sexta-feira, 31 de outubro de 2014

MAIS UMA ELEIÇÃO

Desta vez é a do grêmio estudantil da Escola Estadual José Calazans Freire.

O Grêmio Estudantil Aldo Felinto vai renovar sua diretoria hoje. Concorrem a chapa 1 e 2. A disputa está acirrada, segundo observamos os pedidos de votos. Houve até comícios.

A eleição será durante todo o dia, nos três turnos. A apuração ocorrerá, como de praxe, depois do turno da noite.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

VACINAÇÃO

A paralisia infantil e o sarampo são duas doenças muito antiga e muito combatidas.

Desde que me entendo de gente vejo campanhas contra elas. Vejo também sua eficácia, haja vista o número reduzido de pessoas com paralisia e sarampo é muitíssimo reduzido.

O estranho é constatarmos que ainda há pessoas que resistem à aplicação de vacinas. Assombroso!

Campanha

Do dia 8 a 28 de novembro haverá uma campanha em todo país. 

A informação é do jornal o Globo online.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A PRÁTICA

A prática da redação é tão importante quanto a prática de esportes, com relação à teoria.

Não adianta saber de técnicas de redação se não for acostumado a escrever.

Portanto, mãos a obra, pois o dia já está chegando.

Uma redação por dia cai de bom tamanho!

terça-feira, 28 de outubro de 2014

PROFISSÃO REPÓRTER

Hoje no Profissão Repórter haverá uma reportagem sobre o aborto.

Será um momento de reflexão para todos, principalmente para quem o defende.

O POST ANTERIOR

O post anterior faz referência somente aos que votaram nos dois candidatos a presidente neste dia 26 e não os que votaram nulo ou branco. Estes não aceitavam nem um nem outro.

Os que sufragaram votos úteis decidiram deixar o Brasil do jeito que está. Acharam eles que o candidato da oposição seria pior.

Uma pena!

A METÁFORA DO FUTEBOL

Para a maioria dos brasileiros  que sufragaram votos úteis nas eleições de domingo, 26, raciocinaram da seguinte maneira: nosso time está perdendo pelo placar de 2 x 0, mas não vamos mexer no time, pois poderemos perder por um placar maior.

A SALVAÇÃO VEM DE CIMA

A aguda crise da falta d'agua em alguns estados do país por enquanto só vai ter jeito com a chegada das chuvas.

A salvação virá de cima.

Sem chuvas, os reservatórios vão continuar  secando e o povo sofrendo.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

QUEM GANHA TAMBÉM PERDE

Depois de cada apuração de votos as pessoas que votaram nos eleitos gabam-se de terem ganhado.

Aqueles que votaram nos candidatos que não lograram êxito costumam admitir que perderam.

Entretanto se olharmos de outro ponto, poderemos ver que quem ganha também perde. Tudo dependerá da honradez dos compromissos de campanha.

Como exemplo, podemos citar o que prometeram a dupla Robinson-Dilma. Nos itens saúde, segurança e educação estaremos muito bem, obrigado.

Agora só falta o cumprimento a partir do ano que vem. Se cumprirem o que prometeram, então todos ganharam com a eleição deles.

domingo, 26 de outubro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra da eleição de José Agripino ao governo do Estado em 1982 e sua maioria sobre Aluísio Alves?

Zé Agripino teve 106.352 votos de maioria sobre seu adversário.

sábado, 25 de outubro de 2014

BATER RECORDE

Segundo os melhores dicionários, inclusive o da Academia Brasileira de Letras, dizem que aque recorde  é uma palavra paroxítona.

Para  provar isso, ela não tem acento gráfico na antepenúltima sílaba.

Pena que muitas pessoas famosas teimam em pronunciarem erradamente, chegando a induzir ao erro as pessoas mais simples.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

MAIS NÚMEROS DO MEU VELHO CADERNO

Em 27 de outubro de 2006 o Ibope divulgava pesquisa: Lula 58% e Alckimin 35%.

NÚMEROS DE 2006

Em 2006, um ano de eleição similar a deste ano no que se refere ao número de votos (deputado estadual, deputado federal, senador, governador presidente) números do Datafolha foram divulgados no dia 24 de outubro, portanto, há  oito anos, com o guinte resultado: Lula 58% e Alckimin 37%.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

QUEM JOGARÁ MELHOR?

Quem jogar melhor com suas palavras no último debate a ponto de convencer os eleitores terá grandes chances de ganhar a eleição no próximo domingo.

Não basta ser melhor. É necessário que o povão aprove a fala dos candidatos.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

DEBATES

Os debates estão deixando os candidatos sem ter o que expor de novo.

Com o de sexta próxima, já são quatro debates para presidente.


É uma saturação de conversa repetida. Já não há o que propor e acusar sem que o adversário e eleitores desconheçam.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

VELHA CAIXA

Revirando a minha velha caixa de informações leio que uma pesquisa divulgada pelo Ibope em 27 de setembro de 2006, o então candidato Lula tinha 48%, enquanto Alckimin tinha 32%.

Lembramos que ainda estávamos no primeiro turno.

A MATEMÁTICA EM ALTA

Grande parte dos estudantes e o povão  em geral nutre uma grande aversão e até ódio pela matemática enquanto matéria escolar. Essa rejeição muitas vezes é direcionada também aos professores. Infelizmente.

Uma coisa que eles não podem mudar é o uso diário da matemática, principalmente nesse período, o eleitoral.

Vivemos diariamente cercados de números. Somos movidos pela fé. É necessário crer para votar. A história tem provado que as pessoas mesmo dizendo que não acreditam nas pesquisas, findam votando nos que estão na dianteira.

A matemática, no final das contas, guia a vida das pessoas, mesmo das que a detestam como disciplina escolar.

Não seria o momento de os estudantes aproveitarem o ensejo e aprenderem percenatagem?

INIMIGO E ADVERSÁRIO

Inimigo e adversário não é a mesma coisa, apesar de serem duas palavras de sentidos aproximados.

Adversário é quem é contra alguém numa circunstância específica. Numa eleição deve haver apenas adversários e nunca inimigos.

Isso serve para candidatos, cabos eleitorais e eleitores simples.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

AS NOVAS FERRAMENTAS

Além das ferramentas tradicionais de acesso à internet, hoje perdemos a conta das maneiras que temos de publicarmos algo na grande rede.

Hoje é possível publicarmos um texto de um local onde não haja internet da forma tradicional. É o acesso pelas operadoras de telefone móvel.

Este mundo está a cada dia puor nunas coisas e ótimas noutras.

domingo, 19 de outubro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

 Quem se lembra dos quintais cercados com varas?

Hoje quase não se vê uma casa que tenha cercas. As cercas que conhecemos são as elétricas. Sua quantidade nas casas são praticamente iguais aos muros cercados com tijolos nos velhos tempos.

HORÁRIO DE VERÃO, QUE MARAVILHA!

Estamos no horário brasileiro de verão. Que maravilha!

Que maravilha que nada, objetará alguns. Este horário só traz transtornos.

Discordo. É muito bom a gente mexer com o mesmismo das horas.

O horário diferenciado vai até 22 de fevereiro de 2015.

sábado, 18 de outubro de 2014

HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO

Começa a partir da meia-noite o horário brasileiro de verão.

Acho-o maravilhosamente bom esse novo horário, pelo mesmo motivo de muitas outras pessoas: por causa do horário da TV que começa mais cedo e permite que possamos ver os programas mais tardes.


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

DIFICULDADES EM ACEITAR REGRAS

Todos temos dificuldades em observarmos as regras, seja no trânsito, na escola, no trabalho, no campo de futebol, no debate eleitoral.

A geração de quinze anos não conhece o furdunço que era um debate de candidatos. Em 1989, salvo engano, existia dezenove candidatos a presidente da República.

Era divertido vermos os pegas entre Brizola e Collor. Entre Collor e Lula. Entre Caiado e Collor ou Covas. E por aí se ia. Ninguém deixava o outro falar.

Agora está uma beleza. Todos escutam os outros.

Ainda há a flagrante inobservância das regras, por mais simples que sejam. É do ser humano mesmo. Ele precisa se ligar, pois sem elas o mundo só tende a piorar.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O ENSINO PARTICULAR

Um registro do livro Upanema- de povoado a vila - do professor Josafá Inácio nos informa que antes da escola pública em Upanema (1935), já existia o ensino particular. 

Entenda-se ensino particular como uma escola que funcionava numa casa de família e sem registro oficial. Servia como uma desarnação, ou seja, uma espécie de primeiras informações da cultura letrada. Era a famosa aprendizagem de ler e contar.


DIA DO PROFESSOR

Hoje é o dia dos que transmitem conhecimentos acumulados durante os anos em que estiveram nos bancos escolares, desde a pré-escola à universidade.

Professor é basicamente isso. Quanto ao papel de educar que o professor passou a ser responsável, acho que é um dos grandes equívocos dessa geração. 

O professor não consegue abarcar tantas funções ao mesmo tempo. A polivalência vai no máximo na área do conhecimento e não nas suas atribuições. A educação deve ser papel da família e não do professor.  

Há até uma discussão acerca da função de ser sacerdote, ou seja, doar-se de corpo e alma, mesmo diante das maiores dificuldades. 

E os equívocos não param por  aí. Ser psicólogo, juiz, etc.

Há, talvez, um dos mais graves: é querer colocá-lo no mesmo nível dos alunos. Ora, esquecem-se de que o discípulo não pode nem deve ser igual ao mestre. Quando isso acontece, o discípulo precisa ser mestre de outros discípulos. Nada mais lógico e justo.

O que, lamentavelmente, presenciamos é uma geração que não quer ser aluno diante dos mestres, mas mestre e mandões na condição de aluno, em suas próprias cadeiras. E querem fazer isso sem, contudo, terem sequer a bagagem de aluno eficiente.

Por pirraça sobrevivemos em meio a tantos equívocos.

   

APESAR DOS PERIGOS

"Um novo tempo, apesar dos perigos", cantou Ivan Lins nos anos 80. Naqueles dias, os perigos eram outros.

Os mesmos perigos daqueles tempos não deixaram necessariamente de existir. Eles se somaram a outros que apareceram agora. 

A violência descabida e desenfreada tem aumentado de forma assustadora. 

O ruim dessa questão é que as esperanças que depositamos naqueles que poderiam resolver esses problemas, aos poucos, vão se diluindo. Quase não se acredita mais nas promessas. Quando chegam no topo, aparecem uma amnésia violenta e a coisa fica de mal a pior.

Há novos tempos, mas não tempos melhores. O que há são tempos mais perigosos e mais difíceis de se viver dignamente.

DE OLHO NOS DEBATES

Já que o eleitor de cidades pequenas não tem a possibilidade de manter o contato tête-à-tête, há algumas alternativas para se conhecer os candidatos e o que eles pensam.

Apesar das contra-informações, os é-mentira-é-verdade e os é-e-não-é, é possível aos eleitores o discernimento para saberem em quem não votar. Descoberto em quem não votar, abre a única opção em quem votar, já que são dois candidatos.

O problema é que criou-se na cabeça das pessoas a ideia de que é necessário que o candidato peça o voto ao vivo. No caso dos presidenciáveis, não é possível aos candidatos pedir votos a todas as pessoas ao vivo.

Assim, o debate faz-se necessário. 

terça-feira, 14 de outubro de 2014

AO AMANHECER DO DOMINGO

Ao amanhecer do próximo domingo, 19, o país acordará com o horário brasileiro de verão.

O formato desse ano não terá novidades. Nem mesmo as reclamações vão diminuir. Digo isso porque muito antes de chegar o dia, os contrários já se manifestam.


PREVISÃO DO TEMPO

Consoante o que diz o Clima tempo, Upanema está nublado neste momento.

Os leitores bem informados e bem lidos, como é o caso dos leitores de blogs, não precisam dessa informação porque a tem nas pontas dos dedos.

Os que precisam disso não leem ou leem mal ou quase nada. Precisam acreditar pelo menos no que veem: as previsões meteorológicas não acertam cem por cento, mas chegam perto disso.

MAIS QUE UM MODISMO

Caminhar cedo nos tempos dos telefones inteligentes é mais que um modismo. É uma necessidade.

Um comparativo com o comportamento das pessoas nos anos 80 dá para ver que as pessoas caminhavam naturalmente e suavam naturalmente. Nem precisavam de ginástica. Depois de se acostumarem a comer muito e muito mal, muitas pessoas procuram o socorro nos remédios, nas caminhadas e nas academias. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

FEIRA LIVRE

A feira de Upanema foi um pouco mais movimentada do que as outras, em razão uma pequena movimentação política.

Partidários dos candidatos Robinson Faria e Dilma pediram votos especialmente os trabalhadores rurais.

domingo, 12 de outubro de 2014

OH QUE SAUDADES

Oh que saudades que tenho
da aurora da minha vida
da minha infância querida
que os anos não trazem mais.

MEUS OITO ANOS

"Meus oito anos" de Casimiro de Abreu pinta bem pintado os tempos áureos da nossa infância.

Hoje é dia de nós que já passamos dos quarenta, relembrarmos daqueles que não voltam mais.

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra das crianças que brincavam com carrinhos feitos de flandres e madeira?

sábado, 11 de outubro de 2014

O CLIMA ESTÁ QUENTE

O clima está quente tanto no sentido literal quanto no figurado. No figurado, faço alusão ao momento político-eleitoral.

Os dois candidatos de cada cargo que disputam o segundo turno estão utilizando as armas de que dispõem.

Eles utilizam as mesmas estratégias de um time de futebol: jogada, ataque e defesa.

Só não podem fazer falta feia, pois os juízes darão cartão vermelho.

A TURMA DO BEM

Pertencer à turma do bem é uma das coisas que quase todo mundo almeja.

O quase pertence aos que claramente se colocam na sociedade como instrumentos do mal.

Eles estão em todos os quadrantes da sociedade. Não faltam os que puxam para trás e para baixo através de atos reprováveis pelas mentes sadias.

Mas para os de "mentes desfertilizadas", como diria o ex-prefeito Rosvaldo Bezerra, isso é puro devaneio.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

NA ONDA DOS INSTITUTOS DE OPINIÕES

As pesquisas eleitorais têm ajudado a uns candidatos e afundado a outros. A reclamação parte dos que estão em desvantagem. 

Quase sempre, os institutos de pesquisa mostra a realidade plena e viva daquilo que está oculto. Isso só atrapalha os que estão perdendo. Os que estão ganhando, não estão nem aí. Quando ocorre o inverso, os reclamadores mudam de posições.

A onda de reclamações só se acabaria se fosse proibida a divulgação dos resultados das pesquisas. As pesquisas não seriam proibidas, mas somente para consumo interno. Assim, deixaria o povão mais livre para votar no escuro, sem nenhuma preocupação acerca de quem estaria na frente ou perdendo.

Cabe aos legisladores resolver esse problema. 

OPINIÕES E OPINIÕES

Bem que dizem que acerca de política há muitas opiniões controversas e há até quem chegue a afirmar que não se deve discuti-la porque cada um tem a sua opinião e e não adianta perder tempo.
Acho que aqui é onde as pessoas que inventaram essa ideia estão mais do que redondamente enganados. Deve-se, sim, discutir política. Mas ela deve sr discutida nos foros legítimos e não em qualquer canto.

A internet é um lugar ideal para a política ser discutida.

A mais recente opinião foi aquela de um jornalista, talvez um jornalista, que ao defender o estilo Tiririca, criticava os candidatos que aparecem no horário eleitoral. Chegou até a criticar os programas eleitorais no rádio e TV.

Ora, esses que defendem isso não perceberam que é através do horário eleitoral que muitas pessoas decidem em quem votar e quem não votar? Não descobriram ainda que o lugar onde eles mostram a cara literalmente é no programa de TV?

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

DEBATE

O debate é uma das mais eficazes ferramentas a favor ou contra os candidatos.

E quando o formato é daqueles que põe os dois frente a frente, à guisa de briga de galo, faz mostrar todas as fraquezas e virtudes. É nesses momentos em que eles descobrem o que está no íntimo.

A ESCOLA IDEAL

É certo que a escola ideal de um não é a mesma de outro. Há, porém, orientações de estudiosos para que os pais escolham a escola que se encaixa no seu modo de entender uma escola que sirva bem para os propósitos de si e dos filhos.

Uma escola ideal é aquela em que o filho se sinta bem quando a vê pela primeira vez.

Ela deve ter uma infraestrutura boa e laboratórios funcionando. Os de informática, que sejam aliados dos estudantes e não ferrenhos adversários.

A propósito, já é tempo de pensarmos nisso, pois o fim do ano já chegou.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

UMA GUERRA DE IDEIAS?

No segundo turno desta eleição haverá uma guerra de palavras, acusações, defesas das acusações. Haverá também guerra de conquistas para os apoios dos que perderam a eleição.

E haja guerra!

terça-feira, 7 de outubro de 2014

ENTRE O RUIM E O PIOR

O Brasil gritou durante muitos anos para para ter o direito de votar. 

Agora, em alguns momentos ficamos encurralados, entre a cruz e a espada, ou seja, entre dois candidatos que não correspondem nem de longe com nossas opiniões. É o famoso segundo turno.

É no segundo turno que na situação que descrevi acima escolhe-se entre o ruim e o pior.

E entre o ruim e o pior, tanto faz. O ruim é votar no pior. O pior disso tudo é ter que votar no ruim para não eleger o pior.

Alguém entendeu? Também não.

POR QUE OS ALUNOS SE DÃO MAL?

Estivemos ontem reunidos na Escola Estadual José Calazans Freire para elaborarmos um projeto para a escola concernente ao RN Sustentável.

O RN sustentável é uma parceria entre o governo do Estado e o Banco Mundial. O projeto no nosso Estado é denominado de PIP - Projeto de Inovação Pedagógica.

No Calazans, elegemos o problema dos primeiros anos do Ensino Médio, que é a alta evasão e reprovação. O que está acontecendo? 

O problema será atacado através do projeto e terá o envolvimento de toda escola. 


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

A ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL

Uma das boas propostas dos candidatos a presidente e a governo foi a implementação de escola em tempo integral.

Quanto a isso, quem concorda com essa ideia não deve se preocupar  com os quatro candidatos que ficaram para o segundo turno, se somarmos os dois níveis de disputa. Eles disseram  que irão implantar esse regime de escola.

Aos que não gostam de frequentá-la  - seja aluno ou professor  - não devem sentir vontade de votar em nenhum deles.

OS CABOS ELEITORAIS

Multiplicam-se os cabos eleitorais pelo Brasil a fora. Só que falo dos mini-cabos eleitorais e não daqueles que viram funcionários dos candidatos em épocas de eleição ou são funcionários permanentes dos mesmos.

Vimos agora nesse pleito uma gama de pessoas que pediam votos para seus respectivos candidatos, sem nenhum interesse pessoal ou sem remuneração alguma. Pediam votos só pelo prazer de participarem da política de alguma forma.

E ainda dizem por aí que as pessoas estão perdendo o gosto pela política.

TOMAR REMÉDIO

Sábado, 4, escrevi a expressão "tomar remédio" com relação ao pleito eleitoral.

Aos que não conhecem a expressão supra, direi em poucas palavras o seu significado. Não sei se ela foi criada por nós aqui. Seria até honroso, pois engordaria o nosso rico vocabulário local.

Então, vamos a ela. Tomar remédio em uma eleição é perdê-la. Os eleitores gostam de encharcar os outros com a expressão "tomou remédio". Serve tanto para os candidatos quanto para os cabos eleitorais e simples eleitores.

Lembro-me que em uma dessas eleições falou-se tanto nisso que no dia posterior ao pleito as farmácias ficaram lotadas de pessoas comprando remédio para dor de garganta e gripe por comerem melancia morna.

domingo, 5 de outubro de 2014

QUEM SE LEMBRA? II

Outra campanha para o governo do Estado foi em 1986. Naquele ano eu sufragava meu primeiro voto.

O país estava saindo do regime de exceção. Então, derrotar o candidato da situação era muito bom.

Coube a Geraldo Melo a tarefa de desbancar o candidato dos vermelhos. João Faustino era seu nome.

QUEM SE LEMBRA?

Os grandes pleitos

Em todas as eleições estaduais lembro-me das eleições do passado, especialmente aquelas em que já estava começando a entender de política.

O ano de 1982 marcou a primeira eleição para governador depois da tomada do poder pelos militares.

Em 15 de novembro daquele ano era eleito José Agripino. Agripino vencia pela maioria de cento e três mil votos seu maior rival, o "bacurau" Aluísio Alves.

sábado, 4 de outubro de 2014

COMO PERU DE NATAL

Dizem que quem morre na véspera é peru de Natal.

Com a eficiência das pesquisas de opinião, muitos candidatos já tomam remédio um dia antes da eleição.

Pelo menos é o que pensam os eleitores e até os candidatos. Perder uma eleição antes do tempo é normal, mas os candidatos vão à luta, pois eles alimentam a esperança de os insitutos tropeçarem.

ESTÁ CHEGANDO A HORA

Ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, está chegando a hora.

Amanhã o país vai às urnas para dar cinco votos.

Os ventos da democracia sopraram nesses meses de campanha. Saiu de quase tudo. Cada candidato disse o que bem quis.

É a época em muitas pessoas poderosas praticam a humildade quando pedem. Quem pede é gente humilde. Eles passam três meses pedindo humildemente que votem neles.

Então, viva a humildade e viva a democracia!