terça-feira, 9 de novembro de 2010

A COERÊNCIA NA REDAÇÃO E NA VIDA

Se na vida cotidiana a coerência é indispensável para vivermos uma vida equilibrada, imagine numa redação de vestibular.

Imagine de novo comigo uma situação em que um aluno numa redação de ENEM comece a falar dos males do trabalho escravo e lá para o final da redação ele dê enormes pitadas de elogios ao mesmo trabalho escravo.

O fato de fazer elogios a essa mazela da sociedade acarretaria para o aluno um duplo desastre para sua nota: primeiro, ele estaria incorrendo numa incoerência absurda; segundo, ele estaria indo de encontro à ética que o ENEM exige, que é o respeito pela pessoa humana.

Nenhum comentário:

ENTRETENDO - EDIÇÃO DE DOMINGO

As jabuticabeiras (Vivaldo Coaracy) À hora do café matinal, a moça entrou, vindo do jardim, fingindo uma indignação que não era lá muito si...