domingo, 7 de novembro de 2010

HIPÓTESE

Há muito tempo que estudo os analfabetos e não consigo compreendê-los. Algumas palavras da nossa língua que seriam muito mais fáceis, penso eu, se fosse ditas do jeito que elas são.

"Hipótese", é uma delas. Quem já não ouviu uma pessoa dizendo assim: vou fazer uma "impolta" ou "himpolta". Tanto faz ser com h ou sem h.

Não é curioso que as palavras pesam na língua dos que não vão à escola?

Há outros exemplos da mesma natureza que caem como uma bomba nos ouvidos deles e se transformam rapidinho noutros verbetes. Deixarei para outras oportunidades.

Nenhum comentário:

LÁ PARA AS DEZESSEIS

Pingaram pingos leves, para depois engrossar e voltar a ser leves e, aos poucos, desaparecer. Eis o singelo quadro que posso pintar na tar...