quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O QUE TODAS AS PESSOAS DE BEM QUEREM

Em 2015 as pessoas de bem desejam que tudo melhore em todas as áreas.

Todos almejam paz, saúde, educação de qualidade.

Na Educação, que todos resolvam arregaçar as mangas e trabalhar para que ela funcione de verdade.



segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

UM NOVO QUADRO

Um novo quadro se configura no país no item falta de chuva.

Agora lemos na grande imprensa que árvores tombam depois de chuvas e temporais.

Aqui entre nós as águas estão chegando. O tempo nublado não nos deixam mentir.

MAIS UM DIA HISTÓRICO

Oficialmente temos a partir de hoje uma BR asfaltada.

Muitos falaram e sonharam muito com ela, mas não viram. Agora, sim, temos uma estrada para ajudar a cidade e região a se desenvolverem.

As principais autoridades presentes foram a governadora Rosalba e o ministro dos transportes, Paulo Sérgio Passos.

domingo, 28 de dezembro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

As olarias de tijolos estão praticamente extintas no nosso município.

Alcancei algumas na época em que era menino. Não faz muitos anos. Somente quarenta anos.


sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

RETA FINAL

O ano de 2014 entra nos seus últimos dias. É tempo de começarmos a relembrar dos dias que vivemos desde o começo do ano.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

VAMOS PEGAR O BICHO-PAPÃO?

O bicho-papão dos vestibulares é a redação.

A sentença acima vem de grande parte dos estudantes. Eles assumem o medo de fazer redação.

Mas o que fazer diante do medo? Correr ou enfrentá-lo?

No caso da redação é mais racional um preparo prévio, já que há bastante para isso durante a vida escolar.

Na hora basta fazer o básico: escrever de forma simples. Não se faz necessário escrever difícil.

De caneta na mão, não há bicho-papão que resista.

domingo, 14 de dezembro de 2014

FAZENDO A DIFERENÇA

Depois de meses, anos de estudo, o estudante fará diferença na hora da prova no item calma.

Procurem relaxar e acreditar no potencial interior.

VESTIBULAR DA UERN

Hoje teremos o último vestibular na UERN.

Como de costume, ônibus sairão da Panificadora Dois Irmãos a partir das 11:30.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

QUENTE

Até quem não reclama muito das coisas não fica tranquilo com o clima arrasador dos últimos dias.

Não nos avexemos porque logo, logo as chuvas virão.

domingo, 30 de novembro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

O desenho da cidade de Upanema tem mudado a passos largos. Quem não costuma a andar pelos quatro cantos da cidade com frequência não conhece nem a geografia nem as pessoas que moram lá.

Uma ilustração da mudança da geografia da cidade é a quantidade de casas e conjuntos residenciais existentes na banda oeste da cidade.

Quem se lembra da cidade antes dos conjuntos?

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

PIP

PIP é a sigla de Projeto de Inovação Pedagógica, que pertence ao RN Sustentável.

O projeto será executado em 2015.

A Escola Estadual José Calazans Freire foi contemplada e já está nos finalmentes.

O projeto visa à melhoria da educação.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

OUTUBRO E NOVEMBRO

O rosa e o azul não passarão com o fim dos meses de outubro e novembro. A campanha vai continuar, dizem os promotores da campanha.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

FALTA DE PREPARO

No Brasil há milhares de empregos que não estão sendo preenchidos por falta de pessoas preparadas.

Essa constatação vem de longe. Já vi diversas reportagens sobre o assunto que apontam o problema e indicam a solução: que as pessoas estudem para que possam ser capacitados para preencher as vagas.

Dependendo do tipo de serviço, muitas vezes nem exige estudo formal, ou seja, aquele estudo em bancos escolares, mas apenas o estudo profissionalizantes.

Para se ter uma ideia, há muitos automóveis pesados que estão esperando que mais pessoas aprendam a dirigi-lo. Esse tipo de transporte exige muito estudo e preparo.

O que há muito no país são pessoas desocupadas porque não são capacitadas para determinados serviços. Outro caminho não há, senão o que me referi nas linhas acima. 

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

SEM FIM

Até parece que não tem mais fim o fio que conduz o caminho da corrupção que percorreu e ainda está percorrendo os denunciados de corrupção no escândalo da Petrobrás.

O fio é tão comprido que pelo visto, não é impossível chegar bem pertinho de nós. É denúncia  que não acaba mais.

domingo, 23 de novembro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

As bicas de antigamente serviam para o divertimento da meninada na época de chuva.

Outras vezes serviam para suprir a falta d'água.

Não é que as bicas voltaram a ter a função de suprir a falta d'água?

Hoje muitas pessoas armazenam grande quantidade de água em grandes cisternas. O passado está se encontrando com o presente.

sábado, 22 de novembro de 2014

AS FORMIGAS

As formigas que criam asas apontam para início de chuva.

Esta é outra intrigante experiência sobre inverno. É tiro e queda!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O CANTO DO SAPO

Um cidadão me deu uma informação gratuitamente sobre as previsões sobre o inverno para o ano que que vem.

"O sapo tá cantando. É sinal de bom inverno."

Segundo ele, o coaxado do sapo é bom sinal de que haverá chuva. apesar de não colher, ele está se preparando para o tempo invernoso.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

PREVISÕES

Há previsões de alguns institutos de meteorologia de que não haverá um bom inverno em 2015.

Se isso acontecer, muitos problemas serão multiplicados, pois os humanos ainda não conseguiram conviver com as cheias e muito pior com a seca.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

BANDEIRA

"Salve lindo pendão da esperança" é uma expressão que desapareceu da mente da maioria dos brasileiros.

É o primeiro verso do hino à bandeira, composição do poeta parnasiano Olavo Bilac.

Apesar de ter sido abolido, algumas pessoas pensam que ainda é feriado. 

A bandeira é um dos símbolos nacionais.

UM MUSEU DE GRANDES NOVIDADES

As ações dos seres humanos apenas se repetem com o tempo. A corrupção é velha companheira dos humanos. Basta folhearmos a história antiga e recente que constataremos as manobras que grandes e pequenos personagens engendraram para se dar bem em detrimento do mal dos outros.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

FALTAS

Depois da falta de água, foi a de energia.

Hoje faltou energia, por algumas horas. Ainda bem, pra mim, que logo voltou.

domingo, 16 de novembro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Além de jogarmos futebol na rua, a bola não ajudava muito. Geralmente a bola era canarinho, uma marca muito usada naquela época: anos 70 e 80.

Os meninos da classe mais privilegiada jogavam com bola dente de leite.

Quem se lembra disso?

sábado, 15 de novembro de 2014

CADERNO DE ANOTAÇÕES

Leio aqui num dos meus cadernos que em 13 de novembro de 2005, um domingo, o governo do Rio Grande do Norte realizavaconcurso para professor. "Muita gente jogou sua sorte lá," fecho o texto.

Os concursos para professor desapareceram do vocabulário dos governos. Não só dos estaduais, mas também dos municipais.

A PAZ

Não adianta buscarmos a paz com armas da guerra.

PROCLAMAÇÃO

Num dia desse, em 1889, o Brasil deixava de ser monarquia para tornar-se uma república.

A proclamação se deu um ano após a extinção da escravatura.

Foram  duas datas amiudadas, em dois anos consecutivos que mudaram os rumos do país.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

EDUCANDO

Educando com a 104 é o nome de um dos programas da FM Liberdade que vai continuar na grade de programação.

Consoante a gerente comercial, Talita, o programa deve continuar, pela sua importância na área educativa. Além de prestar esse serviço na área educativa, ele irá transmitir ao vivo, lista dos que passarem no vestibular da Uern.

O programa Educando com a 104 estará no ar, todos os sábados, a partir de amanhã, 15. A apresentação de Francisco José. Colaborarei, dentro do possível, com as curiosidares e broncas gramaticais.

PRECIOSO LÍQUIDO

O precioso líquido, depois de dois dias em falta, voltou.

A água é como a respiração: só nos damos conta da sua verdadeira importância quando falta.

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

HORA DE CAUTELA

Quase não fecham-se as urnas e já escutamos más notícias acerca das ações anunciadas pelos candidatos eleitos.

As ações más, obviamente.

Algumas são oficiais, outras não. Saíram da boca de pessoas, mas não da pena.

Por enquanto, é hora de cautela. Precisamos esperar que janeiro chegue.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

POLÍTICA PARA O TRÂNSITO

Cada dez vítimas que vão para a UTI, seis são de acidentes de trânsitos, principalmente por motocicletas e com pessoas de dezoito a trinta e quatro anos.

A informação foi feita no Bom dia, Brasil de hoje, rede Globo.

A notícia merece uma reflexão e uma provocação: um pedido para que as autoridades façam alguma coisa. Essa alguma coisa é leis mais duras.

Na esfera federal já endureceram a lei sobre a ultrapassagem absurda. Multa dura neles.

Aqui também poderemos ir pensando nisso, pois desobedece-se a lei de uma forma absurda:

*Há que faça negócios na pista: compra, venda, etc. Fazem barreiras de carros e motos;

*Há quem levante o pneu e corra em alta velocidade e ainda ache o máximo;

*Há quem corra demais, sem ser Roberto Carlos. Etc, etc.

Política pública para o trânsito. Enquanto isso, na escola precisamos tratar desse tema como transversal.

terça-feira, 11 de novembro de 2014

UTILIDADE PÚBLICA

A utilidade pública é o ponto forte, mais alto da FM 104, Liberdade.

É nesse item que a rádio recebe, digamos, a unanimidade da população.

Os perdidos e achados, as notas de avisos de morte são itens que prestam relevantes serviços.

A VOLTA

A FM 104,9 está no ar oficialmente desde o sábado, 8.

A programação está aos poucos sendo encaixada. Os programas mais tradicionais, como o de Dequinha Bezerra, Fabiano e Valdir já estão no ar.

AS HERANÇAS

Ninguém gosta de receber como herança dívidas, mas algo lucrativo.

Este é o quadro das heranças administrativas para 2015. Os governadores esperam cofres cheios, ou pelo menos com alguma coisa.

A sociedade não quer chororô.

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

ENEM

Muitos estudantes fizeram as provas só por experiência.

Isso é muito bom.  A experiência  prévia será valiosa para exames futuros.



TEMA DA REDAÇÃO DO ENEM

Publicidade infantil, foi o tema da redação do Enem 2014. Um bom texto deveria abordar a ética na publicidade. Os cuidados que os puboicitários devem ter quando propagam certas propagandas.

E o que se publica no face?

domingo, 9 de novembro de 2014

DICAS DE REDAÇÃO PARA ALUNOS DO ENEM

Para produzir um texto na prova do Enem, pequenos detalhes farão grande diferença. Uma delas é o tamanho de cada período.

Para facilitar, vou traduzir a palavra período. Período é uma frase. Vou chamar período de frase.

* Portanto, escreva frases curtas, e não quilométricas, pois terá mais chance de acertar. Ou seja, numa frase pequena é mais fácil a pontuação.

E não se esqueçam de colocar ponto final quando finalizarem uma frase. Vejam a entonação.

QUEM SE LEMBRA?

Num dia como o de hoje, dia de prova do Enem, lembro-me dos tempos duros da escola. Não havia as facilidades que temos hoje, principalmente a acessibilidade nos seus mais variados aspectos: vagas e o como chegar à escola.

Não havia facilidades, mas tinha um ponto positivo: quem conseguisse transpor aquelas barreiras era Phd com apenas um segundo grau.

Agora a concorrência aumentou. Cada um deve investir na qualidade.

sábado, 8 de novembro de 2014

HOJE É DIA DE DESAFIO

Dia de Enem é dia de desafio dos grandes para quem está disputando pra valer uma vaga na Universidade.

Há quem faça prova somente para cumprir tabela. Dentre estes, uns o fazem porque ainda não estão no terceiro ano ou que não estudaram suficientemente para concorrer em condições para passar.

Seja qual seja o caso, é bom que mantenham a calma. Se conseguir isso, já vai ganhar nesse item para muitos, pois esse motivo derruba muitos estudantes.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

UM ESPAÇO E TEMPO PARA ESTUDAR

Há muitos anos - assim nos anos 90  - um pai de um dos meus alunos do Ensino Médio me abordou e disse:

Dê uma ajudinha a meu filho, porque ele não tem tempo de estudar. Trabalha desde cedo.

Respondi, sem gaguejar:

Dê condições a seu filho para ele poder estudar em casa.

A todos, eu digo hoje:

Arranjem tempo e um bom lugar para estudar. Pode ser em casa, na escola ou noutro lugar. Os vencedores fizeram assim.

MÚSICA É ARTE

Revi ontem um velho conceito de música: "arte de combinar sons".

Munidos desse conceito, podemos seguramente dizermos que as produções modernas em que um vocalista fica gritando e lançando palavrões contra as mulheres e emitindo uma letra agressiva, pode ser chamada de música.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

FORA DA LISTA

Upanema não está incluída na lista das cidades do Rio Grande do Norte que correm perigo de epidemia de dengue. Treze cidades do nosso Estado correm esse risco.

A quem atribuiremos os méritos?

Seja quem for, palmas para nós!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

VINTE E CINCO E VINTE E SEIS

Hoje faz vinte e cinco anos que a Constituição do Rio Grande do Norte foi promulgada e vinte  e seis anos e um mês da promulgação da nossa lei maior, a Constituição Federal.

Lembro-me de ambas as promulgações, mas a que mais me marcou foi a constituição cidadã, levantada pelo presidente  da câmara federal, Ulisses Guimarães.

Naquele dia todo mundo tinha a ilusão de que a partir daquela lei, quase todos os nossos problemas seriam resolvidos.

É PRECISO SONHAR

Diz o poeta que "nossos sonhos a gente é quem constrói". Nem sempre temos a força para construirmos nossos  sonhos.

Mas mesmo assim, vale a pena sonhar. Aliás, temos  a obrigação de sonharmos.

UM EXEMPLO A NÃO SER SEGUIDO

Defendo com unhas e dentes a ideia que quem deseja fazer uma boa redação precisa escrever todos os dias, com o próprio punho e de caneta.

Convenhamos que para a geração do celular seja difícil escrever com caneta.  Não. Não censuro esta geração em pensar assim. Entretanto, convido-a a refletir comigo sobre o fato de não haver saída. Que fazer, se vivemos numa época digital e continuamos com exames vestibulares com redações escritas a mão?

Escrever todos os dias, textos gordos, robustos, sobre os mais variados temas do quotidiano.

Textos robustos, sim. Não devem seguir meu exemplo, de escrever textos magros como eu. Devem ter pelo menos o triplo deste que já estou quase no fim. Eles devem ser bem escritos, fundamentados em argumentos convincentes.

Quem assim proceder, terá a chance de fazer uma boa redação.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

UM SER EM FORMAÇÃO II

E o como aplicar os conteúdos é dose forte.

Quanto mais a gente estuda, mais desaprende. As estratégias pedagógicas que funcionam de verdade  não surtem o efeito que desejamos. É como se receitássemos um remédio fraco e não tivesse efeito.

E assim caminha a educação formal.

UM SER EM FORMAÇÃO

O que sempre escutei sobre o médico de que nunca para de estudar, vale para todas as ocupações. Com o professor não é diferente. Precisa estar se atualizando não só em conteúdos, mas como aplicá-los.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

DICAS IMPORTANTES

O sucesso de quem estuda depende de algumas atitudes interessantes feitas na hora certa. Por exemplo: o uso da fala. Se o estudante fala na hora de perguntar, de responder ou de questionar um assunto, ele tem muita chance de obter sucesso, pois ele dependerá do  que está estudando.

Fazer anotações do que está estudando. Pode ser o resumo do conteúdo e até as explicações do professor.

Estudar em casa, de preferência no mesmo dia aqueles conteúdos que viu na aula. O assunto ainda fresquinho facilita a aprendizagem. O mal de muitos ditos estudantes é que não ligam nem para o que vê na sala, imagina revê-lo em casa depois.

E quando fracassam, botam a culpa em muita gente, menos neles mesmos.

Estas broncas servem para estudantes de todos os níveis de ensino. Os que estudam em cursinho também precisam se ligar.

domingo, 2 de novembro de 2014

QUANDO FALECEM CERTOS PROFISSIONAIS

O bombeiro - apagou-se
O alfaiate - abotoou o paletó
O açougueiro - desencarnou
O locutor - saiu do ar
A telefonista - cortou a ligação
O político - renunciou
O futebolista - foi expulso de campo
O árbitro - trilou o apito final
O jornalista - colocou ponto final
O humorista - ficou sério
O carpinteiro - bateu o prego
O fazendeiro - trelou as botas
O massagista - esticou as canelas
O marceneiro - vestiu paletó de madeira
O ricaço - perdeu os cobres
O advogado - requereu moratória
O motorista - fez a última viagem
O maquinista - chegou ao fim da linha
O leitor - virou a última página
O professor - quebrou o giz.

João Fernandes, de Joviânia-GO, da Folhinha do Sagrado Coração de Jesus.



QUEM SE LEMBRA?

Os remédios caseiros do antigamente da minha criancice e adolescência eram basicamente os mesmos de hoje.

Destaco a papaconha como remédio que combatia o fastio.

Se havia um menino que não queria comer, só era tomar um chá de papaconha.

sábado, 1 de novembro de 2014

A DEMOCRACIA NAS BASES

Desde cedo, ainda na escola, as pessoas precisam entender, reforçar e aceitar o jogo democrático, que não é perfeito, nem cem por cento, mas ainda é o melhor que nos engendraram.

O jogo dos regimes totalitários é horrível e não desejado por nenhuma pessoa de bem.

É na escola que precisamos e devemos aprender o verdadeiro sentido da liberdade e do direito de voto. 

É lá que deve-se entender que todos têm o direito de escolher o seu candidato.

A eleição de um grêmio deveria ser um laboratório para os que porventura um dia se sintam capazes de assumir um cargo político.

Mas o que ocorre é que o mau comportamento dos grandalhões está levando os pequenos a se comportarem da mesma maneira.

Pois bem. A eleição do grêmio do Calazans Freire foi anulada até que os candidatos amadureçam e aprendam a se comportar como gente grande que faz da democracia um instrumento de mudança e progresso da Educação.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

MAIS UMA ELEIÇÃO

Desta vez é a do grêmio estudantil da Escola Estadual José Calazans Freire.

O Grêmio Estudantil Aldo Felinto vai renovar sua diretoria hoje. Concorrem a chapa 1 e 2. A disputa está acirrada, segundo observamos os pedidos de votos. Houve até comícios.

A eleição será durante todo o dia, nos três turnos. A apuração ocorrerá, como de praxe, depois do turno da noite.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

VACINAÇÃO

A paralisia infantil e o sarampo são duas doenças muito antiga e muito combatidas.

Desde que me entendo de gente vejo campanhas contra elas. Vejo também sua eficácia, haja vista o número reduzido de pessoas com paralisia e sarampo é muitíssimo reduzido.

O estranho é constatarmos que ainda há pessoas que resistem à aplicação de vacinas. Assombroso!

Campanha

Do dia 8 a 28 de novembro haverá uma campanha em todo país. 

A informação é do jornal o Globo online.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A PRÁTICA

A prática da redação é tão importante quanto a prática de esportes, com relação à teoria.

Não adianta saber de técnicas de redação se não for acostumado a escrever.

Portanto, mãos a obra, pois o dia já está chegando.

Uma redação por dia cai de bom tamanho!

terça-feira, 28 de outubro de 2014

PROFISSÃO REPÓRTER

Hoje no Profissão Repórter haverá uma reportagem sobre o aborto.

Será um momento de reflexão para todos, principalmente para quem o defende.

O POST ANTERIOR

O post anterior faz referência somente aos que votaram nos dois candidatos a presidente neste dia 26 e não os que votaram nulo ou branco. Estes não aceitavam nem um nem outro.

Os que sufragaram votos úteis decidiram deixar o Brasil do jeito que está. Acharam eles que o candidato da oposição seria pior.

Uma pena!

A METÁFORA DO FUTEBOL

Para a maioria dos brasileiros  que sufragaram votos úteis nas eleições de domingo, 26, raciocinaram da seguinte maneira: nosso time está perdendo pelo placar de 2 x 0, mas não vamos mexer no time, pois poderemos perder por um placar maior.

A SALVAÇÃO VEM DE CIMA

A aguda crise da falta d'agua em alguns estados do país por enquanto só vai ter jeito com a chegada das chuvas.

A salvação virá de cima.

Sem chuvas, os reservatórios vão continuar  secando e o povo sofrendo.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

QUEM GANHA TAMBÉM PERDE

Depois de cada apuração de votos as pessoas que votaram nos eleitos gabam-se de terem ganhado.

Aqueles que votaram nos candidatos que não lograram êxito costumam admitir que perderam.

Entretanto se olharmos de outro ponto, poderemos ver que quem ganha também perde. Tudo dependerá da honradez dos compromissos de campanha.

Como exemplo, podemos citar o que prometeram a dupla Robinson-Dilma. Nos itens saúde, segurança e educação estaremos muito bem, obrigado.

Agora só falta o cumprimento a partir do ano que vem. Se cumprirem o que prometeram, então todos ganharam com a eleição deles.

domingo, 26 de outubro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra da eleição de José Agripino ao governo do Estado em 1982 e sua maioria sobre Aluísio Alves?

Zé Agripino teve 106.352 votos de maioria sobre seu adversário.

sábado, 25 de outubro de 2014

BATER RECORDE

Segundo os melhores dicionários, inclusive o da Academia Brasileira de Letras, dizem que aque recorde  é uma palavra paroxítona.

Para  provar isso, ela não tem acento gráfico na antepenúltima sílaba.

Pena que muitas pessoas famosas teimam em pronunciarem erradamente, chegando a induzir ao erro as pessoas mais simples.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

MAIS NÚMEROS DO MEU VELHO CADERNO

Em 27 de outubro de 2006 o Ibope divulgava pesquisa: Lula 58% e Alckimin 35%.

NÚMEROS DE 2006

Em 2006, um ano de eleição similar a deste ano no que se refere ao número de votos (deputado estadual, deputado federal, senador, governador presidente) números do Datafolha foram divulgados no dia 24 de outubro, portanto, há  oito anos, com o guinte resultado: Lula 58% e Alckimin 37%.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

QUEM JOGARÁ MELHOR?

Quem jogar melhor com suas palavras no último debate a ponto de convencer os eleitores terá grandes chances de ganhar a eleição no próximo domingo.

Não basta ser melhor. É necessário que o povão aprove a fala dos candidatos.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

DEBATES

Os debates estão deixando os candidatos sem ter o que expor de novo.

Com o de sexta próxima, já são quatro debates para presidente.


É uma saturação de conversa repetida. Já não há o que propor e acusar sem que o adversário e eleitores desconheçam.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

VELHA CAIXA

Revirando a minha velha caixa de informações leio que uma pesquisa divulgada pelo Ibope em 27 de setembro de 2006, o então candidato Lula tinha 48%, enquanto Alckimin tinha 32%.

Lembramos que ainda estávamos no primeiro turno.

A MATEMÁTICA EM ALTA

Grande parte dos estudantes e o povão  em geral nutre uma grande aversão e até ódio pela matemática enquanto matéria escolar. Essa rejeição muitas vezes é direcionada também aos professores. Infelizmente.

Uma coisa que eles não podem mudar é o uso diário da matemática, principalmente nesse período, o eleitoral.

Vivemos diariamente cercados de números. Somos movidos pela fé. É necessário crer para votar. A história tem provado que as pessoas mesmo dizendo que não acreditam nas pesquisas, findam votando nos que estão na dianteira.

A matemática, no final das contas, guia a vida das pessoas, mesmo das que a detestam como disciplina escolar.

Não seria o momento de os estudantes aproveitarem o ensejo e aprenderem percenatagem?

INIMIGO E ADVERSÁRIO

Inimigo e adversário não é a mesma coisa, apesar de serem duas palavras de sentidos aproximados.

Adversário é quem é contra alguém numa circunstância específica. Numa eleição deve haver apenas adversários e nunca inimigos.

Isso serve para candidatos, cabos eleitorais e eleitores simples.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

AS NOVAS FERRAMENTAS

Além das ferramentas tradicionais de acesso à internet, hoje perdemos a conta das maneiras que temos de publicarmos algo na grande rede.

Hoje é possível publicarmos um texto de um local onde não haja internet da forma tradicional. É o acesso pelas operadoras de telefone móvel.

Este mundo está a cada dia puor nunas coisas e ótimas noutras.

domingo, 19 de outubro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

 Quem se lembra dos quintais cercados com varas?

Hoje quase não se vê uma casa que tenha cercas. As cercas que conhecemos são as elétricas. Sua quantidade nas casas são praticamente iguais aos muros cercados com tijolos nos velhos tempos.

HORÁRIO DE VERÃO, QUE MARAVILHA!

Estamos no horário brasileiro de verão. Que maravilha!

Que maravilha que nada, objetará alguns. Este horário só traz transtornos.

Discordo. É muito bom a gente mexer com o mesmismo das horas.

O horário diferenciado vai até 22 de fevereiro de 2015.

sábado, 18 de outubro de 2014

HORÁRIO BRASILEIRO DE VERÃO

Começa a partir da meia-noite o horário brasileiro de verão.

Acho-o maravilhosamente bom esse novo horário, pelo mesmo motivo de muitas outras pessoas: por causa do horário da TV que começa mais cedo e permite que possamos ver os programas mais tardes.


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

DIFICULDADES EM ACEITAR REGRAS

Todos temos dificuldades em observarmos as regras, seja no trânsito, na escola, no trabalho, no campo de futebol, no debate eleitoral.

A geração de quinze anos não conhece o furdunço que era um debate de candidatos. Em 1989, salvo engano, existia dezenove candidatos a presidente da República.

Era divertido vermos os pegas entre Brizola e Collor. Entre Collor e Lula. Entre Caiado e Collor ou Covas. E por aí se ia. Ninguém deixava o outro falar.

Agora está uma beleza. Todos escutam os outros.

Ainda há a flagrante inobservância das regras, por mais simples que sejam. É do ser humano mesmo. Ele precisa se ligar, pois sem elas o mundo só tende a piorar.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O ENSINO PARTICULAR

Um registro do livro Upanema- de povoado a vila - do professor Josafá Inácio nos informa que antes da escola pública em Upanema (1935), já existia o ensino particular. 

Entenda-se ensino particular como uma escola que funcionava numa casa de família e sem registro oficial. Servia como uma desarnação, ou seja, uma espécie de primeiras informações da cultura letrada. Era a famosa aprendizagem de ler e contar.


DIA DO PROFESSOR

Hoje é o dia dos que transmitem conhecimentos acumulados durante os anos em que estiveram nos bancos escolares, desde a pré-escola à universidade.

Professor é basicamente isso. Quanto ao papel de educar que o professor passou a ser responsável, acho que é um dos grandes equívocos dessa geração. 

O professor não consegue abarcar tantas funções ao mesmo tempo. A polivalência vai no máximo na área do conhecimento e não nas suas atribuições. A educação deve ser papel da família e não do professor.  

Há até uma discussão acerca da função de ser sacerdote, ou seja, doar-se de corpo e alma, mesmo diante das maiores dificuldades. 

E os equívocos não param por  aí. Ser psicólogo, juiz, etc.

Há, talvez, um dos mais graves: é querer colocá-lo no mesmo nível dos alunos. Ora, esquecem-se de que o discípulo não pode nem deve ser igual ao mestre. Quando isso acontece, o discípulo precisa ser mestre de outros discípulos. Nada mais lógico e justo.

O que, lamentavelmente, presenciamos é uma geração que não quer ser aluno diante dos mestres, mas mestre e mandões na condição de aluno, em suas próprias cadeiras. E querem fazer isso sem, contudo, terem sequer a bagagem de aluno eficiente.

Por pirraça sobrevivemos em meio a tantos equívocos.

   

APESAR DOS PERIGOS

"Um novo tempo, apesar dos perigos", cantou Ivan Lins nos anos 80. Naqueles dias, os perigos eram outros.

Os mesmos perigos daqueles tempos não deixaram necessariamente de existir. Eles se somaram a outros que apareceram agora. 

A violência descabida e desenfreada tem aumentado de forma assustadora. 

O ruim dessa questão é que as esperanças que depositamos naqueles que poderiam resolver esses problemas, aos poucos, vão se diluindo. Quase não se acredita mais nas promessas. Quando chegam no topo, aparecem uma amnésia violenta e a coisa fica de mal a pior.

Há novos tempos, mas não tempos melhores. O que há são tempos mais perigosos e mais difíceis de se viver dignamente.

DE OLHO NOS DEBATES

Já que o eleitor de cidades pequenas não tem a possibilidade de manter o contato tête-à-tête, há algumas alternativas para se conhecer os candidatos e o que eles pensam.

Apesar das contra-informações, os é-mentira-é-verdade e os é-e-não-é, é possível aos eleitores o discernimento para saberem em quem não votar. Descoberto em quem não votar, abre a única opção em quem votar, já que são dois candidatos.

O problema é que criou-se na cabeça das pessoas a ideia de que é necessário que o candidato peça o voto ao vivo. No caso dos presidenciáveis, não é possível aos candidatos pedir votos a todas as pessoas ao vivo.

Assim, o debate faz-se necessário. 

terça-feira, 14 de outubro de 2014

AO AMANHECER DO DOMINGO

Ao amanhecer do próximo domingo, 19, o país acordará com o horário brasileiro de verão.

O formato desse ano não terá novidades. Nem mesmo as reclamações vão diminuir. Digo isso porque muito antes de chegar o dia, os contrários já se manifestam.


PREVISÃO DO TEMPO

Consoante o que diz o Clima tempo, Upanema está nublado neste momento.

Os leitores bem informados e bem lidos, como é o caso dos leitores de blogs, não precisam dessa informação porque a tem nas pontas dos dedos.

Os que precisam disso não leem ou leem mal ou quase nada. Precisam acreditar pelo menos no que veem: as previsões meteorológicas não acertam cem por cento, mas chegam perto disso.

MAIS QUE UM MODISMO

Caminhar cedo nos tempos dos telefones inteligentes é mais que um modismo. É uma necessidade.

Um comparativo com o comportamento das pessoas nos anos 80 dá para ver que as pessoas caminhavam naturalmente e suavam naturalmente. Nem precisavam de ginástica. Depois de se acostumarem a comer muito e muito mal, muitas pessoas procuram o socorro nos remédios, nas caminhadas e nas academias. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

FEIRA LIVRE

A feira de Upanema foi um pouco mais movimentada do que as outras, em razão uma pequena movimentação política.

Partidários dos candidatos Robinson Faria e Dilma pediram votos especialmente os trabalhadores rurais.

domingo, 12 de outubro de 2014

OH QUE SAUDADES

Oh que saudades que tenho
da aurora da minha vida
da minha infância querida
que os anos não trazem mais.

MEUS OITO ANOS

"Meus oito anos" de Casimiro de Abreu pinta bem pintado os tempos áureos da nossa infância.

Hoje é dia de nós que já passamos dos quarenta, relembrarmos daqueles que não voltam mais.

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra das crianças que brincavam com carrinhos feitos de flandres e madeira?

sábado, 11 de outubro de 2014

O CLIMA ESTÁ QUENTE

O clima está quente tanto no sentido literal quanto no figurado. No figurado, faço alusão ao momento político-eleitoral.

Os dois candidatos de cada cargo que disputam o segundo turno estão utilizando as armas de que dispõem.

Eles utilizam as mesmas estratégias de um time de futebol: jogada, ataque e defesa.

Só não podem fazer falta feia, pois os juízes darão cartão vermelho.

A TURMA DO BEM

Pertencer à turma do bem é uma das coisas que quase todo mundo almeja.

O quase pertence aos que claramente se colocam na sociedade como instrumentos do mal.

Eles estão em todos os quadrantes da sociedade. Não faltam os que puxam para trás e para baixo através de atos reprováveis pelas mentes sadias.

Mas para os de "mentes desfertilizadas", como diria o ex-prefeito Rosvaldo Bezerra, isso é puro devaneio.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

NA ONDA DOS INSTITUTOS DE OPINIÕES

As pesquisas eleitorais têm ajudado a uns candidatos e afundado a outros. A reclamação parte dos que estão em desvantagem. 

Quase sempre, os institutos de pesquisa mostra a realidade plena e viva daquilo que está oculto. Isso só atrapalha os que estão perdendo. Os que estão ganhando, não estão nem aí. Quando ocorre o inverso, os reclamadores mudam de posições.

A onda de reclamações só se acabaria se fosse proibida a divulgação dos resultados das pesquisas. As pesquisas não seriam proibidas, mas somente para consumo interno. Assim, deixaria o povão mais livre para votar no escuro, sem nenhuma preocupação acerca de quem estaria na frente ou perdendo.

Cabe aos legisladores resolver esse problema. 

OPINIÕES E OPINIÕES

Bem que dizem que acerca de política há muitas opiniões controversas e há até quem chegue a afirmar que não se deve discuti-la porque cada um tem a sua opinião e e não adianta perder tempo.
Acho que aqui é onde as pessoas que inventaram essa ideia estão mais do que redondamente enganados. Deve-se, sim, discutir política. Mas ela deve sr discutida nos foros legítimos e não em qualquer canto.

A internet é um lugar ideal para a política ser discutida.

A mais recente opinião foi aquela de um jornalista, talvez um jornalista, que ao defender o estilo Tiririca, criticava os candidatos que aparecem no horário eleitoral. Chegou até a criticar os programas eleitorais no rádio e TV.

Ora, esses que defendem isso não perceberam que é através do horário eleitoral que muitas pessoas decidem em quem votar e quem não votar? Não descobriram ainda que o lugar onde eles mostram a cara literalmente é no programa de TV?

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

DEBATE

O debate é uma das mais eficazes ferramentas a favor ou contra os candidatos.

E quando o formato é daqueles que põe os dois frente a frente, à guisa de briga de galo, faz mostrar todas as fraquezas e virtudes. É nesses momentos em que eles descobrem o que está no íntimo.

A ESCOLA IDEAL

É certo que a escola ideal de um não é a mesma de outro. Há, porém, orientações de estudiosos para que os pais escolham a escola que se encaixa no seu modo de entender uma escola que sirva bem para os propósitos de si e dos filhos.

Uma escola ideal é aquela em que o filho se sinta bem quando a vê pela primeira vez.

Ela deve ter uma infraestrutura boa e laboratórios funcionando. Os de informática, que sejam aliados dos estudantes e não ferrenhos adversários.

A propósito, já é tempo de pensarmos nisso, pois o fim do ano já chegou.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

UMA GUERRA DE IDEIAS?

No segundo turno desta eleição haverá uma guerra de palavras, acusações, defesas das acusações. Haverá também guerra de conquistas para os apoios dos que perderam a eleição.

E haja guerra!

terça-feira, 7 de outubro de 2014

ENTRE O RUIM E O PIOR

O Brasil gritou durante muitos anos para para ter o direito de votar. 

Agora, em alguns momentos ficamos encurralados, entre a cruz e a espada, ou seja, entre dois candidatos que não correspondem nem de longe com nossas opiniões. É o famoso segundo turno.

É no segundo turno que na situação que descrevi acima escolhe-se entre o ruim e o pior.

E entre o ruim e o pior, tanto faz. O ruim é votar no pior. O pior disso tudo é ter que votar no ruim para não eleger o pior.

Alguém entendeu? Também não.

POR QUE OS ALUNOS SE DÃO MAL?

Estivemos ontem reunidos na Escola Estadual José Calazans Freire para elaborarmos um projeto para a escola concernente ao RN Sustentável.

O RN sustentável é uma parceria entre o governo do Estado e o Banco Mundial. O projeto no nosso Estado é denominado de PIP - Projeto de Inovação Pedagógica.

No Calazans, elegemos o problema dos primeiros anos do Ensino Médio, que é a alta evasão e reprovação. O que está acontecendo? 

O problema será atacado através do projeto e terá o envolvimento de toda escola. 


segunda-feira, 6 de outubro de 2014

A ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL

Uma das boas propostas dos candidatos a presidente e a governo foi a implementação de escola em tempo integral.

Quanto a isso, quem concorda com essa ideia não deve se preocupar  com os quatro candidatos que ficaram para o segundo turno, se somarmos os dois níveis de disputa. Eles disseram  que irão implantar esse regime de escola.

Aos que não gostam de frequentá-la  - seja aluno ou professor  - não devem sentir vontade de votar em nenhum deles.

OS CABOS ELEITORAIS

Multiplicam-se os cabos eleitorais pelo Brasil a fora. Só que falo dos mini-cabos eleitorais e não daqueles que viram funcionários dos candidatos em épocas de eleição ou são funcionários permanentes dos mesmos.

Vimos agora nesse pleito uma gama de pessoas que pediam votos para seus respectivos candidatos, sem nenhum interesse pessoal ou sem remuneração alguma. Pediam votos só pelo prazer de participarem da política de alguma forma.

E ainda dizem por aí que as pessoas estão perdendo o gosto pela política.

TOMAR REMÉDIO

Sábado, 4, escrevi a expressão "tomar remédio" com relação ao pleito eleitoral.

Aos que não conhecem a expressão supra, direi em poucas palavras o seu significado. Não sei se ela foi criada por nós aqui. Seria até honroso, pois engordaria o nosso rico vocabulário local.

Então, vamos a ela. Tomar remédio em uma eleição é perdê-la. Os eleitores gostam de encharcar os outros com a expressão "tomou remédio". Serve tanto para os candidatos quanto para os cabos eleitorais e simples eleitores.

Lembro-me que em uma dessas eleições falou-se tanto nisso que no dia posterior ao pleito as farmácias ficaram lotadas de pessoas comprando remédio para dor de garganta e gripe por comerem melancia morna.

domingo, 5 de outubro de 2014

QUEM SE LEMBRA? II

Outra campanha para o governo do Estado foi em 1986. Naquele ano eu sufragava meu primeiro voto.

O país estava saindo do regime de exceção. Então, derrotar o candidato da situação era muito bom.

Coube a Geraldo Melo a tarefa de desbancar o candidato dos vermelhos. João Faustino era seu nome.

QUEM SE LEMBRA?

Os grandes pleitos

Em todas as eleições estaduais lembro-me das eleições do passado, especialmente aquelas em que já estava começando a entender de política.

O ano de 1982 marcou a primeira eleição para governador depois da tomada do poder pelos militares.

Em 15 de novembro daquele ano era eleito José Agripino. Agripino vencia pela maioria de cento e três mil votos seu maior rival, o "bacurau" Aluísio Alves.

sábado, 4 de outubro de 2014

COMO PERU DE NATAL

Dizem que quem morre na véspera é peru de Natal.

Com a eficiência das pesquisas de opinião, muitos candidatos já tomam remédio um dia antes da eleição.

Pelo menos é o que pensam os eleitores e até os candidatos. Perder uma eleição antes do tempo é normal, mas os candidatos vão à luta, pois eles alimentam a esperança de os insitutos tropeçarem.

ESTÁ CHEGANDO A HORA

Ai, ai, ai, ai, ai, ai, ai, está chegando a hora.

Amanhã o país vai às urnas para dar cinco votos.

Os ventos da democracia sopraram nesses meses de campanha. Saiu de quase tudo. Cada candidato disse o que bem quis.

É a época em muitas pessoas poderosas praticam a humildade quando pedem. Quem pede é gente humilde. Eles passam três meses pedindo humildemente que votem neles.

Então, viva a humildade e viva a democracia!



terça-feira, 30 de setembro de 2014

ESSA TAL LIBERDADE

Os problemas concernentes à liberdade começam pelo conceito.

O que é liberdade? Devemos fazer o que bem entendermos?

E onde estão os direitos dos outros?

Temos a liberdade também de prejudicarmos os outros?

Na pista podemos sair por aí atropelando a todos porque achamos que temos liberdade?

Pois é isso mesmo o que muitos pensam sobre essa tal liberdade. Há os que chegam ao cúmulo de tirar o que é dos outros, inclusive a vida.

A rigor, nos tempos modernos não estamos com a liberdade plena nem de andarmos nas ruas com tranquilidade.

Que usemos nossa liberdade para construir um mundo melhor!

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O GOSTO E DESGOSTO PELA POLÍTICA

Há no ser humano um misto de amor e ódio pela política. Nos tempos de descrédito nos políticos, as coisas acontecem na ordem inversa: há mais ódio que amor. E com a política e os políticos não é diferente.

A multidão de pessoas que assistiam atentamente à fala dos candidatos hoje pela manhã não nos deixa pensar que pessoas passem tanto tempo debaixo do sol escaldante e ainda não gostem daquilo.

Sei também que silenciosamente nuitos vão engrossar as estatísticas dos votos inúteis.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

TREZE

Treze é o número de milhões de analfabetos brasileiros em 2013, revela o IBGE.

Entenda-se como analfabeto uma pessoa que não sabe decifrar o código linguístico, ou seja, não sabe juntar as letras, que se transformam em sílabas, palavras, frases, parágrafos, textos, livros, etc. 

Fora os treze, há ainda um número elevado de pessoas que têm enormes dificuldades de entenderem o que que leem.

É  como se uma pessoa soubesse ler um texto em outra língua mas não entendesse o que estava lendo.

Pois é. Há muita gente assim,. E não são poucas pessoas. Destas, são frequentadores de bancos escolares. 

domingo, 21 de setembro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Estive pensando esta semana sobre os jogos de bilocas que praticávamos nos anos 70 e 80. As bilocas era atiradas dentro de um buraco raso. Aliás, havia pelo menos três buracos e mais outro que chamávamos  de matança.

Quem alcançasse o último seria um matão. O matão poderia atirar contra os demais. Ganharia o que fosse combinado como algo de valor ou a própria biloca.

Às vezes jogávamos pedrinhas roliças no lugar das bilocas. Assim, o prêmio seria contos de cigarro ou outra coisa. O dinheiro não rolava de jeito nenhum. Só objetos de pouco valor.

Quem se lembra disso?

sábado, 20 de setembro de 2014

O VIVER NATURAL

O mundo tecnológico em que estamos metidos e atolados até os olhos não permite que vivamos como viviam nossos antepassados, a saber, de modo natural.

Hoje as pessoas voltaram a andar um pouco mais  com as pernas.

Houve um tempo - e não é coisa do século 19, mas finalzinho do 20 - as pessoas perderam o costume de caminhar. O resultado foi o aparecimento de doenças ligadas ao sedentarismo.

Os que se achavam chiques por andarem em carros, hoje se acham chiques em acordarem cedinho e caminharem no asfalto por obrigação atendendo a recomendações médicas.

O viver natural engloba o andar de modo natural.

Sem energia elétrica nossa sociedade não aguenta, nem um instantinho só. Para algumad pessoas até  parece que a falta da preciosa energia seja o início do apocalipse now.

O viver sem energia por algumas horas é possível, desde que saibamos  driblae esse problema.

Uma sugestão é desengavetarmos aquele velho rádio de pilha e escutarmos um programa que certamente se encaixa com cada ouvinte.

Se for pela noite, a Voz do Brasil é um programa bastante informativo.



sexta-feira, 19 de setembro de 2014

EU REPRESENTO VOCÊS

Na época das eleições os candidatos dizem representar a todos nós. Será?

O fato é que o que eles vão defender quando estiverem no poder será anos-luz do que dizem quando querem ganhar os votos.


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

LICENCIATURA EM CIÊNCIAS SOCIAIS

Para quem está interessado em estudar Ciências Sociais na UFRN e a distância, acesse o site www.comperve.ufrn.br e veja lá o link do edital inscrição.

As inscrições vão até o dia 25.



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

DIAS MELHORES

"Vivemos esperando
Por dias melhores
Melhores no amor
Melhores na dor
Melhores em tudo".

O poeta retrata de forma singela e eloquente aquilo que a banda do bem espera e reclama diariamente.

O trágico disso é que quando chega a oportunidade de termos os dias melhores, eles não fazem o mínimo do mínimo: o uso da mão e da cabeça de modo correto. Preferem jogar contra o próprio gol.

Assim, os dias melhores não vêm mais uma vez.


PROGRAMAÇÃO DE ONTEM

A programação de ontem da festa dos 61 anos de Upanema resumiu-se no tradicional desfile de uma banda bem cedinho, o desfile pela tarde e a entrega do bolo  da emancipação.

A diferença do desfile de ontem é que os desfiladoresnão eram necessariamente alunos, mas qualquer pessoa da comunidade.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

ANIVERSARIANTE COM A CIDADE

Quem hoje completa ano junto com Upanema é o nosso amigo conterrâneo Pedro de Freitas Bezerra, conhecido por Pedro de Manu. 
O curioso é que ele nasceu no mesmo dia em que Upanema foi emancipado politicamente de Campo Grande.

Parabéns a ambos!

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

POR QUE SORRIEM TANTO?

São poucos os candidatos que não ficam rindo a todo instante durante o período eleitoral. Há os sisudos, sérios, cara trancada, mesmo na época de pedir votos.

Mas quem disse que é preciso sorrir mesmo sem motivo?

Ou eles têm motivos para isso?

sábado, 13 de setembro de 2014

O CUIDADO COM A LÍNGUA

Na vida comum nem se nota o que falamos ou deixamos de falar no que se trata da língua formal.

Mas na vida pública, a coisa é diferente.

Não se concebe que um candidato de um alto cargo diga em alto e bom som que defende, se eleito, tornar tal coisa gratuíta.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

TRIBUTO A UPANEMA

O espetáculo "Tributo a Upanema" será realizado hoje a paetir das oito da noite, no Teatro Municipal.

O evento é uma realização da Prefeitura de Upanema, o Centro de Referência da Assistência Social e Secretaria de Assistência Social.

Faz parte das comemorações dos 61 anos de emancipação de Upanema.


quinta-feira, 11 de setembro de 2014

GINCANA

É hoje! É hoje a final da gincana cultural, na Praça de Eventos, que contará com alguns colégios da cidade. A disputa promete ser acirrada, visto que os colégios que perderam no ano passado não vão querer repetir a dose.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

A QUEM INTERESSAR

Nas minhas anotações do meu caderninho, colhi as seguintes informações e republico aqui para que os leitores se apropriem dessas informações que não se encontram em qualquer lugar.

"Através do decreto 11.415 e processo de nº 19.907/91 do governador José Agripino, datado de 11 de agosto de 1992, o nome da escola deixou de ser “Escola Cenecista de 1º e 2º graus José Calazans Freire” para “Escola Estadual José Calazans Freire – Ensino de 1º e 2º graus”.

terça-feira, 9 de setembro de 2014

EMANCIPAÇÃO

Começam hoje as festividades da Semana da Pátria, Upanema.

A cidade, que já foi politicamente dependente da vizinha cidade de Campo Grande, a cada dia aumentam as razões para uma festa.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

RESGATE DA TRADIÇÃO

Há quem não dê valor à tradição e até ache que tradição é coisa sem valor.

Pois foi isso mesmo que vi ontem no desfile do 7 de setembro, promovido pela Escola Estadual Professor Alfredo Simonetti.

O resgate da tradição do desfile do 7 de setembro, sepultado pelos equívocos modernistas das novas pedagogias que acham que tudo que é disciplina é opressão, ditadura, etc. 

Agora fica uma reflexão: Será que parte da falta de disciplina nas ruas não seja falta de disciplina nas salas de aula pela falta de pequenos gestos como a cadência e a disciplina dos desfiles cívicos?


domingo, 7 de setembro de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra dos desfiles do 7 de Setembro em Upanema?

O que ainda resta é o saudosismo dos bons tempos da escola e da Educação, e que éramos felizes e não sabíamos.

Naquele tempo pisava-se no solo, com orgulho e até desfilávamos só para "nos amostrarmos e vermos nossos pais, parentes e vizinhos olhando a gente na avenida pisando firme, de calça comprida e tênis Conga.




sábado, 6 de setembro de 2014

TEMPO NUBLADO

Sempre é bom falarmos de tempo nublado.

O tempo nublado nos proporciona momentos agradáveis e diferenciados dos outros dias.

Mas não custa lembrar que os raios solares estão ativos mesmo escondidos debaixo das nuvens.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

SETEMBRO CHEGOU

A triste partida de Luiz Gonzaga retrata a passagem dos meses de forma meio melancólica.

De mês em mês, ele relata a desesperança nas experiências do inverno. Pensa em ir a São Paulo e vai, a contra-gosto.

Vivemos uma realidade diferente com a chegada de setembro. Ninguém pode esquecer e fugir de outubro que se avizinha, quando haverá mais eleições de candidatos que já foram e novamente serão e ficarão no poder para novamente se esquecerem do que disseram e voltarem de novo daqui a quatro anos.

domingo, 31 de agosto de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra quando as pessoas só comiam fora de casa quando estavam viajando ou comiam no local de trabalho? 

Quem se lembra das boias, que originaram os boias-frias?

Quem não sabe a origem da palavra boia-fria? Então, para quem não sabe, aqui vai a explicação óbvia: as pessoas que trabalhavam em serviços braçais, não tinham outra alternativa a não ser levarem a comida logo cedo para o trabalho, já que lá não havia comida e nem daria tempo de almoçar e voltar.

Assim, na hora do almoço, a boia já estava fria.

Escrevi com os verbos no passado, mas isso ainda existe. E como existe!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

PONTE LIBERADA

A ponte da BR 110, depois de meses, foi liberada nesta semana que se  finda. Agora, ainda faltam algumas sinalizações para a estrada ficar totalmente boa para o tráfego. 

terça-feira, 26 de agosto de 2014

NÃO ESCOLHEMOS OS CANDIDATOS

Recentemente escutei de um sábio da política que a nossa democracia não permite que escolhamos os candidatos, mas que os elejamos.

"Nós elegemos os candidatos, mas não escolhemos". 

E explica: um postulante ao governo do Estado chega em torno dos 40% dos votos no primeiro turno. Com essa porcentagem, ele poderá vencer, sem que tenha do seu lado a maioria.

Se houver segundo turno, poderá haver um número elevado de abstenções, nulos e brancos, somados aos votos do outro candidato, que dará mais de 60% de eleitores que não querem esse candidato.

Assim, mesmo com a minoria, o candidato é eleito. A maioria não o elegeu, mas ele ganhou com uma minoria.


segunda-feira, 25 de agosto de 2014

COMÍCIO DO ZELQUIN

Houve ontem mais de um comício do Zelquin. As cores que conseguiram se misturarem no Estado, não fizeram o mesmo aqui. 

Era como se tivéssemos dois candidatos. O que vimos nitidamente é que a mistura não está heterogênea. Apenas conseguiram colocar no frasco as duas ou mais cores. Agitaram, mas não houve mistura. 

Mas mesmo assim, o povo gosta de política e de falar em política. Um comício daquele tamanho não nos deixa mentir. 

domingo, 24 de agosto de 2014

DIA ESPECIAL

Como hoje é dia especial, escrevi sobre coisas especiais, como a vida, os livros, o comportamento dos humanos, etc. Se não me engano, nem falei dos discos do passado, do presente e nem dos discos voadores.

TOLERÂNCIA ZERO

O cara vê outro fumando e pergunta:

- Puxa! Mas você fuma?

- Não, eu gosto de bronzear os meus pulmões.

OS QUE SE FORAM

São muitos os que se foram recentemente para não mais voltar. Dos conhecidos nacionalmente, destaco três intelectuais: Rubem Alves, João Ubaldo Ribeiro e Ariano Suassuna.

Dos três, conheci pessoalmente o terceiro, que era misto de paraibano e pernambucano. Era professor, mas muito mais humorista do que qualquer outra coisa. Até o jeito de andar já fazia a gente ri.  

Numa Feira do Livro de Mossoró, (já disse não sei quantas vezes) passei quase duas horas rindo com as tiradas daquele senhor.

Foi no ano de 2009 que o conheci  - pena que a recíproca não é verdadeira - e foi uma das palestras mais interessantes que já vi.

Se a recíproca fosse verdadeira, o prazer teria sido meu de fazer algumas perguntas. Como veem, o homem era muito famoso e não dava para encostar fácil nele.


DAS MUITAS COISAS

Das muitas asnices que escutei na área da Educação, a mais sofisticada foi a de que deveria caber aos alunos a tarefa de escolher o currículo. Traduzindo: os alunos deveriam escolher as matérias e conteúdos que deveriam ou estudar.

Sei que nem todos os conteúdos que passamos para os alunos vão cair nos exames. Mas faz-se necessário sua exposição porque não se tem certeza daquilo que vai ser cobrado.

Poderemos fazer uma comparação com as palavras do dicionário: "Ao meu lado um dicionário cheio de palavras que sei que nunca vou usar", cantou Raul seixas. Mas ele não defendia que o dicionário deveria ter número x de palavras. As palavras são usadas em determinados contextos por classes diferentes de pessoas.

E OS DOIS OUVIDOS?

Temos dois ouvidos e uma boca porque devemos ouvir mais do que falar. Nada mais lógico. É o que parece. 

PS: A rigor, não temos somente dois ouvidos. A ciência diz que temos mais.

A TECNOLOGIA E O JUMENTO

Quando pensei que tinha ouvido tudo, não é que uma pessoa disse, de bandeja, que a tecnologia de hoje é comparada a um jumento?

Bom. A mesma pessoa disse que no passado, as pessoas ficavam doidas de tanto lutar com animais irracionais. Hoje, quem luta demais com a tecnologia corre o risco de ficar doido também.

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra das lamparinas? 

Ter uma lamparina em casa não significava que a pessoa era pobre ou rica. Era uma necessidade. Algumas com mais condições, também tinham em casa lampiões a gás. 

Alcancei a cidade de Upanema com energia elétrica somente para alguns. Já nesse item, quem tinha energia em casa tinha mais condições financeiras do que as que não possuíam.

Já as lamparinas... essas eram indispensáveis, pois o gás ou querosene, era o combustível que todos podiam comprar, ainda que de frascos.

CINCO

Cinco é o número dos candidatos ao governo do RN.

Por que somente dois têm reais condições de ganhar a eleição e são eles mesmos que são mais badalados?

A resposta é tão óbvia que nem preciso gastar palavras.

O QUE NÃO ESTÁ COM NADA

Dentre as coisas que o ser humano faz e não está com nada é dirigir embriagado. É preciso dizer que ele perde a noção de espaço, tempo e perigo?

ESCUTATÓRIA

Um sábio disse que assim como há um curso de oratória, deveria haver um curso de escutatória. Foi o escritor Rubem Alves quem disse isso. 

Ele, como todos que falam para plateia, por ser professor, também sofria com os que não escutam, mas estão no local como se estivessem para escutar.

Para que curso de oratória? Falar as pessoas já sabem bastante. O que muitos ainda precisam é calar na hora que precisa escutar.

PROMESSAS E PROPOSTAS

A diferença entre promessa e proposta é bem pequenininha. 

Será mesmo que os políticos conseguem explicar aos eleitores essa diferença? Se conseguirem, garanto que conseguirá captar muitos votos através do convencimento.

TV NA JANELA

As poucas TVs que havia em Upanema no finalzinho dos anos setenta e começo dos oitenta ficavam nas janelas. A que me lembro mesmo era a da casa de Seu Pompeu Tavares.

Perdi a conta das vezes em que vi os jogos do Flamengo em que dava peia nos times do Rio de Janeiro. Vi muitas vezes um tal de Júlio César, ponta esquerda, entortar o espinhaço de Orlando, lateral do Vasco da Gama.

Vi Zico dá shows no Maracanã, enfrentando leões no gol como Leão e Paulo Vitor. Tirando Cantarelli, o time do Flamengo era digno de ir para a seleção brasileira. 

Via também, aos domingos, o Fantátisco e os gols, com Léo Batista e sua zebrinha, que piscava sem parar um olho. Só não me pergunte se era o esquerdo ou o direito. Só sei que era preto e branco, afinal, as zebras são preto e branco. Se não fosse, não havia diferença nenhuma, pois as TVs era preto e branco e mesmo!

Todo esse cenário aí, ainda não tinha nascido Waguin um dos torcedores mais convictos do Flamengo. É certo que vive apreensivo. Mas não é pra menos: o Flamengo não tem dado muitas alegrias aos seus torcedores. A exceção é somente quando joga contra um time que tem lindas estrelas.


  

PINÓQUIO

Se a historinha de Pinóquio fosse mesmo real, havia muita gente com os narizes que não podiam mais carregar com o peso. Principalmente nesse período que ora vivemos.

O SÁBIO

O sábio cala e o tolo fala. Pois bem. O sábio só fala o necessário. O que não tem muito o que dizer, diz o que não deveria dizer.

PARA BEM SE EXPRESSAR

Há algumas expressões em língua portuguesa que são fáceis de assimilar e não é privilégio dos falantes saber dizê-las.

Quando dizemos que uma pessoa tem menos de dezoito anos, basta dizermos que ela é menor de idade ou simplesmente menor. Não se faz necessário gastar o de, de graça.

O fato é que, se a língua já tem lá suas complicações, muitas pessoas fazem o desfavor de complicar ainda mais. Depois vão botar a culpa nos gramáticos e gramatiqueiros. Assim não dá.


MAIOR FONTE DE PESQUISA

É uma tremenda perca de tempo escrever neste espaço para leitores inteligentes como os meus que a internet é a maior fonte pesquisa da atualidade e em curto espaço de tempo. 

Com um click, pesquiso quase tudo que quero.

Pena que muitos dos meus alunos ainda não despertaram para isso. Quando falo essas coisas até parece que estou dizendo besteira ou não dizendo nada de interessante.

Ou pior: parece que estou falando para as paredes.

NÃO TEM NADA A VER

Não tem nada a ver escrever-se não tem nada haver.

FÁCIL E DIFÍCIL AO MESMO TEMPO

A vida hoje está mais fácil do que antigamente. Se dissermos que está mais difícil do que antigamente, não estaremos faltando  com a verdade.

Só depende do que estamos falando. Se observarmos a saúde do povo, veremos que hoje não e morre fácil de qualquer doença como no século passado. Qualquer gripinha mal curada, a morte andava perto. Gripe mal curada dava tuberculose, que por sua vez levava ao caixão. Os poetas ultrarromânticos visitaram a morada dos mortos muito jovens.

Hoje não se morre de câncer por qualquer motivo. Se a doença for descoberta a tempo, o paciente tem uma boa percentagem de chance de não morrer. A medicina avançou consideravelmente.

Por outro lado, as doenças vêm com mais força, pois o ser humano é aquilo que come e respira. Os alimentos estão mais propensos a adoecer as pessoas. O ar está mais poluído do que em tempos passados. Pelo ar as doenças se propagam. O ebola não nos deixa mentir.

Na educação, as facilidades são enormes. O acesso à educação virou lei obrigatória. Pelo outro lado, caiu a qualidade do ensino. Livros didáticos e paradidáticos aos montes. Transporte escolar. Merenda. Sala refrigerada. Datashows. Etc. Na outra ponta, a concorrência para entrar em empregos até os que pagam mal.

A vida está fácil e difícil ao mesmo tempo. Se olharmos para outras especialidades, veremos que estou falando corretamente. 





O CONCEITO DE TEXTO

Um texto não é somente aquilo que convencionou-se chamar de texto. Não. Não é preciso que seja composto de muitas palavras e parágrafos articulados.

Uma linha só pode ser um texto. Há poemas de uma só linha. Poema é texto.

Este que agora estou concluindo é um texto. Há até os textos que não têm uma palavra sequer: são os que utilizam a linguagem não verbal. Há imagens que dizem muito mais do que milhões de palavras. No sinal de trânsito os textos não verbais botam moral!

DESENHOS ANIMADOS

Assisti muito pouco aos desenhos animados. Sou da época em que os desenhos estavam se aperfeiçoando. No entanto, não tinha TV em casa para assistir. O que ainda via eram os filmes na Sessão da Tarde na casa de Seu Antônio Lopes.

Muito depois, já com mais de vinte, ia para a casa de Chico Cândido, ao lado do meu velho amigo Lenhador Humilde.

Os desenhos de antigamente eram feios, com pouca tecnologia. Também estou falando do meado dos anos setenta.

QUER ENRICAR?

Uma música bem antiga de Zé Gonzaga conta a história de um homem que diz  à mulher que quer mudar de vida. Um dia, na praia escuta uma voz que diz:

- Zé, tu quer enricar?

O homem ficou intrigado com aquilo a ponto de dizer à mulher.

- Larga de ser besta, home! Diga que quer enricar.

No outro dia, quando a voz repetiu a mesma coisa, Zé diz:

- Quero sim!

- Então vá trabalhar!

- Vá você, alma sem-vergonha!



EBOLA

O ebola tem matado mais de mil pessoas somente neste ano. Ainda bem que estamos bem longe dele. Pelo menos é o que imaginamos.

Por essas informações, não podemos nos gabar de que somos tão poderosos. Os humanos precisam evoluir muito nesse item eficiência. Imaginem no item perfeição, como frisou o cantor Roberto Carlos:

Não somos perfeitos
Ainda.

QUE NEGÓCIO É ESSE?

Que negócio é esse de dizermos que o mês de agosto é o mês do desgosto?

É certo que foi em agosto que aconteceram muitas tragédias. Mas não foi só em agosto que aconteceram catástrofes. O certo é que quem criou essa frase era um tremendo supersticioso. E a superstição se espalhou como uma pequena fagulha num palheiro.

Hoje escutamos a frase da boca de muitas pessoas. Por coincidência, vez por outra, um avião cai ali e acolá. De repente uma pessoa famosa morre neste mês. Aí, dá vazão para a superstição.

Os famosos que morrem tragicamente em maio, com Ayrton Senna, não conta. Para compensar os supersticiosos, Lady Diane falei no último dia de agosto de 1997. 

Uma pesquisa não tão profunda revelará que os supersticiosos não têm razão. Fico com os que não acreditam em mês de desgosto. Afinal, foi neste mês que nasci. 

QUASE TUDO QUE QUERO SABER

Quase tudo que quero no que se refere à pesquisa, encontro na internet. Já me pergunto se haverá alguma coisa mais extraordinária do que ela.

Será que os leitores de enciclopédia dos anos 80 não fizeram a mesma pergunta?

Eu mesmo não refletia sobre isso naquele tempo quando ficava maravilhado diante de uma Enciclopédia Globo, capa vermelha, anos 80, finada biblioteca do Calazans Freire, na Avenida Getúlio Vargas, Centro, ou na Avenida Antônio Vitorino, próximo a Seu Raimundo Lino, pai de Bezerra. 

Não imaginava que a internet iria existir e ainda por cima, ser a queda de muitos estudantes.

Quase tudo que se refere a conhecimento, lá está. Quando falo quase, é porque muitas histórias interessantes ainda pertencem à literatura oral. Como resolvo? Publico e ela passa a ser fonte de pesquisa para os outros.


AS HISTÓRIAS DE CAMONGE

As histórias de Camonge fazem parte dos itens que encontramos pouco na grande web.

A explicação para isso é que essas histórias fazem parte da literatura oral. Os mais velhos que eu sabiam dessas histórias e as repassavam para as gerações, mas poucos as punham no papel. 

O que temos na rede é pouco. É provável que já tenha alguma coisa escrita, mas não muitas obras.

Aguardemos para que as publicações apareçam.

APRENDEU O A

Recentemente ouvi a seguinte frase: “fulano aprendeu o A, ensina o B e os alunos aprendem o C.” Não é que isto tem sentido? Será que isso tenha contribuído para que o ensino esteja em níveis abaixo do desejado?

Pasmem! A frase foi pronunciada por um senhor que não foi muito à escola, mas sabe ler e entender mais do que muitos dos nossos ditos estudantes de hoje.

CHARADA

A charada seguinte, muito antiga e sem graça, por sinal, vale uma postagem e um ano de minha vida.

Com essa postagem, eu somo aos outros textos para formar o número de anos que completo hoje.

Qual a diferença entre o poste e o picolé?

FALAR DIFÍCIL É FÁCIL

Captei a seguinte frase, há muitos anos, de um apresentador numa emissora de rádio:

Falar difícil é fácil; difícil é falar fácil.

A frase acima entrou na minha cabeça, rasgando, nunca mais saiu.

Vez por outra, lembro-me dela como um legado do meu conhecimento que adquiri ao longo desses quarenta e nove anos. Em outros momentos a frase me vem à memória especialmente quando vou explicar algo. Se o interlocutor não entendeu é porque estou falando difícil.

É muito mais fácil falar difícil do que falar fácil. Quando explicamos algo, explicamos da maneira que entendemos. E nem sempre a maneira que entendemos será compreendida pelos ouvintes.

No escrever ocorre a mesma coisa. É tão verdade isso que nas redações de vestibulares os que corrigem as provas não querem textos com palavreados difíceis. O melhor é dizer de forma singela, mas com originalidade.

Não podemos tentar falar ou escrever difícil para não parecer que estamos sendo pedantes. E o pedantismo é coisa desagradável.

PRA PRESTAR ATENÇÃO

"Eu digo pra você prestar atenção, mas você não presta!" (Jogo de palavras do cantor brega Falcão).

A CHAVE QUE ABRE A CABEÇA

A leitura é a grande chave que abre a cabeça. Muitos que têm o título de estudante não estão ouvindo a voz que diz: leiam muito, leiam livros, revistas, jornais, cartazes, bulas de remédio, rótulos de creme dental... tudo que aparecer.

Na TV temos comerciais que nos orientam para que leiamos algo. Mas quem não presta atenção nas coisas boas da TV, só se ligam na lixaria e não enxergam o lado bom que nos enobrece.

É DA SUA CONTA?

Quem se lembra dessa peleja, do nosso tempo de criança?

-É da sua conta?
-Mas é do meu reparo!
-Repara de sem-vergonha!

-Muito mais sem-vergonha quem me mandou reparar!

EQUÍVOCOS

Há alguns equívocos na sociedade que produzem efeito negativo na educação. Exemplo: o professor não ensina; quem ensina é o aluno. O professor é mediador do conhecimento. Nada existe certo ou errado. Não há verdade ou mentira.

Toda essa baboseira que disseminaram no seio da escola só tem contribuído para ajudar a empurrar a educação para baixo.

PRIVILÉGIO

Só pelo fato de estar na escola, o aluno já deve considerar-se um privilegiado. 

Na escola, se ele quiser, aprenderá muita coisa que os de fora nunca saberão. Como por exemplo, uma nova língua, a língua padrão. Fico triste quando o aluno não desperta para essa realidade.

VAMOS SUJAR A CIDADE

Que tal sujarmos a cidade para que os garis tenham o que fazer? 

Sabiam que essa ideia não é defendida somente por ignorantes e analfabetos? Sabiam que semelhante absurdo é defendido também por pseudos-estudantes?

Não é lamentável que essa ideia possa ter surgido das salas de aula?

COMA MUITO PRA NÃO SAIR FALANDO

Coma muito pra não sair falando.

A frase acima é uma das pérolas da nossa linguagem regional. 

Para quem não entende, é uma grande asneira dizer que é preciso comer muito pra não sair falando. Para um estrangeiro deve ser difícil entender isso. 

É semelhante aquela expressão que se diz quando alguém faz menção de sair: Tá cedo! Para um estrangeiro não é inteligível.

Conta-seque um estrangeiro que morava em Upanema muitas vezes voltava do terreiro várias vezes por que o dono da casa dizia: Tá cedo! Um dia, porém, alguém disse: é um costume nosso dizer isso. Quando alguém disser que tá cedo, pode ir embora quando quiser.

É a riqueza da nossa língua.

O DESPREZO PELA HISTÓRIA

Desprezar a história é desprezar o passado. Desprezar o passado é desprezar o que é mais velho do que nós. 

Desprezar o que é velho é um caminho para desprezar tudo o que é velho, a começar pelas pessoas velhas.

É uma prática que parte do aparentemente inofensivo ao mais grave.

PROMESSAS

Quando eu ganhar vai ser assim. Confiem em mim. 

Vocês sabem que eu sei fazer e vou fazer. Vou defender a educação, saúde, segurança. Etc. isso e muito mais constituem em lorotas de candidatos. Basta só a gente esperar pra ver o resultado das urnas.

PROBLEMAS

Os governos não têm conseguido resolver os problemas que os próprios ajudaram a inventar.

Mas não é que no período eleitoral eles gritam publicamente, a todos pulmões, que vão resolvê-los? E o pior: só eles sabem resolver, e os adversários, de jeito nenhum.

Durmam com uma lorota dessa!

A EDUCAÇÃO DE TEMPO INTEGRAL II

É incrível mas é verdade que muita gente é contra a educação em tempo integral, principalmente certos alunos errados. 

Um educação em tempo integral deverá fazer com que a educação melhore em qualidade. O problema é que ações dessa natureza chegam, mas não são eficazes, visto que as escolas não têm estruturas suficientes para atender dignamente. O Mais Educação não me deixa mentir. Quando esse benefício vier, será um gol a favor dos brasileiros, pois gols contra vivemos de rede cheia.

EDUCAÇÃO DE TEMPO INTEGRAL

A educação em tempo integral é uma das próximas conquistas dos brasileiros na área da educação.

Será que quando todas as escolas públicas do país tiverem escola em tempo integral a  educação dará aquele salto de qualidade que muitos estudiosos falam e desejam?

A resposta só teremos daqui a algum tempo. 

UMA QUESTÃO GRAMATICAL

Estar ao telefone ou estar no telefone? Sentar à mesa ou sentar na mesa? 

Analisemos por parte: alguém estar ao telefone, caso alguém possa entrar dentro de um telefone, a frase também ficará certa.

Sentar à mesa é sentar-se numa cadeira próximo a uma mesa, geralmente para fazer refeição. Sentar na mesa é sentar em cima da mesa.

PROBLEMAS DE SEGURANÇA

    Os problemas com a segurança do Estado estão entre os principais que o eleitor norte-rio-grandense tem elegido.

Recentemente era a Educação e Saúde. Hoje nem se fala tanto nisso. Agora é segurança. O candidato que conseguir convencer os eleitores que poderá resolver os problemas da segurança, com certeza captará muitos votos.

SOLUÇÃO PARA TODOS OS PROBLEMAS

      Na época eleitoral, os candidatos têm soluções para todos os problemas. Quando ganham, se apequenam a ponto de não poderem resolver certos problemas que são mais urgentes.

LINGUAGEM DOS CANDIDATOS

     Comício para mim, já disse aqui neste informativo e repito, que é prato cheio porque além de observar o que dizem ainda anoto e vejo até seus deslizes na linguagem.

COMPROMISSO

Se as pessoas não ligam para o que os candidatos dizem agora nos palanques, que preocupação terá eles depois de eleitos, se não haverá quem cobre nada por que nada escutou?

FALTA DE ATENÇÃO

     A falta de atenção dos eleitores para o que dizem os candidatos nas falas, seja em comícios ou programas eleitorais é algo que conta a favor deles quando forem eleitos. Por que?

      Porque aquilo que não é ouvido não é notado.





A ESCALADA DA VIOLÊNCIA

     Num mundo de tecnologia avançada, de aparelho nos dentes, internet, etc, etc, ainda não se encontrou uma maneira de barrar a escalada de violência dos humanos.

QUEM SE LEMBRA?

Volta ao mundo no meu tempo de criança não era dar uma volta ao mundo inteiro. Era o nome de um tecido muito popular e barato. Não só popular e barato, mas dentro da moda.

Era comum a gente vê diariamente pessoas vestidas de volta ao mundo. Era um tecido fino, transparente, colorido e quente. Só era usado para fazer camisas. Era comum ouvir alguém dizer que fulano estava  com uma camisa volta ao mundo azul, vermelha.

Quem se lembra? 

O ESPORTE UNE

Uma frase que captei por aí: O esporte, ao contrário da política partidária, une as pessoas, de norte a sul.

sábado, 23 de agosto de 2014

QUAL A SUA GRAÇA?

Para muitas pessoas não tem nenhuma graça essa história de que o nome da pessoa é sinônimo de graça

Qual a sua graça? Quem fala isso certamente já tem uma certa idade ou ouviu dos mais velhos. Porque hoje em dia essa expressão está totalmente desusada e não combina com a geração dos aparelhos nos dentes.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

FEIRA DO LIVRO 2014

A Feira do Livro de Mossoró deste ano será entre os dias 3 e 7 de setembro.

Dos convidados, o nome mais de peso, segundo minha opinião, é do jornalista Xico Sá. É colunista da Folha de São Paulo. É cearense. Se é cearense, tem tudo para ser um bom humorista. Se eu tiver oportunidade, estarei lá.

terça-feira, 19 de agosto de 2014

UM JUMENTO MORTO É UM ANIMAL SEM VIDA

Ao ver hoje um jumento morto bem próximo da BR 110, estrada que vai para Campo Grande, lembrei-me da frase dita por Ariano Suassuna, quando falava para estudantes universitários.

Na ocasião, ele recordava que um jovem queria convertê-lo para a música moderna, com especialidade o funk ou punk.

"Você está atrasado. Agora é funk", dizia o jovem.

Na plateia, como Ariano era bastante espirituoso, cantou o que o jovem cantara para ele:

Um cavalo morto é um animal sem vida. 
Rutheford, Bohr!
(Repete a estrofe até cansar)

E assim, vi o jumento sem vida, ao lado da BR, junto de algumas companhias, os urubus. "Tá lá o corpo estendido no chão", como diria o narrador esportivo da TV, Januário de Oliveira, à espera que um samaritano o retire de lá.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

COMO LIDAMOS COM A RIQUEZA

Não é porque estou próximo dos cinquenta. não. Os senhores e senhoras hão de forçosamente concordar comigo quando digo que a escola pública brasileira está esbanjando riqueza e pouca gente se dá conta disso. 

Com exceção de nós que vivenciamos uma realidade muito dura no passado, não há quem perceba que a fartura é grande de livros didáticos e paradidáticos.

O que chega até a nos magoar é o fato de que muitos menosprezam toda essa riqueza cultural que os governos já não podem mais deixar de enviar os milhares de livros, novinhos em folha, todos os anos, porque todos já se acostumaram com esse suporte importante para a aprendizagem dos alunos.

O que lamentamos é que por mais que gritemos em voz baixa eles não acordam para essa realidade. 

É pena que ainda há muita gente que não saiba lidar com essa riqueza. Parece que é preciso que ela se vá para que seja dado o verdadeiro valor. 

domingo, 17 de agosto de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Das muitas lembranças do passado, uma que não me sai da memória é a carta de abc. Era um pequeno manual que ensinava a gente a escrever as letras do alfabeto.

Coloquei o verbo no passado somente para ser saudosista. As cartas de abc ainda existem e estão à venda nas mercearias. O que é diferente do passado é que elas não são tão utilizadas como no passado.

Se assim fosse, não teríamos tantas letras inadequadas para redação escolar. Ao olhar algumas letras dos nossos estudantes até parece que eles nunca estiveram na escola primária.

As novas tecnologias estão aí a todo vapor, numa velocidade absurda. Esse fato não significa que a escrita a caneta não tenha nenhum valor. O que ocorre é as redações não deixaram de ser escritas. 

Precisamos voltar a utilizar as cartas de abc nas escolas para a geração de estudantes se saiam bem nas redações.