sábado, 24 de agosto de 2013

DOU TODOS OS TRINTA

Hoje vou usar e abusar de algumas histórias para completar a conta dos textos que correspondem à minha idade.

É uma história contada e recontada por papai por diversas vezes.

Um homem vendedor de pão, no tempo em que o balaio estava no auge, ao cair da tarde, depois de vender os pães, ainda sobrou uma boa quantidade.

Já ia pra casa, quando avistou um homem. Ao se aproximou, pensou: vou apostar o resto desses pães.

- Amigo, se você disser quantos pães tem aqui dentro deste balaio, dou todos os trinta!

O interlocutor percebeu que o apostador se atrapalhou na aposta, visto que deu uma pista segura, ou seja a resposta certa.

Malandro, não respondeu logo, como se estivesse tentando adivinhar. Depois respondeu:

- Trinta.

- Acertou, disse o homem. Pegue os pães e o balaio também. 

E foi-se embora. No caminho, pensou: que besta fui eu. Sem querer, perdi a aposta de graça. Pegarei ele amanhã.

No outro dia, arranjou um felino, botou dentro de um saco de estopa, colocou o rabo pra fora e saiu no mesmo horário na intenção de esperar o homem que ganhara a aposta no dia anterior.

Ao se deparar com o homem que passava no mesmo lugar, gritou:

- Hoje eu tenho uma aposta boa. Se você adivinhar, ganhará tantos cruzeiros. E fizeram uma aposta que cobria todo o prejuízo dos trinta pães que perdera.

O homem ficou afoito e não pensou muito para dizer "é um gato!"

- Não! É uma gata!

E tirou o bicho do saco e mostrou a prova.

Nenhum comentário:

QUE PALAVRA!

Carrapeta Pequeno pião que se faz girar com os dedos. (Aurélio) Espécie de pião que é girado com os dedos. (Soares Amora) Pequeno pião. (Ant...