quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

MAIS UMA NOSSA SENHORA

Há muito tempo que escuto pessoas chamarem por Nossa Senhora. Algumas nem estão na lista do rei Roberto Carlos. 

Na música, ele faz uma extensa lista. Entre elas estão algumas que poucos conhecem.

Hoje uma mulher chamou por Nossa Senhora do Calor. E olhem que nem estava fazendo tanto calor assim. 

FALTOU

Faltou água nas torneiras. Nas nuvens, não!

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

TRANSFERÊNCIA

Transferência de culpa

Como sempre, o velho dilema sobre quem é e não é culpado se abate sobre as pessoas de todas as classes, profissões e cores.

A violência a no mundo: de quem é a culpa?

O aluno não passa de ano: de quem é a culpa?

Boa hora para voltarmos ao passado, não tão recente, e olharmos lá dentro, no mais fundo o passado, para enxergarmos como funcionavam as regras na sociedade. Regras, diga-se de passagem, como diz aquele apresentador esportivo, quebradas por grande parte dos que hoje querem a solução.

PROGRAMA VOLTA NO DIA DOIS

O programa "Educando com a 104" voltará ao ar no dia 2 de fevereiro.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

ANO DE DERRUBADA

Se o ano passado foi o ano da derrubada de regimes ditatoriais ou quase isso, este ano é o ano da derrubada de árvores, destelhamento, etc.

O quadro acima retrata mais um ano de chuvas e também de ventos, muitos trovões e raios.

Temos notícias de caídas de árvores, destelhamentos de casas de gente e de cachorro.

domingo, 13 de janeiro de 2019

QUEM SE LEMBRA?

Bodega

Uma bodega é um pequeno armazém de secos e molhados, bem define Aurélio.
Casa onde se vendem produtos alimentícios e bebidas, define Soares Amora.

Uma bodega também é definida pejorativamente por uma coisa imprestável.

Bodega tinha e ainda tem em cidades pequenas e até em grandes. A diferença é o nome que se dá a ela. Hoje diz-se "comércio de fulano, mercearia de fulano".

Antigamente era uma das coisas que uma cidade tinha obrigatoriamente além de um correio, a praça de matriz e uma guarda municipal, cujo nome era outro.

Era da bodega que saíam as principais notícias da cidade, do estado e do mundo até. De lá saíam principalmente os fuxicos. Não havia bares ou poucos havia. A cachacinha saía de lá mesmo.


MÚSICA DA MINHA VIDA

Sertaneja

Muito criança ainda, ouvia "Sertaneja", de autoria do cantor Orlando Silva.

Produzida entre os anos trinta e quarenta, nos anos setenta eu a escutava e apreciava. Não sei bem onde e no rádio de quem, mas eu ouvia, além do rádio, das bocas de pessoas mais velhas.

O texto é todo costurado com belas figuras de linguagem, sem nenhuma agressão a quem quer que seja. Linguajar suave, bom de se ouvir:

Sertaneja se eu pudesse
Se papai do céu me desse
O espaço pra voar
Eu corria a natureza
Acabava com a tristeza
Só pra não te ver chorar.

E os teus olhos neste instante
Brilham mais que a mais brilhante
Das estrelas que eu já vi.




POEMINHA INFANTIL

Ventos

Aragem
Todo mundo quer
Vento forte
Que derruba postes
Pessoas
Casas.

Não. Desses ninguém gosta
Antes o detesta
Ou excomunga
Outros até praguejam.

Ventos leves
Que apenas afagam cabelos
Ventos brandos
Vinde a nós!



POESIA

Tempo atroz

O tempo passa velozmente
Quando eu estou ao seu lado
As horas demoram segundos
O relógio cronometra errado.

Mas se estou longe de você
O tempo passa bem devagar
Um dia até parece mil anos
E a noite não quer terminar.

Quebremos nossos relógios
O tempo nós vamos enganar
Vivamos então intensamente
A vontade incontida de amar.

Professora Júlia Costa

O ALEGRE CANTAR DOS PÁSSAROS

O alegre cantar dos pássaros não se compara ao mais alegre cantar dos humanos.

sábado, 12 de janeiro de 2019

QUE PALAVRA!

Breu - Substância semelhante ao pez negro, obtido pela evaporação parcial ou destilação da hulha ou doutras matérias orgânicas. (Aurélio)

Breu com cola é uma expressão que significa que algo não vai ser realizado ou um "de jeito nenhum não acredito nisso!"

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

E O RESTO NÃO TEM PRESSA

Aquilo que podemos chamar de bordão é o dito por um dos personagens da antiga "Escolinha do professor Raimundo", levada ao ar nos anos 90.

"Saúde é o que interessa, e o resto não tem pressa!"

Todos os que assistiam àquele programa sabiam que o bordão resume uma grande verdade: saúde acima de todos os bens materiais. 

Mesmo que pendamos para o lado oposto, como o ter dinheiro, carros e outros bens, o bordão do aluno da escolinha grita muito alto quando a saúde nos falta. 



MATRÍCULAS CONTINUAM

Continuam as matrículas na rede estadual.

Seguem até dia 28, para alunos das respectivas escolas.

Para os novatos, somente a partir do dia 31.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

CLAREOU

As coisas clarearam para o lado da governadora do RN. 

É que as negociações sobre salários atrasados avançaram e tudo indica que até o fim o mês tudo ou quase tudo ficará bem para ambos: os funcionários, porque receberão em dia; o governo, porque vai botar em dia.

ONDA

A onda de calor continua.

Dizem os mais sabidos do que eu que os tempos atuais são mais quentes que os de antigamente.

Não estarão enganados esses sabichões?

ISSO JÁ É O INVERNO MESMO

Foi o que disse um senhor ontem, quando se referia às chuvas que caem no nosso solo. 

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

RAIO E CHUVA DE PEDRA

Este ano é também de chuva de pedra. Há muitos relatos de pessoas que testemunharam caídas de raios e pedrinhas batendo na telha.

CORISCO

O raio é também conhecido por corisco. 

Inclusive, tinha uma pessoa em Upanema que ficava fulo da vida quando alguém o chamava de Corisco.

NOTA DO FUTEBOL REGIONAL

Com saudades

Leio no blog de Carlos Santos:

Em Mossoró, o Potiguar pega o Palmeira de Goianinha no Estádio Manoel Leonardo Nogueira, o “Nogueirão”, às 20h.

Nunca fui um torcedor forte de times regionais. Aprendi a ser flamenguista com meus colegas de sala de aula. Mesmo sendo flamenguista, não deixava de acompanhar o futebol de Mossoró e Natal. 

Na capital do estado torci pelo ABC. Em Mossoró, o Potiguar. Nem sabia, como não sei os nomes dos jogadores, mas acompanhava quase todas as partidas pela rádio Difusora.

DISSERAM OS INSONES E OS DE SONO LEVE

Algumas pessoas insones ou de sono leve disseram que ontem no finzinho da noite tivemos uma boa pancada de chuva na cidade.

ANO DE AÇUDES, BARREIROS E BARRAGEM CHEIOS

Foi o que disse ontem um senhor para quem quisesse ouvir:

"Vamos apostar como neste ano as chuvas vão encher tudo o que é açude, barreiro e barragem?"

Perguntei:

"Essa profecia é verdadeira mesmo?"

"Sim. Garanto o que digo, baseado nas chuvas que estão caindo".

Disse e tá dizido!


NEGATIVAMENTE

Representantes dos servidores estaduais rejeitaram a proposta da governadora sobre o pagamento dos salários atrasados.

A governadora propôs o fatiamento do salário de janeiro em duas partes: trinta por cento amanhã e setenta por cento no final do mês.

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

VÍTIMAS

Chikungunya

Recentemente vi algumas pessoas mancando feio, como "puxando de uma perna" resultante da chikungunya.

Aquela doença deixou sequelas em muitas pessoas. Em algumas, apenas um pequeno incômodo.

O que é

A chikungunya é causada por um vírus, transmitido para humanos por mosquitos infectados do gênero Aedes, sendo o Aedes Aegypti (transmissor da dengue) e o Aedes Albopictus os principais vetores.

A chikungunya causa febre e graves dores nas articulações. Outros sintomas incluem dor muscular, dor de cabeça, náusea, fadiga e erupção cutânea.

A dor nas articulações é, por vezes, debilitante e pode ter duração variada. A maioria dos pacientes se recupera completamente, mas, em alguns casos, a dor nas articulações pode persistir por diversos meses, ou até mesmo anos.

https://www.msf.org.br/o-que-fazemos/atividades-medicas/chikungunya

BICHO DO MATO E BICHO DA RUA

O bicho do mato e o bicho da rua se comportam bem diferente. Eles não se acostumam a viver fora do habitat que nasceu.

Podem ajeitar para ele uma mansão na cidade - para o bicho que nasceu no mato - ou uma mansão no território rural - para o bicho da rua - que ele não se acostuma e finda voltando para o lugar que nasceu.

Esse papo aí de cima serve tanto para o bicho-bicho como para o bicho-homem.

GASTO COM CARNAVAL

É assunto recorrente o gasto com carnaval pelo poder público.

Assim como todos os anos têm carnaval no país, a discussão vem: tem ou não tem? Concordo, não concordo, tanto faz. 

Ainda não vi ninguém se manifestar se haverá ou não na cidade, considerando o que está escrito no primeiro parágrafo dessas mal traçadas linhas.

Que haja ou não, mantenho a mesma opinião dos anos anteriores. Agora que o chororô está grande com a crise, não sei se os cortes vão atingir o carnaval.

Que haja corte que não haja, mantenho a mesma opinião dos anos anteriores.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

SELEÇÃO

Digo que os usuários de internet necessitam de muita competência e paciência para selecionar o que precisa e o que não precisa acessar.

O volume de informações que nos chegam a cada instante nos instigam a sermos bons selecionadores. 

A não ser que não nos importemos de sermos engolidos pela avalanche de informações de que não necessitamos.