domingo, 31 de março de 2013

QUEM SE LEMBRA?

A maria maluca era um bolo dos meus tempos de menino, quando estudava no Alfredo Simonetti. Toda criançada achava muito bom. Não sei se era um bolo muito bom mesmo, ou era a nossa fome que ajudava.

Já faz tanto tempo que comi aquele bolinho que não sei mais o gosto dele. Só sei que era um bolo fácil de fazer, sem muita mistura. 

Era especialidade de Seu Chico de Zé Lino. Há umas histórias com aquele bolinho que depois contarei, se convier.

ESTRELA CADENTE

Por Mano Costa

Oh! Estrela cadente!
Tu me fazes sonhar?...
Conseqüentemente
Pego-me a meditar.

Serás, serena e bela?
Como toda aquarela?...
Alguém sorrindo a meditar (...)

Oh! Cores amarelas, amáveis
Fertilizantes, tão belas,
Como jasmim flutua nos
Campos, pântanos e quintais.
Ai! Quem me dera ser dois
Astros joviais.

POETANDO

A poesia nasce
De uma inspiração 
Que chega de supetão
Vinda não sei de onde.

Não tem tempo pra chegar
Nem porto pra aportar.

sábado, 30 de março de 2013

EM TEMPOS DE ECONOMIA

Em tempos de economia, não custa a gente economizar acentos, letras e até palavras.

Podemos economizar acentos, quando deixamos de usar o trema (¨); economizaremos letras, quando deixarmos de usar o s, para marcar o plural da palavras horas; economizaremos palavras, quando omitirmos numa frase algumas palavras, como no exemplo abaixo:

Você é inteligente, e eu também.

Sobre o trema, já podemos abolir aquele marcador desnecessário da pronúncia do u; sobre o s do plural da palavra horas, escreva apenas h para pluralizar o nome horas, se porventura estivermos abreviando aquela palavra; já a omissão de uma palavra numa frase, chamaremos de elipse. A elipse não é obrigação, mas chiqueza.

sexta-feira, 29 de março de 2013

CHUVAS

Mais uma vez, falo de chuvas. Hoje pela tarde, quem mora nas imediações do Poré teve a alegria de receber uma boa chuva.

Talvez tenha sido uma das maiores que já vi neste ano, como se fosse num grande inverno.

POEMA DADAÍSTA

O poema a seguir foi produzido por alunos do 3º ano “A”, da Escola Estadual José Calazans Freire

Notícias – Se essa moda pega

Bombando Reza envergonha correndo
Homens armados mulher
Mata o papai sorriso preta sempre “eu quero tchu”,
Limpeza falar cambagem cochorro perigoso no escuro,
Boca ouvir desejo festas vacinação Donna procura
Metades forró, chão rainha vale tudo. Deserto dose
Vírus fãs 2014

Prisão quadrado pioneirismo
Morto fuga apaixonou safada de
Garota metro sampa livre esta passado.
Louca rebelde viveiros Rousseff está divas montagens pela
Beijo: Pocos Odete como nordestina, havia Dilma como viva
Yure um vovozinha que feia para.

Autores: Ingrid Sonelly, Karilene Adria, bárbara Stelly, Layane Medeiros, Paola Gessy, Lívia Fernandes e Laine Simone.
 
Se o leitor não entendeu nada do que leu, não se preocupe, pois eu também não entendi. Espera um pouco que eu vou explicar o que é isso. O texto é o que chamamos de poema dadaísta.  Eles fizeram o poema baseado nesse outro: 

“Pegue um jornal. Pegue uma tesoura. Escolha no jornal um artigo com o comprimento que pensa dar ao seu poema. Recorte o artigo. Depois, recorte cuidadosamente todas as palavras que formam o artigo e meta-as num saco. Agite suavemente. Seguidamente, tire os recortes um por um. Copie conscienciosamente pela ordem em que saem do saco. O poema será parecido consigo. E pronto: será um escritor infinitamente original e duma adorável sensibilidade, embora incompreendido pelo vulgo.” 

Foi isso o que os alunos fizeram. Seguiram os passos descritos acima e deu um poema dadaísta.

quinta-feira, 28 de março de 2013

CHUVA

Uma chuva banhou a cidade ontem pela tarde. Ainda não colhi a informação sobre o número de milímetros. Aguardemos a informação repassada por Yamashiro de Geraldo Messias.

quarta-feira, 27 de março de 2013

COISAS DE HUMANOS III

Outra coisa de humanos, por mais de uma vez, sofri na pele, neste bairro. Foi uma tocação de fogo lá para os lixões. A fumaça agridem diretamente nossos pulmões e impedem que respiremos com dignidade.

Incrível como tem gente que nunca vai aprender as lições mais simples do mundo. Isso ocorre dentro e fora da escola. Mais dentro ou mais fora da escola? Não sei. Só uma pesquisa profunda responderá a questão.

COISAS DE HUMANOS II

Li na imprensa local que na segunda-feira vândalos depredaram a quadra de esportes do conjunto Rosvaldo Bezerra.

A quadra está numa situação calamitosa, praticamente sem redes de proteção. Até parece que só os cidadãos comuns estão vendo aquilo.

Para completar, humanos pioram a situação, a ponto de fazerem uma tremenda baderna. Isso é coisa de humanos mesmo.

Seres ditos inferiores não fazem aquilo. Aposto com quem quiser e o que quiser!

COISAS DE HUMANOS

Leio na grande imprensa que no estado do Rio de Janeiro - ex-capital do país, estado rico, de povo avançado, há uma epidemia de dengue, com 45% das cidades que sofrem com ela.

Vejam, só, epidemia de dengue.

Se isso ocorre entre nós, é coisa de gente atrasada, nordestino. É o que escutamos por aí.

Por aqui, às vezes aparece a tal da dengue, não de forma epidêmica, mas sorrateiramente. Por aqui também temos. Aliás, já ouvi algumas pessoas se queixarem da dita cuja.

Mas vamos às causas. Por que uma pessoa tem dengue? Já disseram que a prevenção é solução. E parece que o melhor jeito de evitá-la.

Como somos humanos, humaníssimos, nem todos procuram fazer o que manda o figurino: não deixar água parada, tampar as caixas.

Não deixar água parada em pneus fora de uso;
Remover folhas, galhos ou qualquer material que impeça a circulação da água;
Caixas de água devem ser limpas constantemente e mantidas sempre fechadas e bem vedadas;
Não descartar lixo em terrenos baldios e manter a lata de lixo sempre bem fechada.

Todas as informações acima já sabemos de cor e salteado. O grave é que nem todas pessoas praticam essas coisas. Preferimos nos lamentar depois. 

Os cuidados com a dengue tem de ser feitos por 100% das pessoas. Se 1% deixar de fazer, os 100% ficarão no prejuízo.

Isso são coisas de humanos mesmo!

terça-feira, 26 de março de 2013

COMEÇANDO

O "Mais Educação" do Alfredo Simonetti está aos poucos chegando aos alunos daquela escola.

Hoje já podemos ver o início do projeto. Os alunos já estão se integrando e participando das atividades e sentindo o cheirinho da comida que será servida mais tarde.

A PREFEITURA DE UPANEMA ESTÁ FORMALIZANDO PARCERIA COM A POLÍCIA MILITAR (PM) PARA AMPLIAR A SEGURANÇA NO MUNICÍPIO.

O prefeito Luiz Jairo informa que a Prefeitura vai assumir a alimentação dos policiais que fazem parte do Destacamento de Upanema, mas não moram na cidade. Além disso, a Prefeitura vai ceder funcionário para trabalhar nas atividades da Delegacia local. “Estamos procurando meios para dar melhores condições de trabalho aos policiais e garantir assim a segurança da população”, destacou.
Luiz Jairo elogiou o desempenho da PM sob o comando de Juscelino de Santana, Chefe do Destacamento de Polícia Militar de Upanema. “Juscelino deu uma nova dinâmica à atuação da polícia e está colhendo os resultados, que são elogiados pela população”, salientou.

Juscelino ressaltou que o diferencial está na presença da polícia nas ruas. “Nós (policiais) fomos pras ruas conversar com a sociedade pra saber o que estava acontecendo e identificar as pessoas que estavam perturbando o sossego da população para tirá-las de circulação”, explicou.

O Chefe da PM acrescenta que também instalou o disk denúncia, graças à doação de um celular por um empresário local, a ronda escolar, entre outras iniciativas. “Estamos adotando medidas para deixar a polícia mais próxima do cidadão, passando mais tranquilidade para todos”, ressaltou.

Juscelino destacou a parceria com a Prefeitura de Upanema, ‘que tem dado conforto e suporte para o Destacamento da PM’. “Essa parceria já garantiu a aquisição de alguns equipamentos para a delegacia e agora estamos empenhados na reforma de nossa unidade para garantir conforto, não só para os policiais, mas, principalmente, para a população quando precisar de nossos serviços”, concluiu.

Prefeitura Municipal de Upanema
Coordenadoria Municipal de Comunicação Social
Magnos Alves
Coordenador

segunda-feira, 25 de março de 2013

AMEAÇAS

No final de semana quase que choveu pra valer por aqui. Ficou naquilo que chamamos de ameaça de chuva.

As ameaças serviram para esfriar um pouco e apagar algumas poeiras. Para outros, foi uma coisa horrível, visto que o bafo da neblina, produz, segundo muitos, resfriados.

Hoje o tempo volta aberto, mas com um visual muito bonito. Talvez para chuva. Tomara.

GARANTIDO

Um texto tem a garantia de ser lido e discutido por uma grande parcela de leitores se for posto no Facebook. O Face, meus amigos, está em alta. Digo, em febre alta. 

Comprovei isso quando publiquei um texto no Face que antes tinha publicado no jornal de Upanema, que tem no mínimo 150 leitores e tinha colocado no blog ENTRETENDO, que tem um número de duas ou três pessoas online diariamente. 

O Facebook é isso e muito mais.