. Latim eu traduzo também... um pouco, mas, ajuda do dicionário, traduzo tudo."

Acima uma amostra da primeira entrevista que o Jornal de Upanema fez. Foi ao senhor, o doutor Antônio Rodrigues de Carvalho, como ele preferia ser chamado.

A entrevista foi em sua residência, em Mossoró.

FONTE: www.jornaldeupanema.com.br

DOIS DIAS DA ELEIÇÃO

Faltavam dois dias para a eleição de 2002, ocorreu o debate o entre Lula e Serra. Naquele ano, Serra não estava na mesma situação de agora, se considerarmos que ele era candidato da situação. Agora é da oposição. Quanto à posição dos candidatos no pleito, é muito parecida: a candidata do PT é favorável, segundo as pesquisas.

Como naquele ano, a candidata não tem o que perder. Serra, sim.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

COM A PALAVRA, DRUMMOND

Tive ouro, tive gado, tive fazendas.
Hoje sou funcionário público.
Itabira é apenas uma fotografia na parede.
Mas como dói!

(Carlos Drummond de Andrade, em "Confidência de itabirano.")

Como deu pra notar, o poeta Drummond era funcionário público. Grande parte de sua obra era autobiongráfica. Ele era de Itabira, MG e funcionário de carreira. Falava de sua condição de empregado de uma forma desoladora.

Se vivesse agora, certamente ainda estaria se lamentando de ter entrado para o serviço público.

BASTEI ELOGIAR

Fiz um elogio rasgado aos candidatos das duas chapas do grêmio do Calazans numa postagem hoje pela manhã.

Nem sei se alguém chegou a ler. Mas o que me interessa agora é falar sobre outra informação que tive sobre a chapa vencedora.

Vieram me dizer que na hora dos discursos, chegaram a cometer aquele velho erro de atribuir a Deus a vitória. Como sou meio escabriado com informações ditas por terceiros, prefiro considerá-la um boato de perdedores e de fuxico da oposição.

Também não acredito nessa história de que Deus ou um santo qualquer possam interferir desse jeito nos projetos humanos. A vitória, a priori é do trabalho da chapa. Quanto a Deus, ele pode interferir, mas não desse jeito.

ABTO DA ESCOLA

O lendário Camonge, na hora da agonia da morte, encontrava-se acompanhado de um amigo. Como eles tinham o costume de colocar a vela na hora que uma pessoa morria, o amigo tentou fazer isso, porém não achou uma vela por perto. O jeito foi improvisar com uma brasa e um pouco de areia.

Camonge, do alto de sua sabedoria, exclamou:

- É morrendo e aprendendo!

Não direi como Camonge, mas uma coisa parecida:

- É vivendo e aprendendo! Aprendi mais uma coisa hoje à tarde, através de um comentário anônimo. Frequento a escola desde o nove anos de idade e não sabia que a escola tem uma coisa chamada "abto". Só sei que tem, mas não sei o que é.

Quem souber, mande um e-mail pra mim:
gondimxavier@yahoo.com.br


NÃO CABE NO POEMA

O funcionário público

Não cabe no poema

Com seu salário de fome.

(Ferreira Gullar)

MIL PARABÉNS PRA VOCÊS

Não tenho palavras para parabenizar as duas chapas que concorreram a presidência do grêmio do Calazans Freire.

Nessa postagem vou deixar de lado as mancadas das duas chapas, incluindo as briguinhas e os desaforos - próprios de uma disputa eleitoral. Vou derramar em elogios no que se refere a um item, que já se tornou uma prática nas campanhas eleitorais aqui e alhures: a utilização da religião e até de passagens da Bíblia para captar votos em favor de si. Quem está atento nas mais recentes campanhas políticas deve ter notado o uso abusivo dessa prática.

Acompanhe comigo, leitor, o meu raciocínio. Nas duas chapas havia membros das maiores religiões de Upanema: católicos e evangélicos. A chapa 01 era encabeçada por um evangélico. A vice pertence ao catolicismo. A chapa 02 era encabeçada por um católico e a vice, uma evangélica.

Vejam os leitores, que eles tinham em suas chapas uma ferramenta perfeita para usarem a favor de si. Entretanto, pelo menos publicamente não utilizaram num só momento esse recurso em favor deles.

Assisti ao debate no dia 22, na Câmara municipal. Ali seria um momento perfeito para eles explorarem o tema. Mas não. Eles sabiamente fizeram o certo. Esse fato deve ser lembrado para sempre e ser usado como exemplo para os políticos que, sem nenhum pudor utilizam essa ferramenta às claras.

Aproveito esse momento para bater com toda força - arda em quem arder - nos que já utilizaram isso aqui, e pelo visto, ainda não se arrependeram porque igualmente ainda acham que fizeram certo.

A campanha nacional

No primeiro turno das eleições, o assunto foi largamente discutido. “Devíamos votar em não sei quem porque ele é do nosso grupo.” Nada mais falso, queridos e queridas. Nada me garante que fulano de tal será um bom administrador ou legislador só porque é do meu lado religioso. O voto certo é naquele que pode ser o melhor para a cidade, o Estado ou o país. Há certas pessoas do nosso lado que no dizer do grande radialista Antônio Bezerra, não sabem administrar nem um pote d’água.

E como é isso, Antônio? Perguntei um dia.

“Tem político que se dermos a ele um pote cheio d’água e um caneco, ele não sabe administrar, ou seja, distribuir para as pessoas aquela água.”

Ou seja, ou vai faltar ou vai sobrar, digo eu.

CADA URNA APURADA, UM UHHHHH

Cada urna apurada da eleição para o grêmio Aldo Felinto, a torcida das duas chapas, que estavam fora do estabelecimento de ensino, gritava.

O fato de uma grande multidão de estudantes ter ficado esperando o resultado fora já se tornou corriqueiro. Foi assim nos outros pleitos e será nos próximos.

RESULTADO DA ELEIÇÃO DO GRÊMIO

A chapa vencedora da eleição do grêmio, ontem, foi a chapa 01. A chapa 01 bateu a 02 com 79 votos de maioria.

A apuração começou tensa, com os os dois representantes das chapas esperando pelo pior.

Na primeira urna apaurada, a chapa 01 venceu com uma diferença de 22 votos. A segunda urna deu uma esperança a chapa 02: 10 votos de maioria.

A terceira urna mostrava que a campanha tinha sido acirrada mesmo: 2 votos de maioria para a chapa 01. Somavam-se, assim, 14 votos de maioria para a chapa 01.

A quarta e última urna apurada, a maior, por sinal, botou um grande balde de água fria em cima da disputa. A chapa 01 obteve 115 votos contra somente 50 votos da chapa opositora.

Na soma de 14+65, a chapa 01 obteve 79 sobre a chapa 02.



quarta-feira, 27 de outubro de 2010

DECRETO

Decreto 014/2010


A Prefeita Municipal de Upanema, Estado do Rio Grande do Norte, Maria Stella Freire da Costa, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas por lei.

DECRETA:

Art. 1º - Fica declarado normal o dia 28 de Outubro de 2010, e facultativo o dia 01 de Novembro de 2010.

Art. 2º - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contratio.


Maria Stella Freire da Costa
Prefeita Constitucional

Gabinete da Prefeita em 26 de Outubro de 2010.

MARKETING ELEITORAL

As duas chapas que concorrem à eleição do grêmio do Calazans conseguiram carros de som para fazerem a divulgação de suas chapas, em frente ao colégio e em pleno horário de eleição.

O fato não é ilegal nem errado, desde que as duas agremiações respeitem os limites da democracia.




VISITANTES DA EXPOSIÇÃO CONCORRERÃO A CAIXAS DE CARTÕES-POSTAIS

A exposição fotográfica “Retratos de Upanema e Sertão do Apodi” continua aberta ao público até o dia 05 de novembro. A Secretaria de Turismo e Comunicação informa que todos os visitantes que assinarem o livro de presença, que se encontra na sede do Grêmio Estudantil do colégio Calazans Freire, concorrerão a caixas contendo cartões postais da região. É uma forma dos visitantes levarem para casa, parte das fotos que estão sendo expostas. São mais de trinta caixas que serão sorteadas no final da exposição. Participe.

FONTE: Secretaria de Turismo e Comunicação - www.prefeituradeupanema.blogspot.com

HOJE TEM CARREATA

Soube, por acaso, ao ouvir uns meninos conversando hoje pela manhã que hoje à noite, logo após a apuração dos votos da eleição do grêmio, haverá uma carreata pelas principais ruas da cidade.

Foi assim quando Inavan Santos venceu a eleição e noutros pleitos dos gremistas, cujos candidatos vencedores não me lembro.

Nada mais justo. Afinal, o fato acima comprova que as pessoas de Upanema gostam muito de política, a ponto de já ser dito que respiramos, lanchamos, almoçamos e jantamos política.


UM VOZEIRÃO

Um dos destaques da chapa 01, no debate dos representante do grêmio do Calazans, na sexta-feira, 22, foi o estudante Joézer de Carvalho, do 2º ano A, matutino.

Ele debateu os temas da campanha gremista. Ele interpretou as propostas de sua chapa de modo contundente e brilhante.

Também é filho de quem é...

COMPETÊNCIA

Outro ponto explorado pela chapa 01 no debate foi sobre a competência da chapa 02.

O candidato Jefferson disse que tem competência para ser representar o grêmio Aldo Felinto.

NEM DILMA NEM SERRA

Ainda no debate dos candidatos à presidência do greêmio do Calazans, o candidato da chap 02, Jefferson disse:

"Nem sou Dilma nem sou Serra."

OUTROS PONTOS DO DEBATE DOS CANDIDATOS AO GRÊMIO

Rádio escolar

Segundo a chapa 01, a programação da rádio deve ser ligada à educação e às matérias escolares.

Segundo a chapa 02, a rádio deve mostrar aos alunos os direitos e deveres. Deve divulgar também os aniversariantes e uma programação voltada para a informação.

Ônibus escolar

Se o ônibus escolar deixar de trazer os estudantes da zona rural, o que as duas chapas pretendem fazer?

A chapa 01 respondeu que iria atrás das autoridades para que o problema fosse resolvido.

A chapa 02 respondeu que falaria com o secretário de transporte e com a direção da escola para que o problema fosse solucionado.


POR QUE?

Ainda no debate dos candidatos a presidente do grêmio do Calazans, na sexta, 22, perguntei aos dois candidatos:

- Por que os alunos devem votar em vocês?

Chapa 01 respondeu:

"Porque estamos envolvidos com o grêmio atual. Queremos fazer mais algo pelo estudante. Nossa chapa é capaz de fazer e acontecer".

Chapa 02 respondeu:

"Nossa chapa quer o bem de todos os alunos."

IMPORTÂNCIA DO GRÊMIO ESTUDANTIL

No debate dos candidatos ao grêmio estudantil Aldo Felinto, perguntaram aos dois representantes das chapas qual é a importância de um grêmio estudantil.

O representante da chapa 01 respondeu:

"Defender os direitos dos alunos".

O representante da chapa 02 respondeu:

"Ser a voz dos estudantes".

Os dois disseram a mesma coisa.

DUAS VICES

No pleito de hoje da eleição do grêmio Aldo Felinto, temos duas candidatas a vice.

Da chapa 01 é Thaís Helena, do 2º ano A, matutino.

Da chapa 02 é Adna Raquel, do 1º B, matutino.

ESTUDANTES VÃO ÀS URNAS

Domingo o Brasil vai às urnas eleger o novo presidente do Brasil.

Os estudantes da Escola Estadual José Calazans Freire vão às urnas no dia de hoje para eleger a nova diretoria do grêmio.

Duas chapas concorrem ao pleito. A de número 01 é encabeçada pelo estudante Daniel Cazuza, do 1º ano C, vespertino.

A chapa de número 02 é encabeçada pelo estudante Jefferson, do 2º ano A, matutino.

O pleito está previsto para começar às oito da manhã. No final do expediente da noite haverá a apuração dos votos.
Justificar
Pesquisa

Fizemos algumas sondagens para sabermos qual a tendência do eleitorado. Posso garantir que a disputa está bastante acirrada. Acredito que quem vencer não será com um número expressivo de votos.

Funcionário que vota

O estatuto permite que os funcionários da escola votem. Eu e mais outros já se manifestaram contra. Já disse que abro mão desse direito por acreditar que quem deve decidir seu futuro são os próprios estudantes. Como disse meu sobrinho Francisco: é uma eleição do grêmio estudantil e não do grêmio professoril.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

ALUNOS BRINCAM DE POLÍTICA

Na escola Estadual José Calazans Freire, os candidatos e cabos eleitorais das duas chapas brincam de fazer política. Já é um treino para alguns que inevitavelmente vão seguir a carreira.

Do treino é que a gente vai para a prática. Se alguém treinar mal, poderá no futuro praticar uma política má. Disso tenho certeza.

OUTRO DADO QUE DEPÕE CONTRA SERRA

No debate de ontem da Record, percebi uma característica de Serra que não se enquadra com uma das inúmeras características que todo candidato deve ter ou pelo menos fazer os eleitores crerem nisso: é a educação e postura diante do adversário.

A candidata do PT chama o candidato do PSDB de "candidato Serra" e dirigindo-se a ele. O candidato do PSDB chama a candidata do PT de "a Dilma", numa terceira pessoa, sem falar diretamente com ele.

Se o eleitorado indeciso interpretar essa postura do candidato Serra como uma atitude arrogante, não tenho a menor dúvida que não votará nele, não.

PARABÉNS PARA NÓS III

Momentos difíceis no jornal

Como em todo projeto, há pessoas que se opõem de forma contundente. Isso foi o bastante para que passássemos por moentos difíceis e desanimadores.

Como a maioria é do bem, ultrapassamos aqueles momentos. Vieram outros e mais outros. Mas mas não baixamos a cabeça.

BATE BOLA DO DEBATE DO GRÊMIO

Na sexta-feira passada, 22, assisti ao debate entre os candidatos a presidente do grêmio Aldo Felinto.

Houve momentos de tensão e disputa, boca a boca.

Num momento, o candidato da chapa 2, Jefferson, referindo-se à atual gestão, disse:

"Deixaram Edinael na mão". Ele referia-se ao fato que na atual gestão, só Edinael trabalha pra valer. Caso ganhe, Jefferson diz que vai botar a chapa para trabalhar.

Lucas, representante da chapa 1, responde:

"Nem por isso ele deixou de trabalhar."

PARABÉNS PARA NÓS II

Idealizávamos um jornal que primasse e priorizasse a cultura upanemense. As primeiras edições tinha essa linha. Depois, sem abandoná-la, resolvemos também avançar e abordarmos outros temas, como a política local, o esporte e o jornalismo de serviço.

Assim, começamos a nos aproximar do jornalismo profissional.

Como exemplo de valorização da cultura local, fizemos uma matéria com o popular Agripino. Depois o apoiamos para que ele "ressuscitasse" seus bonecos.

Uma matéria de capa anunciava:

"Homem volta a botar boneco".

Numa apresentação no clube municipal, Agripino e sua equipe pôde mostrar para a presente geração o seu talento como "bonequeiro".

FONTE: www.jornaldeupanema.com.br

UM ASSUNTO DIFÍCIL

Está provado que um assunto muito espinhoso para o candidato Serra é o emprego.

Percebendo isso, a candidata Dilma está batendo com força nesse calo.

Ontem à noite, no debate da Record, Serra não se deu bem, a meu ver, no item emprego. A candidata do PT aproveitou-se do bom momento e sentou-lhe a pancada bem no canto fraco do adversário.

Numa rodada de perguntas em que o candidato Serra deveria falar sobre a oferta de emprego na administração FHC e Lula, o tucano preferiu falar de petróleo. Isso pegou mal, viu serristas?

Noutro bloco, não teve jeito: Serra teve que dar sua explicação.

AVALIAÇÃO DA CARREATA DO PSDB

Um dos organizadores da carreata do PSDB, realizada no domingo, 24, o professor João Marinho, avaliou como positivo o evento.

"Sem a presença de nenhum político conhecido no Estado, e nenhum político com mandato, além de não haver patrocínio para a manutenção da carreata, foi um sucesso", conclui João Marinho.

PARABÉNS PARA NÓS I

Voltemos ao ano de 2003, mais precisamente ao dia 26 de outubro. Naquele dia, o Clube Municipal lotou de convidados para assistir ao lançamento da primeira edição do Jornal de Upanema.

Upanema tinha tido um jornal no final dos anos 70 e 80, cujo nome era Juventude Rural.

Em 2003, resolvemos resgatar esse patrimônio, com uma solenidade. Participaram algumas autoridades municipais, como o então prefeito Jorge Luiz e alguns vereadores.

Tivemos também a participação honrosa de Antonio Rodrigues de Carvalho. Ele, que foi prefeito de Mossoró e deputado estadual, também foi o nosso primeiro entrevistado.

FONTE: www.jornaldeupanema.com.br

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

ALGUNS MOMENTOS DO DEBATE DOS CANDIDATOS A PRESIDENTE DO GRÊMIO I

No debate entre os estudantes na sexta, 22, ficou claro uma coisa: A chapa 1 é da situação e a chapa 2 é da oposição.

A chapa 2 prometeu fazer o que a atual gestão não fez, mas que deveria ter feito.

Outro ponto importante foram os principais debatedores de cada chapa. Da chapa 1, o aluno Lucas falava mais do que o candidato a presidente. Já na chapa 2, o candidato a presidente era quem chamava pra si a responsabilidade de falar. E disso fez questão de dizer que se ganhar, terá a responsabilidade de conduzir a administração.


ENQUANTO UNS, ENQUANTO OUTROS

Enquanto algumas pessoas nesse período eleitoral não viajam para cidades que têm serra só por causa de Serra, outros vão às ruas, sem medo de dizer que estão com o candidato tucano.

Foi o que fizeram um número de pessoas que vão votar no candidato de Fernando Henrique Cardoso, na tarde-noite de ontem.

Prevista para começar às cinco da tarde, a carreata saiu um pouco mais acima da hora prevista, no conjunto COHAB. Com um carro tocando as músicas do candidato e debaixo de alguns fogos, a passeata deu algumas voltas na cidade e parou próximo ao mercado público.

Poucos oradores usaram da palavra, em razão de não contarem com a presença de políticos da região.

Sob a mediação do professor e radialista João Marinho, ouvimos as palavras do estudante Edinael Castro; do ex-prefeito e ex-vereador Valério Augusto; do comerciante José Edilson da farmácia Amorim; do popular Gilnete; do ex-vereador Josiel Gondim e do ex-vereador Nelson de Nequim.

domingo, 24 de outubro de 2010

COLLOR E LULA

Em 1989, ficaram para o segundo turno o ex-governador Fernando Collor de Mello e o sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva.

No Rio Grande do Norte, um dos defensores de Collor era, sem dúvida, José Agripino, que era senador pela primeira vez. Escapa-me da memória a posição de Lavoisier Maia, que disputaria o governo do Estado no ano seguinte, pelo PDT, de Brizola.

O então governador do Estado, Geraldo Melo, também pediu votos no segundo turno. Acredito ter sido para Collor.

Sei que a orientação nacional do PMDB era votar em Lula, tendo em vista que a candidatura Ulisses era tinha características mais para a esquerda. Não sei dizer qual a posição do partido no Estado.

Na cidade, o clima ainda era de eleição municipal do ano anterior. Valério tinha ganhado a eleição para o PMDB. Assim, estava feita a divisão: Valério apoiava Collor e uma parte dos peemedebistas, Lula, num confronto direto com o prefeito.

Depois de apuradas as urnas, Lula ganhou mais uma vez aqui e perdeu, pela primeira vez, lá.

Configurou-se o mote da campanha: Lula continuou lá, lutando para ser presidente.

UM TEMA ESQUECIDO NA CAMPANHA ELEITORAL DESTE ANO

Sinto-me privilegiado por ter votado pela primeira vez depois que acabou-se o regime de exceção. Foi em 1989 que o Brasil voltou a votar para presidente. A última eleição tinha sido em 1960, com a vitória de Jânio Quadros.

Em 1989, assisti praticamente todos os minutos de todos os debates que passaram na TV. Acho que os temas abordados eram mais interessantes do que agora.

Não concordo que os candidatos eram menos agressivos do que os deste ano. Não saiu da nossa memória as brigas entre Maluf e Brizola; entre Brizola e Collor; entre Covas e Maluf; entre Lula, Brizola e Collor; entre Caiado e Brizola; entre Lula e Brizola.

Naquele ano, os assuntos eram muito variados, como hoje são, mas discutiam assuntos do momento, como a urgente necessidade de se fazer uma reforma agrária de verdade.

"Ola, ola, ola,
Vamos fazer reforma agrária
Nas terras do Brizola".

Brizola respondia:

"Ol, ol, ol,
Vamos fazer reforma agrária
Nas terras do Bisol."

A primeira estrofe teria sido provocada pelos partidários de Lula, ao condenar Brizola por este ter terras demais a ponto de ser requerida uma reforma agrária.

A segunda estrofe foi dita em um debate pelo próprio Brizola, acusando a candidatura Lula, por ter como vice, o senador Bisol e este também ter também muitas terras próprias para a reforma agrária.

Reforma Agrária. Um assunto que não vi, nem de leve, ser ventilado nos inúmeros debates que existiram. Sei que o assunto não deve ser abordado com o mesmo teor daquele tempo. Agora é muito diferente, levando em consideração que hoje precisamos de soluções para os inúmeros problemas dos assentamentos.

Reforma Agrária é assunto esquecido. O aborto, a união civil de pessoas do mesmo sexo e as bolinhas de papeis ou não sei o quê são mais importantes para se levar ao centro do debate.

Pelo menos é o que parece.