segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

FIM DO HORÁRIO DE VERÃO E INÍCIO DAS AULAS

Hoje começam as aulas nas escolas públicas de Upanema.
Elas voltam no primeiro dia útil em que o horário de verão 2015/2016 termina.


domingo, 21 de fevereiro de 2016

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra dos tempos em que só nos preocupávamos com as muriçocas?

Dos bichinhos miúdos só tínhamos medo de que um se enfiasse nos nossos ouvidos ou passasse a noite zumbindo sem deixar a gente dormir.

Hoje o quadro mudou. Os bichinhos aedes nos metem medo, pois até parecem adivinhar que os humanos não sabem mesmo se organizar quando se trata de se defender ou promover o bem.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

PROVÉRBIO

A boa cortesia custa pouco e vale muito.

DIA BOM PARA

Dia bom para ler um livro? Descansar? Meditar?
 
Tudo isso e muito mais. Dia para pensar o que fazer com esse mundo moderninho demais, em que a lógica e o bom-senso simplesmente não existe. Um mundo em que o certo e o errado e os compromissos já não têm o mesmo conceito.
 
É por isso que o mundo não está dando certo.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

ANGÚSTIA

É angustiante a situação a que estamos submetidos.

É mosquito que ameaça reduzir parcela considerável da população mundial.

São autoridades que não conseguem suportar o peso do cargo, pois não cumprem suas promessas dos palanques.

Assim, o velho ditado da minha avó se encaixa bem:

Quem não pode com o pote, não pega na rodilha.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

SEGUNDA-FEIRA COMEÇA O ANO LETIVO?

Concerteza ou com certeza segunda-feira começa o ano letivo?

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

O QUE TEM A VER A EDUCAÇÃO COM AS DOENÇAS

Claro que todo mundo de bom senso vai logo dizer que a Educação é tudo.

Se isso é verdade, para que tanta preocupação com a construção de um currículo para a escola?

Esqueceram que nas aulas de Ciências aprendemos a prevenção?


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

RESPONSABILIDADE COMPARTILHADA

Todos têm a obrigação moral de lutar para que o mosquito assassino seja derrotado. É como numa barca que corre perigo. Se todos não lutarem pela sobrevivência, ficará mais difícil vencer a tempestade.

sábado, 13 de fevereiro de 2016

PROVÉRBIO

A amizade mais se há de mostrar na adversidade.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

VOLTA

Segunda-feira, 15, marcará a volta das aulas na rede estadual de ensino.

Será mais um ano de batalha no batente, na labuta diária da sala.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

UMA VISITA

Recebi em minha residência, ontem pela tarde, o senhor José Cleito Babosa Nery. Vinha acompanhado de Socorro de Luiz de Zé Ronca, uma contra-parente sua.

Cleito não é upanemense, mas é casado com dona Marinetes Dantas  Aquino, de família upanemense.

Ele já escreveu um livro e está com outro nos finalmentes.

História da minha vida, do bairro Aerolândia e do condomínio Manuela Mendes é o nome do livro já publicado. A obra narra sua vida na cidade de Fortaleza, Ceará.

O livro que vai ser publicado vai falar sobre memórias do povo de Upanema. Está pesquisando mais memórias e promete concluir a obra em breve.

Recebi um livro de presente  e preciso lê-lo antes de sua volta.





quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

UMA LIÇÃO

Uma lição que podemos tirar desse carnaval é que a gastança de dinheiro público é perfeitamente dispensável.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

ENFIM, ACABOU

Hoje é o último dia de algo que não teve, segundo alguns.

O carnaval não teve segundo os padrões daqueles de alguns anos atrás, mas barulho houve suficiente para ser chamado de festa de momo.

Já está terminando, mas nos deixou algumas lições. Amanhã direi quais são.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

TRA! TRA! TRA! AQUILO NÃO É CARNAVAL?

Desde a sexta-feira, onde passamos a gente escuta um tra, tra, tra.

Dos conjuntos residenciais à beira rio ouvimos música e muito frevo.

Se isso não for carnaval, então o que é?

domingo, 7 de fevereiro de 2016

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra dos envelopes de carta?

Havia os de bordas verdes e amarelas. Depois apareceram os lisos e uns quadrinhos com espaços para colocar o remetente endereço.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

E SE TIVESSE CARNAVAL?

A cidade não tem carnaval. Oficialmente. Mas hoje um bocado de gente estava num clima de carnaval no centro da cidade.

Segundo se sabe, amanhã tem carnaval com banda especializada na coisa.

Muitos se revoltam com o fato de o poder público não torrar o dinheiro com o carnaval. Quem conhece história de Upanema sabe que essa prática é recente.

Carnaval não é serviço essencial. Então, pula quem gosta e pode. Se gosta e pode, pula.

Agora, quanto aos serviços essenciais, o poder público não pode faltar nem na época do carnaval nem fora dela.

Para ser mais específico, não pode faltar nada na área da saúde, porque, meus caros, a população vai reclamar e com muitíssima razão.


quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

CADÊ OS CANAIS?

Não entendo bem de sintonia de TV, mas a TV de pobre está muito ruim nesses últimos dias.

Na minha TV, a intertv saiu do 13 para o 11. O 11 era a band. Hoje o 9, que é a Record, está com a imagem muito ruim. O SBT, que era o 7, saiu do ar.

Cadê os canais? Para onde foram?

AINDA NO QUADRO

As quedas de árvores e os buracos na cidade fazem parte de um possível quadro a ser pintado por um exímio pintor.


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

UM QUADRO PINTADO

Se um pintor quisesse sintetizar num quadro os dias atuais, começaria pintando mosquitos da dengue, moscas, chuvas, barragens se rompendo.


segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A CÂNTAROS E À BEÇA

A cântaros e à beça são expressões equivalentes na língua padrão, a língua dos ditos cultos em momentos solenes.

Portanto, em Upanema, se considerarmos a intensidade das chuvas entre nós, chove a cântaros, ou à beça, como se expressa o amigo Rômulo Felinto.

Chove em Upanema desde as 13 horas de hoje. Agora já está perto de 17 horas.
 

AS FILAS

As filas de espera nos postos de pagamentos são inconvenientes por natureza.

Os maus costumes os tornam piores ainda, como as trapalhadas da fila dupla e às vezes tripla.

Aqueles que se dizrm privilegiados sem o serem e os que malandramente passam na frente mesmo que tenham chegado depois, são outros inconvenientes das filas.