sábado, 17 de julho de 2021

QUE PALAVRA!

Cartilha - Livro para aprender a ler. Livro elementar (Antenor Nascentes)

A cartilha era um livro que continha basicamente tudo o que o aluno precisava para aprender a ler, escrever e contar.

As gerações anteriores a mim e até a minha, fomos firmados nesse tripé. Na cartilha tinha tudo o que o aluno precisava para ser alfabetizado. Era educado também pela pela escola, mas ela não tinha essa preocupação, pois os pais educavam seus filhos à maneira deles. E tudo dava certo. Quem queria ou tinha, digamos, inclinação para o estudo, aprendia e subia na vida, de baixo, através do esforço. Andava léguas e léguas a pé, de bicicleta ou de jumento para chegar á escola e aprender as lições. Em casa tinha a cobrança dos pais. Estes botariam a culpa nos filhos se estes não aprendessem.

Não foi num átimo que toda a maneira de conduzir o ensino ocorreu. Foi aos poucos, que foi desmontado tudo o que dava certo. A base do ensino está destruída de tal maneira que as cartilhas de hoje não mais conseguem ensinar. Não é raro no Ensino Médio encontrarmos alunos que mais parecem com alunos de terceiro ano.

Talvez o poeta não esteja falando da cartilha que descrevi acima, mas vale a pena relembrar os versos abaixo:

Mãe, a vida, foi você quem me deu
E a cartilha me fez entender
Tudo o que eu sou
O que eu tenho o que eu sei
Mãe, eu devo a você.

Nenhum comentário:

TERREMOTO

Ainda muito longe do ocorrido, os futurologistas, terremotólogos do povo, previam que poderia haver mesmo aquele reboliço na cidade.  "...