terça-feira, 31 de março de 2020

POEMA

Tanscendência

Queria transcender
Pular o muro do teu ser
Vislumbrar tua grandeza
Tua superioridade
Conhecer teu império
Escalar teus montes
Ver o que nem todos conseguem.

Queria estar
Na vanguarda do teu tempo
Para desvendar o futuro
Entender como reinas
Saber tuas estratégias
Como vences as lutas
Como destrancar o coração
Roubar a chave
E não devolver mais.

Mas infelizmente
Perco a vista
Nada consigo ver
Não vejo tua cidade oculta.

Não sei onde escondes
Os segredos mais secretos
Onde guardas a chave-mestra
Que destranca a tranca
Que esconde teus desejos
Que aponta para o lugar
Que me leva a ti
E à minha felicidade.

PARADOS, NÃO!

Não podemos ficar parados, estáticos, sem fazer nada. Nem a mente, nem o corpo. Isso reza o bom senso.

A água também não pode ficar parada e descoberta, já há muito alerta o pessoal da saúde e o bom senso.

BONS ADMINISTRADORES

Nascemos e vivemos para que sejamos bons administradores.

A administração do tempo é fundamental para que vivamos melhor. Sem uma boa administração do tempo, não conseguimos caminhar bem.


FEIRA-LIVRE

Na segunda feira-livre de Upanema depois da chegada da doença, não aqui, mas por aí a fora, tinha mais gente na rua que segunda, 23.

segunda-feira, 30 de março de 2020

VINTE

Foram 20mm a precipitação pluviométrica entre a tarde  e noite de ontem.

PODE PESAR NO BOLSO

Pode pesar no bolso o próximo papel de água e luz. O consumo está alto.

Natural que seja assim, mas dá, não somente nesse período crítico, que façamos alguma coisa para que pese menos. 

Foi o que fizeram muitos brasileiros no tempo dos apagões de energia. O  governo exigiu das pessoas o racionamento: uso da razão na hora de consumir. E quem não à usasse, seria punido com multas pecuniárias. Não houve outro jeito, senão o uso da razão.

CHUVAS DESTE ANO: NÃO PERCAMOS A CONTA

Já foram 629mm de chuva no meu medidor desde os primeiros minutos deste ano até o dia 28/03.

domingo, 29 de março de 2020

UMA EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

O sertão virou agreste  - Ou seja, aqui está parecido com o agreste, em razão das grandes chuvas.

No Upanemês a palavra cidade substitui sertão.

O DESEJO DE TODOS

"Essa doença logo vamos esquecer. Daqui a quinze dias dela não lembraremos mais", foi o que disse uma pessoa, naqueles momentos em que conversamos para passar o tempo.

"Seria como a "caneta azul, azul caneta"? Retruquei.

Parece que todo mundo se esqueceu dela, menos eu.

Do corona não acredito que vamos nos esquecer fácil, visto que não é  como a azul caneta. Vamos passar muito tempo ainda falando dela, pois, apesar de ser nosso desejo, infelizmentementementementemente, ela não vai sair de linha tão cedo.

CHUVA DE ONTEM À NOITE

9mm a chuva de ontem no começo da noite.

QUEM SE LEMBRA?

Ver quem faz a pedra saltar mais na água.

A fala acima, como tantas outras que destaquei do autor de "Beira Rio, beira vida", resgata da minha memória um pequeno divertimento da nossa infância, que era atirar pedras no rio para ver quem a fazia mais saltar em cima d'água.

Ainda me lembro das vezes que brinquei de atirar pedras na água. Não vou dizer que era muito bom nisso, mas tenho certeza que não era dos piores.


sábado, 28 de março de 2020

PARA REFORÇAR O PERÍODO INVERNOSO

Cai uma boa chuva no solo upanemense agora - poucos minutos depois das dezenove horas - Vem para reforçar o período invernoso que já está bom e ficará pra lá de ótimo. Como diria uma moça falante do meu tempo de mocidade:

Bótimo!

UM

1mm foi captado  pelo nosso pluviômetro na neblina de ontem. Soma-se aos mais de seiscentos deste ano.


QUE PALAVRA!

Caju - Pedúnculo, comestível, do fruto do cajueiro. (Aurélio)

Palavra oxítona, não acentuada graficamente, pois a letra u não faz hiato.

Do caju extraímos a polpa para suco e doces. A castanha é aproveitada para assar. É fonte de vitamina c e é ferro puro.



DEZENOVE

Nunca tinha ouvido tantos 19 serem repetidos publicamente como de uns dias pra cá.

Nem nos meios políticos, como o antigo PTN e agora o Podemos, tem esse numeral é tão propalado. Nem nos livros de história, quando se refere ao século. O século, grafado geralmente em romano, não tem  muito a relatar, a não ser um dos anos da Primeira Grande Guerra.

Nem na química, o potássio - K - número atômico 19.

Agora, com o covid, quantos 19 já se disse nas inúmeras reportagens desde seu advento no meio de nós?!





sexta-feira, 27 de março de 2020

PARA QUEM RECLAMA DA VIDA

Muitas vezes reclamamos que as coisas não estão bem somente porque falta uma coisinha ali, outra acolá.

A coisa está ruim mesmo quando nos falta a saúde. Ah! Isso é ruim mesmo. Quem nunca passou por isso? Imaginem aí você cercado, sem poder sair para todo canto mas com saúde. Mas há outros que estão doentes, acamados e sem dinheiro pra comprar comida e remédio.

DE LEVE

Há pouco, uma chuvinha de leve, para a gente não esquecer. Não deu nem pra espantar as muriçocas.

ESFORÇO FÍSICO

Entre os muitos conselhos de especialistas que ouvi sobre o atual momento pelo qual vive o país, destaco este:

Não façam esforços físicos como fazia. Mas não parem. Nessa época não devemos gastar muita energia. 

DECRETO

No andar da carruagem, é provável que os governos e prefeitos renovem o decreto de suspensão das atividades no serviço público.

ENTRE A PARANÓIA E O DESLEIXO

Há posições extremadas quando se fala em como devemos nos comportar em relação aos cuidados com o corona.

Não é necessária toda essa preocupação excessiva, mas o relaxamento não é bom.

FEBRE MALÁRICA

Malária, impaludismo. Doença causada por um hematozoário descoberto por Laveran, pertencente ao gênero Plasmodium (Hemameba), da família dos hemosporídios, classe dos iporozoários, e transmitida ao homem pela picada de um mosquito da família dos culicídeos, o anófele. A caracteristica principal da doença é o acesso febril intermitente, precedido de calafrios, acompanhado de sensações de calor e seguido de suores profusos. Clinicamente pode ser dividido em seis formas principais: paludismo terção, quartão, tropical, pernicioso, crônico com caquexia e complicado. (Enciclopédia Globo, vol. 5)

A doença descrita acima acometeu algumas pessoas daqui, mas de forma leve. Conheci gente que disse ter sofrido de impaludismo. Provavelmente tenha sido atacada pela mais leve. Falou que tinha frios como descreveu o verbete. Os frios o acompanharam até o fim da vida.

quinta-feira, 26 de março de 2020

OS PROFISSIONAIS MAIS APLAUDIDOS NESSE MOMENTO

Os motoristas, porque não deixaram as estradas e enfrentam, além dos perigos antigos, o presente.

Os da saúde, pois vivem no foco daquela doença.

TUDO PASSA, TUDO PASSARÁ

Tudo passa
Tudo sempre passará
A vida tem ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito
Mas tudo passa
Tudo passará
E nada fica
Nada ficará
Tudo vem tudo vai
Como as ondas do mar.

São frases compiladas de canções nacionais que fizeram sucesso e ainda são lembradas.

Os dois últimos versos ficam fora do contexto se considerarmos o sentido que estou dando ao momento que vivemos no país e vive o mundo. 

Essa onda de aperreio e pessimismo precisa acabar. Ela vai passar e não deve voltar.

Como dizia, nos dois últimos versos o eu poético deseja que a amada volte, assim como as ondas vão e voltam.

Que as ondas que trouxeram esse desassossego ao mundo carregue para o raio que a parta essa coisa.

O QUE FAZER NESSES DIAS?

Quem ficou na ociosidade nesses dias de aquartelamento por causa daquela doença tem outras coisas a fazer além de dormir até dizer basta!

Darei um toque pessoal à indagação acima.

Se fosse aluno num tempo desse, pediria forças a Deus para me ocupar grande parte no estudo. Reagiria ao problema estudando muito. Não encararia como férias.  

Ainda no campo da educação, o professor deve ler bastante para ficar mais antenado naquilo que é seu ganha-pão. Livrar-se dos bate-teclas inúteis, que só aumentam as desavenças. Daqui a pouco alguém vai te chamar de burro só porque você não defende suas ideias.

Nem consigo imaginar o que pode fazer nesses dias uma pessoa que não sabe ler ou tem raiva de quem sabe.

Televisão o dia todo? Internet e seu besteirol e fakes o dia todo? Calçada o dia todo?

Sei lá!


MAIS SETE

A chuvinha de hoje pouco antes das seis foi de 7mm.

MEU AMIGO EQUES(X) E A AGRICULTURA

Meu amigo Eques não larga mão da ideia de que é na agricultura que está a sustentabilidade de um país.

Sustentabilidade não é a palavra que se fala tanto nos dias atuais?

Para quê tanto investimento em coisas que não dão sustentabilidade a um país?

Onde foram parar os recursos investidos nas grandes folias pelo Brasil a dentro e fora? Que é feito da riqueza trazida pela construção dos estádios de futebol?

Nisso meu amigo Eques tem razão.

FRASE

Fazer o bem nos faz bem.

A ARTE E A OCIOSIDADE

"É na plena ociosidade, sem vínculo com o real, que as coisas acontecem para o artista, diz o romancista piauiense Assis Brasil. "Ele se abre às ideias e capta seja lá de onde for, os estímulos para sua criação, continua o escritor.

Será que acontece o mesmo com outras ocupações, como por exemplo, os profissionais da educação? 

Quando não estamos trabalhando,  há algum elemento positivo nisso? Levá-lo-á a adquirir inspiração para melhor exercer sua profissão?

quarta-feira, 25 de março de 2020

FESTA

As muriçocas querem fazer festa com nossos couros. Ainda bem que os sapos amenizam o problema. Amenizam e equilibram a coisa com umas boas comidas.

Nada a ver com cadeia alimentar, mas com crítica à poesia parnasiana, escreveu Manuel Bandeira:

Enfunando os papos,
Saem da penumbra,
Aos pulos, os sapos.
A luz os deslumbra.


UM APAGA-E-ACENDE

Começou um apaga-e-acende na energia.

O que é que há?

MAIS UMA PÁGINA VIRADA

Estamos virando mais uma página. Estamos fechando a oitava página sem livro.

Hoje faz oito dias que estamos em greve contra o corona. Ele não nos deixa encostar nem na escola, nem em ninguém.

DEZ

Foram dez milímetros a chuva da virada da noite para a manhãzinha.

Os dormidores não viram, mas os madrugadores, sim, a neblina quase-não-para.

CHOVE ENTRE A NOITE E A MADRUGADA

Fina, com pequenas pancadas foi a chuvinha entre a noite e madrugada.

terça-feira, 24 de março de 2020

ELA VEIO

Chuva rápida cai na cidade agora depois das nove.

DISCO ARRANHADO

O disco está arranhado e parece ficar assim por muitos e muitos dias.

Não conseguimos falar de outra coisa a não ser aquela coisa.

VERBETE LIGADO AO CORONA

Álcool em gel

Há um entupimento tão grande de informações sobre o assunto e outros relacionados que não podemos, nós mortais, discernir se o tal álcool em gel é eficaz ou não, ou não é tão eficaz como é pintado por aí.

BOTEM AS VASILHAS NAS GOTEIRAS

Quem não tiver água armazenada, botem vasilhas nas goteiras, pois faltou água de novo.

Se chover, a coisa ameniza.

VOLUME DE CHUVAS DESTE ANO

O volume de chuvas deste ano em Upanema até ontem foi de 602mm.

CINCO

Cinco mm a outra chuva de ontem à tarde.

segunda-feira, 23 de março de 2020

POEMA

Cai a noite

Cai a noite
Caio com ela
Procuro não acompanhar
Sua escuridão
Mas vou com ela
Acompanho até onde posso.

Luto pra ficar acordado
Resisto até onde posso
Ficar de olhos abertos.

Olho as estrelas
Não há uma sequer
Que possa brilhar
Aqui dentro.

Um grilo cricrila
Outro bichinho chia acolá
E a noite vai
Não pode parar
Seu curso é inevitável
Vou com ela
As pálpebras não podem
Mais resistir.

A cidade dorme
Não há outro remédio
Dormir.





CANCELAMENTO FOREVER

Bem que as autoridades aproveitassem o embalo e nunca mais gastassem o dinheiro público com folia.

Se as pessoas podem passar sem ela agora, que tal nunca mais?

Não era para as pessoas já irem se acostumando com isso?

Se querem folia, arrastem do bolso e façam, já que não é proibido.

Fica a sugestão.

O QUE É FUNARÉ?

Vamos a um "Que palavra" fora de época.

Em todos os dicionários tradicionais e não tradicionais de que disponho não há o verbete funaré.

Só consegui encontrá-lo na grande rede no Dicionário informal. Lá em São Paulo significa confusão, encrenca. Há outro significado como uma festa. Um funaré pode ser uma festa. Um ajuntamento de gente.

Nesse sentido foi o que escutei hoje bem cedinho do meu amigo Eques.

Conversa vai, conversa vem, falávamos por que  em tempos de corona  tanta gente ainda não entendeu que não devemos ficar aglomerados, no meio de muitas pessoas. Por que não compram uma bebida e vão tomar em casa?

Foi nessa hora que o amigo Eques disse: "Tem gente que gosta de estar no funaré!"

PRÓXIMOS DOS SEISCENTOS

O volume de chuva de todo o ano em Upanema - dados do meu quintal  - já estão próximos dos seiscentos milímetros.

Há quem não acredite. Se há quem não acredite na aids, no corona, em Deus, no capeta, em vida depois da morte...

Cada um crê no que pode.

Vivemos e movemos pelo acreditar ou não acreditar. O resto depois se conversa.

QUANTO CHOVEU EM MARÇO?

Quanto choveu em março, em Upanema, até hoje pela tarde?

Exatamente 132mm.

VINTE SIGNIFICATIVO

Vinte milímetros foi o volume chuvoso da tarde de hoje.

Não é um numeral significativo se fizermos uma leitura superficial. 

Entretanto, para quem tem um cercado plantado na agulha pra colher, vinte é número muito importante.

UPANEMA NÃO TEM

Upanema não tem caso suspeito do covid.

Que continuemos nessa marcha. Quem não puder ficar at home, fique at house.

VACINAÇÃO CONTRA GRIPE


A vacinação contra a gripe começa hoje.

Prioridade

Os que tiverem de 60 acima de idade e os servidores da saúde serão os primeiros.

Mais adiante, os demais.

PANCADÃO

PANCADÃO VERDADEIRO E SADIO

Agora pela tarde estamos  vivendo um pancadão verdadeiro, sadio. É o pancadão da chuva. 

MUDANÇA DE OPINIÃO

Quem  ainda acha que futebol profissional é esporte e folia (carnaval na época e fora) são prioridades num governo, escute essa:

Um hospital numa cidade pequena ou média - nas grandes geralmente já existe - é imperativo.

É clichê dizer que um hospital é importante para uma cidade. Mas nem sempre as pessoas assimilam isso como verdade.

Em época de folia, as mentes fecham-se. Na época da candidatura e  depois eleição do Brasil para ser sede da Copa 2014, o hospital ficou em segundo plano. O ídolo-mor das esquerdas preferiu aparelhar o país com estádios de futebol.

Agora a conta vem. E cara!

Parafraseando Dom e Ravel, digo:

Dinheiro de folia não volta jamais.

PS. E agora, quem se habilita a mudar de opinião?


PANCADA

Boa pancada de chuva agora. 

Esta vai dar pra registrar.
Até que enfim, vamos mudar de assunto.

PRA VARIAR

Para variar nos assuntos, uma neblina rápida quebra a rotina dos dorminhocos.

Como às vezes o que é bom dura pouco, parou logo e não deu pra registrar nenhuma gota.

CIDADE SEM FEIRA-LIVRE

É a primeira vez que presencio a cidade sem feira-livre.

É uma sensação estranha como aquela que vemos na tela do cinema. Cadê o povo desta cidade, cadê o povo de outras cidades?

UMA FEIRA PARADA

A movimentação da feira-livre de hoje será bem diferente daquelas que costumamos há anos.

Com escolas, Câmara municipal e prefeitura sem atendimento presencial, haverá pouca gente na cidade.

Quadras fechadas

Desde quinta-feira, 19, as quadras também estão fechadas por causa da aglomeração dos jogadores.

PROVAVELMENTE 40

Uma quarentena, como diz o nome, refere-se a um período de afastamento de pessoas para que não haja contágio. Não significa necessariamente quarenta dias. Há casos que pode até ser mais.

Pelo correr das últimas notícias, desconfiamos que teremos muitos dias parados pela frente. 

Nas redes de ensino, isso é fato. Os dias que reza o decreto é de quinze, mas pode chegar a mais que isso.

domingo, 22 de março de 2020

VERBETE LIGADO AO CORONA

Quarentena

Palavra usada, não somente em períodos como o que estamos vivendo agora, mas em qualquer tempo, desde que tenha o sentido de isolar, separar pessoas para que não haja contágio.

Mesmo que pareça ser um período de quarenta dias,  é simbólico. Pode ser mais ou menos de quarenta.

ATEU COERENTE

O ateu diz:

"Não creio no corona porque não posso vê-lo".

PÁGINAS DO JORNAL DE UPANEMA

A primeira edição, número 1, portanto, foi com a entrevista com o Doutor - como fazia questão de ser chamado - Antônio Rodrigues de Carvalho.

O homem que emancipou Upanema foi a manchete de capa. 

Primeiros patrocinadores

Farmácia Neide, Marlos cd, Programa Fonte de vida, Nerci Lanches, Nacional gás butano, Dantas calçados e acessórios, J & J presentes, Posto Damião Alexandre, Serraria Metusael, Pedrinho Eletromóveis, Panificadora Dois Irmãos, Água mineral Santa Luzia, O boticário, Sonho de criança, Melão Ferrari, Mega Promoções e eventos, Cooceupa, Liberdade FM 104,9.

As colunas do jornal:

José Mário, Antenado, assinado por Anaximandro Eudson. Linguagem.com, Xavier Gondim. Silva Júnior, e Atualidades, por Francisco José e Kalênia Lígia.

Era o dia 26 de outubro de 2003, um domingo.

FAKE, BOATO, FUXICO, TROTE

Um fake, boato, fuxico ou trote pertencem todos ao mesmo campo semântico.

Muito antes de conhecermos a palavra fake (sempre existiu e não dávamos o nome) havia notícias plantadas com o propósito de prejudicar os outros. Havia pessoas exímias em inventarem as coisas. Às vezes, uma notícia de morte ou desastre, etc.

Troteiros tinham e ainda têm aos montes.

O tempo passa e o ser humano se aperfeiçoa, principalmente na ruindade.

MANTENHA DISTÂNCIA

Das placas de trânsito(nos para-choques) para os cuidados com aquela doença:

Mantenha distância!

Mantenha distância das pessoas pelo menos um metro.

QUEM SE LEMBRA?

Eleições prorrogadas

O quem se lembra de hoje é político.

Vou mexer com a memória da meia dúzia de leitores deste.

Os prefeitos e vereadores eleitos em 1976 deveriam deixar os mandatos em março de 1981, pois haveria eleições em 1980. Só que foram prorrogadas para 1982 para que igualassem com as eleições de governo do estado, senadores, deputados federais e estaduais.

Até aí, tudo bem. 

Entretanto, em 1994 houve outra prorrogação. Esticou-se para 1988. Antes, porém, em 1985, eleições municipais nas capitais do país. Era eleito Garibaldi no RN. O então deputado vencia Wilma de Faria.

Assim, de 1977 a 1982 governou o município o Sr. José Lopes ou Zezinho, como era carinhosamente chamado pelos seus familiares e correligionários.

Administrou Upanema de 1983 a maio de 1985 o Sr. Luiz Cândido(mandato interrompido por causa do falecimento). Até 1988 administrou a cidade o eleito vice-prefeito Antônio Targino Sobrinho.

PS. Não votei em 1982, pois não tinha 18 anos. O votos dos 16 só foi aprovado pela Constituição de 1988.

O motivo da prorrogação dos mandatos de 1982 não chegou ao meu conhecimento.

UMA EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Aquela doença: O câncer.

Num passado não muito distante, era comum a gente ouvir pessoas referirem-se ao câncer como aquela doença. Hoje ainda é possível ouvirmos isso.

Depois trocaram o eufemismo. Os mais modernos chamam aquela doença de ca. E se brincar, ainda acusam os antigos de pessoas assombradas, supersticiosas e do tempo do bumba, ronca ou coisa parecida.

Aquela doença hoje

Hoje há muitas doenças cruéis que dizimam pessoas aos poucos. Não há o costume de se mudar os nomes ou chamar de aquela, sem citar seu nome.

O diabetes, e agora o corona, seriam impronunciáveis ou teríamos uma redução de silabas caso estivéssemos há duas décadas atrás.

sábado, 21 de março de 2020

PRORROGAÇÃO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS?

Nada está definido, mas não é impossível uma prorrogação de mandatos, se considerarmos  as prorrogações que ocorreram no passado.

Hoje sabemos a razão: aquela doença.

Num passado não tão distante assim, houve duas prorrogações consecutivas de mandatos para prefeitos e vereadores.

Quem se lembra disto? E por que prorrogaram?

EM ESTADO DE GREVE

Não sei se é o termo certo chamarmos de estado de greve a situação dos que fizeram greve na educação antes do decreto da governadora que suspende as aulas durante quinze dias.

Consoante falou um grevista, quando esgotar o tempo de parada das aulas, e se as negociações ainda não tiverem avançado, a greve será retomada.

VERBETE LIGADO AO CORONA

Aglomeração

A aglomeração deve ser evitada. É através dela que o contágio se dá. 

Mas...

Obviamente não adianta fugir da aglomeração da cidade e aglomerar-se nas chácaras, sítios. Infelizmente é o que algumas pessoas estão fazendo.

QUASE TUDO PARA

Aos poucos, quase tudo para no país. 

Quem diria que as paradas dos serviços públicos e até privados não  viriam pela vontade das pessoas, mas por uma vontade oculta, inexplicável, misteriosa, inexorável.

Nenhum movimento social, paredista, piquetista ou outros istas sugere ou decreta agora as paradas, mas aquilo declinado no parágrafo anterior.

Os movimentos ditos reivindicatórios cedem lugar a um outro, não movimento, mas ordem: parem ou morrem mais cedo!

QUE PALAVRA!

Cajá-manga

Árvore anacardiácea cujos frutos são grandes drupas amareladas. (Aurélio)

Tradução: Cajarana.

A nossa conhecidíssima cajarana tem esse nome na botânica.

sexta-feira, 20 de março de 2020

A VEZ E A HORA DE ESTUDAR EM CASA

Em tempos difíceis de reclusão forçada, é hora de se estudar em casa. É coisa temporária, mas pode e deve virar moda eterna.

Estudo domiciliar não é coisa do outro mundo, mas rotina das pessoas vencedoras nos estudos.

O TEMPO EM QUE QUASE TUDO PAROU

Quando o poeta compôs "O dia que a Terra parou" não pensava que algo semelhante ocorresse no mundo.

Ou o autor de "Tudo para":  'Tudo para quando a gente faz amor".  

Aos poucos, tudo está parando. Todos os serviços, sejam civis ou religiosos. Tudo o que tiver aglomeração de gente, está parando.

Bom para quem gosta de parar. Ruim para quem não gosta de parar.

Besteira! A gente não só faz o que gosta!

POESIA

Não vale a pena

Não vale a pena
Quando os sonhos
Não são bem sonhados
Quando apenas vivemos
Por viver
Quando não enxergamos
Tudo que se pode ver
Quando os sonhos são pesadelos
Quando os olhos veem
E não enxergam plenamente
Quando ouvimos
Mas somente um barulho
E não distinguimos
O que é relatado.
Vale a pena sim
Uma vida
Com o pé na realidade.

quinta-feira, 19 de março de 2020

BREVE HISTÓRIA DA CAPITAL DO OESTE DO RN

A data da emancipação política de Mossoró é muito menos conhecida que a data em que a cidade enfrentou Lampião.

"Em 15 de março de 1852, há 168 anos, através da lei número 246, Mossoró deixou de pertencer a Açu e se tornou o mais novo município do Rio Grande do Norte", escreve Marcus Cesar Cavalcanti de Morais em seu Terras Potiguares.

Dados da Enciclopédia Globo, volume 8, informam que a cidade tinha 4.327 quilômetros quadrados e 57.690 habitantes em 1977. Dista 251 km da capital do Estado. É servida pela Estrada de Ferro Mossoró-Sousa. É o centro salineiro mais importante do Brasil. Exporta borracha, peles e couros, cera de carnaúba, algodão, etc. Possui jazidas de ferro, gesso, salitre, alabastro, enxofre e pedra calcária.

Dados colhidos da grande rede informam que 1996 foi o último ano em que funcionou a estrada de ferro.

Provavelmente as peles e couros, cera de carnaúba e algodão que os comerciantes upanemenses compravam dos produtores iam para Mossoró.


FOGOS RIBOMBAM

Hoje bem cedinho, fogos ribombam no ar. São os devotos de São José. Acreditam ser o hoje o dia D para chover.

Neste ano, as chuvas já  são suficientes para quem plantou. 

Quem plantou já tem uma colheita certa.

quarta-feira, 18 de março de 2020

PROGRAMA PARA TEMPOS DE CORONA

Ninguém deve sair de casa, a não ser para fazer algo inevitável, como compras, etc.

Em casa, os cuidados básicos. Não faz mal informar e ser informado através das redes.

Não é proibido estudar. Estudar em casa é um lugar muito bom que muitos dos ditos estudantes ainda não descobriram.

CHEIRO DE CHUVA

Hoje pela tarde só o cheiro maravilhoso da chuva. 

POEMA

Deleite

Meu amor ascendeu
Com a tua chegada
Parecia até um sonho
Senti-me extasiada.

Tê-lo perto de mim
Foi a melhor sensação
Ainda estou enebriada
Nesta ardente paixão.

Júlia Costa

terça-feira, 17 de março de 2020

UMA CORONA QUE NADA TEM A VER COM VÍRUS

Nos anos 90, estourou no Brasil o hit "The rhythm of the night" -  O ritmo da noite - grupo italiano Corona.

No antigo Clube Municipal de Upanema a música não faltava nas noites de dança.

Os da minha idade não me deixam mentir.

Não imaginávamos que uma doença que tem a primeira parte do nome corona - coroa - fosse  amedrontar o mundo inteiro, enquanto o grupo só trazia alegria.

QUESTÃO DE SAÚDE

Governadora do RN suspende aulas no estado por quinze dias.

O decreto estende à rede municipal e à particular.

A medida é uma barragem: barra. 

QUESTÃO GRAMATICAL

Charada

O que é pior? Acentuar com circunflexo a palavra doce na letra ó ou na letra é?

OITO

Foram apenas oito milímetros a chuva de ontem à tarde.

segunda-feira, 16 de março de 2020

ANO PRA ENCHER

O ano é pra encher barreiros, açudes e barragens de todos os tamanhos.

Há notícias de todos os recantos do estado que os pequenos e grandes reservatórios estão enchendo.

Quem apostou na seca, perdeu.

CHUVA FORTE

Chove forte neste fim de tarde.

NEM TANTO, NEM TÃO POUCO

O pavor que as pessoas estão diante do coronavírus faz lembrar do ditado: Nem tanto, nem tão pouco.

O corona não é uma peste negra, um câncer, uma aids.

É o medo de tudo que faz as pessoas ficarem tão apreensivas.  Mas é preciso prevenção.

domingo, 15 de março de 2020

UMA EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Achar graça: Rir. Sorrir. Estar de acordo ou apreciar algo. 

Ex: Não achei graça daquele baile.

DICIONÁRIO UPANEMÊS AMPLIADO E REVISADO

Vem aí o nosso dicionário ampliado e revisado.

QUEM SE LEMBRA?

Terno de brim

Pelo menos do meu conhecimento,  não é comum no nosso meio pessoas com esse tipo de tecido ou não entendo nada de paletó de brim.

E andando pela rua
Meu pai bem junto a mim
Olhava com ternura
A lágrima rolar meu paletó de brim, diz o poeta quando deixava a casa paterna.




sábado, 14 de março de 2020

DEZENOVE

19mm o número da chuva da tarde e começo da noite de hoje.

BOA CHUVA AGORA

Cai boa chuva agora - 18:30 - em Upanema.

QUE PALAVRA!

Caipira: Habitante do campo ou da roça. (Aurélio).

Há a galinha caipira, alusão à origem daquela ave.

Nos tempos em que os moradores do campo e da cidade eram bem diferentes seja no falar, no vestir, no ter, nas informações que dispunham, enfim, em todas as formas de viver, os moradores rurais eram chamados de caipira. 

Hoje isso não tem mais sentido.

quinta-feira, 12 de março de 2020

CAI CHUVA

Cai chuva em Upanema. Aguardo para contabilizar.

O PROFETA ERROU

O profeta da chuva que falou que choveria ontem lá pelas duas da tarde, errou feio. 

Não choveu coisíssima nenhuma. Nem de duas, nem de três, nem hora alguma.

MAIS OUTRO SLOGAN

Um atento leitor diz que antes do último slogan, há este:

Mas ele é que o povo quer. 

terça-feira, 10 de março de 2020

SOB O CALOR

"Esse calor é chuva", exclama uma pessoa.

O bruto diz: "Esse calor é calor mesmo. Chuva é água pingando no chão e na telha."

Pode ser que o primeiro não entenda de metáfora, mas entende que é uma maneira certa de se expressar. O segundo não entende ou finge não entender.

CHUVAS AFASTAM-SE

As chuvas rondam a cidade mas não chegam por aqui.

segunda-feira, 9 de março de 2020

CALAZANS DECIDE SOBRE GREVE

Numa eleição apertada, o "não-greve" venceu num placar de dez a oito.

DECISÃO ADIADA

Em reunião no Calazans Freire pela manhã, os professores votaram sim ou não acerca da greve dos servidores da educação no RN.

À tarde será decidido sobre o assunto depois de serem computados os votos.

DIA DE DECISÃO

Hoje é dia de decisão acerca da greve dos servidores da educação, rede estadual no Calazans Freire. 

Provavelmente a greve sairá. O Alfredo Simonetti já decidiu.

domingo, 8 de março de 2020

UMA EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Abriram as portas do inferno

Expressão usada para dizer que estão vindo pessoas feias ou não aceitas no ambiente. São as personna non grata.

Ex: Ah! Parece que abriram-se as portas do inferno!


QUEM SE LEMBRA?

Enxó

É um das palavras muito sumidas na atualidade. Até a grafia é difícil. Na dúvida, eu preferiria com x mesmo.

É também um instrumento estranho para esta geração de vinte anos pra baixo. Só o conhece mesmo quem tem em casa um ou convive com marcenaria.

Uma enxó é um instrumento que marceneiros utilizam para desbastar madeira.

As pessoas em geral pronunciam inxó.

Parece ser substantivo masculino, mas é feminino. Uma enxó e não um enxó.

sábado, 7 de março de 2020

DOIS

Dois milímetros foi a pequena chuva da tarde de hoje.

QUE PRONÚNCIA DIFÍCIL!

Mas

Como devemos pronunciar a conjunção mas?

Mazi, Massi, mais - como se fosse mais ou maz, com o z levemente pronunciado?

No nosso entendimento, a última alternativa deve ser a correta.


ORIGEM DA PALAVRA CAIEIRA

É originada de cal, diz Antônio Geraldo da Cunha.

Caieiras há poucas entre nós. Era comum nos anos passados - anos 60, 70, 80.

Acompanhei o velho pai montando uma, feita do próprio tijolo, como diz o lexicógrafo Silveira Bueno.

Para que o tijolo seja bem queimado, faz-se necessário que esteja bem enxuto. A queimação deve estar na medida certa: nem fogo demais nem de menos. O tijolo não pode ficar cru nem queimado demais.

Depois de queimada, a caieira fica alguns dias esfriando. Só depois colhe-se o produto.

QUE PALAVRA!

Caieira: Forno onde se faz a cal. (Aurélio)

Silveira Bueno amplia o conceito: forno em que se calcina a pedra calcária e se faz a cal. Forno construído pelos próprios tijolos a cozer. 

A Enciclopédia Globo acrescenta outras informações: forno de Olaria, construído com os próprios tijolos que vão ser queimados.

Entre nós é comum a gente engolir o primeiro i de caieira. Dizemos caeira. 


CIDADE NUBLADA

Cidade nublada desde o amanhecer.

Chuvas ao redor do município, mas aqui elas se afastaram.


POESIA PARA CRIANÇAS

A teia na telha

A teia vive
Vive no alto
No alto do teto
No teto
Principalmente.

Vejo-a principalmente

Porque já vi
Algumas vezes
Nas paredes.

A teia na telha
Seu lugar preferido.
A telha abriga
Muitas teias.

A aranha produz teias
De montão
Ela conduz sua criadora
Para o chão.
Outras vezes
Elas se enroscam
Na gente
Que nos dá uma comichão.

sexta-feira, 6 de março de 2020

MEDO DOS ÃOS

Apurando bem, como há gente com medo de coisas que terminam com ão!

Abaixo, somente uma amostra.

Bicho papão, ladrão, avião - foi com medo de avião, que eu segurei pela primeira vez na sua mão - camaleão, espião, valentão, escorpião, foguetão, exortação, retaliação, discriminação, dissertação, destruição, prisão, competição, amputação, repreensão, conspiração, exclusão, coação, coalizão, coerção, charlatão, imposição, majoração, suspensao, opressão, inflação, precipitação, destituição, escravidão e trovão.



CERCADA DE CHUVA

A cidade está cercada de nuvens escuras.

NEBLINA DA MADRUGADA

A neblina da madrugada rendeu seis milímetros.

quinta-feira, 5 de março de 2020

TARDE NEBLINENTA

Algumas neblinas caem sobre nossa cidade agora.

GREVE E POLÍTICA

Greve e política andam juntas.

São duas senhoras que não se separam. A primeira atrapalha ou ajuda a segunda. Depende de quem está com o chicote.

quarta-feira, 4 de março de 2020

GREVE EM UPANEMA?

Em matéria de greve, cada escola e autônoma para decidir pela parada.

Historicamente, o Calazans não entra em greve sempre. E quando entra, sai mais cedo.

A disposição de entrar em greve é forte. Alguns servidores estão empolgados nessa possibilidade, visto que o parcelamento do reajuste do governo federal é longo demais. As perdas são grandes.

Se em Upanema houver greve, ninguém se admire.

SEM ÁGUA DE NOVO

A água nas torneiras faltaram de novo.

Quando voltará?

terça-feira, 3 de março de 2020

CHEGA DE CHUVA!

Chega de falar em chuva. Agora é greve. 

Uma greve no Estado do RN é quase inevitável. A governadora está irreconhecível. Nem parece que foi sindicalista, que defendia trabalhadores.

Suas propostas para o reajuste dos servidores da educação não são aceitas pela categoria.

Vai ter greve!

CHUVA DA NOITE DE ONTEM

Treze milímetros a chuva de ontem à noite entrando pela madrugada.

A soma da tarde com a noite deu dezessete.

MUNDO DE CHUVA E MUNDO D'ÁGUA

Vez por outra somos cercados por um mundo de chuva, mas nem sempre se materializa em mundo d'água.

PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA DE ONTEM PELA TARDE

Apenas 4mm.

segunda-feira, 2 de março de 2020

NÚMEROS DE JANEIRO E FEVEREIRO

As precipitações pluviométricas de janeiro e fevereiro foram 465mm.

VOLUME DE CHUVAS DO MÊS DE FEVEREIRO

Fevereiro choveu mais do dobro do mês de janeiro.

Foram exatamente trezentos e dezenove milímetros.

São dados colhidos do meu quintal.

DE ROMBO!

50

Cinquenta o número de milímetros a chuva da tarde de ontem em Upanema.

AULAS NO ALFREDO

O ano letivo da Escola Estadual Professor Alfredo Simonetti começa hoje.

Indicativo de greve

Há um indicativo de greve na rede estadual  para o dia 4.

Como as greves não são unificadas no estado e dependem de cada escola, não sabemos se haverá greve por aqui.

Vamos aguardar o dia 4. 

MUITA ÁGUA JUNTA

Notícias de Mossoró dão conta de que lá tem muita água junta. É alagamento nas ruas, nas escolas, no comércio. O centro da cidade não fica isenta. É lá onde as águas mais castigam.

domingo, 1 de março de 2020

FÉRIAS PROLONGADAS

Pelo andar da carruagem, muitos professores da rede estadual terão férias prolongadas.

NÚMEROS DAS CHUVAS DE FEVEREIRO

Amanhã informarei o número de milímetros do mês de fevereiro em Upanema, com dados do meu quintal. 

O volume foi mais que o dobro de janeiro.

Nessa pisadinha, teremos um inverno muito bom, até acima da média, como diz muito bem em prosa os estudiosos da meteorologia.

UMA EXPRESSÃO DO UPANEMÊS

Abrir o bocão: Descobrir, resolver revelar um segredo. 

Ex: A mulher promete abrir o bocão sobre o que viu.

JORNAIS COMO EMBRULHO

Provavelmente, sem que tenha passado o tempo do embrulhamento com papéis de embrulho, os comerciantes despachavam também suas pequenas mercadorias em jornais.

Foi num desses jornais-embrulho que meu avô materno leu uma notícia, lá pelos anos 60, de uma queda de avião na região amazônica. O piloto e mais outros tripulantes - estudantes de engenharia - morreram de fome e sede na mata. Alguns trechos de manuscritos deixados pelas vítimas descreveram todo o dilema. A história da queda do avião é verdadeira. Se o jornal que ele leu foi de um embrulho, é suposição da gente.

Naquele tempo

No tempo em que desenrolou a história que contei, não tem a menor chance de em Upanema haver jornais para venda. Em Mossoró, sim. Então, o jornal deve ter vindo através de comerciantes upanemenses. Vendeu uma barra de sabão ao meu avô, embrulhou o produto, meu avô levou para casa, leu a notícia e achou interessante. Depois leu para minha mãe, que por sua vez me contou. E agora contei pra vocês.

ESCOLA DO PASSADO

Escrita em papéis de embrulho

O papel de embrulho - informação para quem tem menos de 45 - eram os invólucros da rapadura, açúcar, farinha, pão, prego, sabão, etc. Talvez o etc seja mais que os citados acima. Era um papel um pouco marrom, sei lá! Tinha um cheiro bem diferente do papel ofício de hoje. Para mim tem cheiro de passado.

Eram nesses papéis de enrolar muitos produtos de mercearias ou padarias que alguns alunos do passado testemunham que juntavam esses papéis e confeccionaram cadernos escolares. Outros utilizavam apenas como rascunho.

CHOVE TORRENCIALMENTE

Chove agora torrencialmente em Upanema. Parece com chuva que renderá muitos milímetros.

UMA LOUSA PARA CADA ALUNO?

Onde existe isso? Em escola particular? Em escola pública no Brasil do passado? Em escola pública ou particular na Inglaterra, Estados Unidos? Ou somente em seriados?

CHUVA RÁPIDA EM UPANEMA

A chuva rápida pela tarde de ontem em Upanema foi de apenas cinco milímetros.

Em Mossoró

Já em Mossoró, houve locais que alcançaram a cifra de 110, 120mm. Houve alagamentos em muitos locais.

Despreparo

Flagrante é o despreparo dos governantes nesses momentos. Prova que precisam fazer ainda muita coisa na estrutura da cidade.

QUEM SE LEMBRA?

Peia

Quando se fala em peia, a gente se lembra logo em surra. Não é minha intenção relembrar disso agora, pois até sinto as chineladas ou taladas que levei, mesmo que não tenham sido muitas.

A peia a que me refiro é um prendedor dos pés de animais.

Deixem que Soares Amora e Raimundo Nonato em seu Calepino definam melhor:

Corda ou laço com que se pendem os pés dos animais, para que não andem.

Alça de couro curtido com que se ligam os membros dos cavalos e dos burros para evitar que eles se distanciem muito do ponto da pousada. Diz-se peia-da-mão quando prende só os membros dianteiros. De pé-e-mão, quando ligam o pé e mão.

Quando alguém anda muito devagar, diz-se:

Você está peado?

Relacionado à peia, havia um senhor que tinha o apelido de Peiamão. Não sei a origem da tal alcunha. A maioria da população não sabia seu nome de registro civil.


PROVÉRBIO

Cipó não trepa em pau morto.