domingo, 27 de abril de 2014

PEDIR PARA

A cada dia as normas gramaticais estão ficando fora de moda, apesar de os exames continuarem exigindo da mesma forma.

As desobediências não são sadias, visto que as pessoas ficam acostumadas a dizerem de uma maneira diferente que é cobrada oficialmente.

O PEDIR PARA  é um erro clássico das falas, até nos grandes meios de comunicação.  

Pedir para alguém fazer algo é um erro de regência verbal. A regra diz que pedimos algo a alguém e não para alguém.

E POR FALAR EM PERA

O novo acordo ortográfico entre os países de língua portuguesa diz que algumas palavras que pertenciam ao chamado acento diferencial perderam o acento.

Entre elas estão para, pelo e pera.



QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra das peras?

Ah! Das peras frutas, frutas da pereira?

Não. Refiro-me a "pequena peça que contém um interruptor de corrente elétrica," segundo o dicionário Soares Amora.

As peras são peças quase extintas. Pelo menos nunca mais vi uma daquelas, se não eram as únicas mas as mais usadas para ligar e desligar a luz.

sábado, 26 de abril de 2014

REJEIÇÃO À VACINA

Apesar de ser comprovada a eficácia das vacinas, muita gente se recusa a tomá-la por muitos motivos. Um deles é que ela provoca gripe. Outros têm medo da picada ou acha que o músculo vai inflamar depois.

"Não vou vacinar de jeito nenhum", disse uma pessoa ontem quando se falava sobre a campanha de vacinação contra a gripe que começa hoje.

A CONSTRUÇÃO DO VOCABULÁRIO

A construção do conhecimento é feita gradativamente. Isso é um fato, mas muitas vezes queremos contrariar essa lei natural.

Quando queremos jogar na mente muita coisa de uma vez, como por exemplo, um conteúdo escolar, uma cifra ou letra desconhecida de música, um texto teatral, etc.

Nesses momentos nos esquecemos de que nosso cérebro é muito inteligente a ponto de assimilar os dados de maneira organizada e aos poucos, sem atropelos. Engana-se quem pensa que o computador seja inteligente. Não. Ele é apenas um depósito de informações que obedece ao comando da mão humana.

Com o vocabulário é da mesma maneira. Muitos dos nossos alunos têm um vocabulário pobre porque não constroem no dia a dia. Alguns têm a ferramenta bem próximo de si, mas não buscam corretamente. Não bebem na fonte onde mana o conhecimento que o leva a construir um bom vocabulário. Estou falando de língua portuguesa.

Com uma língua estrangeira, a coisa fica preta se não adotarmos técnicas eficazes. Faz-se necessário escrever textos de forma ordenada e auxiliado pelas normas gramaticais e a conversação. Eis a dica para quem almeja adquirir um bom vocabulário seja em que língua for. 


PREFEITURA REALIZA DIA “D” DE MOBILIZAÇÃO CONTRA GRIPE NESTE SÁBADO

A Prefeitura de Upanema, através da Secretaria da Saúde, realiza neste sábado, 26, o Dia “D” de mobilização contra a gripe dentro da campanha nacional de vacinação contra gripe.

O secretário da Saúde, Benjamin Bento, informou que as duas unidades básicas de saúde da zona urbana funcionarão das 8 às 17 horas receber o público alvo. “A imunização na zona rural começa na próxima segunda-feira, 28, com as equipes de saúde da família”, observou.

Durante a campanha, que se estende até o dia 9 de maio, serão vacinadas crianças de seis meses a menores de cinco anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores de saúde; gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto); e pessoas portadoras de doenças crônicas não-transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais. A meta do Ministério da Saúde é imunizar 80% de cada grupo prioritário, com exceção dos doentes crônicos.

Benjamin ressaltou que é importante que todos que se encaixam dentro do público alvo tomem a vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). “Somente com a vacina essas pessoas ficarão protegidas contras esses tipos de gripe”, alertou.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

Prefeitura Municipal de Upanema

Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 25 de abril de 2014

PARECE QUE FOI ONTEM A VOTAÇÃO DAS DIRETAS

Hoje faz exatamente trinta anos que a emenda das Diretas, a Emenda à Constituição Federal que tratava da eleição direta para presidente da República, já que só pra presidente e prefeitos das capitais é que o Brasil precisava democratizar.

A chamada Emenda Dante de Oliveira foi votada e derrotada e provocou choros e revoltas das pessoas que queriam restaurar o que fora tirado pelo poder ditatorial vigente.

Lembro-me que vi pela TV as manifestações e também o resultado final. A eleição para presidente somente foi restaurada cinco anos depois. Em janeiro de 1985 ocorreu a eleição indireta para presidente. A chapa vencedora foi encabeçada pelo então governador mineiro Tancredo Neves. Este não pôde assumir, visto que morreu. Sarney assumiu os cinco anos e entregou a Fernando Collor em janeiro de 1990.

Ainda em 1985, houve eleição para escolher os prefeitos das capitais. No nosso Estado tivemos a eleição de Garibaldi Filho.

Nas outras esferas: vereador, prefeitos do interior, deputados, senadores e governadores já existiam eleições diretas.

O prefeito de Upanema naquele tempo era Luiz Cândido Bezerra e o governador, José Agripino. 


quarta-feira, 23 de abril de 2014

MELHOR UM BILHETE

O título desse modesto texto foi provocado por uma pessoa usuária da telefonia móvel, que de tanto sofrer com as constantes quedas de sinal ou um serviço sem serviço, saiu com essa:

- É melhor a gente usar um bilhete para comunicar com as pessoas do que esperar pelo telefone.

E emendou:

- No tempo em que não havia telefone, a gente era só mandar um bilhete por uma pessoa, e a resposta era até mais rápida do que agora.

Exageros a parte, não devemos seguir a risca o que o cidadão pensa, mas há situações em que é do jeitinho que o homem aí falou.

domingo, 20 de abril de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Hoje o "Quem se lembra" é mais uma recordação de uma expressão bem antiga que era comum no meu tempo de menino.

Acho até que grande parte de nossa juventude não tem a menor ideia do que possa significar "plantar um cercado".

Quando chegava o inverno, naturalmente os agricultores procuravam um cercado para plantar feijão e milho.

A frase está tão esquecida que resolvi produzir esse textinho.  

quarta-feira, 16 de abril de 2014

CHUVA DE SÁBADO, 12

O volume de chuva do dia 12, sábado próximo passado foi de 20mm.

Informações de Yamashiro de Geraldo Messias.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

CHUVA DE ONTEM EM UPANEMA

A chuva de ontem em Upanema foi de 6mm.

Informação de Yamashiro de Geraldo Messias. 

domingo, 13 de abril de 2014

QUEM SE LEMBRA?

Quem se lembra dos moinhos de moer milho verde, maduro ou até seco. Êpa! O milho seco só era moído se fosse colocado de molho até ficar bom

O milho verdinho servia para fazer canjica e ou pamonha. O moinho era uma ferramenta indispensável na casa do agricultor. Quem não o tinha, vivia pedindo emprestado.

Quem se lembra dos moinhos?

sábado, 12 de abril de 2014

UMA PALAVRA QUE VOLTOU

A inflação é uma palavra que estava presente na vida dos brasileiros antes do Plano Real.

Nos anos 80 - época em que comecei a entender alguma coisa da vida dura e real - a inflação vivia subindo. Em consequência, o dinheiro perdia valor. Foi mais ou menos naquela época que a música "Saco de feijão", de Beth Carvalho,  foi lançada. Na época, a moeda do país era o cruzeiro. As coisas funcionavam como diz a música: a gente levava muito dinheiro para comprar pouca coisa. É uma prova de que havia dinheiro demais circulando no país. Para se comprar um quilo de feijão ou de açúcar necessitava de um pacote de dinheiro. 

Agora a palavra volta à tona. Há economistas até fazendo as contas para ver qual será o índice bem próximo das eleições de outubro. Se ela estiver alta, dizem eles, quem estiver do lado do governo perderá muitos votos.

Mas o que é inflação mesmo?

Desequilíbrio econômico caracterizado por uma alta geral dos preços e redução do valor aquisitivo da moeda. (Koogan/Larousse, de Antônio Houaiss)

Aumento geral de preços com a consequente perda, com consequente perda do poder aquisitivo do dinheiro. (Minidicionário Aurélio)





  

sexta-feira, 11 de abril de 2014

AS MARAVILHOSAS REDES SOCIAIS

O título do meu texto daria muitas laudas. Mas pela minha indisposição em escrever, atenho-me a poucas linhas.

Falo hoje das maravilhosas redes sociais que só me dão prazer. A outros é pura obsessão ou vício. A mim, só prazer. 

Não entendo porque tanta gente está sendo derrotada na vida por causa delas. Estas pessoas deveriam se ligar e tentar reverter a situação. Elas me ajudam a ficar por dentro de assuntos que me interessam e até dos que não queria nem saber. Entretanto, faço a filtragem e só assimilo o que me faz bem.

Notícias desagradáveis e papos idem são despejados diariamente. Os que me conduzem pra frente, recolho-os. Os que me puxam pra baixo, afasto-me.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

CHUVA NA CIDADE

Chove fino desde a tardinha de hoje. Entre as coisas ruins, é bom uma chuvinha para espantar o pessimismo.

domingo, 6 de abril de 2014

HISTÓRIA INÉDITA DE CAMONGE

O rei falou para Camonge:
- Camonge, vou sair, mas quando eu chegar, quero ver todos esses animais com as carroças dentro do meu quintal . 
Mas só que o rei fechou os portões , mas Camonge sempre esperto, esperou o rei sair e quando o rei saiu, Camonge teve uma ideia: matou todos os animais e cortou em pedaços e jogou por cima do muro. Quebrou as carroças e jogou também.

(História enviada por e-mail por Francisco Charles)

sexta-feira, 4 de abril de 2014

TEMPO CHUVOSO

O clima melhora por aqui. Depois de uma tarde muito quente e maravilhosa, agora cai uns pingos frios e maravilhosos também.

Good!

A BICICLETA

Na Holanda, 90% das pessoas utilizam as bicicletas em seus deslocamentos diários. 

Lá, até mesmo as autoridades holandesas, como a família real, ministros e secretários de Estado vão ao trabalho pedalando. 

Mesmo em que pese o fato de que o Brasil seja um país de dimensões continentais, bem mais extenso do que a nação europeia, também haveremos de convir que o "x" da questão é cultural, levando-se em conta o nosso "culto" ao carro, sem esquecer a infraestrutura deficitária de nossas cidades.


www.ecodesenvolvimento.org

Aqui, para muita gente, andar de bicicleta é sinônimo perfeito de pobreza. Tem pessoas que não sabem direito o que é andar a pé. 

Quando chega um certo tempo, os problemas de saúde aparecem e arrocham pra valer. É hora de também arrochar nas caminhadas e remédios.

TEMPOS DIFÍCEIS

A cada dia, as nações se modernizam no sentido de que possamos viver com mais conforto e tranquilidade. 

Na contramão, há muita gente, tanto do bem quanto do mal, que torna a vida mais difícil. Quem tem, quer ter mais e mais e mais até topar não sei aonde. Quem não tem, procura ter, ainda que de forma reprovável.

Às vezes não percebemos que a vida de todas as pessoas poderia ser muito melhor se procurássemos respeitar os outros e viver de forma simples, dentro dos limites que a nossa consciência grita a toda hora.