quarta-feira, 31 de julho de 2019

VÁRIOS PONTOS

De um mesmo ponto
Onde cada um está
Vê diferente coisa
Mesmo tendo boa vista
Mesmo tendo boa mente
Sente sentidos diferentes.

Apesar da mesma idade
Morar na mesma cidade
Ter colado o mesmo grau
Ganhar o mesmo cacau.

É mistério essa coisa de ponto
De estar e ser
De ouvir e ver
Coisas diferentes
Apesar de estar
No mesmo lugar.







segunda-feira, 29 de julho de 2019

POESIA

Quotidiano

A cada dia em meu bairro
Fileiras de gente passa
Esticando canelas
Alongando braços
Entortando pescoços
Andar ligeiro
Outro ali lento
Outro acolá correndo
Outro alhures sonhando
Mais um ali conversando
Outro magote esquematizando
Mais outros fuxicando
Uns teorizando
Preveem o futuro
Reclamam do passado
Choramingam do presente
E todos pensam buscar
A saúde que perderam
Ou que já não é a mesma.


domingo, 28 de julho de 2019

POESIA

Estreita

Estreita é a rua
Que passo com cuidado
Estreita é a vida
Que penso que sempre viverei
Estreito é o sonho
Que sonho muito
Mas não realizo plenamente
Estreita é a porta
Que para chegar ao céu
Tenho que por ela passar.
Estreita é a mente
Que não consegue entender a vida.
Estreita é a nação
Que não apoia o progresso.
Estreita é a cidade
Que não acorda para a mudança.
Estreito é o torcedor
Que não sabe torcer dignamente.
Estreito é o condutor de autos
Que não aprendeu a dirigir
Apesar dos anos de direção.
Estreito é o professor
Que não aprendeu a ensinar.
Estreito é o aluno
Que não sabe alunar.
Estreito é o pedestre
Que não consegue direito andar
Estreito é o assistente
Que não sabe perguntar.
Estreito é o ser humano
Que não sabe amar.

QUEM SE LEMBRA?

Desejo, Contouré, Acapulco e Avon 7

Desses aí só conheci Contouré, que era uma colônia bastante cheirosa.

Disseram-me que compravam no comércio em mercados*. Procedia da seguinte maneira: a pessoa chegava numa bodega e pedia, digamos, um real de Desejo. O comerciante despejava na mão da pessoa aquela quantidade. E a pessoa ia pra festa feliz, feliz da vida.

*Pequena porção. 

sábado, 27 de julho de 2019

QUE PALAVRA!

Cabeleireiro: aquele que, por profissão, corta ou penteia o cabelo dos outros. (Aurélio)

Uma palavra que tem pronúncia bastante errada. Poucos se aventuram em pronunciá-la e outros poucos acertam. 

A dica é: dentro de cabeleireiro há uma lei e um rei.

sexta-feira, 26 de julho de 2019

HISTÓRIA

Há tempos que curto histórias e a disciplina escolar história. Por pouco não me inscrevi no vestibular de história.

Cresci ouvindo dizerem que o que é dito na matéria escolar quase sempre é mentira ou coisa duvidosa. 

quinta-feira, 25 de julho de 2019

FRASE

De autoridade

O problema da autoridade hoje não é a falta de que as tem, mas a presença de quem não as tem.

terça-feira, 23 de julho de 2019

segunda-feira, 22 de julho de 2019

CHUVA DEMAIS

A mudança no tempo ou frente fria é o culpado pelo volume exagerado de chuva nesses dias no Nordeste brasileiro. 

É tanta chuva que até sobrou para nós uma chuvinha.

domingo, 21 de julho de 2019

QUEM SE LEMBRA?

Espoleta

No sentido literal, é uma cápsula para fazer disparar armas, principalmente espingarda. Pelo menos é a definição mais simples que conheço.

Porém, pesquisando o Calepino Potiguar, de Raimundo Nonato, há outra definição para espoleta, inclusive a terceira é conhecida entre nós upanemenses:

Mulher que leva e traz recados. Alcuviteira. Pessoa que acerta encontros amorosos. Recadista. 



SEIS

Seis é o número da pequena chuva de ontem.

sábado, 20 de julho de 2019

QUE PALAVRA!

Cabeçudo: De cabeça grande. Teimoso. (Aurélio)

Soares Amora acrescenta obstinado às definições de Aurélio.

Cabeçudo temos aos montes, em todas as classes sociais, em todos os lugares e em todas as épocas. Cabeçudo em quem não teima, apesar de perceber que está errado. É embirrar e não querer ouvir ninguém.

QUE CHATO UM GALO SOZINHO

O galo sozinho  de João Cabral
Canta só
E não tece a manhã
Como todos os nossos galos daqui.

Ouço-os nos fins de madrugada
Quando parte da população busca a saúde
Nos movimentos dos pés.

Ouço sempre um galo que puxa 
Um canto rouco e afinado
Para os ouvidos dos cantores-galos.

Um canto que nunca é solitário, como diz Cabral de Melo Neto.
Sempre outros o acompanham
Num mesmo tom
Ou em outros acordes
Pois nada sei sobre acordes de galos.

Sei que aquela sinfonia musical das manhãs
Bem que podem nos ensinar
Que fazer uma tarefa sozinho
Não tece bem uma vida.

VARIAÇÃO

A variação do tempo mexe consideravelmente com nossa saúde. 

Isso dá nariz entupido, espirros intermitentes, tosse.

quarta-feira, 17 de julho de 2019

UM OLHAR PARA CIMA

Já se foi o tempo em que as pessoas olhavam para cima como muita frequência. 

Olhávamos para vermos se ia chover ou encontrarmos o sete-estrelo ou outro do mesmo valor.

Olhávamos para acompanharmos o eclipse que amedrontava e denunciava o fim do mundo.

Ontem mais um eclipse lunar apareceu no céu. Poucos viram. E os que viram foi pela TV ou rede social.

terça-feira, 16 de julho de 2019

segunda-feira, 15 de julho de 2019

domingo, 14 de julho de 2019

QUEM SE LEMBRA?

Lousa

Lousa é o antigo nome que era dado ao hoje quadro escolar. Sim. Aquele quadro que dizíamos negro, que depois esverdeou e depois esbranqueceu. 

Quem se lembra quando o quadro escolar era chamado de lousa? Eu não!

sábado, 13 de julho de 2019

FRASE ACIDENTAL

Quem é não quer deixar de ser.

POEMA

Desencontros

Nossos planos morreram
Antes mesmo  de nascer
Restou desejo e saudade
Antes do amor acontecer.

Não há compatibilidade
Nos sonhos e vontades
O medo do que é incerto
Interrompe nossa felicidade.

Estamos assim a  desejar
Companhia, afeto e carinho
Se juntos não podemos ficar
Seguiremos distintos caminhos.

Júlia Costa

sexta-feira, 12 de julho de 2019

POEMINHA

No dia em que partiste
Faltou chão
O teto aumentou
Os lados se enlargaram
O coração quase parou
A vista embaçou.

Só sobrou você
Dentro do meu coração.

FRASE

Temos o direito de suspeitar que os desobedientes têm problemas cognitivos graves.

A QUILÔMETROS DE DISTÂNCIA

Eleições

As duas eleições em uma que ocorrerão no próximo ano está a quilômetros de distância, mas já podemos avistar alguma coisa.

Aqui, acolá e alhures vemos uma movimentaçãozinha para começar a ajustar uma coisita do futuro.

Garanto que ninguém mais está parado.

quinta-feira, 11 de julho de 2019

quarta-feira, 10 de julho de 2019

POEMA

Passagem de ida

No dia em que eu parti
Pensei em olhar para trás
No entanto compreendi
Que adeus é nunca mais.

A saudade é  traiçoeira
E tenta me equivocar
Mostra-me falsas razões
Para aos teus braços voltar.

Mas há de passar o crepúsculo
Para em mim surgir a aurora
Não se pode voltar ao lugar
Do qual um dia fostes embora.

Júlia Costa

CIDADE NUBLADA

Cidade nublada neste momento na cidade.

E o frio nas madrugadas, oh!

terça-feira, 9 de julho de 2019

NÃO BULA!

Bullying

O bullying, é o ato repetido que perturba a vida dos outros. É prática antiga, mas muito presente no nosso meio. É identificado mais na escola, mas está presente em todas as partes.

segunda-feira, 8 de julho de 2019

domingo, 7 de julho de 2019

QUEM SE LEMBRA?

Sandálias Melissa

Anos 80. As meninas usavam com meias coloridas. Eram sandálias de plástico.

Aqui e acolá, a geração pós- moderna ainda usa sandálias de plástico. Não precisa ser melissa. O que vale é estar na moda.

sábado, 6 de julho de 2019

QUE PALAVRA!

Cabeçada: Pancada com a cabeça. Tolice, asneira. (Aurélio)

A palavra de hoje a pus pensando principalmente no segundo sentido: tolice, asneira. 

Agora pergunto: Quem nunca cometeu uma cabeçada?

sexta-feira, 5 de julho de 2019

ENSOLARADO A NUBLADO

De ensolarado a nublado. Eis o dia de hoje!

CHUVAS CAUSAM TRANSTORNOS

Calmemos! Não é aqui, não. É em São Paulo, capital. Os transtornos são a queda de árvores, alagamentos, deslizamentos de terra, semáforos apagados.

Entretanto, aqui já tivemos algo semelhante, com as devidas proporções. Ficou na nossa memória, memorável inverno de 2009. Nem se faz necessário repetir aqui.

BELO NEOLOGISMO

Conversa vai, conversa vem, falávamos sobre carne. Eu, que só entendo do assunto quando ela está na boca, centrávamos o assunto nos bons espetinhos da cidade:

"Às vezes pensamos que a carne é boa, mas nos esganamos."

Então foi que surgiu o neologismo. "Os melhores espertistas se preocupam em comprar uma carne de primeira e adequada. Só assim poderá oferecer um bom espetinho".

Claro, né? 

quinta-feira, 4 de julho de 2019

MAIS UMA VEZ

Mais uma vez, a falta d'água faz parte de um dos assuntos da cidade.

Pois é. O movimento  da água está parado.

Por que? Nem precisamos declinar.

MEMÓRIA

Futebol brasileiro

"O futebol brasileiro humilhou o argentino ontem, numa partida da final da Copa das Confederações. Num placar de 4x1, o Brasil deixou os rivais sem ação". 
( Escrevi isto no dia 30 de junho de 2005).

quarta-feira, 3 de julho de 2019

TUDO BEM?

Reflexões

"O que interessa mesmo é a saúde". 

Ou esta:

"Saúde é o que interessa, o resto não tem pressa".

Tudo está bem quando a saúde vai bem? Relativo.

Bolsos cheios de dinheiro, casas e outros bens, eu sei que não é tudo. E saúde não é bom. É ótimo!

ACENTUAÇÃO GRÁFICA

Tem

Tem tem acento?

Tem e não tem. Depende da frase. Se for na terceira pessoa do plural: eles têm motivos... tem. Nos outros casos: ele tem motivo... não tem.

TORCEDORES ESPECIAIS

Em matéria de jogo de futebol, há inúmeros tipos de torcedores.

Um tipo que acho bastante especial é o argentino que mora bem pertinho de nós. Bem entendido: um brasileiro que torce pela seleção da Argentina.

Torcedores que moram no Brasil e torcem pela seleção da Argentina têm motivos de sobra para ficarem aborrecidos com os últimos resultados da seleção de Messi.

terça-feira, 2 de julho de 2019

POLÍTICA

O povo se interessa por política.

Qualquer um percebeu a manifestação de domingo em apoio às medidas do governo.

Se não gostasse de política, não sairia de casa para posicionar-se em favor de uma pauta política.

segunda-feira, 1 de julho de 2019

VINTE E CINCO ANOS

Hoje faz vinte e cinco anos que foi lançado o Plano Real. O presidente era Itamar Franco. Fernando Henrique era o ministro da fazenda.

A maioria do povo brasileiro não acreditava que desse certo. Hoje ninguém pode ser contra, pois o tempo se encarregou de mostrar que o plano foi bom para as pessoas.

PROVÉRBIO

Cipó não trepa em pau morto.