domingo, 19 de abril de 2009

HISTÓRIA DE UPANEMA

CEMITÉRIOS EM UPANEMA III
Há um outro cemitério que faz parte da história upanemense, construído por particulares, isto é, um cemitério não-oficial. Segundo alguns populares, a família Gonçalves resolveu enterrar seus mortos em outro local, vindo a construir um cemitério só pra eles. A separação até hoje é comentada como um ato de vaidade por parte deles, visto que se constitui num apartheid dos mortos: os pobres seriam sepultados no cemitério público e os ricos, no “Cemitério dos Gonçalves”, como ficou conhecido. Hoje ainda podemos ver os escombros nas imediações do estádio “Freirão”, no bairro Pêgas.

sábado, 18 de abril de 2009

HISTÓRIA DE UPANEMA

CEMITÉRIOS EM UPANEMA II


Em 1986, o prefeito Antonio Targino (assumindo o cargo por causa do falecimento do titular) iluminou-o, fez a passarela e pintou todo o cemitério outra vez.
Em 2003, o prefeito Jorge Luiz mudou o visual da pintura das paredes e construiu a “Praça da Saudade”, facilitando ao povo aproximação do mesmo, além de denominá-lo de “Morada da Paz”.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

HISTÓRIA DE UPANEMA


CEMITÉRIOS EM UPANEMA
Como é do conhecimento do internauta upanemense, recentemente um lado da parede do cemitério foi ao chão.
Lembrei-me de uma pesquisa que eu tinha feito em 1996.
Foi uma pesquisa com o auxílio do professor Ribamar Ribeiro.
Vejam:
A evolução da pesquisa histórica sobre os cemitérios aqui em Upanema tem tido dificuldades, visto que as pessoas vivas desconhecem datas, fatos e detalhes sobre o assunto.
Há, basicamente, três locais de cemitérios a ser pesquisados: o primeiro que vamos descrever é certamente o primeiro cemitério da cidade, quando ainda esta era dependente de Campo Grande. O seu local era por trás da Avenida Getulio Vargas, nas proximidades de “Jerônimo Variedades” e “Panificadora Dois Irmãos”, no centro da cidade.
O ano de construção deve ter sido no fim do século XIX para o começo do século XX. As pessoas com quem conversamos só se lembram bem da quadra de esporte que foi construída no local deste velho cemitério.
O atual cemitério, localizado na Rua José Lopes, bairro Pêgas, foi construído ainda quando Upanema pertencia ao município de Campo Grande, na década de 30.Na primeira administração de Luiz Cândido Bezerra (31.01.1970 a 30.01.1973) ele fez uma importante reforma, aumentando a parte onde está a “casinha das velas”, ampliando o local.No seu segundo mandato (1983-1986) – mandato abreviado por causa do seu falecimento - o prefeito Luiz Cândido Bezerra realizou uma pintura.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

FORA DO AR

SEM INTERNET
Nós aqui das bandas da RN-LAN estamos desligados do mundo. São problemas com a internet via rádio.
Há uns zun-zun-zuns ruins por aqui que vamos passar um bocado de dias sem ela.
É uma pena das grandes. Tem gente se lamentando com o fato. "Não posso viver sem internet", desabafou um internauta.
Não acredito que vamos passar muitos dias nessa situação. Prefiro apostar que logo, logo a empresa irá solucionar o problema.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

CHUVAS

UM BOM SINAL
Chuvas que derrubam muros, que alagam as ruas, que encharcam o chão, que arrancam calçamentos, que enchem rios, que toram paredes de açudes e fazem as grandes barragens transbordarem é um sinal de que o inverno é bom.
Rememorando, posso testemunhar o inverno de 1985. Naquela época a estrada que liga à cidade de Campo Grande foi destruída em parte. As águas alagaram a Av. Getúlio Vargas, na parte de baixo.
Lembro-me que fui lá como curioso e também na qualidade de amigo de desabrigados. Era um espetáculo! As casas foram invadidas pelas águas. Os móveis ficaram molhados. Ainda bem que as coisas normalizararem-se logo.
Que grande inverno o de 1985.

terça-feira, 14 de abril de 2009

AMANHÃ

COMENTO SOBRE
Amanhã vou comentar sobre os livros paradidáticos adotados pela UERN.

COMPERVE DIVULGA LIVROS DO PSV

LEITURA OBRIGATÓRIA
A Comissão Permanente do Concurso Vestibular (COMPERVE-UERN) divulgou a relação dos livros que serão utilizados no Processo Seletivo Vocacionado (PSV 2010).
As obras literárias são as seguintes:

O Ateneu (romance) - Raul Pompéia;
Crônicas 6 - Carlos Eduardo Novaes, José Carlos Oliveira,Lourenço Diaféria e Luis Fernando Veríssimo(Coleção para Gostar de Ler 7) - Editora Ática;
Morte e Vida Severina - João Cabral de Melo Neto;
Vidas Secas - Graciliano Ramos.
Estórias Gerais - Jaime Hipólito Dantas.
Site da UERN - www.wer.br

NOTÍCIAS DA SECRETARIA DE TURISMO E COMUNICAÇÃO

EMPRESA TELEFÔNICA COMEÇA CONSERTOS DE EQUIPAMENTOS DANIFICADOS
Uma forte descarga elétrica foi o motivo da grande pane que atinge os telefones fixos de Upanema desde a última semana. Isso é o que informa o gerente do escritório regional da empresa Oi, em Mossoró.
As informações foram obtidas pelo Secretário de Turismo e Comunicação, Anaximandro Eudson, que cobrou da empresa responsável, a solução do problema. Segundo Anaximandro foi informado, o problema provocado pela descarga elétrica danificou metade dos equipamentos da empresa aqui em Upanema.
O conserto já estava acontecendo desde ontem, através de técnicos da empresa de Mossoró, mas em um ritmo muito lento. O motivo da lentidão no conserto seria a falta de experiência dos técnicos mossoroenses com os equipamentos de Upanema.
Os equipamentos locais são modernos, diante de algumas cidades do Estado e, isso forçou o recadastramento de todos os usuários upanemenses. Para agilizar o processo, um técnico especializado vindo de Natal, acabou de chegar a cidade e já começou a trabalhar para solucionar o problema.
FONTE: SECRETARIA DE TURISMO E COMUNICAÇÃO – ASSESSORIA DE IMPRENSA

O NOVO VESTIBULAR

16 RESPOSTAS SOBRE O NOVO EXAME

Como funcionará o novo sistema de seleção proposto pelo Ministério da Educação (MEC) – e que começa a ser adotado por algumas universidades federais e particulares ainda neste ano.


1. O que cairá no novo Enem?
Serão 200 questões de múltipla escolha divididas em quatro áreas do conhecimento (ciências naturais e humanas, linguagens e matemática), além de uma redação. O exame abrangerá menos assuntos do que o vestibular, mas falta o MEC dizer o que vai ficar de fora.

2. O que deve estudar alguém que vai tentar o ingresso, nos próximos meses, numa universidade que aderir ao modelo?
Na ausência de uma definição mais específica sobre o que será exigido na nova prova e quais as instituições que vão adotá-la, o ideal é preparar-se tanto para o vestibular quanto para o atual Enem (cujos simulados podem ser encontrados no site do MEC). A velha versão do exame testa apenas habilidades mais gerais, como a capacidade de interpretar textos e de solucionar problemas da vida real, e muito pouco conteúdo específico. Do antigo Enem, a nova prova manterá a contextualização das questões – mas elas passarão a ser 100% calcadas nas disciplinas do ensino médio.

3. Os cursinhos vão preparar os alunos para o novo Enem ainda neste ano?
Sim. Quatro das maiores redes do país afirmaram a VEJA que vão fazer adaptações nas aulas e no material didático de modo a treinar os alunos para o novo exame.

4. O Enem passará a ser o único critério para a seleção nas universidades que o adotarem?
A decisão caberá a cada instituição. O MEC propõe dois modelos. No primeiro, as universidades podem usar o resultado da prova como preferirem, inclusive fazendo uma segunda fase própria. A outra opção é aderir ao Sistema de Seleção Unificado. Neste caso, é necessário que o Enem seja a única etapa do processo seletivo. As vagas ficam disponíveis em um sistema eletrônico de inscrição, válido para todo o país.

5. É possível usar o mesmo Enem para se candidatar a uma vaga em diferentes universidades?
Sim. Este é exatamente o propósito da prova nacional. No entanto, nos casos em que a universidade aderir ao Sistema Unificado haverá um limite de até cinco opções por candidato, que devem ser colocadas em ordem de preferência. As vagas de um curso serão oferecidas antes àqueles estudantes que o tiverem escolhido como primeira opção.

6. Como saber se a nota obtida no exame será suficiente para o ingresso num curso?
Esta é uma das principais mudanças do sistema proposto pelo MEC: o aluno receberá sua nota antes de se inscrever nos concursos das faculdades e poderá, ainda, consultar as médias dos demais candidatos à vaga que ele deseja. Isso será feito por meio do sistema on-line de inscrições, onde tais informações estarão abertas a consulta. Assim, o candidato passa a ter uma visão muito realista de suas chances no processo seletivo.

7. Pessoas que se formaram na escola há mais tempo podem fazer o novo Enem?
Sim. Qualquer pessoa com diploma de conclusão do ensino médio pode se inscrever – não importa a idade.

8. Quando será divulgada a lista das universidades federais que vão adotar o novo sistema em 2009?
O prazo-limite é até o fim de abril, uma vez que, caso optem pelo vestibular tradicional, as instituições precisam ter tempo hábil para formular as provas e organizar o concurso. VEJA ouviu 51 dos 55 reitores de universidades federais. Destes, 25 são favoráveis à mudança neste ano, mas falta submeter a questão aos respectivos conselhos.

9. Faculdades estaduais e particulares também podem aderir?
Sim. Na semana passada, o ministro Fernando Haddad se encontrou com dirigentes de instituições estaduais e particulares justamente para tentar atraí-las. Mais de 500 particulares já avisaram que vão aderir. A USP e a Unicamp, que têm os dois maiores vestibulares do país, vão ficar de fora, pelo menos em 2009.

10. Uma nota ruim no Enem pesará contra o estudante?
Não. É do aluno a decisão de apresentar o resultado às universidades – ou simplesmente ignorá-lo e fazer uma nova prova. Não há limite de vezes para tentar o Enem.

11. Qual será a periodicidade do Enem?
Neste ano, haverá só um, nos dias 3 e 4 de outubro. Em 2010, o MEC pretende aplicar pelo menos dois. A meta é chegar a sete por ano, como o SAT, modelo americano no qual se inspira o novo Enem.

12. Se o aluno quiser tentar a transferência de curso ou de faculdade terá de fazer o Enem?
Não necessariamente. Hoje, cada universidade tem um sistema próprio para selecionar os alunos que pedem transferência. Algumas avaliam o boletim da faculdade, outras aplicam um teste. Se quiserem, poderão também considerar a nota no novo Enem. Nesse caso, quem não tiver realizado o exame precisará fazê-lo.

13. Por quanto tempo a nota da prova será válida?
O MEC ainda não bateu o martelo, mas a tendência é que feche o prazo em três anos. Nesse período, o aluno pode apresentar a mesma nota às universidades. Como o Enem é um exame padronizado, ao contrário do vestibular, estatisticamente é possível, sim, comparar as médias de alunos que realizaram provas em anos diferentes.

14. Quem vai elaborar e corrigir as provas?
O Inep, órgão ligado ao MEC que já cuida de outras avaliações oficiais, como o próprio Enem. Uma comissão de especialistas ajudará a estabelecer o conteú-do do exame. Uma empresa especializada em aplicação de provas, que será definida por licitação, ficará encarregada da logística do concurso.

15. Se o candidato fizer o Enem durante o ensino médio, ele poderá guardar a nota para quando se formar?
Não. A nota só será válida para aqueles estudantes que já completaram o ensino médio.

16. Haverá alguma mudança nas universidades que já adotam cotas?
Não muda nada. Cotistas e não cotistas terão de fazer a mesma prova.
(Veja online)

segunda-feira, 13 de abril de 2009

CHUVAS

CHUVAS FORTES
No fim da noite de ontem, mais precisamente às 11:50, bateu uma chuva forte na cidade. Foi uma daquelas que acorda a gente.
Não vi o final porque o sono me pegou outra vez.
Uma forte chuva hoje se repetiu pela tarde. Esta veio para derrubar muros. O do cemitério, uma boa parte, do lado que olha para a estrada principal, caiu. Assim, estão a mostra algumas catacumbas.

FIM DE FERIADÃO

AQUI NÃO TEMOS DISSO

Ontem fechou-se um ciclo de quatro dias de parada em todo o Brasil, a começar pela quinta-feira.

As notícias pelo Brasil a fora pintam um quadro ruim de aperreio:

A Anhanguera está com trechos congestionados nos dois sentidos, na noite de hoje. No sentido cidade de São Paulo, o engarrafamento ocorre desde o km 70 até o km 57, na região de Jundiaí, e entre os km 27 e 22, em Perus. A concessionária Auto Ban informa que a causa do movimento carregado é o excesso de veículos. Já na região de Campinas, há morosidade nos dois sentidos da estrada, por causa de obras de melhorias.

A rodovia dos Bandeirantes apresenta trechos congestionados no sentido cidade de São Paulo. O tráfego está intenso nos km 16, 15, 14 e 13, na capital paulista, no km 48 e desde o km 67 até o km 56, na região de Jundiaí, em meio aos km 76 e 68, e do km 94 ao km 88, em Campinas.


(Blog da UOL)

Aqui não temos disso não. O que rola muito por aqui é vinho, cana e algumas pessoas sem juízo que dão umas carreirinhas em carros ou motos. O resto dá para o gasto.

REFORMA ORTOGRÁFICA

HÍFEN: A GRANDE DOR DE CABEÇA

A reforma ortográfica que entrou em vigor em janeiro traz algumas regras fáceis de serem assimiladas como a inclusão das letras k, w e y.
Também é fácil aprender que as vogais dobradas oo perderam o circunflexo; que os verbos dar, crer, ler e ver, na terceira pessoa do plural, perderam o acento agudo.
Porém, como hífen a coisa é mais cruzeiro.
Para hoje, vejam só a dor de cabeça que vai provocar em todos nós falantes da língua:
Com prefixos, usa-se sempre o hífen diante de palavra iniciada por h.

Exemplos:
anti-higiênico
anti-histórico
co-herdeiro
macro-história
mini-hotel
proto-história
sobre-humano
super-homem
ultra-humano.

Exceção: subumano (nesse caso, a palavra
humano perde o h).

Fonte:
Guia Reforma Ortografica - Michaelis.

domingo, 12 de abril de 2009

DENGUE

DENGUE DE NOVO
Não há expressão mais surrada nos dias atuais como: todo dia é dia de combater dengue. Ou: a dengue pode matar.

Entretanto, é chato mas é fato. Até uma rima fiz.

A lição que a gente já aprendeu mas precisa pôr em prática é a seguinte:

Por que a dengue mata?

O fenômeno da reação de hipersensibilidade tóxico-alérgica na Síndrome da Dengue Hemorrágico - SDH, quando da segunda, terceira ou quarta infecção seqüencial relacionada aos quatro tipos de vírus do dengue se dá quando o novo anticorpo, surgido após a viremia e a febre, reage com os anticorpos existentes no organismo do paciente resultante das infecções anteriores. Essa situação promove a permeabilidade vascular, desencadeando em 24 horas o choque hipovolêmico (queda da pressão arterial, pele fria, tonteira, plaquetopenia e hemoconcentração). Isto ocorre em torno de 30% dos pacientes infectados no 5º dia da doença pelo Vírus Tipo 3, complicando o quadro clínico se o paciente não estiver hidratado desde o início da febre (infecção).

sábado, 11 de abril de 2009

VESTIBULAR

O NOVO VESTIBULAR
Decoreba - A angústia de quem está às vésperas de disputar uma vaga no ensino superior é justamente saber que rumo dar aos estudos.
Como muitas universidades de renome não vão abandonar o vestibular em 2009, a exemplo de Unicamp e USP, será preciso manter o plano de aprendizado atual - mas também exercitar um modelo diverso de raciocínio.
A implantação do novo sistema de avaliação do MEC implica numa mudança de filosofia substancial - e, sob muitos aspectos, boa. A prova deixará de exigir dos alunos quantidades colossais de informação para priorizar o raciocínio e a capacidade de solucionar problemas em quatro áreas do conhecimento.

A mudança no vestibular pode, portanto, contribuir para a necessária melhora do ensino médio - e ajudar a livrar as escolas brasileiras da velha cultura da decoreba. É uma prática nos colégios desde o Brasil colônia.
(Revista Veja)
COMENTÁRIO:
Não acredito que o novo modelo vá mudar muita coisa. Acho que como hoje, o vestibular vai continuar selecionando os mais preparados.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

PEQUENAS LIÇÕES

OS TRÊS ERRES

A lição dos três erres deve ser aprendida e posta em prática por todos.

Os dois primeiros estão ao alcance de todos.

Reduzir consumo, gastos etc, é possível; reaproveitar, também não é lá tão difícil.

Já o último erre nã é muito fácil. É necessário que haja política pública direcionada para isso.

Reciclar é a palavra.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

O FIM DA GREVE E A IMPRENSA


Uma notícia veiculada pelo Jornal de Fato do dia 07 de abril, dizia o seguinte:

Os professores da rede estadual de ensino aceitaram a proposta do Governo e suspenderam, ontem à tarde, a greve por reajuste de salários e implementação do piso salarial e do plano de carreira da categoria, que volta hoje à sala de aula.
COMENTÁRIO:
Ao ler a notícia até pensamos que a paralisação do movimento tenha sido por causa de acordo com o governo. Não. A greve só parou porque a categoria perdeu o fôlego. Aqui mesmo nem chegamos a entrar em greve, ou seja, não tivemos fôlego nenhum.

NOTÍCIA DO UPANEMA SITE

SINDSERPUP QUEIMA ESTOPIM
O SINDSERPUP esperou até o dia de ontem, 08/04/2009, por uma resposta da senhora prefeita Maria Stella Freire, sobre o dia em que a mesma receberia os representantes dos servidores para discutir sobre a implantação do Plano de Cargos Carreira e Remuneração, piso salarial do magistério e reajuste salarial dos demais servidores.
Os representantes do sindicato estão indignados com o desdém da senhora prefeita para com a classe que representa a grande maioria dos servidores municipais. "Como a audiência nem se quer foi marcada, o sindicato está arregimentando, e desde já, convoca todos os sócios para uma assembleia extraordinária para o dia 13 de Abril, sexta feira, às 11:00h, na sede do sindicato.
O SINDSERPUP irá buscar o apoio das entidades sindicais e da imprensa local e regional." assim se pronunciou um representante sindical.
COMENTÁRIO:
A assembleia que ocorrerá no próximo dia 13 será um chamamento do sindicato para que a categoria se organize e lute por seus direitos.
Quanto à notícia extraída do "Upanema Site", mais uma vez lamento do anonimato do responsável pela postação da matéria. Gostaria de tecer alguns comentários elogiosos, mas infelizmente não posso fazer porque não sei a quem me dirigirei.

GESTÃO DEMOCRÁTICA

PARÁ
Enquanto no Rio Grande do Norte já fazemos eleições diretas para diretores nas escolas estaduais, no Estado do Pará eles estão esperimentando esse sistema de escolha. Vejam a notícia do site Aprendiz:

"No último dia 17 de março a Secretaria de Estado de Educação do Pará (Seduc) adotou o sistema de eleição direta para a escolha de diretor e vice-diretor nas escolas da rede.
O prazo para todas as instituições de ensino paraenses realizarem suas eleições é o dia 30 de junho.
As redes estaduais da Bahia, do Paraná e do Rio de Janeiro também escolhem seus diretores diretamente. "
A notícia do site deixou de mencionar o Estado do Rio Grande do Norte, que já é uma realidade em todos ou em quase todos os municípios.

FERIADÃO

ÓRGÃOS ESTADUAIS TERÃO PONTO FACULTATIVO NESTA QUINTA

A governadora Wilma de Faria Wilma decretou ponto facultativo nos órgãos e entidades da administração direta e indireta, autárquica e fundacional do Estado para esta quinta-feira (9). O Decreto nº 21.091 foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta (8).

Fonte: Natal Press
COMENTÁRIO:
Amanhã é feriado de Sexta-feira da Paixão. Hoje é imprensado entre a quarta e amanhã, sexta-feira. Por esse motivo é que os governos utilizam-se de outra palavra - facultativo - para justificar a parada do dia de hoje, quinta-feira. "Facultativo" é sinônimo de "não vá" ou "não precisa ir" trabalhar.
Com o feriado de amanhã retoma-se uma velha e chata discussão - a da laicidade do Estado.
Alguns religiosos ficam irritados com certos feriados como o de amanhã e Corpus Christi.
Entretanto, não hesitam em aprovarem o "Dia do evangélico" estadual ou municipal.
Se isso for laicidade, então já não sei mais de nada.
Digo isso para que o uso abusivo dos dois pesos e das duas medidas bem cheias utilizadas por certos religiosos sejam pelo menos conhecidos das pessoas que só conhecem um lado da questão: o lado do erro que muitas vezes parece certo. Certo?

AÇÕES DA PREFEITURA

CORTE DE TERRA
O programa de corte de terras executado pela Prefeitura Municipal de Upanema em parceria com a Petrobras e o Governo do Estado, caminha para seu final com números recordes no ano de 2009. O programa começou em fevereiro e está quase finalizado, segundo informa o secretário de Agricultura do município, José Carlos. Para este ano, o secretário informa que haverá um aumento no número de hectares cortados e no número de famílias beneficiadas. No ano passado cerca de 3.600 hectares de terras foram cortadas, beneficiando 1.800 famílias. Até agora, mesmo não tendo encerrado o corte de terras, os dados da secretaria contabilizam 3.765 hectares cortados, sendo que a expectativa é chegar aos 4.000, beneficiando aproximadamente 2.000 famílias no final do programa.

Para José Carlos, o aumento no número de hectares e de famílias, deve-se ao trabalho de cadastramento e cronograma de atendimento nas localidades. “Fizemos esse trabalho para que pudéssemos deslocar os 20 tratores disponíveis para o corte, em áreas próximas uma das outras, evitando que o trator tivesse que voltar para a região quando estivesse distante”, explica.

Aizamaque Dáliton, coordenador da secretaria, afirma que todas as famílias cadastradas serão contempladas com o corte de terras nesse ano. “Todos serão atendidos, pois faltam apenas 2% das famílias cadastradas, serem beneficiadas”, informa.

Devido ao grande número de famílias beneficiadas, o programa de corte de terras também necessita de uma grande quantidade de profissionais para que o programa caminhe dentro do estabelecido pela secretaria. Para isso, técnicos, agrônomos, fiscais, produtores, motoristas, e proprietários de tratores foram contratados pela prefeitura, gerando renda para os envolvidos. Um dos exemplos citados pelo coordenador, é o investimento em tratores. A prefeitura paga R$ 32,00 por hectare de terra cortada, aos proprietários de tratores com grade simples e R$ 42,00 por hectare cortado com grade de arrasto. Para acompanhar esse trabalho, a prefeitura contratou 20 fiscais, que geralmente são pessoas das comunidades rurais.

Através da parceria com a Petrobras, o município recebeu este ano, 10.000 litros de óleo diesel para distribuição com os tratores envolvidos no programa de corte de terras. Todo esse investimento deverá render lucros para os agricultores, pois o inverno consolidado na região ajudou a lavoura e já proporciona a colheita em muitos dos locais plantados no município.

Upanema possuiu uma grande área cultivável – praticamente todo o território -, somando-se a isso, possui também um dos maiores programas de Reforma Agrária do Estado, com mais de 20 assentamentos rurais. Para acompanhar o desempenho dos agricultores e a safra desse ano, a secretaria de Agricultura realizará pela primeira vez, um levantamento de toda a produção do município, após o período invernoso. José Carlos, aposta nesse projeto pioneiro no município, pois segundo ele, o levantamento mostrará o retrato da agricultura no período invernoso, proporcionando dados para que a prefeitura possa descobrir onde cometeu erros e acertos, além de estabelecer um planejamento para os próximos investimentos no setor rural.


SECRETARIA DE TURISMO E COMUNICAÇÃO – ASSESSORIA DE IMPRENSA

quarta-feira, 8 de abril de 2009

SOBRE CALAZANS FREIRE

DEQUINHA BEZERRA PARA O JORNAL DE UPANEMA
Estando aqui na calçada da minha casa, lendo tranquilamente as matérias do Jornal de Upanema, acabei me deparando com uma reportagem de vocês que me chamou por demais a minha atenção, ou seja, a entrevista que vocês fizeram com a senhora Dapaz Freire, a filha do nosso saudoso desportista José Calazans Freire (Seu Zé Freire).

Eu quero dizer pra vocês que dois fatos interessantes envolveram a pessoa de Dequinha Bezerra e o Sr. José Calazans Freire. O primeiro fato aconteceu quando eu era ainda um garoto com 16 ou 17 anos de idade. O meu irmão Raimundo (popular Raimundo de Tonheiro) que jogava na seleção de Upanema, de tanto insistir comigo, acabou me trazendo para treinar junto com eles aqui na rua (nós morávamos nas Barreiras).

E foi ali, naquele campo cheio de areia, no meio de vários cercados de vara, que eu me consagrei depois como o melhor jogador de futebol da história de Upanema.

E foi ali, naquele campo de areia que eu conheci aquele homem que todas as tardes estava lá assistindo aos treinos do time e nos dando orientações.

E foi ali, naquele campo de areia, sem nome, que eu conheci o maior torcedor do futebol de Upanema, José Calazans Freire (Seu Zé Freire).

E foi justamente naquele campo de areia, que seu Zé Freire, já como treinador do time de Upanema, me lançou pela primeira vez como titular da equipe numa partida amistosa contra o time do Poré.

Naquele tempo havia uma rivalidade muito grande entre Upanema e o Poré. O campo estava lotado naquela tarde de domingo. Parece que estou vendo Toinho Fernandes, outro torcedor fanático de Upanema. Ele gritava a todo momento: “vamos lá upanemense”!

Quanto a mim, não decepcionei a confiança do mestre Zé Freire. No campo eu dei um verdadeiro show de bola, marquei 4 gols e vencemos o Poré por 6x1.

Depois daquele jogo nunca mais fui reserva do time de Upanema, graças a seu Zé Freire.
O outro fato importante relacionado com seu Zé Freire, diz respeito ao nome dele no campo de futebol de Upanema. Vocês perguntaram à filha dele quem colocou o nome do estádio. Ela disse que não sabia.

Pois bem, senhores, eu sei quem teve a brilhante ideia de dar o nome daquele velho campo de areia de Estádio José Calazans Freire.

Simplesmente, senhores: fui eu, Dequinha Bezerra. Quando aconteceu? Em que ano? Infelizmente eu não me lembro. Só me recordo que foi na época em que eu comecei a trabalhar na imprensa de Upanema. Eu era correspondente da Rádio Rural de Mossoró.

Um dia, o editor de esporte da Rural me perguntou se o campo de Upanema não tinha nome. Então eu respondi que não. Tudo porque quando eu mandava as notícias de Upanema pra Rural e falava do esporte, dizia sempre estádio local, porque o campo não tinha nome. Às vezes dizia Estádio do Tabuleiro.

Aquela pergunta de Renato Severiano da Rural me despertou a ideia de colocar um nome no campo. Aí eu me lembrei de se Zé Freire, de nosso ex-técnico que havia falecido. Comecei a fazer a divulgação do Estádio José Calazans Freire na Rádio Rural, como também no serviço de som (o popular “Bocão”).

Depois que a Igreja vendeu o terreno, o campo foi desativado, passando para outro local, onde se encontra até hoje, ao lado do cemitério.

Só lamento que o nome do Estádio José Calazans Freire nunca tenha sido oficializado.

Um abraço.

Dequinha Bezerra
Ex-jogador

terça-feira, 7 de abril de 2009

CF 2009

CAMINHADA
A caminhada pela Paz de sexta-feira teve o encerramento no espaço próximo ao ginásio de esporte.
Na fala final, destaco a frase do padre Tarcísio: "É mais fácil juntar gente para a guerra do que para a paz".
Se relembrarmos de um comício, podemos ver a multidão que acompanha os candidatos que discursam e prometem o que não podem cumprir. Políticos que atacam os adversários, constituindo-se numa verdadeira guerra.
O espetáculo cujo tema era sobre a paz na família, também foi muito bem apresentado, apesar de ter sido improvisado naquele mesmo dia.

TEXTO ENVIADO

MEIO AMBIENTE SUSTENTÁVEL URGENTE: EM DEFESA DO POÇO FEIO

(*) José Romero Araújo Cardoso

Marcado por estrutura geológica que remonta à era cretácea, o território dix-septiense possui privilegiadas formações espeleológica de origem calcária, sobressaindo-se a do Poço Feio, localizado na comunidade rural do sítio Bonito, imemorialmente ponto de turismo predatório que vem impactando consideravelmente todo entorno da caverna.

Água farta brota das entranhas da terra, a qual, sulcando o interior, tem provável gênese no emaranhado e complexo subsolo da região, formando intricado sistema do qual o arenito assú e o calcário jandaíra participam plenamente marcando a proeminência das características edáficas da bacia potiguar.

O Poço Feio precisa com urgência ser mapeado, pois nem nos registros da sociedade brasileira de espeleologia a cavernas e encontra catalogada. Ainda são incógnitas as ligações que o Poço Feio possui com o lençol freático e com a confusa profusão de túneis que marcam terrenos geológicos como o que está assentada a área geográfica do município de Governador Dix-sept Rosado.

Impossível pensar a dicotomia geográfica nos dias de hoje, razão pela qual intercalar o físico com o humano é imprescindível para que tenhamos respostas significativas sobre hipóteses levantadas.

Para gerações dix-septienses o Poço Feio vem se constituindo em lugar, contrário do que se verifica com a maioria que procura a caverna calcária para fins de lazer. Preocupações efetivas com a preservação e sustentabilidade irrisória, ambiental em sua essência, majoritárias no âmbito do pleno sentimento telúrico coma natureza, vem sendo exibida pela população local, sobretudo da comunidade rural do sítio Bonito.

A gestão pública deve se manifestar para que medidas urgentes sejam tomadas no sentido de buscar a harmonia entre respeito à natureza com geração de emprego e renda, tendo em vista que a base econômica de diversas comunidades espalhadas ao longo do percurso do rio Apodi Mossoró, em Governador Dix-sept Rosado, há tempos passados perderam o principal sustento, através da desestruturação dos plantios de alho e cebola, graças ao advento do mal-de-sete-voltas, ainda na década de oitenta do século passado.

Transformar a área do Poço Feio em pólo turístico sustentável é uma forma de garantir melhoria da qualidade de vida da população com racional intervenção antrópica no meio ambiente natural, extremamente impactado devido à retirada de rochas caclárias e outras originadas pelo tempo geológico, o qual vem transformando carapaças de animais marinhos em marga, gipsita, calcário e outros produtos fartamente utilizados na construção civil.

Impossível não se apaixonar pelo Poço Feio, a poesia que emana das águas, as lendas acalentadas e o curioso fenômeno hídrico que brota das entranhas da terra, caracterizado pela água em tonalidade azulada. Empiricamente, Luiz do Souza, do departamento de química da UERN, companheiro de viagens de reconhecimento e estudos à caverna calcária localizada em Governador Dix-sept Rosado, acha grande a probabilidade da proeminência de cobalto, além de outros componentes químicos ainda não alisados. O cientista notificou ainda que uma dúvida provavelmente havia sido respondida, com relação ao projeto encampado pela PETROBRAS, sobre análise das condições ambientais apresentadas pelo rio Apodi-Mossoró. Conforme Luiz di Souza, há grande chance da diferença obtida em água analisada no perímetro urbano de Governador Dix-sept Rosado ser devido à influência do vagalhão hídrico que brota da caverna calcária inundada, despejadas no curso da bacia à altura da comunidade rural do sítio Bonito.

Sujeiras, infelizmente, vem se acumulando ininterruptamente, dentro e fora do Poço Feio, completadas com a prática local de criar porcos de forma ultra-extensiva. Atentando contra o meio ambiente e contra a saúde pública, patrocinam desgastes ambientais em razão que os animais esperam melhores oportunidades para praticarem verdadeiros redemoinhos de lixo. As pessoas que vem de fora costumam deixar materiais orgânicos e inorgânicos em sacolas, logo rasgadas, sobretudo pelos suínos.

Necessário destacar ainda que o turismo predatório é de alto risco, pois sem a mínima infra-estrutura para comportar o fluxo de pessoas que acorrem ao Poço Feio, principalmente em finais de semana, despreza-se a possibilidade de rompimento de estalictites existentes na parte externa do afloramento calcário.

Pensando de forma sustentável a área correspondente ao Poço Feio, buscando aproveitar o potencial turístico do lugar, necessita-se urgentemente que haja correção ambientalmente legal dos perigos proporcionados pelos espeleotemas existentes na caverna calcária do Poço Feio. As fissuras são vistas de imediato, não apenas na área compreendida pela proeminência das estalactites, externamente, mas ainda em vários locais, com muitas pedras calcárias soltas, as quais podem provocar graves acidentes.

A natureza impactada de forma extrema não pode e nem consegue mais esperar. A maioria das pessoas que habita o planeta não acordou ainda para a hipótese de que sucumbiremos em dejetos se nada for feito para reverter o quadro dramático nunca antes vivenciado pela espécie humana. Séria e racional gestão ambiental é a única saída a fim de permitir melhor aproveitamento do Poço Feio.

Desafio do milênio, o desenvolvimento sustentável deve ser encarado como a única saída viável para a continuidade de existência da vida no planeta terra e buscar soluções para problemas locais, primando sempre pela ênfase ao meio ambiente equilibrado, traduz a única forma de legarmos às gerações futuras belezas que a natureza nos disponibiliza e que precisam ser preservadas urgentemente, garantindo ainda a melhoria da qualidade de vida da população através de ações que venham beneficiá-la de forma legítima e duradora.

(*) José Romero Araújo Cardoso. Geógrafo. Professor da UERN. Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

EDIÇÃO DO JU

MUITO LINDO

Quem ainda não comprou a mais recente edição do Jornal de Upanema que o faça logo. Por que?

As fotos dos aprovados na UERN, UFERSA, UNP e UFPB enchem nossos olhos. A partir de agora fica nas nossas mãos a responsabilidade de lutarmos para colocarmos mais gente na universidade nos próximos vestibulares e PROUNI’s.

Há, porém, uma batata quente que os professores precisam segurar e descascar: lutar contra novos parâmetros de ensino que caminham na contramão. Refiro-me a pequenas manias ruins de querermos colocar os alunos no centro de tudo, como os donos do pedaço.
Os alunos são muitos importantes, mas eles precisam ser orientados da maneira mais correta possível. Eles precisam saber que para passarem no vestibular devem enfiar a cabeça dentro dos livros.
Outra coisa: precisam exigir que haja aula de qualidade, aula de verdade. Precisam saber que precisam participar ativamente delas.

Para concluir: que a escola não precisa ser o paraíso aqui na Terra. É preciso que tenha aula. Somente aula.

TEXTO ENVIADO

VANTAGENS DA ESTRUTURAÇÃO DE PÓLO TURÍSTICO SUSTENTÁVEL NA ÁREA DO POÇO FEIO

(*) José Romero Araújo Cardoso

Estruturar pólo turístico sustentável na área correspondente à caverna calcária do Poço Feio representa alento importante à economia e à consciência dix-septiense, em vista que se apresentam carentes de perspectivas mais otimistas com relação à melhoria da qualidade de vida da população e à preservação ambiental.

Pólo turístico sustentável é garantia de geração de emprego e renda e respeito à natureza, contrapondo-se ao irracional uso presente da área do Poço Feio, marcado pelo desgaste acentuado do meio ambiente natural graças, principalmente à forma como o turismo predatório tem, continuamente, se efetivado.

Infra-estutura e dedicação são exigências essenciais para a consolidação de empreendimento desse porte, sendo indispensável a participação da gestão pública para a concretização de sonhada sustentabilidade, articulando-se com setores privados que realmente possuam embasamento ideário calcado na defesa intransigente da natureza, não apenas busque maximização de lucros e minimização de custos.

A riqueza natural representada pela área do poço feio ainda não foi dimensionada, principalmente em razão que as perdas devido a não existência de racional indústria do turismo vem inibindo geração d renda, desperdiçada cotidianamente por não existir empreendimentos turísticos que primem pela sustentabilidade.

População bastante necessitada de estruturas que viabilizem a geração de emprego e renda, o povo dix-septiense viu e sentiu, dia após dia, era após era, importantes atividades econômicas serem fragmentadas, como o cultivo de alho e cebola e a extração de gesso. Elevar a economia, proporcionando o desenvolvimento regional, também se constitui em bases do desenvolvimento sustentável.

Postura absolutamente irracional é desprezar potenciais econômicos magníficos, sobretudo localizados no semi-árido nordestino onde os indicadores sócio-econômicos revelam-se extremamente incipientes e contrastantes. Aproveitar benesses naturais de forma sustentável para melhorar as condições de vida da população deve constar nas bases filosóficas de qualquer ação humana, principalmente em se tratando de áreas frágeis que revelam estupendas intervenções antrópicas, como a do Poço Feio, localizado na comunidade rural do sítio Bonito, município de Governador Dix-sept Rosado/RN.

Para que um pólo turístico sustentável obtenha sucesso e longeva existência, garantindo às gerações futuras seu usufruto, torna-se necessária vigília permanente, independente de qualquer posição político-partidária ou ideológica. O desenvolvimento sustentável deve ser independente de qualquer querela administrativa, pois é à natureza e à humanidade que estes possuem vínculos funcionais intrínsecos.

Transformar a área do Poço feio em pólo turístico sustentável seguramente é garantia de melhor relação do homem com a natureza, tendo em vista que os impactos ambientais tornam-se cada dia mais preocupantes, em razão do advento da pós-modernidade e suas máquinas fantásticas, frutos da incrível dinâmica do consórcio que a ciência vem efetivando com a técnica.

Rica em reservas calcárias, a área do Poço feio precisa urgentemente ser preservada, pois precisamos evitar incalculável desastre ambiental e cultural, pois, marca indelével da identidade dix-septiense, o Poço Feio deve ser visto como um dos mais belos patrimônios naturais do Estado do Rio Grande do Norte, do Nordeste, do Brasil e do mundo.

Posicionar-se favorável à vida e ao meio ambiente, tanto natural como artificial, é a única maneira de buscarmos construir um mundo melhor, com paz e harmonia do homem com as belezas que a natureza, criação Divina, nos presenteou e que precisamos conservá-las para nossos filhos, netos, bisnetos, trinetos, etc.


(*) José Romero Araújo Cardoso. Geógrafo. Professor da UERN. Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente.



domingo, 5 de abril de 2009

TEXTOS DE DOMINGO

A HISTÓRIA DE PURAQUÉ

Poraquê é “peixe actinopterígio, caraciforme, electroforídeo (Electrophorus electricus), da Amazônia, de coloração negra tendente ao chocolate-escuro, salpicada de pequenas manchas amarelas, vermelhas ou branco-sujo, corpo alongado, cilíndrico, e provido apenas de nadadeira anal, que percorre grande extensão do abdome.”
Mas não é de peixe que quero falar. É de um personagem de carne e osso, daqui, cujo nome lembra o peixe. Ele era conhecido por Puraqué. Vou tentar reproduzir a história que me contaram.

Um senhor daqui contratou Puraqué para levar um gado para um comprador na cidade de Areia Branca. A viagem foi muito cansativa. Só foi chegar lá no segundo dia. Morrendo de fome, esperava que oferecessem alguma comida.

De repente alguém, lá dentro, chama: “Puraqué, chegue comer”! Era o que ele queria. Correu pra cozinha. Percebeu que chegou igual com um cachorro. Não disse nada e voltou desconfiado e com fome. De acanhado que era, não disse nada e enfrentou mais um tempo sem comer nada. Passaram-se as horas e as tripas roncando. E ele calado, desconfiado e com fome. Mais tarde, talvez no jantar, a dona da casa chama lá dentro: “Puraqué!” Não agüentando mais a fome, foi decidido a esclarecer o que estava ocorrendo. Quando chegou na cozinha, o cachorro, seu xará, estava ao seu lado pra comer de novo. Ele aproveitou a oportunidade e disse à dona da casa que também era conhecido pela alcunha de Puraqué. A mulher desculpou-se e forneceu também pra ele um bom jantar.

Júnior de Nezinho e da professora Rosa, que me contou esta história, concluiu dizendo que o nosso personagem voltou da viagem de barriga cheia e ainda trouxe queijo, rapadura e outros mantimentos.

LUTA PELO PISO

PROFESSORES QUEREM QUE A LEI DO PISO SEJA RESPEITADA POR ESTADOS E MUNICÍPIOS

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e os sindicatos afiliados decidiram (...) a data e a duração para a greve nacional dos professores da educação básica da rede pública : no dia 24 de abril, os profissionais cruzam os braços por 24 horas. O objetivo é fazer com que a lei 11.738, que institui o piso salarial nacional do magistério, seja implementada nos estados e municípios conforme o texto aprovado no Congresso Nacional e sancionado pelo presidente Lula, em 2008.
FONTE: Site do CNTE.

TELEFONE MÓVEL

O QUE DISSE MINHA FONTE

Ontem minha fonte veio do local onde está a torre da TIM com a informação de que estão construindo um outra edificação, tipo parabólica.

Disse-me também que agora o telefone sai mesmo. E é ainda neste mês.

Será?

sábado, 4 de abril de 2009

POLÊMICA

CAMINHADA DA PAZ VIRA GUERRA

A propósito de um texto do blog “Ofício do Professor” - http://www.oficiodoprofessor.blogspot.com/, de hoje, farei alguns comentários.

Há muito tempo que ando resmungando pelos cantos, por causa de um assunto que me perturba bastante. É sobre essa coisa da aula que não é aula.

Vamos primeiro ao texto do blog. Um texto meio desabafatório, meio raivoso. A raiva volta-se contra o evento religioso de ontem pela tarde. Se me perguntarem se eu sou a favor, gritarei que não. Se o Estado é laico (não tem religião) então não tem porque a escola ser liberada para eventos religiosos. Mesmo assim, não vi ninguém reclamar da parada.

Agora vamos refrescar a memória. Não é preciso de tanto auê porque outros grupos religiosos já solicitaram uma parada num dia letivo por causa de um congresso aqui, ali. Sem contar com a ocupação do prédio nesses mesmos congressos. Se é laico, então fechem as portas dos colégios para as religiões. Todas.

Quanto aos símbolos religiosos nas repartições públicas, também sou contra pelo mesmo motivo. Um Jesus crucificado diante de um prédio público é uma atitude desrespeitosa aos budistas, aos muçulmanos e outros grupos que não professam a fé num homem que morreu na cruz. Uma imagem de escultura (Jesus Cristo, Maria etc) não combina com a ala protestante.

Quando eu era criança, as aulas de Ensino Religioso eram feitas com músicas e rezas católicas. Era perfeitamente normal porque na minha turma não tinha ninguém de outra religião. Hoje não é possível isso.

Mas tenho vez por outra me surpreendido com coisas piores. Não sei se ainda existe, mas houve gente que passava muitos minutos pregando a palavra de Deus numa aula que nem de Ensino Religioso era.

Se não tiver ocorrendo mais isso, viva o Estado laico!

Quanto ao abuso do professor de Ensino Religioso, também acho que é errado. O evento era católico, queiramos ou não. Se é da Campanha da Fraternidade, ficava difícil um não-católico participar, apesar de o tema ser pertinente a todos. Forçar a barra é errado.

Como vêem, o meu texto é muito sincero e nem parece tão agressivo como parecia ser. Até eu estou percebendo isso. No final das contas, concordei com quase tudo que está posto no blog. Só não posso concordar que seja feita uma defesa de algo que esteja no mesmo nível ou pior.

O mundo não é o mesmo. Nem o Protestantismo. Hoje ele está mais poderoso do que quando estive por lá há mais de vinte anos. Até mesmo suas relações com o poder, eles mudaram. Para pior. Se não custar para as mentes dos nobres leitores, recordem as eleições municipais do ano passado. Nem me interessa comentar aquilo. Foi demais!

Hoje lutamos por uma escola laica. Pelo visto, se ela ainda não é, depois dos nossos textos, Francisco, ela será.

TEXTO ENVIADO

A LENDA DO POÇO FEIO

(*) José Romero Araújo Cardoso

Existe no Poço Feio, na parte externa, curiosa formação calcária conhecida como "baú da moça", verdadeiro capricho geológico em terreno cretáceo. A natureza talhou primorosamente a estrutura dolomítica a ponto de despertar o imaginário popular, o qual criou lendas acalentadas imemorialmente, elemento importante na aglutinação cultural do lugar.

Reza a tradição passada de geração a geração que em noites de lua cheia uma bela mulher se banha nas águas do Poço Feio. O canto da moça encantada atrai homens que logo se apaixonam e seguem a mulher para o interior da caverna calcária, afogando-se nos túneis ali existentes. A lenda prega que a linda mulher estaria enclausurada no baú calcário, sendo que este se abre quando a lua cheia desponta no horizonte, fazendo-a reviver.

A memória local registra a lenda, a maioria a respeita, não se atrevendo a ir ao Poço Feio em noites de lua cheia, com medo de ser enfeitiçado pela evocação sonora da moça encantada que se banha à luz do luar. Não foram poucas pessoas que me contaram ter ouvido o canto da moça, partido das bandas do Poço Feio.

A riqueza cultural da área correspondente à caverna calcária dix-septiense impressiona pela exponencialidade, pois as formas assumidas pelas lendas imitam congêneres espalhadas Brasil a fora, como a da Iara, também incorporada às tradições indígenas. A lenda do Poço Feio, conforme idôneas personalidades do sítio Bonito, vem antes da colonização lusitana, pois esta seria herança ainda da cultura dos monxorós. No caso, talvez a moça encantada fosse uma índia, não obstante sabermos que diversas estórias fantásticas dos antigos habitantes das Américas incluíssem seres humanos da raça branca, como as existentes nas crenças maia e asteca.

Poucos dix-septienses se aventuram em procurar o Poço Feio quando a lua cheia lança seus raios prateados nas águas de tonalidade azulada, tem medo da "moça encantada", não se arriscam em desafiar as tradições decantadas em prosa e versos pelos mais velhos.

Em Mossoró, o vanguardismo e a expressão intelecto-cultural de pessoas como o teatrólogo Nonato Santos, diretor do grupo Escarcéu de teatro, assistido pela competente e inteligente companheira Lenilda Sousa, além de outros, incorporaram a lenda do Poço Feio, encenando-a de forma magistral e bem articulada com a cultura local, razão pela qual o grupo Escarcéu é considerado um marco na valorização do folclore riquíssimo da região oeste potiguar.

Na vida real, a verdadeira "moça encantada" pode atender pelo nome de bebida alcoólica, pois não são poucos os registros de fatalidades envolvendo a aventura de adentrar o Poço Feio bêbado, tendo em vista que a caverna é um convite perigoso a desafiar o desconhecido e as incógnitas que marcam a estrutura cretácea dix-septiense.


(*) José Romero Araújo Cardoso. Geógrafo. Professor da UERN. Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

DA ASSESSORIA DE IMPRENSA

UMA NOTÍCIA QUASE VELHA
A nova diretoria do Sindicato dos Servidores Público Municipais (SINDSERPUP) tomou posse no último dia 30 de março, na casa de shows Portal do Sol.
Associados, sindicalistas, autoridades como a prefeita Maristela Freire, o vice-prefeito Manoel Carlos, o deputado estadual Fernando Mineiro, vereadores Adelcina Barbosa, Shiley Costa, Gineton Costa, Nonato Garcia e representantes de instituições eclesiásticas participaram da solenidade de posse da nova diretoria, liderada pela professora Rosemary Sobral Dantas.

Na sua fala, a prefeita Maristela ressaltou a vontade de conversar com o sindicato, pois sempre valorizou as ações do mesmo, já que era sócia quando era funcionária da prefeitura. “Não terei nenhuma dificuldade em receber os membros dessa diretoria. Já recebi uma vez e marcamos outras duas reuniões, mas, infelizmente minha agenda não permitiu a continuidade do diálogo. Prometo que logo, logo estaremos sentando pra conversar”, afirmou. Maristela ainda fez questão de parabenizar as mulheres, que cada vez mais ocupam seu espaço na sociedade, tendo como exemplo as “baixinhas” Edimir, Rosemary, ela (Maristela) e a presidente da Câmara de Vereadores, Adelcina Barbosa.

No final, todos participaram de um almoço para celebrar a nova diretoria do sindicato, que tem mandato de dois anos para cumprir.

Secretaria de Turismo e Comunicação – Assessoria de Imprensa


quinta-feira, 2 de abril de 2009

GREVE NA EDUCAÇÃO

NO MINUTO

O site nominuto estampa a seguinte manchete:

PROFESSORES DO ESTADO DECIDEM PELA CONTINUIDADE DA GREVE.

GREVE NA EDUCAÇÃO

ONTEM
O blog da greve anunciou ontem que em 71 escolas de Natal a greve foi encerrada.
Isso significa que o movimento enfraqueceu e é quase insustentável manter o movimento vivo.
Agora o sindicato vai bolar outra estratégia de luta.
Desmotivados e decepcionados, os educadores vão voltar para a sala de aula. Se se confirmar o encerramento, os educadores devem ter pelo menos a dignidade de dar uma resposta, utilizando as armas que possuem.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

DIA DA MENTIRA I

PASSA TODO MUNDO NO VESTIBULAR
Hoje lembrei-me de uma música do meu tempo. É de Erasmo e Roberto Carlos.
Selecionei algumas frases do "Pega na mentira":
Zico tá no Vasco, com Pelé, Minas importou do Rio, a maré.

Acabou-se a inflação (naquela época a inflação era bem alta)

Barato é o marido da barata.

Pega na mentira
Corta o rabo dela
Pisa em cima
Bate nela
Pega na mentira.

Já gravei um disco voador
Disse a Castro Alves seu valor
Em Copacabana não tem argentino
Sou mais moço que um menino
Vi Papai Noel numa favela
O Brasil não gosta de novela.

Passa todo mundo no vestibular
O amor vai se acabar
Carnaval agora é um dia só
Sem censura e guaraná em pó.


DIA DA MENTIRA II

MENTIRAS SINCERAS?
Como não tenho nada original sobre a mentira, reproduzo um verso da música "Maior abandonado", de Cazuza e Frejat.
Maior abandonado foi uma música que teve grande sucesso nos anos 90.
"Mentiras sinceras me interessam", cantava Cazuza.
Sei não! Não sei se existe mentira sincera. Se existe, como é?

CHUVA

FORTE CHUVA
Hoje à tarde Upanema foi banhada por uma chuva daquelas - se é que podemos dizer - uma chuva pra ninguém botar defeito: águas que caem serenamente, sem trovões, sem vento.
Foi uma chuva breve, se comparada a outras que caíram por aqui.
Para os que plantaram devem estar rindo à toa.

NOTÍCIAS DA GREVE

TUDO COMO ESTAVA

A greve dos servidores na Educação do RN já fez aniversário de mês. A mais recente tentativa de negociação foi hoje à tarde. Segundo o blog grevedaeducacao.zip.net/, a conversa entre o SINTE e a governadora não avançou.

Agora vamos ver no que vai dar. Ou onde a coisa vai parar.

Aqui em Upanema haverá a partir das 9 e 30 da manhã uma reunião com o SINTE, regional de Mossoró, no Calazans.

Há uma temdência para a greve, mas não aposto numa decisão da categoria nesse sentido.